Cafezinho 5 minutos – comentários diários de Miguel do Rosário

Rovai e o estranho estudo da Pública enaltecendo a grande mídia

Por Miguel do Rosário

12 de março de 2018 : 20h39

(Manifestantes politicamente neutros, segundo a Pública).

Comparar, através de uma polarização malandra, sites cujos editores são conhecidos, que publicam análises, fazem entrevistas, divulgam documentos inéditos e importantes, e fazem um contraponto fundamental contra a mídia golpista, com sites de direita disseminadores de fake news, meros capangas da plutocracia, é o cúmulo da picaretagem!

Mas o pior mesmo é chamar a imprensa brasileira de “neutra”. Aí já é vandalismo!

***

No blog do Rovai

Uma matéria “isenta” e com base “em estudo” de A Pública e a história do diabo que mora nos detalhes

Por Renato Rovai
12 de março de 2018

Hoje recebi de um amigo um link de matéria de A Pública cujo título é: “Jovens se afastam de páginas engajadas e interagem com imprensa tradicional, revela estudo”. Ela está linkada, como deve ser quando se faz jornalismo digital com seriedade. Infelizmente preciso registrar que não achei o link do estudo na reportagem. E sequer a metodologia utilizada nele. Apenas frases soltas tratam disso. A primeira, é quase uma declaração de um não-estudo:

“Um levantamento inédito com base em interações entre 1.822 perfis de Facebook e páginas de notícias revelou que há diferenças significativas entre os leitores de páginas engajadas, que lideram a polarização do debate político, e páginas da imprensa tradicional, que costumam adotar um tom mais neutro nas reportagens.”

Quem conhece um pouco de estudos de rede sabe dos imensos riscos de estudar 1.822 perfis e estabelecer conclusões. Essa conta não fecha. Só a Revista Fórum tem 710 mil seguidores e o Facebook tem mais de 100 milhões deles no Brasil. Outro dado importante é que fazer o “estudo” de apenas uma plataforma de rede, o Facebook, não permite conclusões sobre a dinâmica de interações na rede, que é algo muito mais amplo.

Mas o que mais chama à atenção no “estudo” é que ele parte do princípio que as “páginas da imprensa tradicional costumam adotar um tom mais neutro”. Seria muito interessante ler os estudos comparativos de postagens de Veja, Isto É e da Revista Fórum, por exemplo, que levaram os pesquisadores a essa conclusão. Porque em estudos, tudo precisa ter base científica. Não pode se dar de barato ou achar que é assim e sair divulgando.

Há muitos itens que estou disposto a debater com os autores sobre este e outros estudos que vêm sendo publicados. Deixo este desafio aqui. E não falo com base em “acho que”, mas porque gosto de tema e o investiguei por quatro anos num doutorado recentemente defendido sobre a história do jornalismo digital no Brasil (1995 a 2017). Acho que estes estudos estão servindo a um ataque seletivo à mídia livre, buscando igualar profissionais com larga experiência jornalística a páginas desqualificadas como Folha Política, Jornalivre, Partido Anti-PT e antiPT, que sequer têm jornalistas ou redação.

Mas voltando ao estudo, como eu não tinha link pra checar os dados fui olhar os que posso acessar da página da Fórum no Facebook para verificar se a tese da reportagem de A Pública que destaca que os jovens se afastaram de páginas como a Fórum era real. Pois não é que não faz o menor sentido, pelo menos no caso da Fórum.

Como se pode ver na imagem em destaque, a distribuição etária da Fórum é: de 13 a 17 anos, 1%; 18 a 24, 19%; 25 a 34 anos, 31%. Vamos dizer que você considera jovens aqueles que têm até 34 anos, então na Fórum eles são metade dos seguidores, 50%. O restante se distribui assim: de 35 a 44 anos, 24%; 45 a 54 anos, 13%; 55 a 64, 8% e com mais de 65 anos, 4%. Além disso, 55% dos nossos leitores são mulheres, 45%, homens.

Essa distribuição ampla sempre foi a nossa força editorial. E talvez por isso mesmo com o boicote do Facebook, talvez até com base em “estudos” como esse que nos igualam à páginas fake news de direita, a Fórum continue tendo tantos leitores.

