A posição do MPF sobre aprovação do Marco Temporal

Imagem: Joédson Alves/Agência Brasil

Lula aprovou diretrizes da nova regra fiscal, mas, defende aumento real do salário mínimo e reajuste do Bolsa Família

Por Ruann Lima

15 de maio de 2023 : 16h17

O Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, aprovou nesta segunda-feira, 15, as diretrizes das novas regras fiscais. No entanto, o petista deixou como condição que essas “travas” no orçamento deixem de fora o aumento real do salário mínimo e reajuste do Bolsa Família.

O deputado Claudio Cajado (PP-BA), relator do arcabouço fiscal, vai incluir os gatilhos de controle de gastos, com objetivo de zerar o déficit público no ano de 2024, para isso, a obrigatoriedade de relatórios bimestrais sobre despesas e receitas do governo deve ser incluído no texto das regras fiscais.

O Presidente brasileiro teve que ceder algumas coisas nesse novo arcabouço, como por exemplo, não conceder aumentos reais para os servidores, cancelar concursos públicos e não autorizar novos benefícios e incentivos fiscais.

Lula teme que o governo, em nova regra fiscal, fique proibido de aumentar despesas obrigatórias, fazendo com que o aumento do mínimo e o reajuste anual do Bolsa Família não aconteçam, que são premissas importantes para o Governo atual.

O líder do executivo brasileiro orientou as lideranças do governo que o PT e os partidos governistas, PCdoB, PDT, PSB e Psol, não apresentem emendas ao relatório, desde que salário mínimo e Bolsa Família fiquem de fora dos gatilhos.

Lula quer que tema seja votado na câmara ainda nessa semana e ordenou que Haddad, Ministro da Economia, trate de negociar com Arthur Lira para fechar a votação do da pauta. 

Ruann Lima

Paraibano e Estudante de Jornalismo na UFF

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

EdsonLuíz.

15 de maio de 2023 às 21h00

Lula pode dar o aumento que ele quiser.
A culpa não será da Câmara, não será do Haddad, não será de deputado, não será de senador.
▪Quem dá o aumento é Lula!

Só que o dinheiro é pouco e se ele gastar mais com salário mínimo, terá que gastar menos com a saúde, com a segurança, com a educação…

●Mais uma vez Lula está usando a sua forma sacana de falar de um jeito que engana o Brasil e engana os mais pobres, querendo colocar nos outros uma responsabilidade e uma culpa que é dele, Lula.

▪Acontece que não tem dinheiro para tudo. Eu, você, um bolsonarista, um lulista, o Haddad, todo mundo sabe que não tem dinheiro para tudo!
—Mas se Lula quer fazer graça, Lula pode dar o aumento que quiser para o salário mínimo:: Lula pode dar aumento de 5%, de 10%, de 30%, de 100%…

O que Lula não pode é fazer graça com dinheiro de dívida dizendo que está fazendo bem para o povo porque é o contrário::
▪Com a dívida, os juros sobem, a dívida que Lula cria para fazer graça com o pobre sobe mais ainda, a inflação aumenta e os juros têm que subir…

… e o povo se ferra!

O próprio pobre hoje entende que Lula não pode ficar fazendo graça usando dívida para dizer que é o bonzão porque depois, com a dívida e o pagamento de juros nas alturas, o Lula volta para casa… e levando algum por fora, como da última vez,… e o povo fica pagando a dívida.

E o lulista precisa deixar de ser incoerente::
▪Se Lula vai fazer igual Bolsonaro, gastando dinheiro fora do Orçamento, então por que xingam só Bolsonaro?
▪Se Lula vai fazer dívida e isso vai obrigar o aumento da taxa de juros, por que xingam Roberto Campos, do Banco Central, e não Lula?
▪Se Lula vai fazer dívida para fazer graça e o dinheiro vai ficar mais caro, por que xingam os banqueiros, e não Lula?

Se houver exceção nessa regra de Orçamento, não precisa ter Orçamento:: deixa Lula gastar como quer e como fez da última vez até quase quebrar o Brasil.
▪O aumento do salário mínimo impacta no pagamento das aposentadorias e no pagamento do Benefício de Prestação Continuada. Não tenho os dados aqui, mas estas duas rubricas, da previdência com salário mínimo e com o BPC, não são menos que 25% do Orçamento.
=>É isso que Lula quer? 25% fora do Orçamento? Por fora do Orçamento nada pode ficar: para que o pobre possa ter um futuro amanhã, tem é que sobrar dinheiro para pagarmos e nos livrarmos da dívida que Lula quer aumenfar para fazer graça.

Responder

Deixe um comentário