A sabatina de Haddad na Unecs

Aldo Rebelo lança manifesto pela união nacional

Por Miguel do Rosário

15 de julho de 2017 : 18h03

(Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Publicamos abaixo um importante manifesto de Aldo Rebelo. Segundo inúmeras fontes do blog, os internautas devem ficar atentos ao passo do ex-ministro da Defesa.

MANIFESTO PELA UNIÃO NACIONAL

“Não precisa o Brasil ser dividido, é melhor união progresso e paz”
(Geraldo Amancio, poeta e repentista)

O Brasil vive grave e profunda crise, que ameaça seu futuro de Nação livre, próspera e soberana. O esforço de nossos antepassados, sem temer sacrifícios nem renúncias para construir a País é posto à prova pela atual desorientação sobre que rumos seguir para ampliar a independência e a autonomia nacionais, elevar o bem-estar material e espiritual da população e proteger o convívio democrático entre os brasileiros. As rupturas operadas na ordem institucional geraram um quadro de aguda polarização, agravado pela recessão econômica, pelos altos níveis de desemprego e subemprego, e pela violência em suas variadas formas. A sociedade brasileira encontra-se dividida, desorientada e desalentada, com sua agenda pautada por atores e interesses minoritários, e mesmo antinacionais, ambiente ideal para a proliferação de várias formas de morbidez social, entre elas a corrupção.

Somente a união de amplas forças políticas, econômicas e sociais, em torno de uma proposta de reconstrução e afirmação nacional, pode abrir caminho para a superação da crise atual. Tal proposta não pode ser apenas uma plataforma de metas econômicas e sociais, mas deve buscar sua inspiração no estado de espírito capaz de mobilizar amplamente os diversos atores da sociedade, com o objetivo comum de ver o País progredir de forma que os benefícios do desenvolvimento sejam percebidos por todos eles, levando-os a se sentirem como seus protagonistas ativos. Este projeto exige como pressuposto que a defesa e o desenvolvimento do Brasil sejam o fundamento para assegurar a efetiva expansão dos direitos sociais e da democracia.

A elaboração e implantação do projeto de construção e afirmação nacional não poderão limitar-se à classe política, mas terão que ser compartilhadas pelos mais diversos segmentos representativos da sociedade. Isto exige o afastamento de toda sorte de preconceitos motivados por ideologias e maniqueísmos, que se mostram insuficientes e limitados para permitir o entendimento da situação. Acima de tudo, é necessário abandonar a enganosa dicotomia entre Estado e Mercado, que tem servido apenas para mascarar a captura das estruturas do primeiro por coalizões de interesses particulares, substituindo-a por uma eficiente cooperação entre o poder público e a iniciativa privada, em prol do bem comum, como ocorreu e ocorre em todos os países que conseguiram enfrentar e remover os desafios no caminho do desenvolvimento duradouro e sustentável.

As gerações que nos antecederam ergueram material e espiritualmente o Brasil, em quatro grandes movimentos, a saber:

1) a formação da base física, a conformação do território, do ano zero de 1500 e da originária Terra de Santa Cruz, ao Tratado de Madrid, em 1750, que configurou de forma aproximada as atuais fronteiras nacionais e iniciou o processo de mestiçagem que caracterizou a formação social brasileira.

2) a epopeia da Independência, consolidada em 1822, representada nas figuras luminares de Tiradentes e José Bonifácio, Patriarca idealizador de um projeto de Nação que ainda guarda grande atualidade.

3) a fase da defesa e manutenção da unidade territorial, com D. Pedro I e D. Pedro II e que se encerra com a libertação dos escravos em 1888;

4) a República proclamada por Deodoro da Fonseca e consolidada por Floriano Peixoto, que tem o apogeu em Getúlio Vargas e seu ambicioso programa de industrialização e modernização do Estado, pondo em prática aspirações anteriores dos movimentos Sanitarista, Tenentista e da Nova Educação. A partir de Vargas o Brasil oscilou ao sabor das correntes varguista e anti-varguista, até os nossos dias.

Hoje, nos marcos da economia globalizada e com o País em condições mais favoráveis que no passado, temos a missão de iniciar um novo projeto nacional, o quinto movimento, em três direções e três objetivos:

1) ampliar a soberania nacional com o pleno desenvolvimento econômico, científico, tecnológico e dos meios de defesa do País;

2) elevar a qualidade de vida do povo brasileiro com a redução das desigualdades sociais; proteção da infância e da maternidade, acesso à educação de qualidade, saúde e saneamento básico; combate sem tréguas ao crime organizado e valorização da segurança pública contra o banditismo em todas as suas formas;

3) fortalecer a democracia e a tolerância na convivência entre os brasileiros, com realização de uma reforma política que liberte nosso sistema político do controle de interesses corporativos e oligárquicos e assegure o predomínio dos grandes debates dos temas nacionais na esfera pública.

A crise nacional acontece em meio a um quadro global de mudança de época, marcado por:

a) agravamento das consequências socioeconômicas negativas da globalização dirigida pelas finanças especulativas internacionais;

b) alteração do eixo geoeconômico mundial para a Eurásia-Pacífico;

c) emergência de um cenário de poder multipolar, em contraposição à unipolaridade do período posterior ao fim da Guerra Fria;

d) novas revoluções científicas e tecnológicas e rápida introdução de tecnologias inovadoras (Quarta Revolução Industrial), com profundos impactos sobre as formas de produção de bens e serviços, níveis de emprego, relações de trabalho, qualificação da força de trabalho e as próprias relações sociais em geral.

Todos esses aspectos terão influência determinante para o necessário projeto nacional brasileiro, que, por sua vez, é condição decisiva para exercer influência sobre a dinâmica global. Por isso o projeto nacional brasileiro precisa contemplar a relevância continental do País, que ocupa metade da América do Sul, representa cerca de 50% da economia da região, faz fronteira com dez outros países e representa a força motriz potencial para a integração física e econômica do subcontinente. O Brasil deve assumir definitivamente o papel de liderança benigna e não hegemônica do bloco sul-americano, dando-lhe “massa crítica” para participar de forma eficaz e positiva na reconstrução da ordem mundial que está em marcha.

