Jornal da Forum: Lula quer reindustrializar o Brasil!

Foto: Sandro Valentim

Rede anuncia diálogo com PSOL para formar possível federação

Por Gabriel Barbosa

23 de dezembro de 2021 : 11h44

A Rede Sustentabilidade anunciou nesta quinta-feira, 23, que o partido liderado pela ex-senadora Marina Silva vai iniciar as tratativas com o PSOL para formar uma possível federação nas eleições de 2022.

Em nota, a legenda destaca que a federação será “uma forma de fortalecer agremiações ideológicas e programáticas -, além de continuar dialogando com outros partidos do campo democrático popular”.

Ontem, o presidente do PSOL, Juliano Medeiros, comunicou nas redes sociais que o seu partido aprovou as tratativas com o PC do B para tratar da mesma possibilidade de união entre as siglas.

“Um diálogo muito franco e produtivo sobre os caminhos da unidade e da luta pelo socialismo no Brasil. Nas próximas semanas seguiremos dialogando para fortalecer nossos laços”, disse Medeiros.

Gabriel Barbosa

Jornalista com passagens pelo Grupo de Comunicação O POVO (Ceará), RedeTV! e Band News FM.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

EdsonLuiz.

23 de dezembro de 2021 às 19h02

Sensacional!
Sensacional!
Sensacional!

Pouco ė o progressismo na vida dos partidos brasileiros. Pouquíssimo!

Instituições brasileiras foram gradativamente fortalecendo os temas progressistas. As mulheres, os negros, os povos originários, os gêneros das mais diferentes pulsões (não sei se devo expressar assim; eles me corrijam, por favor, caso entendam impróprio o modo como expressei), fizeram e continuam fazendo avanços antes impensáveis!

Quanto a temas econômicos progressistas, assim como quanto a questões institucionais e estruturais, como a questão da representatividade (presença de segmentos sociais diversos na vida social pública e privada, nos partidos políticos, clubes de futebol, clubes de recreação, grupo executivo de empresas e até presença na televisåo e outros canais, nesses aspectos o progressismo brasileiro foi bem mais tímido. Exatamente nestes aspectos que são estruturais e institucionais e, por isso, mais importantes para uma revolução progressista, porque criam transformações permanentes nas formas de relações sociais, nestes aspectos o progressismo brasileiro tem sido mais tímido. Mas mesmo nestes aspectos a vida está finalmente mudando! Vide as ações da empresária Helena Trajano no seu Magazine Luiza, de alterar a forma de selecionar executivos, para promover a inclusåo e aumentar a presença de negros e mulheres no quadro executivo de suas empresas.

O progresso são conquistas! É com luta que se conquista o progresso!

Luta progressista busca a inclusão! É a emancipação do ser humano e a realização da humanidade a substância do progresso! Se o progresso exclui, discrimina, invisibiliza, humilha e inviabiliza, então não é progresso!

Emancipar o ser humano! Realizar a humanidade! Estes foram os objetivos a que Marx se empenhou. A inspiração maior para isso só pode ter vindo de Sócrates! Os esforços teóricos de Marx, de sistematizar esforços anteriores de entender e pensar a sociedade humana, desde Sócrates e por Sócrates, ou mesmo de antes de Sócrates, deveras, é o que faz de Marx importante. E, curiosamente, eu acho que nós, liberais, damos ao pensador Marx mais importância que a importância dada a Marx por aqueles que se declaram marxistas.

Marx mesmo, ao ser informado por Engels de que estavam pedindo para usar seus escritos nas lutas sociais e de que havia muitos marxistas nos movimentos sociais lubertários, declarou que ele próprio, Marx, não era marxista. Marx devia odiar personalismos, mitificações, e é certo que Marx odiava ideologismos.

Mesmo a Teoria do Valor, que os marxistas positivistas querem uma versão dela exclusiva de Marx, na sequência das elaboradas por Smith e Ricardo, ė uma impostura dos marxistas. A Teoria do valor foi, como tudo em teoria social, filosofia, antropologia, sociologia e economia, um processo. Um processo cumulativo. O que Marx faz é usar a elaboração da Teoria de Valor do economista que mais admirava, o inglês David Ricardo. E a economia de Marx ė inteira elaboração econômica do liberal clássico David Ricardo. Marx ė um clássico, como Smith e Ricardo!

O registro e sistematização do conhecimento humano vem desde os gregos e de antes; ter o humano como central no entendimento da produção e reprodução da realidade vem de Sócrates, e de antes de Sócrates, talvez.

Marx é apenas um continuador clássico, como Smith e Ricardo, na ciência econômica. A exclusividade que os marxistas querem para Marx só serve aos anseios de poder dos marxistas. E olhem os escombros que eles erigiram como monumentos e memória do exercício desse poder! Olhem o assombrado escombro do mundo soviético! Olhem os escombros dos satėlites pró-soviéticos, a Polônia, a Hungria, a Romênia, a Iuguslávia (hoje fragmentada em oito paįses, e se fragmentando ainda)! Olhem para os escombros que são Cuba e a Coréia do Norte! Olhem para a China, que depois de décadas de marxismo redirecionou sua economia, aplicando o capitalismo, e em apenas quatro décadas retirou mais de oitocentos milhões de pessoas da miséria, mesmo mantendo o arbítrio socialista de Estado!

