Haddad entrevista Boulos

Justiça igual? Prisão de Eduardo Azeredo (PSDB) esperou 126 meses. A de Lula, apenas 25

Por Bajonas Teixeira

22 de maio de 2018 : 18h14

Por Bajonas Teixeira,

A decretação da prisão de Eduardo Azeredo, ex-presidente do PSDB e ex-governador de Minas Gerais, soa para a justiça brasileira como uma demonstração de equilíbrio, de isenção e de equanimidade. Nada mais distante da verdade. Depois de denunciado pelo Ministério Público, na longínqua data de 20 de novembro de  2007, tão distante que o Facebook mal era conhecido no Brasil, Eduardo Azeredo pode esperar sentado, andando e dormindo, de todo modo, sempre em liberdade, durante 126 meses até a sua prisão.

E, cá para nós, essa prisão teria sido decretada, mesmo depois desses 126 longos meses, se não fosse para justificar a prisão de Lula e a ‘isenção’ do nosso judiciário?

No Brasil, e nisso concordo com a justiça e com os procuradores, ninguém está acima ou abaixo da lei. Mas é porque o problema não é esse. O problema é estar muito perto ou muito distante do braço da lei. Ele é muito curto para uns e muito longo para outros. Como as duas pinças do caranguejo. Ou da lagosta, que combina mais com os bons vinhos e com os salários recheados de auxílios dos juízes. (Não é estranho que a miséria paga pelo Bolsa Família tenha encontrado tantas contestações raivosas, e esse grupo desamparado, de juízes, desembargadores e procuradores, dependa de tantos auxílios públicos sem que isso cause revolta?)

Lula, por exemplo, encontrou um braço da lei alongado, pronto para desferir golpes fulminantes, na velocidade desconcertante de um Evander Holyfield na melhor fase, capaz de reduzir qualquer adversário à lona e ao pó. Ele foi denunciado em março de 2016, e preso em abril de 2018. Foram 25 meses apenas.

E mais: Azeredo só foi condenado em primeira instância, à bagatela de 20 anos e 10 meses de prisão, em dezembro de 2015, ou seja, 8 anos após ser denunciado. Lula, o homem tratado com toda a isenção pela justiça brasileira, foi condenado em primeira instância, em julho de 2017, isto é, um ano e três meses após a denúncia, de março de 2016.

Provas? Aqui também a relação é a inversa. No caso de Eduardo Azeredo elas são abundantes como se pode ver na denúncia do ministério público. Já no caso de Lula, são absolutamente ridículas, a começar pela desproporção ciclópica de se apresentar como prova, para o “comandante máximo da organização criminosa”, um triplex ridículo.

Enfim, o que a justiça nos conta, com a decretação da prisão de Azeredo, é uma confissão das suas desigualdades gritantes. E não se precisa insistir em nada para que isso fique provado além de qualquer dúvida, basta considerar a diferença entre 126 meses, para a prisão de um, e a de 25, para o outro.

 

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

6 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Rita Andreata

23 de maio de 2018 às 19h27

Não fico feliz com a condenação de Eduardo Azevedo. Primeiro, porque não sou de me alegrar com desgraça alheia. Segundo que é uma condenação muito tardia. Terceiro, porque a condenação de Azeredo tenta ser uma pálida demonstração de que a Justiça é imparcial e funciona. A mim não convence.Lula foi condenado em um processo escandalosamente falso. Uma farsa, onde ficaram demonstradas claramente com provas o absurdo das acusações. Lula é inocente e pronto. Quanto a Eduardo Azeredo, deixo por conta de sua defesa. Só sei que Lula e Dirceu são presos políticos. A história e o povo reconhecem e reconhecerão isso.

Responder

Ana

22 de maio de 2018 às 22h55

Como todo respiro gostaria de expor as informações pra complementar esta matéria e torna lá mais realística .. Primeiramente, não teve unanimidade em nenhum julgamento de Eduardo Azeredo , o que já faz vcs perceberem que não há semelhança alguma com o do Lula , portanto já e descabimento qualquer comparação .. 3×2 STF, 2×1 primeiro instância , e 3×2 na segunda .Vale se informarem !! Segundo , existem pessoas que infelizmente são bodes expiatórios deste mundo político , cruel e imoral .
Justiça morosa e “justa apenas pro Azeredo , né? Prescrição e isenção pros demais , Cláudio Mourão , ou aí sim por conveniência para Walfrido dos Mares Guia , agora “aliado “ do partido que acabou com um Brasil próspero .
E mais , que provas neste processo ? Todas as testemunhas da ACUSAO inocentaram o réu , além de documentos forjados , assinaturas FALSAS. Neste caso vejo com muito mais revolta condenarem um ser humano deste , pois realmente NESTE processo NÃO vejo PROVAS .
A Justiça deve ser para todos , mas como o nome já diz , tem que ser JUSTA!

Responder

    Ana

    23 de maio de 2018 às 17h33

    E mais uma : se a condenação de Azeredo foi por caixa 2 em campanha , cadê Dilma que saqueou a Petrobras pra fazer o caixa 2 milionário … e Lula ? Percebem como a justiça não é igual ?!!!

    Responder

Jose carlos lima

22 de maio de 2018 às 21h26

Impossivel um tucano ser condenado em fraude processual como foi o caso desse processp contra Lula.

Contra Azeredo um caminhao de provas

Contra Lula nenhuma prova…

Responder

julio

22 de maio de 2018 às 20h21

O Gilmar já está com o habeas preparado para soltá-lo.

Responder

assim falou Golbery

22 de maio de 2018 às 20h06

apenas boi de piranha, pois a de Lula só seria justa se tivesse sido decretada a prisão de todo que já foi ou estivesse eleito, incluindo até para síndico.

Responder

Deixe uma resposta

x