É fundamental que o sistema financeiro reoriente seus esforços para estimular e apoiar as atividades produtivas. Os títulos da dívida pública não podem continuar sendo o investimento mais rentável do País, como ocorreu no período de 2001-2016, muito acima de qualquer atividade produtiva. A aspiração ao desenvolvimento não pode ser bloqueada pelos interesses rentistas locais ou estrangeiros.

A reversão da desindustrialização que afeta o País é crucial. O Brasil tem regredido dramaticamente em capacidade industrial, principalmente no segmento de alta tecnologia, impactando as camadas médias da sociedade, com a perda de empregos qualificados e de melhor remuneração. A despeito da rapidez do processo, ainda temos uma das dez maiores e mais diversificadas bases industriais do mundo. Além de recuperar a capacidade produtiva, é determinante requalificar todo o setor industrial para enfrentar o desafio da Quarta Revolução Industrial, baseada em elevados índices de automação e conectividade, e intenso fluxo de inovações tecnológicas de ponta.

A retomada do desenvolvimento brasileiro exige a estruturação de cadeias produtivas de maior valor agregado baseadas em conhecimento nacional. Isto, por sua vez, requer a ampliação dos investimentos públicos e privados em todas as dimensões da educação e geração do conhecimento e de sua aplicação inovadora na economia nacional, incluindo o apoio efetivo e criterioso à capacitação e elevação da produtividade das empresas nacionais. O Estado Nacional deverá passar também por uma profunda reforma que incorpore e internalize no seu sistema de controles o princípio da incerteza que rege a descoberta científica e a dinâmica da inovação, de forma a não travar a atividade de pesquisa ou inibir a criatividade do empreendedor.

Aos alarmantes índices de deficiências educacionais da população matriculada na rede de ensino, soma-se a crescente degradação do ambiente escolar, com o aumento da violência e o abandono das noções de disciplina e hierarquia, sem as quais o esforço de aprendizagem está fadado ao fracasso. A realidade tem demonstrado que além da destinação de recursos é urgente a retomada da questão educacional como prioridade central do Estado, que deve protegê-la dos vícios do corporativismo, enaltecer o papel do professor e restaurar sua autoridade dentro da sala de aula e na sociedade.

A agricultura, a pecuária e a agroindústria constituem ativos econômicos, sociais, culturais e geopolíticos de grande importância para o Brasil. Mesmo enfrentando a forte e subsidiada concorrência dos criadores e agricultores europeus e norte-americanos, nossos, pequenos, médios e grandes produtores abastecem o mercado interno e ganham cada vez mais espaço no comércio mundial de alimentos. O status de grande produtor de grãos e proteína gera para o Brasil, além de divisas, respeito crescente num mundo cada vez mais carente de segurança alimentar. O Brasil deve valorizar social e culturalmente seus trabalhadores, criadores e produtores rurais, protegê-los com financiamento, crédito e seguro; destinar recursos para ciência, tecnologia e inovação para melhorar a produtividade de todas as atividades a eles relacionadas.

As Forças Armadas são instituições fundadoras da nacionalidade e do Estado Nacional e cumprem a dupla missão de defender e construir o País. Do programa nuclear ao nosso primeiro computador, da pesquisa espacial, indústria aeronáutica e defesa cibernética, as instituições armadas têm cumprido papel de vanguarda e pioneirismo. Cumprem missão humanitária socorrendo os índios e ribeirinhos da Amazônia ou as vítimas da seca no sertão nordestino sem perder o etos de organização de combate e de defesa da Pátria.

Portanto, é preciso valorizar e reconhecer as Forças Armadas brasileiras, seus feitos e seus heróis, seus valores, patriotismo e elevado espírito de generosidade e solidariedade para com a comunidade. Tal atitude deve ter sentido educativo para as crianças e para a juventude exposta ao ambiente de corrosão dos valores da nacionalidade com que convivemos no dia a dia.

A política ambiental deve refletir um real compromisso com o desenvolvimento sustentável do País, em vez de simplesmente se enquadrar em agendas formuladas por atores e interesses externos. Entre outras prioridades, deverá enfocar as deficiências em saneamento básico, disposição de lixo, ocupação irregular de áreas de risco, e a ampliação da infraestrutura de previsão e resposta a emergências causadas por fenômenos naturais.

Da mesma forma, é preciso uma urgente redefinição da política para as populações indígenas, compatibilizando-a com o direito de toda a população a uma evolução civilizatória digna, respeitando-se as suas tradições culturais e sua contribuição decisiva para a constituição da identidade nacional. Somente assim será possível assegurar-lhes uma integração gradativa à sociedade nacional, como cidadãos plenos e aptos a dispensar, eventualmente, a tutela permanente do Estado.

Alvo de pressões e cobiça internacional, a Amazônia clama por ações efetivas de controle e afirmação da soberania sobre seu imenso território, e por políticas públicos de estímulo e apoio ao seu desenvolvimento e de proteção de suas populações indígenas e ribeirinhas e da biodiversidade.

Nossa produção artística e cultural, em sintonia com os grandes movimentos da Nação, inventou o Brasil ao longo da sua história. É importante defender e promover o rico e variado patrimônio cultural da Nação brasileira, sua língua, suas tradições e múltiplas manifestações, sua criatividade e seu potencial de desenvolvimento econômico, enfrentando as práticas concentradoras e restritivas dos grandes conglomerados internacionais da mídia e da internet.

O Brasil deve promover e exaltar a participação da mulher na construção do País e reconhecer em nossas antepassadas indígenas, africanas e europeias relevante papel na constituição da Nação e na formação da identidade do povo brasileiro.