Hoje, Fórum está na posição 156 do Alexa entre os sites mais acessados no Brasil, incluindo sexo, google, facebook, yahoo, bancos, mercado livre e o escambau. A IstoÉ, que é grande imprensa, segundo o estudo, está em 718. E A Pública, em 10.298. Importante destacar que Fórum nunca recebeu um centavo de financiamento internacional. E não aceita receber. E que durante o governo Lula e Dilma (podem checar nas matérias do Fernando Rodrigues) foi o CPM mais barato da mídia digital brasileira, cobrando menos que o UOL por cada view.

Mas a matéria diz que os jovens se afastaram dos sites engajados no seu título. Só se afasta quem esteve junto. E o estudo que não tem link parece não ter histórico. Com que base então a reportagem usa o verbo afastar? Esse afastamento tem relação com que momento? Ou foi sempre assim? E se foi sempre assim qual é o afastamento?

Importante registrar também que a matéria usa um gráfico de um instituto (tchantchantchantchan) internacional pra explicar o que é fake news. E tudo vira fake news. Até sátira ou paródia. O Sensacionalista é fake news, por este critério. E o José Simão então nem se fale. Evidente que isso não foi feito à toa. Há interesses mais graúdos por trás disso. Repórter que sou converso com muita gente que conversa, inclusive, com o Jorge Paulo Lehamnn, um dos homens mais ricos do mundo e mais rico do Brasil, e que comprou o site Nova Escola, parceiro de eventos que A Pública organiza, e financiador oculto de outros vários sites.

Ele tem afirmado em seus encontros que o Brasil tem que sair da “polarização”. Exatamente, usa o termo polarização. E diz que para isso tem que acabar com os extremos e consolidar dois campos fortes de centro-esquerda e centro-direita. Dois “campos confiáveis, como nos EUA”. Ou seja, se a moeda cair de um lado ou do outro nada muda muito. Ou dá Republicanos ou Democratas. É por isso que importa tanto igualar a mídia progressista a páginas desqualificadas de direita. Ao invés de dizer que este campo sequer dialoga com aquele e tem com a mídia tradicional o seu verdadeiro confronto de narrativas.

Enfim, é um longo debate. Quero fazê-lo com afeto, porque tem gente que tenho carinho que me parece estar comprando gato por lebre, mas não vou mais deixar de fazê-lo com rigor. Quando a gente for fazer matéria sobre estudo, o mínimo que o bom jornalismo exige é disponibilizar os dados e a metodologia do mesmo. E nem vou dizer que se não fizer isso é fake news. Porque sei que este termo está sendo usado com fins políticos. Mas não é bom jornalismo.

PS: Dei aulas em algumas universidades, como a Cásper Líbero e a ECA-USP, mais recentemente. E sei que às vezes estudantes ficam chateados com críticas a trabalhos por eles realizados. Nada contra os estudantes da ESPM-RJ. Mas gostaria muito de que os dados fossem abertos. Porque quando eles são fechados, corre-se o risco de torná-los instrumento de luta política.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

13 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

JOHN JAHNES

13 de março de 2018 às 11h00

Politicamente neutros, OU PARENTES E AMIGOS DOS MILITARES, DE OLHO NA GRANA DO GOVERNO?

Responder

Luisa

13 de março de 2018 às 07h08

O Rovai menciona os estudantes da ESPM-RJ, mas para mim quem se destaca nesse texto/ pesquisa é Pablo Ortellado, coordenador do Gpopai.
Esse pesquisador, que tem coluna na folha, está sempre escrevendo como se fosse neutro, como se batesse na esquerda e direita, mas se prestarmos atenção nos seus textos ele tem lado sim, e um forte viés antipetista.
Seu discurso enrola, mas é basicamente:
-a esquerda precisa fazer autocrítica
-a esquerda precisa se renovar
-combate a corrupção
– fake news
– a polarização da sociedade é ruim e é culpa do PT
-a lava jato até tem alguns abusos, mas não persegue nenhum campo político.
– as jornadas de junho não tiveram nenhuma interferência externa, são legítimas e representaram um levante da sociedade civil contra o estado
E como ele é pesquisador, tenta dar verniz de ciência a suas posições ideológicas. Durante as jornadas de junho fez pesquisas para Open Society, juntamente com Esther Solano, da Unifesp, e Lucia Nader da OS.

http://www.ihu.unisinos.br/159-noticias/entrevistas/566032-o-principal-desafio-da-esquerda-e-enterrar-o-pt-para-ir-alem-do-pt-entrevista-especial-com-pablo-ortellado

