Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

O que esperar da Lava Jato em 2016?

Por Redação

19 de janeiro de 2016 : 07h30

Força-tarefa da operação prepara ações para responsabilizar partidos envolvidos nos desvios da Petrobras e pretende identificar mais contas no exterior. Foco também deve estar em recuperar dinheiro desviado

por Jean-Philip Struck, no DW

Após sacudir o Brasil ao longo de 2015, a Operação Lava Jato deve começar o novo ano mirando nos partidos cujos membros tomaram parte nos desvios da Petrobras e de outras empresas estatais. Além disso, os procuradores querem centrar esforços na identificação de mais contas no exterior que foram usadas no esquema.

Entre os partidos, o objetivo dos procuradores é responsabilizar as legendas pelos desvios, e não apenas os seus dirigentes, e pedir em ações cíveis a devolução de valores que tenham sido eventualmente repassados para alguns dos seus membros por meio de propinas e doações eleitorais disfarçadas.

No mundo político, só pessoas físicas foram responsabilizadas por enquanto. Os principais partidos investigados pela equipe da Lava Jato são PT, PMDB e PP.

Segundo denúncias já apresentadas pelo Ministério Público, esses três partidos eram responsáveis por indicar a chefia dos setores que concentravam os maiores investimentos da estatal. Com o controle em mãos, era cobrada propina que variava de 1% a 3% dos contratos. Tudo ocorria em acordo com as empreiteiras envolvidas no esquema.

Não há estimativa do valor que os partidos envolvidos no esquema de desvios na Petrobras poderão eventualmente ser obrigados a devolver. Em outubro, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apontou que só o Partido Progressista (PP) – a primeira legenda a ter seu esquema detalhado pela operação – foi responsável pelo desvio de 358 milhões de reais entre 2006 e 2014. Uma boa parte desse valor entrou por meio de doações oficiais, além de remessas no exterior.

No total, os procuradores apontaram que o partido cometeu 161 atos de corrupção em 34 contratos, 123 aditivos contratuais e quatro transações extrajudiciais da estatal.

Multas e devoluções

Além da devolução de valores, os partidos investigados na Lava Jato podem ainda ter que pagar multas. Para assegurar o pagamento, os procuradores têm a possibilidade de pedir a retenção da verba do fundo partidário que as legendas recebem. Entre as consequências mais graves estão a suspensão e até mesmo a cassação do registro.

Em setembro, o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, foi condenado a 15 anos e quatro meses de prisão por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e associação criminosa. Ele teria recebido cerca de 4,26 milhões em propinas envolvendo contratos da Petrobras.

No final do ano passado, o procurador da República Deltan Dallagnol, chefe da força-tarefa da Lava Jato, havia informado que as ações contra os partidos estavam “amadurecendo” e que em breve o MPF pretendia entrar ações cíveis contra as legendas.

O MPF já deixou claro qual é a sua posição quanto ao tema. O órgão pressiona pela aprovação de um projeto de lei prevendo pacote de dez medidas anticorrupção. Entre as medidas, consta um item que prevê um reforço na possibilidade de responsabilizar os partidos e a criminalização do caixa 2. “A medida é importante porque, até então, apenas os dirigentes [pessoas físicas] respondiam por eventuais crimes cometidos em benefício do partido”, diz o MPF no texto que defende o projeto.

Outro objetivo da Lava Jato é centrar esforços na identificação de mais contas no exterior usadas por pessoas e empresas envolvidas no esquema. Até o final do ano passado, já haviam sido recuperados 659 milhões de reais confiscados em contas no exterior.

No total, a força-tarefa da Lava Jato já efetuou 86 pedidos de cooperação internacional em 36 países. São parcerias que permitem o bloqueio de bens em eventuais contas que estejam nesses países, como no caso do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que teve mais de 9 milhões de reais congelados na Suíça em outubro.

