Jornal da Forum: Lula quer reindustrializar o Brasil!

Brasília- DF 2015 Foto Lula Marques/Agência PT Primeiro secretario da Câmara Beto Mansur lendo o pedido de impeachament ao lado de Eduardo Cunha.

Congresso em Notas: se o painel for aberto sem pelo menos 257 votos pela cassação, Cunha estará absolvido no processo de cassação

Por Luna Sassara

10 de setembro de 2016 : 21h51

Foto: Lula Marques/AGPT

CONGRESSO EM NOTAS

No.39, 10/09/2016

CASSAÇÃO DE CUNHA? Na segunda-feira ocorrerá, finalmente, a sessão plenária sobre a perda de mandato por quebra de decoro de Eduardo Cunha (PMDB/RJ). A cassação do deputado tem que ser aprovada por maioria absoluta. Abstenções e ausências contam a favor do ex-presidente da Câmara. A votação é aberta, mas os votos só são conhecidos depois que o escrutínio se encerra. Assim, se o painel for aberto sem pelo menos 257 votos pela cassação, Cunha estará absolvido.

IMPEACHMENT. A aprovação final do impeachment de Dilma Rousseff e a preservação de seus direitos políticos – que seriam suspensos por efeito da sanção criminal – reforça o argumento de não houve de fato uma condenação por crime de responsabilidade, mas sim um voto de desconfiança, instituto inexistente no presidencialismo. A decisão do Senado confirma a tese de que houve um golpe parlamentar e também abre precedente para desvincular a perda de mandato da perda dos direitos políticos, algo que pode beneficiar Eduardo Cunha.

VOTO DE DESCONFIANÇA. O Senador Telmário Mota (PDT-RR) foi o único a mudar o voto, e posicionou-se favoravelmente ao impeachment no julgamento. Segundo discurso proferido por ele, Dilma não cometera crime. Contudo, como divulgou a imprensa, Mota sentiu-se traído nos acordos políticos para a prefeitura de Boa Vista.

PARLAMENTARISMO. Em março o Senado aprovou a criação de uma comissão especial para debater a adoção do parlamentarismo, ainda não instalada. Tramita no STF um mandado de segurança (MS 22.972) que questiona se é possível a mudança de um sistema de governo via emenda Constitucional. O MS foi pautado em março, mas não foi ainda julgado. Nas informações que prestou ao STF, o Presidente do Congresso Nacional, Renan Calheiros (PMDB/AL), manifestou-se favorável ao parlamentarismo. Esse sistema de governo tem apoio de outras figuras políticas como Eunício Oliveira (PMDB/CE), Aloysio Nunes (PSDB/SP) e José Serra (PSDB-SP).

PEDALADA. Foi aprovada e sancionada a Lei 13.332/2016, que “modifica os limites para a abertura de créditos suplementares sem necessidade de autorização do Congresso”. Uma das acusações contra Dilma que levaram ao impeachment foi exatamente a abertura de crédito suplementar.

10 MEDIDAS CONTRA A CONSTITUIÇÃO. “Combater corrupção fragilizando a lei é o mesmo que apagar fogo com querosene”. Essa é a frase proferida pelo jurista Marcelo Semer em debate na Câmara dos Deputados sobre o projeto “10 Medidas de Combate à Corrupção” (PL 4850/2016) – apelidado de “10 Medidas Contra a Constituição”. A proposta, de 12 Procuradores da República, apresentada formalmente por membros da bancada evangélica e da bala, é criticada em seus fundamentos e por seus efeitos. Os deputados e advogados Paulo Teixeira (PT/SP) e Wadih Damous (PT/RJ) consideram que as medidas violam direitos fundamentais, como a presunção de inocência e a garantia do devido processo legal.

AS MEDIDAS. Dentre as propostas, há uma “pegadinha”, que seria induzir servidor público a cometer um ilícito, a fim de verificar se ele seria aprovado em um teste de integridade; a ampliação do sigilo da fonte, válido para o jornalismo, para o processo criminal; a legalização de provas obtidas por meios ilícitos; e a legalização da prisão para delação (que já vem sendo praticada). Como a história passada e presente mostra, medidas de exceção não servem para diminuir a criminalidade, servem simplesmente como instrumento de perseguição política, de classe, de raça. Para saber mais sobre o projeto, leia artigo de Semer aqui.

OFENSIVA RURALISTA. Em menos de duas semanas a CPI do INCRA e da FUNAI, extinta pelo Presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM/RJ), foi recriada. A CPI, aliada ao Tribunal de Contas da União, visa paralisar o processo de reforma agrária e a demarcação de terras indígenas. Segundo os parlamentares defensores dos trabalhadores sem-terra e das populações tradicionais, a ofensiva tem também por objetivo perseguir gestores, lideranças e pesquisadores que atuam na causa.

DRU. Foi aprovada a Desvinculação de Receitas da União até 2023. Pela DRU, fatias do orçamento vinculadas a despesas obrigatórias (inclusive as previdenciárias) podem ser usadas para outros fins, como a realização de superávit primário, desde que observados os limites constitucionais.

O Congresso em Notas é uma parceria do Cafezinho com o Laboratório de Estudos de Mídia e Esfera Pública (LEMEP), ligado ao Instituto de Estudos Sociais e Políticos da UERJ.

Visite nosso site: http://congressoemnotas.tumblr.com/

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Maria Aparecida Lacerda Jubé

11 de setembro de 2016 às 19h30

A cassação foi marcada para uma segunda feira, para isso mesmo, manobra dos velhacos, corruptos, que sabem que são iguaizinhos ao Cunha, além disso financiados por ele.

Responder

Ben Alvez

11 de setembro de 2016 às 14h21

Se a Câmara dos Deputados absolver o corrupto Eduardo Cunha não será nenhuma surpresa: ladrão absolve ladrão.

Responder

Gustavo Horta

11 de setembro de 2016 às 10h02

Bem vindos ao inferno. Bienvenido al infierno. Welcome to The Hell.
> https://gustavohorta.wordpress.com/2016/05/12/bem-vindos-ao-inferno-bienvenido-al-infierno-welcome-to-the-hell/

“Regozijo? Alguns, certamente.
Até na favela perto de casa, alguns fogos e comemorações. Traficantes comemoram a liberdade da “iniciativa privada”; seus líderes no poder.
Só que não! Quem sentirá o retrocesso somos nós, o povo brasileiro.
Os golpistas traidores e sabotadores, serão satanás.
O inferno será o nosso. O inferno será todo nosso. Eles são o próprio demo.
De agora em diante, viveremos uma demo-cracia, como já o fora antes!
“Aos vencedores, o inferno – Fernando Morais …”

É. Chegamos lá.

em tempo, #FORATEMER

Responder

Gustavo Horta

11 de setembro de 2016 às 09h48

Chegamos ao inferno! Bem vindos…
> https://gustavohorta.wordpress.com/2016/05/12/chegamos-ao-inferno-bem-vindos/

É. Chegamos.

“Fernando Morais – Esta noite, no nono círculo do inferno, vão se abrir as portas da esfera antenora, aquela em que padecem por toda a eternidade os traidores da pátria. Rios congelados e cascatas de fogo e sangue vão receber os golpistas brasileiros de 2016.

Perdei toda a esperança, vós que entrais. …”

Responder

Deixe um comentário

O 2021 de Ciro Gomes O 2021 de Lula Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou?