Fundador do Instituto Ideia vê chance de Lula vencer no 1° turno

Datafolha e Ibope: Dilma ganha no 1º turno

Por Miguel do Rosário

22 de março de 2013 : 18h00

Datafolha e Ibope acabam de divulgar pesquisas de intenção de voto. O primeiro dá 58% de votos válidos para a atual presidente; o segundo lhe dá um potencial de votos de 76%.

O Datafolha divulgou hoje a sua segunda pesquisa de intenção de voto para 2014. A presidente Dilma sai na frente com 58% das intenções dos votos válidos, o que representaria, se a eleição fosse hoje, uma vitória folgada no primeiro turno. Os outros candidatos tem: Marina, 16%; Aécio 10%; e Eduardo Campos, 6%.

Neste cenário, 6% declararam voto nulo ou em branco, e 3% disseram não saber em quem votar. É algo impressionante termos tão poucos eleitores indecisos mesmo faltando tanto tempo para as eleições.

Na pesquisa anterior, realizada em dezembro do ano passado, Dilma tinha 54%, Marina aparecia com 18%, Aécio, 12%, e Campos, 4%.

A pesquisa foi realizada entre os dias 20 e 21 de março e ouviu 2.653 pessoas. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Os números são coerentes com as pesquisas de popularidade e mostram que Dilma vive uma fase de consolidação de sua imagem e de sua candidatura.

Mas a eleição não é hoje; é óbvio que muita coisa pode acontecer. Mas considerando que as perspectivas econômicas para os próximos dois anos são positivas, a fresta por onde candidaturas alternativas ou de oposição poderiam se imiscuir, e crescer, está se estreitando.

*

Minutos depois do Datafolha divulgar sua pesquisa, o Ibope lança a sua, em parceria com o Estadão, na qual dá 76% de potencial de voto para Dilma Rousseff.

Com preferência absoluta, Dilma tem potencial de votos de 76%, aponta Ibope

Índice da petista é 2 vezes maior que o de Marina, o triplo do de Aécio, e 7 vezes superior ao de Campos

22 de março de 2013 | 17h 47

José Roberto de Toledo e Daniel Bramatti – O Estado de S. Paulo

SÃO PAULO – Pesquisa nacional do Ibope em parceria com o Estado mostra que a presidente Dilma Rousseff (PT) tem 76% de potencial de voto, quase o dobro do de sua adversária mais próxima, a ex-senadora Marina Silva (sem partido), que chegou a 40%. O potencial de Dilma é três vezes maior do que o de Aécio Neves (PSDB) e sete vezes maior do que o de Eduardo Campos (PSB).

Segundo o Ibope, 76% dizem que votariam na presidente. Destes, 52% dizem que votariam com certeza, e outros 24% dizem que poderiam votar. Ao mesmo tempo, 20% dos eleitores afirmam que não votariam nela de jeito nenhum. O saldo presidencial é, portanto, de 56%. Dilma é a única entre os presidenciáveis que tem saldo positivo. Outros 4% dos eleitores não responderam. Ninguém afirmou desconhecer a presidente.

Marina fica zerada no potencial de voto: enquanto 40% dizem que votariam nela com certeza (10%) ou poderiam votar (30%), outros 40% afirmam que não votariam na ex-senadora de jeito nenhum. Ela é desconhecida por 19% do eleitorado. Todos os outros cinco presidenciáveis testados estão, por ora, com saldo negativo.

Aécio tem 25% de eleitores que votariam ou poderiam votar nele hoje, contra 36% que rejeitam seu nome: saldo negativo de 11 pontos. Já Eduardo Campos tem saldo negativo de 25 pontos: 10% admitem votar nele contra 35% que não votariam de jeito nenhum. Em favor de ambos, uma grande parte dos eleitores não os conhece o suficiente para opinar: 39% desconhecem Aécio; 54%, Campos.

José Serra (PSDB) é o caso oposto. Duas vezes derrotado na eleição presidencial, o tucano só é desconhecido por 14% dos eleitores brasileiros. Apesar de reconhecido, seu saldo é negativo em 15 pontos: 35% admitem poder votar nele, contra 50% que afirmam que não votariam de jeito nenhum. Ao contrário dos outros nomes da oposição, Serra tem pouco espaço para crescer.

O Ibope testou ainda os potenciais de voto do presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, e de Fernando Gabeira (PV). O magistrado atingiu um potencial de 17%: 4% dos eleitores dizem que votariam nele com certeza, e 13% afirmam que poderiam votar. Gabeira chegou a 7% de potencial (1% com certeza, mas 6% que poderiam votar).

A um ano e meio da eleição, a pesquisa de potencial de voto é mais reveladora sobre a viabilidade eleitoral dos candidatos do que os cenários hipotéticos. A pesquisa do Ibope/Estado mediu as chances dos presidenciáveis das duas maneiras. Leia a mais completa pesquisa sobre a sucessão presidencial na edição deste sábado do Estado.

O Ibope entrevistou face a face 2.002 eleitores em 142 municípios de todas as regiões do Brasil entre os dias 14 e 18 de março. A margem de erro é de dois pontos porcentuais, para mais ou para menos.

*

O Estadão também lançou um simulador eleitoral, usando dados do Ibope. Não sei se o programa está correto, mas quando se simula um embate entre Dilma e Eduardo Campos, o gráfico mostra uma derrota humilhante para o segundo. Clique para ampliar. Quando confrontados pelos dois candidatos, 52% dos entrevistados afirmam que votariam “com certeza” em Dilma Rousseff, e mais 24% que “poderiam votar”; já Campos tem 2% de votos “com certeza”, e apenas 8% de votos prováveis.

 

 

 

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

H.92

22 de março de 2013 às 18h28

Rapaz, e o que o Campos quer se atrelando ao Serra? rs

Responder

José Holanda Padilha

22 de março de 2013 às 18h21

Ninguém me tira da cabeça que Eduardo Campos candidato agora é “maquinação lulística” pra desidratar a principal chapa oposicionista,vide os 2% que perdeu o inócuo Aécio de uma pesquisa pra outra,a mesma proporção ganha por Campos. Com isso,a barra pro Çerra novamente representar os tucanos no lugar do mineiro vai ser forçada,forçando tb uma derrota humilhante,ainda que no 2° turno,assim terminando o serviço funerário com a ultima pá de cal por sobre os representantes de PiG na política,mas não sem abrir espaço para uma nova oposição,que talvez conte com a liderança do Governador de Pernambuco.

Responder

Deixe um comentário

O Xadrez para Governador do Ceará Lula ou Bolsonaro podem vencer no 1º turno? O Xadrez para Governador de Santa Catarina