O depoimento de Lula à juíza Gabriela Hardt

CUT/Vox põe Haddad à frente de Bolsonaro

Por Miguel do Rosário

13 de setembro de 2018 : 10h25

A pesquisa do Vox Populi, com todo respeito, força um pouco a barra ao induzir o eleitor. É muito provável que Haddad cresça, por conta da migração de votos de Lula para ele, mas uma pesquisa tem de ser paciente e esperar que a migração aconteça naturalmente, no tempo certo.

Os percentuais de Bolsonaro mostrados pela Vox estão muito abaixo de todas as outras pesquisas. O fato da pesquisa beneficiar o próprio partido (a CUT é uma entidade politicamente vinculada ao PT) que a financia também não ajuda a despertar confiança em sua imparcialidade.

Todos nós gostaríamos que Bolsonaro estivesse em segundo lugar nas pesquisas, mas precisamos ter paciência, acreditar no bom senso do povo e apostar numa informação objetiva, crítica e honesta.

O diretor do Datafolha, Mauro Paulino, informou que amanhã, às 19 horas, o Datafolha solta outra pesquisa de intenção de voto, que já colherá informações sobre a entrada de Haddad como candidato oficial do PT.

***

Na Carta Capital
Exclusivo
Associado diretamente a Lula, Haddad soma 22% e ultrapassa Bolsonaro

por Redação — publicado 13/09/2018 05h00, última modificação 13/09/2018 07h02

O petista registra 31% no Nordeste e venceria todos os adversários no segundo turno, indica a nova pesquisa C
A nova pesquisa CUT/Vox Populi confirma o poder de transferência de voto de Lula, preso em Curitiba e impedido de concorrer à presidência da República pelo Tribunal Superior Eleitoral. Quando claramente apresentado aos eleitores como o candidato do ex-presidente, o petista Fernando Haddad alcança 22% de intenção de votos e assume a liderança na disputa.

Jair Bolsonaro, do PSL, aparece em segundo, com 18%. Ciro Gomes, do PDT, registra 10%, enquanto Marina Silva, da Rede, e Geraldo Alckmin, do PSDB, aparecem com 5% e 4%, respectivamente. Brancos e nulos somam 21%.

O Vox Populi ouviu 2 mil eleitores em 121 municípios entre 7 e 11 de setembro. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, para cima ou para baixo. O índice de confiança chega a 95%.

O instituto tomou a decisão de associar Haddad diretamente a Lula no questionário, ao contrário das demais empresas de pesquisa. Segundo Marcos Coimbra, diretor do Vox Populi, não se trata de uma indução, mas de fornecer o máximo de informação ao eleitor. “Esconder o fato de que o ex-prefeito foi indicado e tem o apoio do ex-presidente tornaria irreal o resultado de qualquer levantamento. É uma referência relevante para uma parcela significativa dos cidadãos. Chega perto de 40% a porção do eleitorado que afirma votar ou poder votar em um nome apoiado por Lula”.

Um pouco mais da metade dos entrevistados (53%) reconhece Haddad como o candidato do ex-presidente. O petista, confirmado na terça-feira 11 como o cabeça de chapa na coligação com o PCdoB, também é o menos conhecido entre os postulantes a ocupar o Palácio do Planalto: 42% informam saber de quem se trata e outros 37% afirmam conhece-lo só de nome.

O desconhecimento é maior justamente na parcela mais propensa a seguir a recomendação de voto de Lula, os mais pobres e menos escolarizados. De maio para cá, decresceu sensivelmente o percentual de brasileiros que afirmam não saber que o ex-presidente está impedido de disputar a eleição: de 39% para 16%.

Ainda assim, é em meio a este público que Haddad registra grandes avanços. Na comparação com a pesquisa de julho, mês no qual o PT ainda nutria esperanças de garantir Lula na disputa, o ex-prefeito passou de 15% para 24% entre os eleitores com ensino fundamental e de 15% para 25% entre aqueles que ganham até dois salários mínimos. O petista chega a 31% no Nordeste e tem seu pior desempenho na região Sul (11%), mesmo quando associado ao ex-presidente.

Ciro Gomes é o menos rejeitado (34%) entre os cinco candidatos mais bem posicionados. Haddad tem a segunda menor taxa, 38%. No outro extremo, com 57%, aparece Bolsonaro.

O deputado, internado desde a sexta-feira 7 no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, registra contudo o maior percentual de menções espontâneas (13%), contra 4% de Ciro e Haddad, 3% de Marina e 2% de Alckmin.

O fato de as citações espontâneas se aproximarem da porcentagem registrada por Bolsonaro nas respostas estimuladas demonstra, ao mesmo tempo, um teto do candidato do PSL e uma resiliência que tende a leva-lo à próxima fase da disputa presidencial.

O Vox realizou diversas simulações de segundo turno. Bolsonaro venceria Alckmin (25% a 18%), empataria tecnicamente com Marina (24% a 26%) e perderia para Ciro (22% a 32%) e Haddad (24% a 36%). O pedetista e o petista vencem os demais. O instituto não fez a simulação de um confronto entre os dois.

Por fim, a pesquisa mediu a percepção dos eleitores em relação ao ataque a Bolsonaro ocorrido em Juiz de Fora em 6 de setembro. A maioria absoluta, 64%, associa a facada a um ato solitário de um indivíduo desequilibrado, “com problemas mentais”. Outros 35% acreditam tratar-se de um atentado organizado e planejado, com fins políticos.

A maior parte dos entrevistados (49% contra 33%) não crê que o episódio possa influenciar a decisão de voto dos brasileiros.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

100 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

joao cezar diamantino

20 de setembro de 2018 às 00h27

Parabens pela materia do vox populi apresentando o resultado da pesquisa. É impossivel pensar que vocês da UOL acreditam. Só pode. Porque divulgar mentira para a sociedade, é coisa de gente irresponsavel que não tem compromisso com a verdade. E que de alguma forma demonstra o apoio a essa quadrilha de malfeitores que tanto prejudicaram a nossa patria. Uma observação para vocês, sabem
qual é o valor das aponsentadorias dos chefes maiores da CUT.

Responder

Filipe

14 de setembro de 2018 às 08h42

Ficou triste com a pesquisa, Miguel?

Responder

Jandui Tupinambás

13 de setembro de 2018 às 23h06

Opa! Acabo de ganhar uma caixa de cerveja!

Carga Capital com o grande Mino passam a apoiar Haddad a partir da próxima edição!!!

E atenção, já que acertei essa, sinal de que minha bola de cristal está mesmo afiada. Em 2013 apostei que Haddad seria presidente do Brasil em 2019. E lá vai mais uma: não teremos segundo turno.

Responder

    Paulo

    13 de setembro de 2018 às 23h45

    Meu caro Tupinambá/Tupinambá ou Tupinambá/Tamoio (decida-se!): a chance de a esquerda ganhar uma eleição, em 1º turno, no Brasil, é zeeeeerrooooo!

    Responder

    Marcelo abb

    14 de setembro de 2018 às 00h49

    Acorda para a vida, rapaz.

    Nem lula ganhou eleições no primeiro turno, no auge da sua popularidade.

    Em que mundo estes petistas estão vivendo?

    Vocês vão fuder o país, porra!!!!!!!!!

    Vão entregar a merda do país para a direita, seus ignorantes!!!

    Responder

    Nostradamus ( banquinho & bacia )

    14 de setembro de 2018 às 08h01

    É o que mostra o espelhe d´água da minha bacia. Não afirmara ainda para não ser chamado de pretencioso mas já que tocaram no assunto… é 13 na cabeça… e de cabo a rabo… no primeiro já.

    Responder

PETER PENDRAGON

13 de setembro de 2018 às 22h50

Olha, sendo bem sincero, o Miguel do Rosário esta agindo corretamente. Embora eu vote no Bolsonaro, Ciro Gomes seria minha segunda opção, embora Ciro e Bolsonaro sejam oponentes, eles não jogam sujo como o PT.

Responder

João pirokudo

13 de setembro de 2018 às 22h32

Pesquisa muquirana paga pela Cut kkkkk

Responder

Luis Castro

13 de setembro de 2018 às 21h57

Não adianta chororô Haddad já está na frente. O Vox Populi sempre foi o primeiro a aferir a ultrapassagem de Dilma os outros ligados aos golpistas vão se rendendo aos pouquinhos é só aguardar. Dilma dispara em Minas e Pimemtel começa a se apeoximar de Anastasia.

Responder

Alan Cepile

13 de setembro de 2018 às 21h42

A pesquisa foi feita no universo de 101% dos eleitores…

Responder

Demilson de Souza

13 de setembro de 2018 às 21h34

Calma! Na espontânea, apenas 26% têm candidato. Na estimulada, apenas 32% votam na esquerda.

Responder

CRITICADORDOREALMADRIDDEPIUM

13 de setembro de 2018 às 20h29

O SEGUNDO TURNO DOS SONHOS DA ESQUERDA BRASILEIRA : FERNANDO HADDAD X CIRO GOMES . QUE MARAVILHOSO QUE SERIA ESSE CENÁRIO , SERIA DÁ UM CHUTE NA BUNDA DOS GOLPISTAS EM TODOS OS SENTIDOS .

Responder

Paulo

13 de setembro de 2018 às 19h56

Então quer dizer que em JULHO, há dois longos meses (para uma pesquisa), Haddad, até então quase um desconhecido e que, naquilo que era conhecido (ex-prefeito), teve sua gestão pessimamente avaliada pela população da cidade que governou? Não, meus caros, menos, bem menos!

Responder

    Paulo

    13 de setembro de 2018 às 19h58

    …da cidade que governou, tinha 12% de preferência?

    Responder

Geraldo Habib

13 de setembro de 2018 às 18h51

A pesquisa que interessa é a espontânea; se o entrevistado, perguntado em quem vai votar, responde que não sabe, mas, defrontado com uma lista, escolhe um, fica claro que é só para satisfazer o entrevistador e não está seguro.
“O deputado, internado desde a sexta-feira 7 no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, registra contudo o maior percentual de menções espontâneas (13%), contra 4% de Ciro e Haddad, 3% de Marina e 2% de Alckmin.”
O que mostra a espontânea? 13+4+4+3+2=26. Mostra que mais de 70% dos eleitores ainda não têm candidato. Mostra também que a maioria dos que já têm vota na direita (18×8).
A disputa mal começou e a direita, infelizmente, está na frente.

Responder

Roque

13 de setembro de 2018 às 18h19

Pesquisa CUT/Vox???? Me surpreendo por este percentual não ser de 100%. Gente, o Andrade foi prefeito de São Paulo e, quando candidato à um novo mandato, foi esmagado por João Dória, um candidato que não tinha passado político algum.. no primeiro turno. Obteve menos votos que as pessoas que não escolheram candidato algum. Sem a menor chance de segundo turno.
Haddad dificilmente terá dois dígitos de votação. Bolsonaro será o primeiro com 35/37% no primeiro turno. Já o segundo lugar ficará entre Alckimin e Ciro, com Marina em terceiro, colado. Haddad ficará em quinto, mas sem esquecer que ainda há a possibilidade de um sexto lugar, visto que as pessoas estão se esquecendo dos eleitores do João Amoedo e do Alvaro Dias, que pode não parecer, mas existem.
O PT somente sobreviverá à essa eleição pois fez parcerias em Estados que o Governo é praticamente certo. Parcerias justamente com partidos como o MDB, que é chamado sempre de golpista.

Responder

    Nostradamus ( banquinho & bacia )

    13 de setembro de 2018 às 18h53

    Cada eleição tem suas circunstâncias. O Dória ? Não se elegeu… foi eleito. Mas agora quem o elegeu nem sai do chão e está arriscado o Dória não ser aprovado. Haddad não foi reeleito por questões nacionais, a bem da verdade, pelo golpe em curso já nas ruas no clímax. Mas o povo não é tão burro. Quem quis enxergar já viu o que aconteceu. Já viu quem é quem.

    Responder

      Alan Cepile

      13 de setembro de 2018 às 21h34

      Que teoria heim rsrsrsrs

      Responder

        Nostradamus ( banquinho, bacia & porrete )

        14 de setembro de 2018 às 08h09

        Teoria é escrever, escrever, escrever, tentando provar que o povo é burro.

        Responder

Luis Castro

13 de setembro de 2018 às 18h13

O Vox Populi não tem histórico de manipular ao contrario do Ibope e Datafolha, que são conhecidos manipuladores contra os candidatos de esquerda. O Vox foi o primeiro a aferir a ultrapassagem da Dilma sobre Serra o DataFolha foi o ultimo, só se rendeu quando a petista já colocava 10 pontos sobre o tucano. Haddad já está no segundo turno para o chororô dos Ciristas.

Responder

Luis Castro

13 de setembro de 2018 às 17h49

Quer dizer que o Ibope e DataFolha, ligados aos golpistas, são confiaveis e não manipulam e o Vox Populi sim por ser ligado ao PT. Fica a criterio da preferência de cada um. Porém é bom lembrar quem tem histórico de manipular é o DataFolha e o Ibope. Na eleição da Dilma, o primeiro instiruto a aferir a ultrapassagem de Dilma sobre o Serra foi justamente o Vox, enquanto até quando pode o Datafolha colocava o tucano na frente da petista. Só quando a Dilma ja chegava a 10 pontos sobre Serra, o Datafolha se rendeu e colocou a petista com os 10 pontos sobre Serra. Na epoca a manipulação ficou clara devido o Data ter segurado a subida da Dilma para do nada ela disparar e passar ppr 10 pontos o tucano. Se o Bolsonaro está com tudo porque o genera Villasl está ameaçando até com golpe caso a esquerda ganhe?

Responder

Darcy Brasil Rodrigues da Silva

13 de setembro de 2018 às 17h27

Marcos Coimbra tornou-se o “Montenegro” do PT. Encampou o espírito manipulatório do 247. Na Guerra (e ninguém pode contestar o clima de guerra que condiciona essas eleições,realizadas na vigência de um golpe, com a liderança mais popular de nosso país encarcerada sem provas por um fascista travestido de juiz) a verdade é a primeira vítima. Não vai ser possível confiar em pesquisa alguma. Uma direita que foi capaz de destituir uma presidenta honesta sem crime de responsabilidade, que não teve a menor vergonha de condenar e encarcerar sem provas o ex-presidente Lula, não terá nenhum freio moral para impedi-la de manipular pesquisas em níveis nunca conhecidos antes. Marcos Coimbra, por sua vez, parece que resolveu revidar com os mesmos métodos. Não dá para condenar esse último. Teremos que conviver com as discrepâncias dos números. Talvez os melhores equipamentos para a apurações dos dados estatísticos estejam nas universidades. Mas teriam que ter sido acionados e combinados muitos dias antes para levantar os dados. Os institutos tradicionais estão pintados para guerra. A linguagem tendenciosa deles pouco difere da dos comentaristas das redes.

Responder

Realista

13 de setembro de 2018 às 17h03

Sim, Miguel tem razão, mas foi na verdade, uma forma de antecipar, induzindo (dando a informação ao eleitor).
No caso dos eleitores (100%) estarem totalmente informados que Haddad é Lula, esse seria ou serão piso de Haddad, hoje não é.
A pesquisa Datafolha, foi feita dia 10/09/2018, antes de Lula sair, sem nenhuma propaganda, 39% dos eleitores já sabiam que Haddad é Lula.
Aí entramos no seguinte raciocínio, faltando 25 dias para eleição com toda mídia que o PT tem será que vai ser tão difícil informar aos 61% restantes.
Agora vem o interessante:
Fazendo analise da Datafolha:
– Período de apuração: 10/09/2019
– Haddad tem 9%, aonde 39% sabem que Haddad é Lula, se 9% votam nele de 39% que já sabe que ele é candidato de Lula, então esses 9% representam 23% dos 39%, fica dentro do índice Vox Populi (22%)
– Vejam, 23% dos que ganham até 1 salário mínimo e 27% dos que ganham até 2 salários mínimos sabem que Haddad é Lula e todos nós sabemos que é aí onde estão a maior parte dos votos de Lula ou seja o piso de Haddad que é de 23% no Datafolha, tende a ficar mais alto.

Responder

Realista

13 de setembro de 2018 às 16h18

sim, Miguel tem razão foi uma indução, porem se o PT conseguir informar, esse é o piso de Haddad.

Fazendo analise da Datafolha :
– Período de apuração: 10/09/2019
– Haddad tem 9%, aonde 39% sabem que Haddad é Lula, se 9% votão nele de 39% que já´sabe que ele é candidato de Lula, então esses 9% representam 23% dos 39% , fica dentro do índice Vox Populi (22%)

Responder

CezarR

13 de setembro de 2018 às 15h59

Desculpe a todos, mas sim, houve uma indução. Se a mensagem de que Lula é Haddad e Hadadd é Lula não chegar da forma como o PT imagina, é óbvio que distorcerá o resultado da pesquisa. De qualquer forma, apesar de eu ser Ciro, só poderia ficar aliviado com o fato que o Hadadd esteja em primeiro.

Responder

    Manuel Feijó

    13 de setembro de 2018 às 16h39

    A pesquisa que interessa é a espontânea; se o entrevistado, perguntado em quem vai votar, responde que não sabe, mas, defrontado com uma lista, escolhe um, fica claro que é só para satisfazer o entrevistador e não está seguro.

    “O deputado, internado desde a sexta-feira 7 no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, registra contudo o maior percentual de menções espontâneas (13%), contra 4% de Ciro e Haddad, 3% de Marina e 2% de Alckmin.

    O que mostra a espontânea? 13+4+4+3+2=26. Mostra que mais de 70% dos eleitores ainda não têm candidato. Mostra também que a maioria dos que já têm vota na direita (18×8).
    A disputa mal começou e a direita, infelizmente, está na frente.

    Responder

Foo

13 de setembro de 2018 às 15h49

Análise do Fernando Brito, no Tijolaco:

“A forma de perguntar, antes de ser uma indução, foi uma antecipação do que está acontecendo agora e ficará mais forte até domingo, depois de mais dois dias de programa de televisão e inserções informando da indicação do ex-presidente.”

Responder

    Francisco

    13 de setembro de 2018 às 17h55

    Complementando, do insuspeito Luis Nassif, moderado ‘cabo eleitoral’ de Ciro, como o embarcado ‘cabo eleitoral’, Miguel:

    A pesquisa Vox

    Por que a pesquisa Vox é mais confiável que as demais? Divulgada hoje, a pesquisa coloca Haddad na frente, com 22 pontos, contra 18% de Bolsonaro, 10% de Ciro Gomes, 5% para Marina Silva e 4% para Geraldo Alckmin.

    As demais pesquisas medem o grau de conhecimento atual dos eleitores, sobre a indicação de Haddad por Lula. A da Vox informa o leitor dessa ligação. Portanto, fica mais próximo do nível de conhecimento dos eleitores no dia da eleição, o pico da onda Haddad.

    Para o 2º turno, a pesquisa também é favorável a Haddad contra qualquer candidato.

    Responder

      degas

      13 de setembro de 2018 às 18h28

      Em suma, esqueçam aquela história de que a pesquisa deve refletir o momento. A pesquisa do PT, digo da CUT-Vox, é melhor porque projeta um futuro onde todos saberão que adad é o ungido de deuslula. Mas e se esse futuro não se realizar, por incompetência da propaganda petista, falta de tempo ou outro motivo qualquer?

      Seguindo esse critério com pequenas variações, eu gostaria de ver o resultado de uma pesquisa em que o pesquisado fosse informado que o Ciro vai pagar todas as suas dívidas ou o Bolsonaro vai colocar um guarda 24 horas por dia na porta da sua casa.

      Responder

Manuel Feijó

13 de setembro de 2018 às 15h35

A pesquisa que interessa é a espontânea; se o entrevistado, perguntado em quem vai votar, responde que não sabe, mas, defrontado com uma lista, escolhe um, fica claro que é só para satisfazer o entrevistador e não está seguro.