A luta sem trégua contra o preconceito racial no Brasil se impõe pela valorização da herança e contribuição africana na formação da cultura e da identidade nacional brasileira e pela celebração da mestiçagem como traço decisivo de nosso legado civilizatório. Devemos repudiar qualquer tentativa de se introduzir no Brasil modelos importados de sociedades que institucionalizaram o racismo em suas relações sociais.

O combate à corrupção deve ser um objetivo permanente da sociedade e do Estado, mas não se pode paralisar o País a pretexto de se eliminar um mal que é endêmico nas economias de todo o mundo.

O Brasil precisa voltar a crescer. Esta é a questão central. Não há como sanear as finanças públicas sem que a economia cresça e a arrecadação tributária aumente. Não há como se negar que o Brasil precisa de reformas que corrijam distorções, eliminem privilégios corporativos, facilitem a empregabilidade e o funcionamento da economia. Mas não haverá equilíbrio da Previdência se não houver emprego e arrecadação. Não haverá reforma que convença o empreendedor privado a investir se não houver perspectiva de demanda. E para o Brasil voltar a crescer, o primeiro consenso a ser alcançado é que todos se convençam disso. Nenhum homem ou mulher de boa vontade irá se opor a algum sacrifício se isso significar esperança para si e futuro para seus filhos. Mas todos precisam abrir mão de alguma coisa. São inaceitáveis reformas que descarreguem o peso do ajuste sobre os ombros dos mais fracos e protejam os interesses de grupos elitistas que concentram o patrimônio nacional.

O Brasil é um País rico, principalmente em recursos humanos. Se todos puderem compartilhar do desenvolvimento dessa riqueza ele será mais próspero e feliz. Ninguém é contra que os mais capazes e talentosos se enriqueçam. Ninguém é contra que quem empreenda tenha a justa recompensa pelo seu esforço. Mas o Brasil não precisa, não deve e não pode ser tão desigual. Esse é o grande acordo que precisa se estabelecer na sociedade brasileira. É em torno desse ideal transcendente de grandeza nacional e de justiça que devem se unir os brasileiros de todas as classes, profissões, origens, condições sociais e credos.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

117 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

edson tadeu

25 de setembro de 2017 às 22h10

O Brasil vinha tocando seus projetos, e nao faltavam verbas para instituiçao nenhuma, a transposiçao do SF estava chegando ao fim, a industria naval estava fabricando seu primeiro submarino nuclear. e prenderam o Almirante Othon e o condenaram a 43 anos de prisao.nos estadios foram todos modernizados reformados e construidos como na Bahia que a Fonte |Nova foi toda demolida, e os ceticos diziam que nao ficariam prontos para a copa do mundo e no entanto foi um show a parte. A Petrobras estava em total recuperaçao chegando ate a comprar uma refinaria em pleno EUA, o que os deixou p da vida. Tentaram dizer que a refinaria estava dando prejuizo e que o Brasil pagou muito caro por isso, mais ela esta ai produzindo e dando lucros. pontes e estradas, aeroportos e portos foram construidos ou reformados, Nossos filhos tiveram acesso as UNIVERSIDADES, e ate faculdades no exterior. AI UMA GENTALHA DE CORRUPTOS LADROES SAQUEADORE DOS COFRES PUBLICOS E TRAFICANTES DE COCAÍAS RESOLVERAM DÁ O GOLPE E TIRAR UMA PRESIDENTE ELEITA POR 54 MILHOES DE VOTOS E QUE ESTAVA GOVERNANDO DENTRO DA LEI E LEVANDO O BRASIL AO PROGRESSO E NUNCA MAIS BATEMOS NAS PORTAS DO FMI PARA TOMAR DINHEIRO EMPRESTADO, PELO CONTRARIO PASSAMOS A PAGAR A DIVIDA .O POBRE TEVE ACESSO A CISTERNAS NO NORTE E NORDESTE DESTE PAÍS E TIVERAM O PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA PARA AJUDA-LOS NO DIA A DIA. TAMBEM O POBRE PASSOU A TER O BOLSA FAMILIA QUE OS AJUDOU A SAIR DA EXTREMA POBREZA E MUITOS SE LEVANTARAM. PERGUNTO: PORQUE AS FORÇAS ARMADAS NAO INTEVIRAM PARA IMPEDIR QUE ESSES FACISTAS DERRUBASSEM A PRESIDENTE? será que foi porque um setor das forças armadas nao gostam de DILMA? DE LULA? DO PT?, Seja la como for militares assim deveriam por o egoismo de lado e pensar mais na naçao. no povo , e principalmente saber enxergar quando um governo é pelo Brasil, pelo povo. Cabia aos senhores alertar todos os golpistas sem precisar dá golpes, Nenhum deles iriam querer enfrentar as forças armadas. Nenhum deles se atraveriam a faze-lo pois estariao na mira dos fuzis da constituiçao e cabia a essa forças armadas que hoje vem dizendo ai que o presidente ladrao é o (EM CHEFE DAS FORÇAS ARMADAS) .Será que as forças armadas esta satisfeita em ter um ladrao condeando , corrupto como chefe delas? Duvido muito mais tambem como ja disse nao precisava ter deixado chegar a onde chegou. Se deixou foi por conivencia. Mais continua achando que seja a melhor forma de nao se derramar sangue uma intervençao de modo que deixe civis na frente do poder. porem se COLOCAR UM PRESIDENTE COMO ALDO REBELLO e nao fechar a camara é perda de tempo porque o Presidente que assumir com esse congresso nao vai para lugar algum. a nao ser que a intençao das forças armadas seja botar um Presidente tampao ate o final do mandato. porque sabem tambem que o Maia nao tem condiçoes morais para sssumir e o povo vai ficar descontente da mesma forma.

Responder

Leon Dalaedovick

25 de setembro de 2017 às 19h25

Bem, de tudo o que está escrito nesse “Manifesto Aldo-Rebeliano” só tenho a acrescentar o QUINTO MOVIMENTO, a saber:

5- A epopeia do DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E DA DISTRIBUIÇÃO DE RENDA dos governos Lula e Dilma Roussef no período 2003-2014, que gerou empregos, elevou os níveis de consumo da população de baixa renda e aumentou o PIB e as reservas nacionais.
E foi justamente para impedir que o Brasil realizasse tudo o que o “MANIFESTO ALDO-REBELIANO” se propõe que as forças reacionárias da nação deram um GOLPE PARLAMENTAR e mergulhou o país no caos em que se encontra.

