Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Advogado de Bolsonaro envia mensagem sinistra a jornalista: “na China, você desapareceria e não encontrariam seu corpo”

Por Redação

10 de julho de 2021 : 11h00

Na noite desta sexta-feira, 9, a jornalista e colunista do UOL, Juliana Dal Piva, afirmou ter recebido ameaças do advogado de Jair Bolsonaro, Frederick Wassef, que também e defende Flávio Bolsonaro.

“Lá na China você desapareceria e não iriam nem encontrar o seu corpo”, disse Wassef no Whatsapp.

A jornalista foi quem produziu e publicou a reportagem nesta semana que divulgou áudios da ex-cunhada de Bolsonaro, Andrea Valle, na qual revela que Bolsonaro demitiu do seu gabinete de deputado o assessor que não devolvia o seu salário.

“Foi uma clara tentativa de intimidação. Quando falei com ele na sexta passada pra pegar a posição antes da conclusão do material que publicamos essa semana ele falou comigo normalmente, como outras vezes. Hoje, no fim da tarde, veio com essa mensagem absurda”, disse Dal Piva ao Estadão.

Ela também afirmou que o departamento jurídico do UOL foi acionado para analisar o que se pode registrar na Justiça.

Já o gerente-geral de Notícias e Entretenimento do UOL, Alexandre Gimenez, disse em nota que “repudiamos o ataque cometido pelo advogado do presidente Jair Bolsonaro, Frederick Wassef, contra nossa colunista Juliana Dal Piva e reiteramos nosso apoio ao seu trabalho e nosso compromisso com o jornalismo sério, independente, apartidário e voltado para atender o interesse público”.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

EdsonLuiz.

10 de julho de 2021 às 13h39

Ameaças! Ameaças!
Ameaças e mais ameaças.

O Brasil é um país de ameaçadores.
Ameaça é coisa de jagunço.

E não só.

O Brasil também é um país de levianos, de muitos políticos e militantes levianos, desqualificados. É um país de deliquentes políticos.

Aqui, no nosso Brasil, a imprensa sofre nas garras desses deliquentes políticos.

A imprensa sofre nas mãos autoritárias desses merdas.

Mas as agressões diárias à imprensa, agressões feitas por militantes de ultra-esquerda e de ultra-direita (e também por militantes que são apenas jagunços, deliquentes) a fortaleceu e a fortalece.
Nào ê à toa que nós temos uma imprensa profissional que é uma das melhores do mundo.

A nossa imprensa sofre agressões da ultra-esquerda e da ultra-direita. Sofre agressões do PCO e de muitos militantes do PT e de outros assim; e de bolsonaro e de bolsonaristas.

Com a economia é a mesma coisa.

Maltratam tanto a nossa economia, abusam tanto da nossa economia, usando o Estado para o favorecimento privado, para a acumulaçào privada. Quem ganha é Ike Batista, Joerlei e família, Norberto Oderbrecht e família, e perde o Brasil e o povo brasileiro.

“Você está atacando o PT”, gritarão.

Sim! Estou! Ao PT, ao bolsonaro, ao PP, ao MDB, ao PTB. Estou atacando o que existe de podre na nossa política. Mesmo nos partidos políticos um pouco melhores, como o PV, o PSOL, o Rede, o novo e o Cidadania, eu ataco. Sempre vou fazer isto. Mas sempre com dados e com fatos, nunca com discurseira vazia. Deve ser isto que desperta tanto o ódio de deliquentes políticos.

Mas sei que corro riscos!

Usando o Estado e partidos políticos para a defesa corporativa de privilégios para categorias de funcionários já privilegiados ( e isso eu falo de cadeira: fui por quase 30 anos um desses privilegiados, mas o PT e o PSOL daqui de Vitória sabem que eu me bati contra essa proteção, afora antes, em momentos em que as reivindicaçòes se justificavam. Sempre perdi), nós, os mais fortes, sempre vamos vencer. Sempre vamos usar os mais fracos, misturar os discursos e os interesses dos mais fracos com os nossos interesses e gritarmos juntos: ” “ESTÃO TIRANDO DIREITOS”. Mas tudo sempre será para conseguirmos mais privilégios para nós, sempre foi isso…e sempre somos nós que conseguimos. Nós, os funcionários mais privilegiados somos mais fortes e organizados, temos mais recursos e suportamos paralizações por mais tempo. Sempre conseguimos nos impor.

