Fundador do Instituto Ideia vê chance de Lula vencer no 1° turno

Imagem: Reprodução

Sérgio Reis diz que verba de prefeitura não é dinheiro público

Por Redação

25 de maio de 2022 : 19h29

O cantor sertanejo e bolsonarista Sérgio Reis afirmou em entrevista a Folha afirmou que a contratação de shows de cantores sertanejos pelas prefeituras “é dinheiro para o público, não é dinheiro público”.

Com essa afirmação, o parlamentar tentou diferenciar o pagamento dos executivos municipais do modelo de captação de recursos da Lei Rouanet. Vale lembrar que essa medida é brutalmente criticada pelos apoiadores de Jair Bolsonaro.

“Uma prefeitura precisa levar lazer para o povo da cidade. Então, meu amigo, se tem uma festa, qual é o problema de ela ter artistas?”, questionou. “Das prefeituras a gente ganha. Com a prefeitura, é contrato, lógico. Você tem que dar o dossiê da sua empresa, dar nota fiscal, normal”, emendou.

“O prefeito tem que levar alegria para o povo. O que é que há? O prefeito ajuda o comércio local. Uma festa gira dinheiro para o pipoqueiro, o pobre que vende algodão doce, a dona de casa que faz doce caseiro e vende na banquinha na festa”.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

9 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

ELIAS BRANDÃO

27 de maio de 2022 às 10h44

O dinheiro milionário pago a um artista pra fazer um show não retorna para o município através das barraquinhas, o emprego gerado durante um show não se torna permanente após o fim do show. Só quem ganha com isso são os artistas e os promoventes do show inclusive os prefeitos e seus auxiliares.

Responder

Francisco*

26 de maio de 2022 às 12h46

O que espanta não é a mediocridade e a xucrice, deveras conhecidas, dessa ‘gente de bem’ e ‘pais de família’, auto anunciados, ‘fervorosos’ defensores de “‘deus’, ‘pátria’ e ‘família'”.

O que espanta é

Blasfemarem Deus apresentando-se como fervorosos e únicos adoradores, ao mesmo tempo em que professam continuadamente ódio visceral a tudo que lhes difere, ódio consagrado na apologia as armas e consubstanciado na pratica da violência, à falta de argumentos para responderem a realidade que não lhes seja paralela e negacionista, portanto incompreensível.

Conspurcarem a Pátria apresentando-se como patriotas sem semelhantes em ardor servil, empapados no verde e amarelo fake e sordidamente enrolados com a bandeira brasileira de todos e não apenas de proto covardes enrolados, para parecerem o que de fato não são, ao mesmo tempo em que fazem vistas grossas e apoiam e aplaudem o desmonte e a entrega do Brasil na bacia das almas, nesse fim de feira que permite a dilapidação do patrimônio nacional, condenando o Brasil e os brasileiros ao atraso e a eterna dependência, próprios de uma reles colônia, antes bananeira, agora sojeira, onde grassam a desigualdade, a miséria, a falta de justiça e liberdade iguais para todos e agora até mesmo o retorno da fome e de endemias extintas, que estão a aumentar como legado de um desgoverno “abre a porteira”, voltado a demolição e conservação das ruínas, sem similar na história do país.

Desmantelarem a Família apresentando-se como ilibada ‘gente de bem’ e fofos ‘pais de família’, ao mesmo tempo em que além de blasfemarem Deus, cultuam a inferioridade feminina e a ‘ditadura’ do lar, como bom seguidores do imorrível, imbroxável e incomível, “Cavalão” anacrônico, que acaba de anunciar, por incrível que pareça, tentando agrada-las, que “as mulheres estão praticamente integradas à sociedade”, em razão dos votos que elas lhe negam.

Outubro não tarda, faltam 129 dias, ponto final.

Responder

Antonio

26 de maio de 2022 às 08h12

O dinheiro da prefeitura que é pago aos artistas é diferente ele cai do céu o dinheiro dos tributos que a população paga para prefeitura é tirado do contribuinte ou seja eles só usa aquele que cai do céu para pagar os artistas deu para entender.

Responder

Hélio Jost

26 de maio de 2022 às 07h46

Essa é a direita conservadora. E vêm alguns dizer que a esquerda quer o dinheiro público na mamata. Sérgio justifica receber centenas de milhares para que o dono da barraca venda suas pipicas, o pivre venda algodão doce e D. Maria seus quitutes. Que bonzinho!!! Implante de silicone peniano às custas do Poder Público pode; viagra e outras benesses para os militares, etc : jeito bolsonarista.

Responder

Renato Guimarães Braga

26 de maio de 2022 às 03h33

Pelo que entendi as pessoas só trabalham nos shows, vendendo suas bugigangas em shows bancados pela prefeitura. É isso mesmo?

Responder

Alexandre Neres

26 de maio de 2022 às 01h06

Todo mundo aqui conhece a Andressa.

Embora varie o nickname, até os erros de português comprovam tratar-se da mesma pessoa.

Parece que, por equívoco, foi utilizado o apelido Fanta por duas vezes.

Surreal a tentativa canhestra de querer desvincular uma coisa da outra.

Espero que em outubro tal figurinha execrável volte para a gringa de onde veio.

Basta de fake news, de minions, de bots e de trolls!

Responder

Fanta

25 de maio de 2022 às 23h02

Um artista ou qualquer outro profissional ser contratado e pago por uma prefeitura é uma coisa, um artista usando uma lei para financiar seus show e seu salário é outra coisa completamente diferente.

Há financiamentos públicos para todas as atividades ou quase mas tem que pagar os juros mesmo que reduzidos, já a dedução do imposto de renda fica por isso mesmo, nas costas de todos os brasileiros.

Isso criou uma classe previlegiada, daí vem o esperneio de muitos artistas, principalmente os de esquerda milionários.

Responder

Zulu

25 de maio de 2022 às 22h07

As duas coisas são completamente diferentes obviamente.

Responder

Fanta

25 de maio de 2022 às 22h05

É óbvio que não disse isso, é dinheiro da comunidade usado para pagar um serviço em festas locais e eventos que atraem gente, trabalho, ecc…como forma de investimento.

A Lei Rouanet é uso de dinheiro público para financiar sabe se lá quem, sabe se lá onde e se quiser assistir paga o ingresso. A lei Rouanet serviu a criar e manter uma classe de privilegiados nas costas de quem não tem dinheiro para pagar o ingresso do mesmo show que está financiado.

Responder

Deixe um comentário

O Xadrez para Governador do Ceará Lula ou Bolsonaro podem vencer no 1º turno? O Xadrez para Governador de Santa Catarina