Não se discuta o muito maior talento e conhecimento de Smith, de Ricardo e de tantos economistas clássicos e também de geniais economistas neo-clássicos (xinguem, marxistas de meia tigela! Gritem: “NEOLIBERAIS! NEOLIBERALISMO! NEOLIBERALÓIDES!). Tanto os economistas liberais como os neo-liberais possuem muito mais conhecimento e talento do que Marx e qualquer marxista sobre a nossa triste ciência. Mais ou menos conhecedores, mais ou menos talentosos, nós sempre, sejamos liberais ou marxistas, todos temos limites ideológicos que nos restringem. Mas temos também originalidades. Está na originalidade de Marx na abordagem da ciência econômica o seu grande mérito e diferencial!

A grande originalidade de Marx foi aplicar sociologia ao estudo da economia! E essa originalidade fez de Marx o pensador importante que ele ė! Marx, como Sócrates, colocou o ser humano, a conquista da autonomia e a realização da humanidade como central para a história quando incorporou os conhecimentos de antropologia e sociologia à análise econômica!

Marx partiu da mercadoria para analisar o Modo de Produção criança que estava acabando de se estabelecer. Foram mudanças internas ao Modo de Produção anterior, o Sistema Medieval, com revoluções em suas forças produtivas (revoluções, frize-se), que configuraram um novo Modo de Produção. E tudo foi tão revolucionário que, como Marx e seu (infelizmente) positivista amigo Engels escreveram no manifesto encomendado por ativistas sociais libertários de Paris, o Manifesto Comunista: “do velho sistema não sobrou pedra sobre pedra”. O novo modo de produção veio se desenvolvendo gradativamente de dentro do Sistema Medieval, se acelerou e , revolucionando tudo e constituindo novo sistema, tornou-se hegemônico, se estabeleceu e exigiu i) um nome para ser batizado; ii) uma outra super-estrutura jurídico-política e ideológica para servir de Ordem Mundial.

Estava instalado o Sistema Capitalista, tão admirado por Marx. E por mim tambėm! Para mim, o Capitalismo ė, atė agora, a maior invenção humana na sua sina pelo progresso humano!

Marx amou a revolução que significou o capitalismo! O ser humano esteve por milênios preso a outro ser humano, como coisa, no Modo de Produção Escravista e esteve preso à terra, como servo do senhor, no Sistema Medieval. A revolução que foi o capitalismo significou libertar o ser humano da servidão a um dono ou à terra. Mas o novo sistema, tendo o salário como Forma Social, levava o ser humano a vender a sua força de trabalho em troca da subsistência e alienava o trabalhador do produto de seu trabalho e da riqueza que esse trabalho criava. O novo sistema inaugurado pelo modo de produção capitalista libertava o ser humano de servir a outro ou à terra, mas mantinha-o sob a obrigação do trabalho remunerado e não imancipava o ser humano e nem possibilitava a realização de sua humanidade.

É isso o que significa progressismo! É a construção e defesa dos valores humanistas que significa ser progressista. Ser progressista é lutar pela emancipação material, intelectual e ideológica do ser humano!

A união de forças políticas comprometidas com essa busca, com esses valores e com esses resultados é o progressismo. A marxeologia, dada a importância, vigor e ângulo pelo qual Marx se entrega a analisar o Capitalismo é muito importante para quem deseja a realização de nossa humanidade! Mas não é o marxista, enquanto marxista, um progressista. No correr da história humana os que se dizem inspirados pelo marxismo de Engels só têm atrapalhado o progresso humano, espalhando ódio, alimentando piedismos religiosos, populismos e populistas. E têm massacrado o progressismo e usado os movimentos sociais progressistas, aparelhado as instituições progressista e instrumentalizado o Estado, a cultura e a educação para realizarem seus desejos de poder, e produzindo os resultados lamentáveis que temos visto com o correr da história.

Muitos liberais, muitos adeptos de Marx e muitos conservadores progressistas têm, no correr da história, feito avançar as peças da história no sentido da emancipação humana; por outro lado, muitos liberais, muitos adeptos de Marx e muitos conservadores têm feito o contrário e atrapalhado e atrasado esse progresso!

Não há um crivo direita/esquerda explicando o mundo. O que explica o mundo ė o compromisso com o justo, com a decência humana, com o progresso material, social e cultural da humanidade ou o uso oportunista dessa missão para a realizaçåo de interesses pessoais ou particulares.

A união de quem tem se demostrado coerente, não oportunista e não tem usado os movimentos sociais, cooptado suas lideranças e aparelhado suas instituições progressistas ė um progressista; quem tem se aproveitado do progressismo para conquistar poder para si ou seu grupo e realização de interesses pessoais e particulares, alguns inconfessáveis e até corruptos, estes NÅO são progressistas, såo impostores!

O Partido Rede e o PSOL såo dois dos poucos partidos polįticos brasileiros no caminho da defesa do progressismo. Ė sensacional saber que estão se entendendo para se viabilizar em e fazerem a interferência institucional progressista juntos!

Ninguém ė totalmente progressista. Menos mal: ninguém, do mesmo modo, é totalmente obscurantista! Não cobremos perfeição, mas é muito bom que progressistas se entendam!

Viva o Rede!
Viva o PSOL!

Edson Luiz Pianca
edsonmaverick@yahoo.com.br

Responder

Deixe um comentário

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?