Esse texto terrível dele diz muito
http://www.ihu.unisinos.br/78-noticias/573859-a-polarizacao-nao-esta-nos-deixando-pensar

E ótima resposta de Luis Felipe Miguel
http://justificando.cartacapital.com.br/2017/11/23/pensar-tambem-tem-lado-resposta-ao-texto-de-pablo-ortellado/
https://www.cartacapital.com.br/sociedade/quem-sao-os-manifestantes-de-16-de-agosto-9588.html

Responder

Jose carlos lima

13 de março de 2018 às 04h28

O pig publicou o Marcos Valerio delatando tucanos

Quando o conluio midiatico penal vaza tucano pode esperar que estao armando contra algum petista

Lula tera prisao antecipada dia 26

https://blogdomello.blogspot.com.br/2018/03/circo-do-dia-26-montado-lula-preso-de-dia-moro-no-roda-viva-noite.html?m=1

Responder

    JOHN JAHNES

    13 de março de 2018 às 11h03

    quem vai se responsabilizar pelo que acontecer no país se prenderem Lula?
    o moro, a carmela, o temer, a globo, a veja, a folha, o psdb?

    Responder

      Jochann Daniel

      13 de março de 2018 às 11h28

      Caro John,
      Os citados
      são coautores do ato,
      estão a serviço…
      São naturalmente corresponsáveis
      pela pelo que advier daí.
      A natural destruição do país.
      Mas. e daí?

      Responder

Cláudio

13 de março de 2018 às 04h13

:
: * * * * 04:13 * * * * .:. Ouvindo As Vozes do Bra♥♥S♥♥il e postando:
.:.
♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
* * * * * * * * * * * * *
* * * *
Por uma verdadeira e justa Ley de Medios Já pra antonti (anteontem. Eu muito avisei…) ! ! ! ! Lul(inh)a Paz e Amor (mas sem contemporizações indevidas) 2018 neles/as (que já PERDERAM, tomaram DE QUATRO nas 4 mais recentes eleições presidenciais no BraSil) ! ! ! ! !
* * * *
* * * * * * * * * * * * *
♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
?????????????????????

Responder

Antonio Passos

13 de março de 2018 às 00h27

Desculpem a pergunta mas o que é A Pública ?
Sinceramente, depois de tudo que aconteceu no Brasil nos últimos dois anos, quem ainda não sabe os veículos que falam a verdade e os que mentem, é débil mental ou mais um zumbi com a mente lavada pela mídia tradicional.
Os fatos estão aí escancaradas, claros, exibindo a verdade para quem tem isenção e coragem de vê-la.

Responder

    Jochann Daniel

    13 de março de 2018 às 11h34

    Veja as pesquisas mostrando que mais de 80% das classes mais altas são visceralmente contra Lula.
    Leem só um lado dos veículos da Mídia, e dali não saem.
    Mídia que, com certeza, não é Cafezinho e similares…

    Responder

Jochann Daniel

12 de março de 2018 às 22h59

Tem gente repassando
mensagens na internet
dizendo que o Brasil
está a caminho do……………………………..
comunismo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Infelizmente nosso povo é ……………………..
medíocre,
vítima da ignorância
e má educação.
Se não houver uma mídia
que chegue até eles,
esclarecendo,
bau, bau.
O PT teve a chance de esclarecer,
mas,
infiltrado do jeito que está,
com bem pagos
pelo inimigo
nos postos chave
da comunicação….
ficou engessado….
Não foi como a Venezuela
de Hugo Chaves.
O inimigo está deitando
e rolando…

Responder

    Jochann Daniel

    12 de março de 2018 às 23h03

    Em um país
    razoavelmente inteligente,
    esses caras da foto
    solicitando
    (EM INGLÊS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!)
    essa asneira
    seriam tidos como
    imbecis,
    ou pagos
    pelos nossos
    inimigos……………

    Responder

    Luiz Carlos P. Oliveira

    13 de março de 2018 às 07h54

    Então pasme: esse é o pensamento dos militares. Converse com um oficial do exército e ele te dirá, aos berros, que todos os partidos políticos do Brasil são comunistas. A mentalidade deles ficou perdida nos anos 60.

    Responder

      Jochann Daniel

      13 de março de 2018 às 15h31

      Cabeças envenenadas,
      fazem parte das classes que eu mencionei em outro comentário,
      mais acima.

      Responder

Luis

12 de março de 2018 às 22h46

Muito bom!

Responder

Deixe uma resposta

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com