O depoimento de Lula à juíza Gabriela Hardt

Maguire cabeceia para abrir o placar

Cafezinho na Copa: Inglaterra elimina a Suécia e está na semifinal

Por Pedro Breier

07 de julho de 2018 : 14h17

A chave das quartas de final que conta com Inglaterra, Suécia, Rússia e Croácia tem um evidente déficit de técnica e criatividade em relação à outra chave, composta por França, Bélgica e os eliminados Brasil e Uruguai.

O jogo de hoje entre Inglaterra e Suécia – um 2 x 0 para os ingleses – foi, entretanto, uma boa partida de futebol.

Em boa parte do jogo os times botaram a bola no chão para criar jogadas de ataque, o que ocasionou jogadas interessantes, bem trabalhadas, de ambas as equipes.

A primeira delas foi da Inglaterra, aos 18 do primeiro tempo, um contra-ataque certeiro que acabou com uma meia lua de Sterling no marcador e chute forte, de primeira, do artilheiro da Copa Kane.

Mas foi por meio da jogada aérea que saíram os dois gols do time britânico, os quais definiram o resultado do jogo.

O primeiro aos 29, com o zagueiro Maguire derrubando o marcador – sem falta – para cabecear forte e no canto, abrindo o placar.

Na volta do intervalo, o centroavante sueco Berg cabeceou forte e com endereço certo logo no primeiro minuto. Pickford fez a primeira das várias grandes defesas que ainda faria na partida, esticando-se para defender com a mão esquerda.

Aos 12, mais uma jogada aérea e mais um gol da Inglaterra. Após um giro de pé em pé pela entrada da área, a bola encontrou Lingard, que cruzou, da direita e de primeira, para a cabeçada de Dele Alli. A bola passou sobre a cabeça do goleiro Olsen, mas o fato de Dele Alli cabecear de uma distância curta da meta impediu que o reflexo daquele fosse suficiente para fazer a defesa.

Aos 16, a Suécia perdeu a sua grande chance de permanecer na partida e ainda colocar fogo nela. Com uma bela troca de passes o time de amarelo invadiu a área inglesa e Berg – de grande atuação – fez o pivô para a conclusão de Claesson, que parou no goleiro Pickford – outra grande defesa.

Aos 25, Berg domina com categoria dentro da área e emenda pro gol. A bola foi no centro da meta e estufaria as redes não fosse nova defesa dificílima de Pickford, com as pontas dos dedos.

A Inglaterra não tem o mesmo refino e vistosidade de França e Bélgica mas é um time forte que, caso chegue a final, não entra como favorito mas tampouco como azarão.

Destaque para o goleiro Pickfort, para a segurança do sistema defensivo inglês, para a habilidade e velocidade de Sterling e para o artilheiro Kane, a referência técnica (erra muito pouco) e psicológica (é o capitão) do time.

Os ingleses chegam à semifinal credenciados por atuações seguras, com alguns toques de criatividade. É um prêmio justo para a terra dos inventores do futebol, da melhor liga de futebol do planeta e, como se não bastasse, dos Rolling Stones e dos Beatles.

 

Pedro Breier

Pedro Breier, colunista d'O Cafezinho, é formado em direito mas gosta mesmo é de jornalismo. Nasceu no Rio Grande do Sul e hoje vive em São Paulo.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Ironi

07 de julho de 2018 às 21h27

Brasil o pais da hipocrisia.
Pais onde o esporte e eventos esportivos são patrocinados por propaganda milionária de bebida alcólicas.

Brasil, um pais de tolos.

Responder

    fabio Lima

    08 de julho de 2018 às 09h05

    E daí ???

    Responder

Deixe uma resposta

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com