“O deputado, internado desde a sexta-feira 7 no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, registra contudo o maior percentual de menções espontâneas (13%), contra 4% de Ciro e Haddad, 3% de Marina e 2% de Alckmin.

O que mostra a espontânea? 13+4+4+3+2=26. Mostra que mais de 70% dos eleitores ainda não têm candidato. Mostra também que a maioria dos que já têm vota na direita (18×8).
A disputa mal começou e a direita, infelizmente, está na frente.

Responder

Eddie

13 de setembro de 2018 às 14h16

Boa Miguel
PT tem q ir com calma!
KKK, pt tem 22% dos votos e um pouco( exagerado) assim como e hoje os números do asno!
Boa sorte ao pregador do crucificado!
Mas aqui não!
#ciripresidente12

Responder

Alberto Lima

13 de setembro de 2018 às 13h58

CUT/Vox está pro PT, como PACTUAL está pro BOZZO.
Já vi que o negócio é nas urnas mesmo!
Esse negócio de pesquisa é tudo furado!
kkkkk

Responder

Alexandre Neres

13 de setembro de 2018 às 13h47

Precisamos trazer para este blogue a Letícia Sanllorenzo – a Madrasta do Texto Ruim do blogue do Nassif. O título “CUT/Vox põe Haddad à frente de Bolsonaro” é um primor. Nem Globo e Estadão ousariam tanto, teriam um certo pudor.

Responder

    Foo

    14 de setembro de 2018 às 05h52

    Pois é.

    O Miguel do Rosário realmente força a barra nos títulos.

    O verbo “por”, escolhido a dedo, sugere ação ativa, manipulação.

    Se ele acredita mesmo na manipulação, deveria ter dado todo destaque que isso mereceria: “vox manipula pesquisa e dá 22% a Haddad”.

    Óbvio que não teve coragem para isso, e ficou no meio termo mixuruca.

    Teria sido mais honesto dizer “Haddad com apoio de Lula chega a 22%” e depois apresentar suas ressalvas à metodologia.

    Responder

Pedro

13 de setembro de 2018 às 13h45

Não acredito em nenhuma dessas pesquisas. Os donos do Ibope, Datafolha e Vox tem tudo interesse particular nessas pesquisas o que só por si dá o descrédito delas.

Chorem o que for e tentem fazer o possível com as pesquisas, mas vai dar Bolsonaro no primeiro turno e se não der, será por muito pouco. Vamos ver se não será lá para uns 47 % para mais para Bolsonaro.

Responder

Francisco

13 de setembro de 2018 às 13h15

Miguel, muita razão e hora nessa calma.
O Vox Populi em sua última pesquisa com Lula candidato, apresentou-o com 41% quando o Ibope e o Datafolha apresentavam Lula com 29% e 30%, respectivamente.
Alguns dias depois Lula salta no Ibope para 37% e no Datafolha para 39% e o então tão criticado Vox, pelo disparate ao apresentar Lula com 41%, sequer é citado ou desculpado como sendo o correto, pelos que confiam sem pestanejar, até em pesquisa de bancos, via telefone, via Lavareda e até em robô do Fernando Rodrigues, e desconfiam liminarmente do “Vox da CUT”.

Agora o Vox, mostra Haddad com evolução menor que a nos demais institutos, ou seja cresce 85% (12% para 22%), quando no Datafolha cresce 125% (4% / 9%) e no Ibope 100% (4% / 8%), em relação a pesquisa anterior e para variar é desacreditado liminarmente.

Se o “crítico apressado” atentar à pesquisa anterior dos institutos, a diferença está em que o Vox sinaliza ao pesquisado que Haddad é o candidato indicado por Lula e obtém 12%, enquanto os demais institutos não fazem essa indicação e ambos obtém 4% para Haddad, obviamente por interesses das partes o critério adotado, sendo ambos válidos, desde que informados.
As discrepâncias quanto a possível manipulação, se dá em relação aos resultados relativos aos candidatos que contam à direita (Bolsonaro, Alckmin e Marina), com o Vox apresentando intenção bem menor que a dos dois outros institutos, e cá entre nós, sou mais Vox também nesse quesito, mais duas semanas e essas melancias aparecerão ajustadinhas no caminhão da eleição.
E vamos que vamos, retomar a história rumo ao Brasil justo, moderno e soberano.

Responder

Marcos Sousa

13 de setembro de 2018 às 13h09

Ok, Miguel, então as pesquisas confiáveis são as dos Bancos! Essa que foi contratada por uma Central Sindical não é confiável!
Os outros candidatos (incluindo Bolsonaro) saíram com números menores justamente porque os eleitores tomam conhecimento de que Haddad é o candidato de Lula.

Responder

Robson Bonelli

13 de setembro de 2018 às 13h04

Vox Populi associa Haddad ao Lula.
Fez o óbvio.
Alguém acha que devia ter associado ao Brad Pitt?
#haddadmanu
#lulapresopolitico
#13

Responder

Mané

13 de setembro de 2018 às 12h55

Desculpe , esta pesquisa não é induzida ,mas ESTIMULADA !!!

Responder

    Foo

    13 de setembro de 2018 às 16h30

    Boa observação.

    Na hora de votar não vai ter nome. Se não souber o número, não vota.

    Uma pesquisa não estimulada pediria para o eleitor escrever o número, e só.

    Mas não vejo ninguém reclamar do Instituto de pesquisa por ajudar o eleitor a lembrar o nome dos candidatos.

    Por que não informar que o Haddad é o candidato do Lula, ou que ele é do PT?

    Responder

Damião Bonfim

13 de setembro de 2018 às 12h45

O Vox Populi está mais rápido do que o Lula para decidir por Haddad. A pesquisa é induzida e, se expressa só uma tendência, semana que vem, por esse instituo, Haddad já aparecerá com uns 70% de intenção de votos. Gozado é o vídeo que o PT divulga ensinado o povo a votar sem saber em quem vota (nem o nome do candidato sabem pronunciar!). Imagina o nível de consciência dessa escolha estimulada pelo PT!

Responder

    Foo

    14 de setembro de 2018 às 03h57

    O PT é o partido preferido de 25% dos eleitores.

    Por isso, mesmo sem o apoio de Lula, Haddad já estaria no segundo turno.

    Com o apoio de Lula ele pode chegar a 40%.

    Responder

Mané

13 de setembro de 2018 às 12h43

A pesquisa Vox a meu ver, é correta. Ela informa ao entrevistado que ; se o candidato Haddad fosse o indicado por Lula você votaria nele? Ponto. Qual a dúvida? O eleitor neste 24 dias restantes será informado de tal situação . Não vejo nenhuma fraude ,nenhuma mesmo. Só nos resta saber o alcance desta informação, mas , o universo entrevistado está informado ,e o resultado é corretíssima.