Responder

luiz carlos

24 de setembro de 2017 às 23h28

Um discurso muito parecido em alguns aspectos com o de Tancredo Neves antes de seu falecimento…pena.

Responder

Jose Fernando Lopes

17 de julho de 2017 às 20h46

NÃO ENCAIXO ESTAMOS SUBMETIDOS A UM GOLPE ILEGÍTIMO E ESTAMOS INDO DE LADEIRA A ABAIXO…..

Responder

Isa Ferreira

17 de julho de 2017 às 20h39

Isto não me cheira bem. Será o preâmbulo de um grande acordo de cavalheiros meio empoderados? Ainda não chegamos a um grande embate político e social e a turma do “deixa disso” já quer botar água na fervura? Vamos pelo menos estabelecer uma frente única pelas Diretas Já?

Responder

Nikolau Copérnico Vinci

17 de julho de 2017 às 04h48

O NORDESTE não Precisa do Sudeste, o melhor Separar.

Responder

Andre Luiz Costa

16 de julho de 2017 às 23h09

Vou colocar d forma direta: Vão à merda Aldo Rebelo, todos os golpistas e seus apoiadores.

Responder

Moacyr Antonio Coelho

16 de julho de 2017 às 20h35

Acho difícil, estamos no chamado ponto de inflexão. Ou temos um programa que faça o país avançar, considerando que miséria, saúde, educação, emprego, direitos humanos, meio ambiente, soberania e nacionalismo devam ser as prioridades nacionais ou naufragamos. Não dá mais para usar a desculpa que temos que salvar o país, negociando, compondo com quem não respeita esses princípios. Lulinha paz e amor porra nenhuma, ou resolvemos isso dessa forma ou nos conformamos com a chibata.

Responder

sandro

16 de julho de 2017 às 16h55

e o cafezinho dando espaço pra isso

Responder

Catarina Guarnieri Silverio

16 de julho de 2017 às 18h56

Mais um? E de uma só pessoa?

Responder

Reginaldo Gomes

16 de julho de 2017 às 15h29

Excelente proposta do Aldo Rebelo.
Só é possível um país sair da crise se as pessoas se entenderem, os pobres com os ricos , a esquerda com a direita, os 3 poderes entre si , assim por diante.

Responder

Reis Santana

16 de julho de 2017 às 18h20

Querem tirar o grande mito das inpiracoes do povo brasileiro e com a participacao das grande empresas nacionais e multinationals e financiando campanhas desse deputados e senadores cprrruptos mas a justica tem agir com os represntantes serio porqie muitos que estao ai estao no mesmp caminho do congresso e senado e governo so estap fazendo o que eles querem e um vergonha

Responder

Luiz

16 de julho de 2017 às 14h50

Pra conseguir implementar tudo isso que ele disse precisa começar pelos maiores obstáculos do progresso do país, os antidemocráticos chamados de mercado/elite (talvez com algumas exceções).
É o trabalho mais importante a ser feito, na minha opinião, porque esse grupo que forma a fonte da corrupção trava todo o sistema, e como agora não há mais conciliação, como houve no governo de Lula e Dilma, o jeito é mostrar que o domínio deles está acabando, é pedir a força de união em todo o mundo pela soberania nacional, criar não um G20, mas um G-Planeta, com os líderes de cada nação dispostos a enfrentar o verdadeiro terrorismo, o tal “mercado”, o mercado que destrói, não o que promove progresso. Fazer isso sem guerra, sem ódio, mas com a coragem de quem consegue reconhecer o miserável e o rico, o de direita e o de esquerda, o negro e o branco (e o laranja e o verde e o cinza), o hetero e o LGBT+etc, como seres humanos, e não como conceitos de seres humanos.
Acredito que existem esses líderes e que também existe o momento certo de acontecer. Os destruidores da democracia não vão largar do osso tão fácil, mas chegamos num tempo em que a sujeira foi exposta por todo lado, a maioria da humanidade não apoia guerras e a internet pode ser uma ferramenta inacreditável no processo de união dos povos. Já está sendo.
E a nossa voz será ouvida. Já está sendo.

Responder

Aristóteles Cardona

16 de julho de 2017 às 17h00

União é a PQP
Não existirá conciliação com fascistas!

Responder

Sonia Regina Setúbal

16 de julho de 2017 às 11h31

Apoio o Aldo . Só com união pararemos essa queda livre para o fundo do poço: Bolsonaro.
União das esquerdas. Golpistas na cadeia.

Responder

Sonia Regina Setúbal

16 de julho de 2017 às 11h26

Apoio o Aldo . Só com união pararemos essa queda livre para o fundo do poço: Bolsonaro.

Responder

Stela Mota

16 de julho de 2017 às 14h18

Foi por conta do q aí está escrito q a Dilma foi expulsa e Lula condenado. Então, Aldo Rebelo tem q convencer primeiro o STF, figuras como GILMAR MENDES e Carmem Lúcia; depois o Ministério Público dominado por figuras como Dallagnol. Ah, convence a GLOBO. Quanto aos políticos contrários a esta plataforma, se informado o povo não vota. Então, comece convencendo os de cima.

Responder

naldo

16 de julho de 2017 às 10h42

Uma prova de que os politicos brazucas sempre conseguem ir mais ao fundo do poço, como gostam de se enlamear e jogar a biografia fora, Jesuuuussss. ….se o senhor aldo quer se misturar com porcos que o faça sozinho.

Responder

Jose Jorge Freitas Freitas

16 de julho de 2017 às 13h12

União nacional em torno de quem, cara pálida?

