Cafezinho & Cinema: conversa com Ducca Rios, diretor de Meu Tio José

Divulgação/Governo de São Paulo

Covid-19: Brasil registra 874 mortes e 45,3 mil casos em 24 horas

Por Redação

30 de maio de 2021 : 21h28

Número de recuperados da doença já soma 14,91 milhões

Publicado em 30/05/2021 – 20:05

Por Pedro Peduzzi – Repórter da Agência Brasil – Brasília

Agência Brasil — O Brasil já contabiliza 461.931 mortes em decorrência da pandemia de covid-19. Deste total, 874 ocorreram nas últimas 24 horas, segundo balanço divulgado hoje (30) pelo Ministério da Saúde.

Até este domingo (30), dos 16.515.120 casos confirmados de pessoas contaminadas pelo novo coronavírus, 14.912.744 já foram curadas e 1.140.445 estão ainda em acompanhamento. De ontem para hoje, foram registrados mais 43.520 casos positivos para a covid-19.

O balanço é elaborado diariamente pelo Ministério da Saúde com base nos dados encaminhados pelas secretarias estaduais de Saúde.

Covid-19 nos estados

São Paulo continua sendo a unidade federativa com o maior número de casos de covid-19. Das 3.265.930 pessoas contaminadas, 111.304 vieram a óbito, o que dá ao estado o primeiro lugar no ranking de mortes, seguido do Rio de Janeiro, ande 50.574 pessoas morreram em decorrência da pandemia. O estado do Rio registrou, até agora, um total de 863.865 casos de contaminação.

Com 1.569.774 casos confirmados de covid-19, Minas Gerais ocupa o terceiro lugar no número de óbitos, com 40.452 mortes.

Edição: Nélio Neves de Andrade

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

Nenhum comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »


Deixe uma resposta