Responder

Jandui Tupinambás

13 de setembro de 2018 às 12h11

Desculpe, Miguel, mas sua torcida fervorosa por Ciro está fazendo você perder sua credibilidade. Suas críticas ao Vox deveria ser, no mínimo, no mesmo nível das críticas ao Data Folha, Ibope ou Paraná.

Cá prá nós, isto não é jornalismo do nível do Cafezinho de tempos atrás.

Quando Haddad começar a chegar no patamar para ganhar no primeiro turno, a turma do Ciro vai começar a entender quando digo que uma peça não se enrosca em um parafuso é o parafuso que TEM QUE SE VIRAR para enroscar na peça.

A previsão mais realista para o primeiro turno vocês podem ver aqui:

https://jornalggn.com.br/blog/jandui-tupinambas/esta-e-uma-eleicao-para-se-ganhar-no-primeiro-turno

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de setembro de 2018 às 12h47

    Ao contrário, Jandui. Acho que o Cafezinho está ampliando a sua credibilidade. Sempre fui crítico e continuarei sendo. As outras pesquisas não induzem o eleitor.

    Responder

      Marcelo

      13 de setembro de 2018 às 13h04

      Não está não, Miguel. Você está sendo muito parcial mesmo. Esse texto desqualificando a Vox Populi e sugerindo esperar a DataFolha é um jornalismo desses típicos de Merval e companhia. Dizer que não deve ser levada em consideração porque é uma pesquisa encomendada pela CUT. E na que é incomendada pelo banco, você acredita? E nas incomendadas pela Globo? Eu concordo que indicar Haddad como candidato de Lula infla seus números. Mas no texto (e não é o único dos últimos tempos) há linhas claramente distorcidas para forçar a barra contra um candidato que você não apoia. Não é uma questão de escolha política é a incapacidade de se fazer uma análise crítica equilibrada que está aí.

      Responder

      Foo

      13 de setembro de 2018 às 15h55

      Dizer que Haddad é o candidato apoiado pelo Lula é induzir ou informar?

      Colocando de outra maneira :

      Qual é mesmo o percentual de eleitores que tem simpatia pelo PT? 25%?

      Dizer que Haddad é do PT é induzir ou informar?

      Haddad tem tudo para conseguir 20% dos votos no primeiro turno.

      Responder

Marcelo

13 de setembro de 2018 às 12h05

O resultado da pesquisa está “fraudado”.

De acordo com o Datafolha, apenas cerca de 40% dos eleitores sabem que Haddad é o candidato de Lula. E a pesquisa da Vox já informa isso aos entrevistados.

Mas quem precisa fazer o trabalho de informar isso ao eleitor é o PT, na campanha eleitoral, e não o instituto de pesquisa.

Para obter o real cenário atual, é preciso apenas botar o nome de Haddad. Afinal, a informação de que ele é o candidato de Lula não vai constar na urna.

Responder

    Foo

    13 de setembro de 2018 às 16h00

    Depende daquilo que você quer saber.

    As chances de Haddad, sozinho, são muito diferente daquelas de Haddad, do PT, apoiado por Lula.

    É isso o que essa pesquisa mostra.

    Responder

      Marcelo

      13 de setembro de 2018 às 16h54

      É mais do que óbvio que o potencial dele vinculado ao Lula e muito maior do que isoladl

      Mas não existe nenhuma garantia de que essa informação (que Haddad é Lula) vai atingir 100% dos eleitores, e essa pesquisa parte dessa premissa. O correto mesmo pra aferir tendências é não informar, e ir acompanhando o crescimento de Haddad e o êxito do PT em transmitir isso aos eleitores na campanha; vendo se isso é bem sucedido ou não. É assim que se acompanha tendências.

      Na verdade, é muito improvável que Haddad chegue ao segundo turno com esses votos, haja visto que certamente não vai ser 100% dos eleitores sabendo disso até dia 07. Se bem que ele só precisa que uns 70% dos eleitores saibam
      De todo modo, metodologia é furada

      Responder

        Foo

        14 de setembro de 2018 às 04h10

        Não existe nenhuma garantia de que essa informação vá chegar a 100% dos eleitores. Correto.

        Mas estas pesquisas não são feitas nos grotões, onde a informação não chega.

        Estas pesquisas refletem a intenção de voto nas médias e grandes cidades, onde vive a maior parte da população.

        São pessoas que, se ainda não sabem, vão ficar sabendo – e é isso o que essa pesquisa tenta captar.

        Responder

NeoTupi

13 de setembro de 2018 às 11h59

Pesquisa Empiricus/Paraná pesquisa foi publicada aqui sem questionamento.
Pesquisa BTG Pactaul/FSB idem.
Pesquisa XP investimentos/IPESPE idem.
Todas excluem o FATO das eleições girarem em torno de Lula (exceto a XP/Ipespe que pesquisa um cenário com “Haddad apoiado por Lula”).
Só a Vox Populi, que não exclui o FATOR apoio de Lula, portanto tem mais valor científico, está errada?
Pesquisa sem considerar o fator Lula é fraude. Tanto é que Datafolha e Ibope, para disfarçar, incluem potencial de voto, disposição para votar em candidato apoiado por Lula, conhecimento de quem é apoiado por Lula, e outras perguntas indiretas, para projetar a tendência real.

Responder

    Marcelo

    13 de setembro de 2018 às 12h08

    Acontece que o trabalho de vincular Haddad a Lula é trabalho do PT, não do instituto de pesquisa. Cerca de 60% dos eleitores não sabem que Haddad é candidato de Lula, e essa pesquisa já fornece essa informação. Essa pesquisa conta num cenário em que todos sabem disso

    Se o PT conseguir transmitir essa informação a 100% dos eleitores, tudo bem, a pesquisa é fidedigna

    Mas e se chegar o dia da eleição e os votos ainda não tiverem sido transferidos ainda? Boa parte dos eleitores de Lula tem difícil acesso à Internet e meios de comunicação. Por isso a pesquisa não é fidedigna. Eu conversei já com um senhorzinho que vota em Lula e nem sabia ainda direito quem era Haddad

    Responder

      Foo

      13 de setembro de 2018 às 16h06

      Se for por aí, não tem que apresentar nome nenhum, pois na hora do voto a pessoa tem que digitar um número, e o trabalho de associar o nome de um candidato a um número é do partido, e não do Instituto de pesquisa.

      Mas as pesquisas apresentam nomes, pois, está claro, que até o dia das eleições as pessoas aprenderão o número.

      Mesma coisa com o apoio do Lula.

