Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

CUT sobre o plebiscito para novas eleições: ‘o maior problema político nacional é o próprio sistema político’

Por Redação

05 de julho de 2016 : 17h22

Ato contra o impeachment em Brasília (Foto: Jornalistas Livres)

A resposta da CUT sobre o plebiscito para novas eleições

Contra o golpe, fora Temer, em defesa dos direitos e dos empregos, Central reafirma defesa da democracia

na CUT

A CUT, juntamente com os movimentos sociais parceiros, está na luta contra o golpe, em respeito ao resultado democrático das urnas e ao mandato da presidenta Dilma Rousseff.

Os conservadores, reacionários e entreguistas, por não conseguir ganhar as eleições no voto, partiram para o golpe de Estado. Começaram na Câmara e agora o golpe do impeachment depende de votação no Senado. Os golpistas estão executando o projeto neoliberal derrotado nas urnas.

A CUT não abre mão do direito de continuar afirmando que o presidente interino é ilegítimo, que essa composição do Congresso Nacional é espúria. O maior problema político nacional é o próprio sistema político (o que inclui, além do Legislativo, um Judiciário sem qualquer controle democrático), que a CUT defende que seja reformado profundamente através de uma Constituinte exclusiva e soberana.

Reconhecemos que o Brasil vive um impasse e quem mais sofre com esse impasse é a classe trabalhadora. Por isso, a CUT se empenha neste momento em reunir as condições para uma greve geral em defesa de nossos direitos e conquistas, dos salários e empregos.

Dirigentes da CUT durante Executiva Nacional nesta terça (5), em São PauloDirigentes da CUT durante Executiva Nacional nesta terça (5), em São PauloÉ hora de impedir os abusos contra os/as trabalhadores/as e contra a maioria oprimida da nação. A CUT conclama todos os movimentos sociais e todos setores democráticos do Brasil para participar das mobilizações, manifestações, debates, greves e ocupações que se desenvolvem neste momento.

Alguns senadores estão propondo a convocação de um plebiscito para antecipar as eleições presidenciais, com a recondução da presidenta Dilma Rousseff ao exercício pleno de seu mandato, como forma de conseguir mais votos contra o impeachment; aceitando assim a possibilidade de redução de seu mandato constitucional (2014-2018).

A CUT esclarece que esta não é a posição da central. Ao mesmo tempo, a CUT considera que as iniciativas dos senadores ou da própria presidenta Dilma fazem parte de suas prerrogativas, que respeitamos se isto contribuir para a saída democrática na luta contra o golpe.

– Em defesa dos direitos sociais e trabalhistas

– Em defesa dos salários e empregos

– Contra o aumento da idade mínima para aposentadoria e as mesmas regras para homens e mulheres

– Por uma Constituinte para fazer a Reforma Política

– Em defesa da democracia!

São Paulo, 05 de julho de 2016

Executiva Nacional da CUT

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Nalem

06 de julho de 2016 às 07h41

blog sobre política de Estado. Queridos irmãos sul-americanos. Eu li o que você está passando. I solidariso com a sua condição. Então eu enviar um meme. Temos observado que as redes sociais ajudaram muito para mudar o nosso fatalismo.

Responder

Deixe um comentário