E sempre tivemos “as esquerdas” nos dando apoio, “para que não nos tirassem direitos”.

Assim, neste país de desvalidos, nós, os funcionários públicos privilegiados, vivemos como europeus, e até melhores que europeus. Como os recursos são escassos e não dá para todos, em um paìs que já aplica uma carga tributária asfixiante – e regressiva, para piorar tudo para os mais pobres – gritamos juntos “estão tirando direitos”, e vamos garantindo os nossos privilégios em um país de desvalidos da sorte, com o apoio inabalável, mas para mim incompreensível, dos que se dizem ” de esquerda ” e “progressistas”.

A nossa imprensa sempre denunciou isso.

Um tanto por arrivismo dos dirigentes de partdos políticos na defesa de privilégios e corporativismos, outro tanto por ignorância da militância, que ‘comprou’ o discurso corporativisra e de defesa de privilégios acriticamente (como sempre),
preferem atacar a imprensa e os economistas profissionais sérios.

E até a corrupção, se você denuncia, é carimbado como moralista. Antes então ser moralista naquelas coisas em que a imoralidade esgotou qualquer limite. Antes então ser moralista, em um país de tanta deliquência política. Para mim, atacar a corrupção em volumes industriais dos políticos e partidos não é moralismo; para mim, moralismo foi e é encarcerar 850.000 pobres e pretos por delitos pequenos. E é isso que fazem, isso que o PT fez: quando deixou o governo, lá esravam encarcerados quase 750 mil pretos e pobres, e havia quase 350 mil mandatos de prisão a serem cumpridos.
Isso é que é moralismo, para mim.

Antes ser moralhista que ser falso moralista, que é o que eles são.

Parece que fazer isso, ser falso moralista (e ser corrupto) dá mais votos!

Viva a nossa imprensa profissional, os jornais e os jornalistas! Abaixo os corruptos e falsos-moralista e deliquentes e jagunços políticos de quaisquer sabores!

Edson Lujz Pianca.

Responder

Tony

10 de julho de 2021 às 11h05

Desce a lenha Wasseff !!

Responder

    EdsonLuiz.

    11 de julho de 2021 às 14h03

    Para mim, Tony, é : “viva a imprensa livre, que denuncia o Wassef!”

    Que eu, você e todos sabemos que é uma imprensa importante no mundo, a brasileira, que denuncia o Wassef, os bolsonaro, mas denuncia também o PT e a todos que conspurcam a vida nacional, seja com corrupção, seja com autoritarismo e ameaças à democracia.

    Quando queremos conhecer a índole política de uma pessoa, um bom indicador é conhecer a disposição dessa pessoa em relação à imprensa profissional.

    Em países com autoritários nl poder, como
    em Cuba, na Hungria, na Polônia, na Venezuela, como foi no Equador de Corrêa e na Argentina dos Kirchiners, a imprensa profissional é perseguida. Muitas vezes conseguem sufocá-la completamente.

    No Brasil, assistimos a um ataque permanente à imprensa feito pelo PT e aliados e por bolsonaro e o bolsonarismo.

    Mas, se nós não tivéssemos no Brasil a imprensa que temos, pouco ou nada teríamos sabido dos desmandos e da incompetência do PT e dos desmandos e da incompetência de bolsonaro.

    Se você é progressista, Tony, defenda a nossa imprensa; se você quer a democracia, defenda nossa imprensa.

    Sem a nossa imprensa profissional sobrarão os Brasil247 e os blogues sujos do PT e do bolsonaro.

    Responder

Deixe um comentário