      Responder

    JC

    13 de setembro de 2018 às 12h11

    Então essa pesquisa só fará sentido quando o PT tiver certeza que 100% do eleitorado do Lula sabe que o Haddad está substituindo. Não existe informar na pesquisa. Isso é influenciar, induzir. Não estou falando que é mentira, mas essa pesquisa, por si só, monta um cenário que não sabemos se vai existir.

    Responder

      NeoTupi

      13 de setembro de 2018 às 12h36

      Toda pesquisa estimulada é induzida. Só as pesquisas espontâneas não são.
      Deixe o torcedor de lado e entenda que o objetivo de uma pesquisa é buscar aferir uma medição o mais aproximada possível do que se espera que seja a realidade de como o eleitorado votaria.
      O apoio de Lula não é um acessório, não é um adjetivo, é um FATOR decisivo que tem protagonismo nestas eleições. Ignorar esse fator é querer se enganar. É querer pintar uma realidade que não existe.

      Responder

        JC

        13 de setembro de 2018 às 16h04

        Torcedor é achar que o apoio vem automático e a informação vai chegar no ouvido da fração mais lulista, que é justamente a que tem pouco acesso aos meios de comunicação alternativo. Vai esperar quem fazer campanha do Haddad como candidato do Lula?? A Globo?
        Qual é a próxima surpresa?
        2014 tava dando a vitória da Dilma como certa até o Eduardo Campos morrer. Depois achou que dava pra domar o Eduardo Cunha e manter o Zé da justiça? Depois falamos que não ia ter golpe. Depois que a reforma trabalhista não ia passar. Depois que Lula não ia em cana. Depois que conseguiria ser candidato. Percebeu que de 2015 pra cá foram só DERROTAS! Não é porque o Lula era favorito que Haddad o será.

        Responder

    NeoTupi

    13 de setembro de 2018 às 12h26

    “Os percentuais de Bolsonaro mostrados pela Vox estão muito abaixo de todas as outras pesquisas”.
    Óbvio, as outras simplesmente não aferiram o FATOR Lula.
    Se você raciocinar como cientista político, verá a fraude intelectual dos outros institutos:
    – Tirar Lula da pesquisa, joga 40% dos votos que eram para Lula no ventilador.
    – O pesquisado não politizado vê 13 nomes na cartela (muitos desconhecidos da massa do eleitorado), e o pesquisador estimula a escolha de um. Muitos pesquisados citam o mais conhecido: infla Bolsonaro porque estava 24hs na mídia, sendo o nome mais citado, infla Alckmin, Marina e Ciro, os três com mais recall.

    Se inclui na pesquisa a informação de Haddad é apoiado por Lula, o que foi inflado em outras pesquisas desaparece.

    Note que Ciro até é quem menos perdeu votos na Vox Populi, mesmo com o fator “Haddad apoiado Lula” informado. Ele está com pontos muito próximos do que tem nas outras pesquisas dentro da margem de erro. Se fosse para manipular a pesquisa, porque não baixar mais Ciro, em vez de Alckmin e Marina? Na realidade a pesquisa é boa para Ciro, pois o coloca a apenas 8 pontos de Bolsonaro, o que abre uma janela de oportunidade para Ciro ir ao segundo turno pelo centro-direita e Haddad pela centro-esquerda.

    E qual a vantagem na Vox mentir sobre Bolsonaro para parecer inverossímil? Se mostrasse Bozo na faixa de 25% a pesquisa ainda seria espetacular para Haddad. Pois estaria consolidado em 2o. e em empate técnico, com o adversário ideal a ser enfrentado no 2o. turno (pela alta rejeição do Bozo, que perde em 2o. turno para qualquer um).

    Responder

      Marcelo

      13 de setembro de 2018 às 12h38

      Creio que o JC já explicou a situação. O nome de Haddad não está vinculado de Lula para a maioria da população ainda. Só 40% sabem que Haddad é candidato de Lula de acordo com o Datafolha. Por isso a pesquisa não é fidedigna em captar o momento.

      Essa pesquisa parte do pressuposto de que 100% estará ciente disso até o dia 07 de outubro, pois já informa que Haddad é candidato de Lula. Mas vincular os dois é tarefa do PT, e não do instituto de pesquisa. Enfim, quem garante que essa informação será transmitida para gente o bastante para botar Haddad no segundo turno até o dia 07 de outubro?

      Responder

    Alan Cepile

    13 de setembro de 2018 às 12h44

    Todas as pesquisas devem ser analisadas com critério e cada uma tem uma peculiaridade,a da CUT/VOX por ser ligada ao PT, o Ibope por ser o “Globope”, a Datafolha por obviamente ser da Folha de SP, o BTG por ser por telefone, e o Paraná pesquisas nem se fala, pra ele o presidente do Brasil atual é o Aécio…

    Tb não entendo muito essa neurose aqui no fórum a cada pesquisa.

    Responder

      Dulce

      13 de setembro de 2018 às 13h23

      A neurose é justamente pq não vimos em nenhuma das outras pesquisas no Cafezinho uma introdução assim:

      “A pesquisa do Datafolha/Ibope/Paraná pesquisas, com todo respeito, força um pouco a barra ao induzir o eleitor. É muito provável que Haddad cresça, por conta da migração de votos de Lula para ele,
      e uma pesquisa tem de ser paciente e não tentar esconder que a migração aconteça naturalmente, no tempo certo.

      Os percentuais de Bolsonaro mostrado por Datafolha/Ibope/Paraná pesquisas estão muito acima das pesquisas do Vox. O fato da pesquisa beneficiar o próprio partido (a Globo/Folha/Estadão é uma entidade politicamente vinculada à direita e o PSDB) que a financia também não ajuda a despertar confiança em sua imparcialidade.

      Nem todos nós gostaríamos que Bolsonaro estivesse em segundo lugar nas pesquisas, mas precisamos ter paciência, acreditar no bom senso do povo e apostar numa informação objetiva, crítica e honesta.

      O diretor da Vox Populi, Marcos Coimbra soltou outra pesquisa de intenção de voto, que já colheu informações sobre a entrada de Haddad como candidato oficial do PT.”

      Responder

        Alan Cepile

        13 de setembro de 2018 às 14h07

        Concordo que o que vc colocou faz sentido, mas há outras coisas que fazem sentido tb, o Miguel sempre foi um crítico deste instituto, então ele criticar mais uma vez está dentro do normal da linha de pensamento dele, certo?
        Outra coisa, Haddad sempre em 4º ou 5º e de repente aparece disparado em primeiro é pra desconfiar sim, normal.
        Mais uma, todos os candidatos são apresentados igualmente, menos o Haddad, que é apresentado como apoiado por Lula, isso pode sim influenciar nas respostas, seria como se ao invés do Haddad, Ciro fosse apresentado como o candidato que vai tirar seu nome do SPC, isso tb traria um peso pra ele, poderia influenciar respostas.
        Enfim, eu aguardo uma pesquisa onde todos os candidatos sejam apresentados igualmente, aí sim teremos um panorama mais confiável.