Responder

José de Almeida Bispo

16 de julho de 2017 às 09h52

Já sei quem será o vice de Bolsonaro.

Responder

Celia Mendes

16 de julho de 2017 às 12h38

Não há acordo com estas tralhas.

Responder

Rogério Bezerra

16 de julho de 2017 às 09h35

Batem continência…
Inaceitável que homens e mulheres que tem por função proteger a pátria batam continência para um Temer e sua corriola.
Pior ainda é saber que apoiaram e garantiram o golpe contra um Presidenta honesta e nacionalista.
Que FFAA são essas?

Responder

Mabel Chaves

16 de julho de 2017 às 12h32

Poxa Aldo Rebello, o Brasil nao precisa ficar tao desigual. De acordo mas…

Responder

Luís Otávio Gualberto

16 de julho de 2017 às 11h39

Aldo está “costeando o alambrado”…

Responder

Eduardo Martuscelli

16 de julho de 2017 às 11h36

kkkkkkkkkkk
Quem é Aldo Rebelo, quem é esse jornalista que faz menção como o “próprio” (Rebelo) fosse o comandante em chefe das forçar armadas… Piada pronta Cafézinho… Tenho que sorrir………………kkkkkkkkkkk

Responder

Emerson Araújo

16 de julho de 2017 às 11h29

Aldo Rabelo fala no nome de quem e de que? A turma do golpe em pouco mais de 02 anos conseguiu descontruir todo avanço social dos anos de desenvolvimento. Como fica isso neste chamado a uniao nacional?

Responder

Lobo

16 de julho de 2017 às 07h28

Para união, Brasil precisa, no primeiro lugar, conciliação. Agora, como conciliar com golpistas? Com entreguistas? Com elite escravizadora? Com classe média fascista? União é possível só com forças politicas, que possuem um nível satisfatório para processos democráticos do seculo vinte e um. Com fascistas é impossível realizar país democrático de direito. Direita do Póécio, fascistas da Farsa a Jato e do Estado de Exceção, bem como fascistas do Bolsobosta e Dólar não possuem qualidades dignas de uma sociedade moderna e justa. Fascistas, racistas, entreguistas, traidores, escravizadores, golpistas… NÃO! Não queremos união com odiosos e preconceituosos, que desprezam país e próprio povo.

Responder

Lili Brown

16 de julho de 2017 às 10h24

STF RESPEITEM os cargos que ocupam e ANULEM o impeachment comprado contra a nossa democracia, a nossa presidente Dilma e contra aos interesses nacionais!

Responder

Carla Souza Cruz

16 de julho de 2017 às 10h19

Esse nem o português sabe pronunciar, suas reportagens na época da Copa fazia nojo ouvir.

Responder

David Rogge

16 de julho de 2017 às 10h07

Então já sabemos que não houve crime de responsabilidade, nem nas pedaladas (http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2016/06/pericia-conclui-que-dilma-nao-participou-de-pedaladas-fiscais.html), nem no plano Safra (https://oglobo.globo.com/brasil/pedalada-de-dilma-no-plano-safra-nao-foi-operacao-de-credito-nem-crime-diz-mpf-19712360).

Sabemos que o Nardes do TCU é corrupto até o talo (http://www1.folha.uol.com.br/poder/2017/01/1854127-ex-diretor-de-estatal-relata-propina-a-ministro-do-tcu.shtml)

Sabemos que o Temer confessou que o impeachment foi por não aceitar a tal “Ponte para o futuro” (https://theintercept.com/2016/09/22/michel-temer-diz-que-impeachment-aconteceu-porque-dilma-rejeitou-ponte-para-o-futuro/)

Sabemos que o Jucá confessou que era para “estancar a sangria” (http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/05/1774018-em-dialogos-gravados-juca-fala-em-pacto-para-deter-avanco-da-lava-jato.shtml)

Sabemos que o Odebrecht pagou deputados para o impeachment (https://oglobo.globo.com/brasil/marcelo-odebrecht-diz-que-acertou-com-padilha-repasse-de-10-milhoes-ao-pmdb-20998848)

Sabemos que o Joesley também pagou deputados para votarem pelo impeachment (http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,publicitario-liga-joesley-a-impeachment,70001825160)

Sabemos que o Cunha se elegeu comprando deputados (http://g1.globo.com/politica/operacao-lava-jato/noticia/joesley-diz-que-deu-r-30-milhoes-para-cunha-comprar-deputados-na-eleicao-da-camara.ghtml)

E que Cunha travou o governo Dilma para fazê-la cair (http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2016/05/151008_cunha_camara_ab)

E que agora Cunha está delatando todos os deputados que receberam dinheiro para votar pelo impeachment (https://www.ocafezinho.com/2017/07/15/cunha-delata-o-golpe-votos-pelo-impeachment-foram-comprados/)

E que Dilma foi inocentada pelo TSE (http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica/2017/06/10/internas_polbraeco,601619/como-votou-cada-ministro-no-tse.shtml)

Falta mais o quê para o STF mandar prender todos os deputados que receberam e anular este golpe?

Falta alguém perder a calma e a civilidade? é isto que o tribunal está esperando … que se faça algo fora da normalidade?

Responder

Sergio Machado

16 de julho de 2017 às 09h51

Pra quem banda ele se bandeou?
Ele não abandonu o pcdb?

Responder

Ricardo Alvarenga

16 de julho de 2017 às 09h33

Vocês têm que devolverem o Brasil para o povo.
É necessário se fazer uma varredura no Planalto em tudo, Governo, Senado, Câmara de Deputados e STJ Esta com concurso público para juízes, para que possamos termos homens e mulheres competentes no comando da Justiça em nosso País.

Responder

Celia Vicente

16 de julho de 2017 às 07h55

quem ele pensa que engana?

Responder

Jerônimo Barroso

16 de julho de 2017 às 06h47

Cara pede pelo menos a galera do MBL para ajeitar o texto. Ninguém fica preso preventivamente por 18 anos. O cidadão aí foi condenado a 18 anos e está preso preventivamente. Ainda cabe recurso e pode responder em liberdade se acaso for o entendimento do juiz peruano.