“Podemos dizer que um número muito pequeno de contas mantidas ilegalmente no exterior por corruptos e corruptores veio ao Brasil. Tem muita coisa por vir ainda”, disse Deltan Dallagnol ao jornalO Estado de S. Paulo.

No total, 80 condenados

No balanço da Lava Jato publicado no final do ano passado, a Justiça Federal do Paraná, que concentra as apurações da operação, apontou que 80 pessoas já foram condenadas. O total de pessoas denunciadas chega a 179. Os crimes já denunciados envolvem o pagamento de mais de 6 bilhões de reais em propinas.

As penas impostas pelo juiz Sérgio Moro aos condenados somam, até o momento, 783 anos e dois meses de prisão – embora o total deva cair graças aos acordos de delação premiada firmados com a Justiça, que alcançaram 40 até agora.

Os procuradores também apontaram que já foram recuperados 2,8 bilhões de reais para os cofres públicos. Segundo diversos pedidos, o Ministério Público tem, até o momento, o objetivo pedir a devolução e 14,5 bilhões de reais.

De acordo com o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), que analisa os recursos das decisões tomadas no Paraná, o volume de trabalho não deve diminuir em 2016. No ano passado, a corte julgou 300 processos relacionados à Lava Jato. A maioria envolvia etapas das investigações, como os habeas corpus que buscavam a liberdade de presos.

Neste ano, os desembargadores esperam começar a julgar em sua maioria apelações envolvendo sentenças proferidas pelo juiz Sérgio Moro. “Com muitos processos já julgados, com sentenças de primeiro grau, vamos ter um volume maior de apelações”, afirma o relator dos processos no TRF4, João Pedro Gebran Neto.

Em geral, o tribunal tem confirmado a maioria das sentenças proferidas no Paraná. Dos mais de 150 pedidos de habeas corpus analisados pelos desembargadores, apenas um foi deferido. O tribunal também analisou três apelações de condenações – e confirmou a decisão em todos os casos.

Já no STF, estão os casos de 37 parlamentares – que têm foro privilegiado – envolvidos na Lava Jato. A expectativa é que a corte comece a analisar os casos a partir de fevereiro, quando acaba o recesso do judiciário.

 

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

28 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Zildo Noh

20 de janeiro de 2016 às 12h35

Vazamento seletivo. Moro ganhando prêmios , por serviço prestado a maçonaria, e espaço naidia garantido.

Responder

Simone Dos Santos

20 de janeiro de 2016 às 03h22

Não espero nada além do que estou vendo até agora..só como uma forma de atacar o PT e não a corrupção

Responder

Simone Dos Santos

20 de janeiro de 2016 às 03h22

Não espero nada além do que estou vendo até agora..só como uma forma de atacar o PT e não a corrupção

Responder

Moacir Coelho da Gama

19 de janeiro de 2016 às 21h59

Prender os ladrões, independente de partido, mas principalmente o Chefe da quadrilha do PT, que todos sabem quem e.

Responder

    Simone Dos Santos

    20 de janeiro de 2016 às 03h22

    Você?

    Responder

    Simone Dos Santos

    20 de janeiro de 2016 às 03h22

    Você?

    Responder

    Zildo Noh

    20 de janeiro de 2016 às 12h49

    Lava a jato fez até agora enquadrar o PP, acabar com a construção civil, prender só empresário s brasileiros, acabar com a economia , vazar delações para a mídia. E querer pegar Lula a qualquer custo. Qual o bem fez até agora? Fora poucas migalhas devolvidas a Petrobras???

    Responder

    Moacir Coelho da Gama

    20 de janeiro de 2016 às 13h00

    Zildo Noh Meu caro, os problemas do Lula os amigos. Vou te falar uma coisa, se hoje eu falo isso do Lula e do PT, e porque votei a vida inteira nessa corja de ladrões, e que ganhei? Isso que todos estamos vendo. Infelismente alguns vinda não acordaram.