        Responder

    Miguel do Rosário

    13 de setembro de 2018 às 13h54

    Neo, pesquisa não pode induzir o entrevistado. Ponto. Estou chocado com a naturalização dessa desonestidade.

    Responder

      Serg1o Se7e

      13 de setembro de 2018 às 14h08

      É que é uma desonestidade a favor do que se deseja.
      Concordo com você, é para ficar chocado mesmo.

      Por isso sustento que nosso povo está muito bem representado – a classe política é o espelho do povo.

      Responder

      Francisco

      13 de setembro de 2018 às 15h15

      E eu fico chocado em sabê-lo torcendo para que o supremo ‘Solange Barroso’ e aquela juíza censora de Curitiba, consigam que o eleitor brasileiro que deseja votar em Lula, fique sem saber que o candidato para tanto indicado pelo mesmo, é Haddad, para que Ciro consiga ir para o segundo turno, para ser aniquilado contra o candidato golpista, seja quem for.
      Mas pode ir tirando o cavalinho da chuva pois os próprios interessados nisso, Ciro, Alckmin e Marina, estão a escancarar a realidade ao atacarem Haddad, de todas as formas entre o direto e o dissimulado, sem deixar de passarem pelo cínico, o hipócrita e o desesperado.
      Miguel, tu não é Ciro e no teu caso credibilidade tem valor e risco, o que perde-se hoje, dificilmente volta amanhã, porque não é político e menos ainda candidato.

      Responder

        Miguel do Rosário

        13 de setembro de 2018 às 15h22

        Ã, como assim? Eu não estou torcendo para nada disso. Quero um pleito honesto. E pesquisas honestas também!

        Responder

          Francisco

          13 de setembro de 2018 às 15h37

          Qual a desonestidade em informar que, no momento, o eleitor sabendo que Haddad representa Lula, 22% nele votariam?
          Inclusive para saber-se necessários esforços maiores ou menores, para informa-los, ainda mais sabendo-se que além do “Solange Barroso” e da “sabe-se quem” de Curitiba, representando os lavajateiros, uma chusma de solidários, na torcida, fazem o que podem para adiar o que não pode ser adiado, daí o desespero, quer nos candidatos, quer nas torcidas, dos atingidos pela “dança ou cavalo de pau, à beira do abismo”.

          Responder

Dulce

13 de setembro de 2018 às 11h54

Pois é, Miguel, bom mesmo é o Paraná pesquisas que não merece nenhuma ressalva.
https://www.ocafezinho.com/2014/10/08/diretor-do-instituto-parana-e-nomeado-para-estatal-tucana/

Responder

Jonathan

13 de setembro de 2018 às 11h53

Conferir legitimidade aos outros Institutos de pesquisas que omitem uma informação relevante: Lula é Haddad, é temerário. O Vox foi o primeiro a dar Lula com 40% de intenções de voto. Algo que Ibope e datafalha só o reconheceram em agosto. E a pergunta do Tijolaço persiste: por que dar credibilidade somente a institutos de pesquisa patrocinados pelos bancos?

Responder

Alan Cepile

13 de setembro de 2018 às 11h48

Pessoal, sejamos razoáveis, quem decide se a pesquisa serve ou não é o nosso discernimento e não o veículo de informação, acredito que o dever do Cafezinho, bem como qualquer outra agência de notícia, é publicar tudo, o problema é que o brasileiro se acostumou, por décadas, com o adestramento da Globo, que já faz a avaliação e apresenta tudo prontinho exatamente como o gado deve assimilar, aí quando o Cafezinho transfere a responsabilidade da avaliação da notícia ao seu leitor, que é algo óbvio e como sempre deveria ter sido, o leitor reclama…

Responder

Lindolfo

13 de setembro de 2018 às 11h35

Vc está a caminho de rasgar a tanga que nem o Gabeira. Kkkk

O Cafezinho ficou amargo. Perdeu a vergonha e a parcialidade.

Vai acabar…kkkk…virou HATER do garganta do Ceará.

Eh óbvio que Ibope e Datafolha sustentam Ciro..kkkkk

Lula não transfere votos. Kkkk

Não eh a Globo e a midia que sao parciais eh a CUT.

HADDAD já é o presidente. Kkkk

Responder

    Daisy

    13 de setembro de 2018 às 12h24

    Assino embaixo!

    Responder

    Paulo

    13 de setembro de 2018 às 13h06

    kkk… kkkkk….kkkk…kkkk….kkkk
    Vc é um gênio.

    Responder

Edsant

13 de setembro de 2018 às 11h33

“PS. Aos que duvidam de pesquisas contratadas por uma central sindical, uma pergunta: por que confiam nas dos bancos?”

Responder

    Daisy

    13 de setembro de 2018 às 12h26

    Os Ciriatas fanáticos só confiam na que Ciro esta na frente.

    Responder

    Paulo

    13 de setembro de 2018 às 13h08

    Pq as dos bancos são imparciais, caso contrário Meirelles teria 80% nestas pesquisas, mas em todas não passa de 3%.

    Responder

Serg1o Se7e

13 de setembro de 2018 às 11h31

Eu tenho algumas considerações, Miguel:

– onde está o registro da pesquisa no TSE?
– o TSE proibiu a divulgação da pesquisa
– os percentuais somam 101%
– o dono da VOX é investigado pela PF e colunista da Carta Capital
– encomendado pela CUT
– é a ÚNICA que mostra números diferentes de todas as outras

Miguel, dessa vez o artigo poderia ter sido engavetado…. lamentável.

Responder

Pacheco

13 de setembro de 2018 às 11h25

Assim como não levei a serio a pesquisa do mercado financeiro que dava 30% para Bolsonaro tambem não vou levar a serio uma pesquisa da CUT. Não tem nenhum sentido isso

Responder

Alexandre Neres

13 de setembro de 2018 às 11h20

Não há como desvincular as análises do Miguel da sua torcida, com todo o respeito. Critica contundentemente o Vox Populi, mas é generoso com o Instituto Paraná, fazendo umas ressalvas suaves. Qual dos dois é mais tradicional, respeitado e confiável? Tudo bem, reconheço que a grande mídia ultimamente bate mais no Vox Populi, diz que é ligado ao PT e à CUT. O Datafolha e o Ibope são isentos, não estão vinculados a ninguém que tenha interesses pessoais e corporativos nos resultados das pesquisas, tampouco induzem o eleitor. O Ibope recentemente fez algo similar ao caso Proconsult que tentou tirar na mão grande a eleição do saudoso Brizola para o governo do Rio. Autocensurou uma pesquisa, o que nem o próprio judiciário o fez. Antigamente, era o Estado que promovia a censura, atualmente são a imprensa e seus institutos de pesquisa de estimação que censuram os candidatos que elas abominam, escondendo os resultados das pesquisas para não mostrar o que temem. Pesquisas da XP/Ipespe e do BTG/Pactual são comentadas em minúcias, quando convém, ao passo que resultado do Ibope quando Ciro oscila para baixo merece uma pequena referência. Será que o destempero de certos candidatos a despeito de seus apoiadores terem sinalizado em sentido contrário querem dizer algo?