Responder

Jerônimo Barroso

16 de julho de 2017 às 06h42

Alguém avisa o Aldo Rebelo que esse discurso desenvolvimentista do pós guerra já era. O Brasil perdeu esse bonde por conta da incompetência. Não há mais espaço para desenvolvimentismo com devastação e perda de biodiversidade nas condições que o planeta se encontra. Não haverá futuro sem meio ambiente fofo. Falou tudo menos em reforma agrária. PC do B hoje se chama Pragmatismo Capitalista do Brasil

Responder

    MarQo Rocha

    16 de julho de 2017 às 12h58

    Ele está saindo do PC do B, esse manifesto é o da dissidência. Culpar o PC do B por isso, seria o mesmo que culpar o PT pelas traições de Marina e Marta.

    Responder

    Jerônimo Barroso

    16 de julho de 2017 às 13h29

    Não vejo diferença alguma no discurso do Aldo Rebelo com a do Lula. Carregam as mesmas mentalidades e práticas. Trocar de partido é só uma questão de interesse pessoal pq estes partidos já se perderam amigo.

    Responder

    Paulo Figueiredo

    17 de julho de 2017 às 19h21

    Cara vc tem que combinar com o resto do planeta que é PC (Pragmatista Capitalista)! Nem China (socialismo de capital), Coreia do Norte, nem Russia, nem Marte pensa como vc pensa (“infelizmente”).

    Responder

Leonardo Baldan Dayrell

16 de julho de 2017 às 06h12

George Sanguinetti Fellows

Responder

Pedro Salgado Junior Junior

16 de julho de 2017 às 05h15

TRIGO NÃO PODE UNIR COM O JOIO, VAI PRA LA COMUNISTA DA CASA MINHA VIDA

Responder

Maria Santana Rodrigues

16 de julho de 2017 às 05h04

A vai ver se ele ta na esquina

Responder

Izabel Lisboa

16 de julho de 2017 às 03h42

E como é que fica aquele “grande acordo, com o Supremo, com tudo? Vão cancelar, para celebrar esse outro?

Responder

Márcio Antônio Lima

16 de julho de 2017 às 00h37

Sim, o Senhor tem razão. Mas, preocupa-me o que hoje está ocorrendo no país. Parece-me algo como preservação das capitanias hereditárias… O nível de qualidade de produtos nacionais está aquém do que já foi um dia, a preocupação ambiental é exceção na gestão, uma avaliação sensata de riscos de fazer ou não fazer é pífia e a reforma econômica não passa nem perto dos problemas reais…

Responder

Jorge Abrantes

16 de julho de 2017 às 00h20

A história recente está ai para provar que conciliação entre esquerda e direita não dá certo, pois foi devido a conciliação que o PT fez com o PMDB que Dilma sofreu um golpe. Inclusive, foi graças a aliança PT-PMDB que os direitos dos trabalhadores e dos aposentados estão sendo tirados e minados.

É muita ingenuidade querer acreditar em uma aliança entre Casa Grande e Senzala, entre Capitalista e Proletário, entre esquerda e direita, ainda mais a direita brasileira que é antinacional e antipatriótica.

Responder

Reinaldo Chaves Rivera

16 de julho de 2017 às 02h46

… Esse canalha comunista enlameou a honra das nossas FFAA. Será uma eterna mancha comunista no seio das nossas honradas forças !!

Responder

    MarQo Rocha

    16 de julho de 2017 às 13h00

    Que isso, ele acaba de demonstrar que está ao lado de vocês

    Responder

Aristóteles Zakynthinos

16 de julho de 2017 às 02h42

Existe diferença entre Roberto Freire e Aldo Rebelo?

Responder

Marcus Vinícius Duque Neves

16 de julho de 2017 às 02h35

Depois se devolverem o mandado para Dilma, conversamos… antes, não!!!! Golpistas, vão à merda!!!

Responder

Severino Alves

16 de julho de 2017 às 01h51

O Manifesto do Aldora Rebelo está perfeito e irretocavel. É preciso bom senso da sociedade para refletir a respeito. É preciso fazer algo e rápido.

Responder

    Sonia Regina Setúbal

    16 de julho de 2017 às 11h38

    Enfim um comentário lúcido. Ninguém reflete e sai atirando pedras. Isto sim, é fortalecer o golpe, a direita.

    Responder

Roberto Betão da Silva

16 de julho de 2017 às 01h46

Hipócrita e vendido

Responder

Lúcia Helena Cusini

16 de julho de 2017 às 01h45

União com quem? Com corruptos não dá!

Responder

Francisco Domingos

16 de julho de 2017 às 01h43

Quem é Aldo Rebelo???
Lembrei! É aquele pseudo comunista que quer ser vice presidente do golpista Rodrigo Maia.
Nada mais a declarar. Era só isso mesmo.

Responder

Trazibulo Meireles (Zibinho)

15 de julho de 2017 às 22h43

Manifesto do nada, teria haver luta, resistência…Roberto Freire, pulou, Marina Silva, Marta Suplicy (respeitem o Suplicy) o poder envaidece e Aldo já teve poder. Esperemos cenas dos próximos capítulos…

Responder

Eliésio

15 de julho de 2017 às 22h25

Lula é o líder consagrado pelo povo brasileiro para reunir e projetar novas liderança em torno de si para que levaram adiante esse grande projeto de país, nação, sociedade democrática soberana que Aldo, Ciro, Haddad e muitos outros e outras vislumbram. FHC já disse para ele lula é um negociador de classes. Como tal, respaldado pelo povo, pode abrir caminho para essa gente nova de espírito humanista. Tenho me animado bastante com as proposta de Ciro Gomes para a composição dos juros remuneratórios do capital emprestado ao governo e regulado pelo BACEN.

Responder

jotaroberto

15 de julho de 2017 às 22h21

Bonito discurso, só faltou convocar o povo e as forças armadas para garantir nossa soberania. O resto é só discurso mesmo, não resolve nada.

