Analista da Ideia fala sobre “voto útil” dos eleitores de Ciro a Lula no 1° turno

Tânia Rêgo/Agência Brasil

Brasil terá um dos maiores índices de desemprego do mundo em 2022, diz agência

Por Redação

28 de abril de 2022 : 08h33

Um levantamento da agência de classificação de risco Austin Rating, feita a partir de novas projeções do Fundo Monetário Internacional (FMI), mostra que a taxa de desemprego do Brasil vai fechar 2022 como a 9ª maior do mundo.

Quem lidera o ranking é a África do Sul com mais de 35%. Na sequência vem o Sudão, com 30%, e Cisjordânia, com 25%. Ao todo, o levantamento levantou os dados e perspectivas de 102 países.

Segundo o IBGE, a taxa média de desemprego no Brasil atingiu 13,2% no ano de 2021 contra 13,8% em 2020. No ano passado, o Brasil no governo Bolsonaro Brasil teve a 16ª pior taxa de desemprego do mundo. Já no ano anterior, ficou em 22ª posição no ranking.

Vale lembrar que o desemprego no Brasil fica acima dos dois dígitos desde 2016. A mínima da série histórica registrada pelo IBGE foi em 2014, quando a taxa de desemprego ficou em 6,9%.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

Nenhum comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »


Deixe um comentário

O Xadrez para Governador do Maranhão O Xadrez para Governador do Rio Grande do Sul O Xadrez para Governador da Bahia O Xadrez para Governador de Minas Gerais O Xadrez para Governador de São Paulo O Xadrez para Governador do Rio de Janeiro Novo Presidente da PETROBRAS defende preços altos Cadê o churrasco do povo, Bolsonaro? Preço explodiu! Conservadores? A atual juventude brasileira O Indulto sem Graça de Bolsonaro