Responder

Dulce

13 de setembro de 2018 às 11h09

A pesquisa do Datafolha/Ibope/Paraná pesquisas, com todo respeito, força um pouco a barra ao induzir o eleitor. É muito provável que Haddad cresça, por conta da migração de votos de Lula para ele,
e uma pesquisa tem de ser paciente e não tentar esconder que a migração aconteça naturalmente, no tempo certo.

Os percentuais de Bolsonaro mostrado por Datafolha/Ibope/Paraná pesquisas estão muito acima das pesquisas do Vox. O fato da pesquisa beneficiar o próprio partido (a Globo/Folha/Estadão é uma entidade politicamente vincula à direita e o PSDB) que a financia também não ajuda a despertar confiança em sua imparcialidade.

Nem todos nós gostaríamos que Bolsonaro estivesse em segundo lugar nas pesquisas, mas precisamos ter paciência, acreditar no bom senso do povo e apostar numa informação objetiva, crítica e honesta.

O diretor da Vox Populi, Marcos Coimbra soltou outra pesquisa de intenção de voto, que já colheu informações sobre a entrada de Haddad como candidato oficial do PT.

Responder

    Nilton Vasques

    13 de setembro de 2018 às 11h25

    Muita criativa haha!

    Responder

Justiceiro

13 de setembro de 2018 às 11h08

Miguel, gostei da manchete: CUT/VOX PÕE HADDAD À FRENTE DE BOLSONARO.

Cut botou Addad à frente.

O que causa espanto é o tamanho dos números do poste: SÓ 22%???????

Responder

Adam Smith Comuna

13 de setembro de 2018 às 10h57

Falou que é o candidato da Dilma também?

Responder

    Daisy

    13 de setembro de 2018 às 18h05

    A Dilma lidera para o senado em Minas Gerais, ela é vítima do golpe, seria bom também dizer Ciro é filho politico de Tasso Jereissati um coronel de direita.

    Responder

JC

13 de setembro de 2018 às 10h54

No campo popular teria voto pros dois, Ciro e Haddad, se não houvesse a busca pela hegemonia. Agora é rezar pro bolsonaro perder pro Haddad, que já começa fragilizado simplesmente por ser do PT, alvo principal de toda a velha imprensa e os ataques que certamente sofrerá dos meganhas do judiciário

Responder

Virgilio

13 de setembro de 2018 às 10h51

Caro Miguel, vc se tornou um cirista militante! Todas as outras pesquisas, inclusive aquelas por telefone que não representam a população brasileira, vc apresenta sem quaisquer questionamento quanto à metodologia. Mas esta, que mostra um resultado que vc não deseja, vc começa logo desqualificando e como se a Voz manipulasse os dados por ser encomendada pela Cut! Pelo amor de Deus! Reflita um pouco sobre essa sua militância. Parece sofrer em ter que reconhecer que a transferencia de votos de Lula para Hadadd vai acontecer! isto é só o começo. Daqui para frente, cada vez mais, Hadadd, que tem luz própria e méritos inquestionáveis, será conhecido como a voz de Lula. Aguardemos outubro. Há esperança no horizonte do Brasil!

Responder

    Alan Cepile

    13 de setembro de 2018 às 11h00

    Vale dizer que o Miguel sempre foi um crítico das pesquisas CUT/VOX e não somente agora.

    Responder

    Justiceiro

    13 de setembro de 2018 às 11h03

    ‘[…] como se a voz manipulasse os dados…[…].

    HUAHUAHUAHUAHUSHUA

    A gente se diverte vendo que ainda tem gente(?) que acredita nesse instituto.

    Ontem, Leonardo Attuch já dava que Addad assumiria a liderança. A pesquisa só foi publicada hoje mas ele já sabia. A cut também já sabia. Quem aprovou os números antes de serem publicados foi a gleisi.

    HUAHUAHUAHUAHUAHUA.

    Responder

Obiwan

13 de setembro de 2018 às 10h50

Risível. PT fala tanto da globo e Mídia golpista sobre fake news. Usa o mesmo expediente. Miguel tem razão.

Responder

degas

13 de setembro de 2018 às 10h48

As pesquisas do instituto cujo diretor escreve artigos contra o “golpe” são tão sérias que há muitos anos deixaram de ser divulgadas fora do universo abertamente petista. Mas neste caso há uma desonestidade adicional, que é informar ao eleitor que Adad é o candidato de Lula.

Mesmo que não tivessem outros problemas, os números só seriam válidos SE o conjunto dos eleitores fosse adequadamente informado de que adad é o messias de deuslula, algo que depende da eficiência da propaganda petista e pode simplesmente não acontecer.

O entrevistador deveria perguntar em quem o eleitor vota. E se este não escolher Adad porque não o aprecia ou porque não sabe que ele é o ungido do condenado, isso não deveria ser seu problema. Mas na Vox Populi, que é um instrumento de propaganda petista, é natural que tudo se confunda.

Responder

Luiz

13 de setembro de 2018 às 10h46

Só para registrar antes que alguém venha com mimimi, o Vox Populi foi o primeiro instituto a mostrar a Dilma na frente do Serra em 2010, o primeiro a detectar a queda da Marina em 2014 e ultrapassagem pelo Aécio, e também foi o primeiro a pegar a virada da Dilma no segundo turno!

Responder

    Dulce

    13 de setembro de 2018 às 10h51

    E tb foi o 1° a mostrar lula com 40%, enquanto os outros institutos ainda insistiam nos 30%.

    Responder

    Daisy

    13 de setembro de 2018 às 12h35

    Ele confia na Paraná Pesquisas que Aécio estava muito na frente da Dilma.

    Responder

Nilson Moura Messias

13 de setembro de 2018 às 10h36

O óbvio sempre aparece…

Responder

Fabio

13 de setembro de 2018 às 10h33

De todas as pesquisas a mais realista é essa do Vox.
Haddad deve sim ser anunciado como o candidato do Lula, tem que ser uma pesquisa clara, sem misterios, sem esconder.
Voto 13.

Responder

    Daisy

    13 de setembro de 2018 às 18h15

    Concordo plenamente!

    Responder

Deixe uma resposta

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com