Responder

vera vassouras

15 de julho de 2017 às 22h20

Pois é, Aldo, você não engana mais ninguém. Está morto. Basta de hipocrisia! Constituinte já e nulidade absoluta de todos os atos dos golpistas, afinal, só em hospícios poderia existir a crença de que algumas facções criminosas tem o poder de se estabelecerem como EXTERMINADORES DO PASSADO, DO PRESENTE E DO FUTURO de suas vítimas seculares. E quanto aos militares? Dentro das fardas existem homens? Até o momento não surgiu nenhum. Estão todos de quatro, com as calças arriadas, protegendo a canalha que os mantém na coleira, absolutamente adestrados, a ranger os dentes contra o povo que os alimentam.

Responder

Marcos Marcos Marcos

16 de julho de 2017 às 00h47

Prefiro continuar longe dessa corja de evangélicos que votaram contra os trabalhadores e os fascistas bandidos da quadrilha do Temer golpista.

Responder

Alcione Moreno

16 de julho de 2017 às 00h25

Manifesto pela uniao nacional chamando os contrarios de coxinja e golpista e o PT esta sempre certo e todo mundo tem que se unir a ele. E muita pretensao.

Responder

Cristina Assunção

16 de julho de 2017 às 00h13

Como já disse alguém acima união é meuzovo.

Responder

Gabor Gaspar

16 de julho de 2017 às 00h09

Ele está correto ele quer apenas uma grande parceria da elite com o povão: parceria caracu eles entram com a cara e o povão com c… .

Responder

Alberto Jorge Lula da Silva

16 de julho de 2017 às 00h09

É só restaurar a Democracia!!! Dilma Presidenta!!!

Responder

Hamilton Pasini Pedroso

16 de julho de 2017 às 00h08

decepção total

Responder

Aristóteles Zakynthinos

15 de julho de 2017 às 23h46

Qto levou ???? Estou cada dia tendo mais certeza que a melhor saida para o Brasil é o aeroporto….. que merda de esquerda é esta ……

Responder

Marcelo De Oliveira Júlio

15 de julho de 2017 às 23h39

SAFADO!

Responder

Silvia Oliveira

15 de julho de 2017 às 23h31

União de que? Mercadante tbm fez vistas grossas. Esse discurso conciliador, sem nada concreto serve a quem? Nas ruas, revolução já. Tbm não sei como (aceito sugestões).

Responder

Cláudio Xavier

15 de julho de 2017 às 23h25

Esta proposta não é nem trocar seis por meia dúzia. É entregar o ouro ao bandido

Responder

Venevaldo Martins

15 de julho de 2017 às 23h24

União de quê? Da fome com a opulência? Dos escravizados com seus senhores? Esquece. Só uma coisa pode unir o pais: eleições livres.

Responder

    Sonia Regina Setúbal

    16 de julho de 2017 às 11h41

    Se quiserem eleger Lula, vão ter que aceitar algum tipo de conciliação. Que seja a união das esquerdas.

    Responder

Ricardo Gomes Macêdo

15 de julho de 2017 às 23h18

União nacional só com eleições diretas.

Responder

Jorge Nascimento Nascimento

15 de julho de 2017 às 23h15

Não tem como…

Responder

Francisco Domingos dos Santos

15 de julho de 2017 às 20h14

Quem é Aldo Rebelo na fila do pão??? Lembrei! É um pseudo comunista que quer ser vice do golpista Rodrigo Maia.
Era só isso mesmo.

Responder

Rodrigo N. Matsui

15 de julho de 2017 às 23h14

Ok, mas faltou terminar o bom discurso chamando o povo, os parlamentares da oposição e o comando das forças armadas para apoiar uma transição por meio de eleições diretas. É um programa para basear os próximos postulantes à presidência. Mas para isso tem que acabar este governo golpista, que não guarda absolutamente nenhum acordo com as premissas propostas.

Responder

Marcia Stephens

15 de julho de 2017 às 22h55

Nem a pau, Juvenal. Depois dessa porra toda, o Lula deve dar mãozinha para golpistas e ajudà-los e enganar o povo mais vez? Aí, vem eleição, os idiotas votam na direita e aí começa a caçada ao PT novamente? Capaz…

Responder

Joel Araujo

15 de julho de 2017 às 22h43

Falta só combinar com o PIG, a Globo em especial, aos golpistas que assaltaram o poder e o corrompido Judiciário.

Responder

Fernanda Vss

15 de julho de 2017 às 22h43

Sou contra acordos. Já fizemos muitos! Essa gente, historicamente, sempre passa o rolo compressor e depois vem assoprar feridas incuráveis e dolorosas. Não se faz acordo com essa gente.

Responder

Milton Pimentel Martins

15 de julho de 2017 às 22h38

É prenúncio de uma intervenção militar?????

Responder

    Ana Beatriz Cruz Magliano

    15 de julho de 2017 às 23h22

    Vc acha mesmo??

    Responder

    Milton Pimentel Martins

    16 de julho de 2017 às 00h59

    É o que parece!!! Só não sei se o Aldo Rebelo tem representatividade ou anuência dos militares pra lançar um manifesto desses!!!! Mas é bem estranho!!! Qual a intenção dele??? Quem ele quer mobilizar, ou engajar, ou avisar??? Não sei, se trata de uma iniciativa envolta por mistérios!!! Pode não significar nada!!! Um mero espasmo de alguém inexpressivo!!! Sei lá!!!

    Responder

Andorinha

15 de julho de 2017 às 19h26

Sr Ministro,
Em algum momento o Sr ou ministros anteriores foram alertados do que haveria
um golpe de estado em andamento pelos chefes das forças armadas?