    Responder

    Amarildo Inacio

    20 de janeiro de 2016 às 23h42

    Moacir Coelho da Gama ah tá! ! Entendi porque do seu ódio ao PT. Se tivesse ganho algum estaria feliz. Assim está cheio de ódio. Que decepção.

    Responder

    Amarildo Inacio

    20 de janeiro de 2016 às 23h42

    Moacir Coelho da Gama ah tá! ! Entendi porque do seu ódio ao PT. Se tivesse ganho algum estaria feliz. Assim está cheio de ódio. Que decepção.

    Responder

Edson Luiz Raminelli

19 de janeiro de 2016 às 21h11

Que ela pare de encher o saco e deixe o país caminhar. Está âncora está acabando com o Brasil.

Responder

Adriano Santos Adriano

19 de janeiro de 2016 às 19h47

O que esperar? Que livre o país da podridão que está, seja qual for o partido, político, cargo, empresário, seja quem for, roubou: cadeia

Responder

Maite Pontes Lindo

19 de janeiro de 2016 às 18h48

So quem vai ser responsável será o PT, os outros não vem ao caso.

Responder

Lívio Adelson

19 de janeiro de 2016 às 18h40

Como aguentar a lava jato até 2018? Que é quando encerra-se sua única e principal atividade: política. Enfraquecer a imagem do PT, da Dilma e do Lula. O mensalão findou na eleição Presidencial passada, pela qual reelegeu Dilma. Mesmo após anos de novela pra população, PT como vilão, PSDB os mocinhos. A história se repete e, dessa vez, é mais longa.

Responder

Cosme Motta

19 de janeiro de 2016 às 17h42

Gastos e desgastes.

Responder

Recruta Zero

19 de janeiro de 2016 às 11h03

Presidente Dilma Roussef, comandante em chefe das forças armadas, põe os militares para moralizar essa justiça que envergonha a CF e verás como irá melhorar o combate à corrupção que desde há muito tempo tem sido seletiva e partidarizada. Sabe que os militares podem ajudar e muito. Vamos democratizar a justiça.

Responder

Cicero Magalhães

19 de janeiro de 2016 às 12h02

Só merda, como tem sido.

Responder

Ivo Vanda Reis

19 de janeiro de 2016 às 11h41

Nem vou ler o texto. Já estou com a resposta prontinha. Fazer o que sempre fez. Prender safados. Nada mais do que isso. Continuar…..

Responder

Jorge Espindula

19 de janeiro de 2016 às 11h16

Sem perfume…..
O pessoal é caprichoso, limpam até nos lugares que você não imagina que exista.
Honestos, não mexem em nada que seja seu e alertam você quando encontram algo que pareça importante.
Importantíssimo, lavam todos dá mesma forma, não importa se é amigo ou não.
Pequeno detalhe, vou pedir prá não colocarem mais perfume no meu.

Responder

Roberto Oliveira

19 de janeiro de 2016 às 11h09

Se o Zé não trabalhar, não mudara nada.

Responder

Eduardo Silva Araújo

19 de janeiro de 2016 às 10h52

Só SACANAGEM contra o Estadista, reconhecido Mundialmente, LULA!

Responder

Cassio Figueredo

19 de janeiro de 2016 às 10h42

Prender o LULA para impedi-lo em 2018!!!!!!

Responder

Israel Fonseca Neto

19 de janeiro de 2016 às 10h19

Mais do mesmo. Simples assim.

Responder

Israel Fonseca Neto

19 de janeiro de 2016 às 10h19

Mais do mesmo. Simples assim.

Responder

Ronaldo Junior

19 de janeiro de 2016 às 10h15

Uma Policia Federal mais pobre e policiais federais mais ricos. e o Juiz que conduz o caso? igual amendoim na boca de banguela.

Responder

Ronaldo Junior

19 de janeiro de 2016 às 10h15

Uma Policia Federal mais pobre e policiais federais mais ricos. e o Juiz que conduz o caso? igual amendoim na boca de banguela.

Responder

Deixe um comentário