Responder

Jose Luiz Prazeres

15 de julho de 2017 às 22h19

TRAÍRA

Responder

Sandra Maria Silva de Menezes

15 de julho de 2017 às 22h19

Porque ninguém fala sobre o que temer está fazendo Presidente corrupto Michel Temer acabando com os trabalhadores brasileiros roubando malas de dinheiro e a mídia fingindo que não está vendo e o povo não quer ir para as ruas por que isso??? isso sim é golpe

Responder

Antonio Tadeu Nogueira Parenti

15 de julho de 2017 às 22h12

Golpista !!!!!!!

Responder

Andre Rossato

15 de julho de 2017 às 22h10

…PAPINHO DE UNIÃO VINDO DE UM COMUNISTA VAI Á PQP SEU MERDA….TAO VENDO QUE TÁ FICANDO FEIO PRO LADO DE VCS HAHAHA

Responder

Rufo

15 de julho de 2017 às 19h06

Sr Ministro.
Em junho de 2012 aconteceu no brasil a rio+20. Na mesmo período assistimos
a um golpe de estado no paraguay. Em 2014 durante as olimpíadas de inverno
ocorreu outro golpe de estado na ucrânia.
Por que nenhuma providência foi tomada sabendo-se que no brasil ocorreriam dois
eventos esportivos, olimpíadas e copa do mundo que serviriam como pano de fundo
para um golpe de estado?

Responder

Sueli Scotelaro Porto

15 de julho de 2017 às 22h03

Unificação é o cacete.

Responder

Jailde Cavalcanti

15 de julho de 2017 às 22h00

União ? Caso os políticos e empresários devolvam o dinheiro do povo brasileiro e tem mais: não eleger nenhuma crápula que esteja no poder.

Responder

Antonio Pralon

15 de julho de 2017 às 21h57

Depois de toda a desgraça que a direita causou ao país… união nacional meuzovo!

Responder

Marise Guerra

15 de julho de 2017 às 21h51

Golpista! Como pode pedir unificação depois de golpes e retirada de direitos dos teabalhadores, vendas na Petrobras, condenação de Lula , etc, etc, etc??? Só podemos constatar que é mais um traidor. GOLPISTA!

Responder

Miriam Carmen

15 de julho de 2017 às 21h43

Responder

Ibsen Marques

15 de julho de 2017 às 21h39

Responder

Ibsen Marques

15 de julho de 2017 às 21h38

Já estou até vendo. Esse discurso é o início de sua debandada da esquerda, se é que dia foi. Reconstrução nacional? Me poupe.

Responder

Simone Dos Santos

15 de julho de 2017 às 21h37

Traidor

Responder

Francisco Santos

15 de julho de 2017 às 21h37

Responder

Osvaldo Negro Ferreira

15 de julho de 2017 às 21h36

Deve estar confabulando com os militares e com os golpistas para ser presidente eleito indiretamente (por isso saiu do PC do B para o PSB, mais palatável pelos milicos e pela plutocracia nacional).

Responder

Thiago Alves Ribeiro

15 de julho de 2017 às 21h31

Isso é sério?

Responder

Cyro Leite

15 de julho de 2017 às 21h29

Nessas alturas do golpe, fica praticamente impossível golpistas e golpeados saírem da crise de mão dadas. Os direitos tomados devem ser restituídos imediatamente, novas eleições, em todos os níveis, serem convocadas, renuncia de todo o STF e que, todos os envolvidos no golpe, seja de qual poder for, respondam pelos seus atos criminosos, diante de corte especial. Somente assim seguiremos em paz.

Responder

César Augusto Martins

15 de julho de 2017 às 21h28

Tá bom, Dr Aldo. Pega os playboys do MBL, Antagonista etc e bota eles pra se manifestarem que aderiram. Estamos aqui sentados no sofá continuando o trabalho de formiguinha contra ódio de classes remunerado por partidos da elite. Obrigado

Responder

Eduardo Dantas

15 de julho de 2017 às 21h28

Concordo revoga o golpe volta Dilma. E Dilma terá o poder de vetar tudo que foi aprovado no período de Judas no poder.

Responder

Sonia Antunes

15 de julho de 2017 às 21h27

Conversa para boi dormir

Responder

Chung Lin

15 de julho de 2017 às 21h20

dividir pra conquistar
alguém ainda NÃO entendeu!?

Responder

Paulo Alves Monteiro

15 de julho de 2017 às 21h20

‘O que é isso, companheiro?

Responder

Tiago Carneiro

15 de julho de 2017 às 21h19

Aldo sempre um bunda mole. No Ceará, o Pc do b também eh assim: baba ovo do prefeitinho metido a rei, ligado ao dem. Chega dessa esquerda peido n’agua.

Responder

Isaac Soares

15 de julho de 2017 às 21h18

Pra ter paz , tem que tomar tudo que os golpistas venderem, o petróleo está saindo contrabandeando, lar eles tirar de vai embora.

Responder

Derly Ferreira

15 de julho de 2017 às 21h13

Eleições sem Lula é fraude! Judiciário se calou diante do golpe da baioneta em 1964. Não teve um juiz que quisesse perder o conforto que a toga proporciona.

Responder

José Ruiz Talhari Júnior

15 de julho de 2017 às 21h13

e?

Responder

Sônia Aranha

15 de julho de 2017 às 21h12

nojento isso, heim?

Responder

Antonio Carlos Marangoni

15 de julho de 2017 às 21h11

Golpista

Responder

Josimar Lucena

15 de julho de 2017 às 21h11

Meu Deus! Mais do mesmo.

Responder

Maria Nilze Santos da Costa

15 de julho de 2017 às 21h11

Quem esse sujeito pensa que engana. Esse é outro que tem que ser varrido da face da terra. Cuidado povo brasileiro ñ se deixe enganar com esses caras que vem com esses discursos como se fossem uns santos.. ..ora me poupe

Responder

Paulo Roberto S

15 de julho de 2017 às 21h09

Esse política vão Entrar para Historia as pessoas que Roubaram tanto que Afundou o pais

Responder

Paulo Roberto S

15 de julho de 2017 às 21h08

Separação já chega de Brasília …

Responder

Deixe uma resposta

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com