Bahia: Refinaria privatizada provoca desabastecimento de Gás de Cozinha

OEA: Uso de whatsapp para espalhar fake news não tem precedentes na história

Por Miguel do Rosário

25 de outubro de 2018 : 13h21

Na CBN:

Quem denuncia é a chefe da equipe de observadores da OEA e ex-presidente da Costa Rica, Laura Chinchilla, sobre o cenário eleitoral brasileiro. Ela destacou que, pela primeira numa democracia, o aplicativo está sendo usado com este fim. A missão da OEA, que está no Brasil para acompanhar o processo eleitoral, se reuniu nesta quinta-feira com o candidato do PT ao Planalto, Fernando Haddad.

Ouça a entrevista:

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Emilly

26 de outubro de 2018 às 19h26

Gostaria de saber qual ou quais pesquisas / dados a Sra. Chinchilla utilizou para fazer sua declaração.
De acordo com pesquisa do Ibope, “73% dos eleitores entrevistados não receberam mensagens no WhatsApp sobre candidatos na semana do primeiro turno. Entre os 25% que receberam mensagens, 75% dizem que isso não ajudou a definir o voto.”
Além do mais, como ela mesma disse, o WhatsApp é uma rede privada. Atuar como? Censura??!??

Responder

darcy

26 de outubro de 2018 às 11h08

Uma eleição feita de ódio inexplicável. Se o PT está cumprindo rigorosamente a lei: seu líder máximo está preso, seus tesoureiros, marqueteiros, etc. também cumprindo penas, seus outros nomes de ponta Dirceu, Genoíno, idem. Por que esse ódio residual? Se os “corruptos” do PT estão cumprindo pena, pressupõe-se que os que restam para liderar o partido estão acima de qualquer suspeita, e ainda mais devem ser a fina flor, pois passaram por um crivo que nunca nenhum partido passou. Haddad é um desses. Os eleitores que votarão em bostanazi somente por ódio ao PT deveriam pensar seriamente nisso..

Responder

    Paulo

    26 de outubro de 2018 às 23h26

    Darcy, se os principais nomes de um Partido estão presos ou sendo processados, “pressupõe-se que os que restam para comandar o Partido estão acima de qualquer suspeita”? Não, amigo, as suspeitas continuam, inclusive porque o Partido não fez o “mea culpa”. E, enquanto Lula viver, não fará…

    Responder

Edgar

26 de outubro de 2018 às 10h26

Tem até militar espalhando fake news pelas redes sociais.
É um poço sem fundo contra a democracia, contra a humanidade.
#guerrahíbrida #psyops

Responder

Tamosai

26 de outubro de 2018 às 03h48

Foi realmente um recorde de fake news, e muitos infelizmente têm o Whatsup como oráculo. Um oráculo burro, alienante, distorcido e manipulador.
No entanto, é perceptível que Haddad está ganhando terreno rapidamente.
Muitas pessoas votaram baseadas em mitos, historinhas do boi tatá, factoides, sem um mínimo de consciência das consequências. À medida que o debate prossegue e aumenta, as pessoas percebem o risco grave que é o Coiso e isso explica o rápido crescimento do Haddad nas pesquisas. Nas ruas do Rio escuta-se cada vez mais o “vai virar” e isso é uma indicação boa do que está por vir.
Conclamo a todos que querem a democracia no Brasil a lutar para conscientizar mais pessoas e a convencer os que querem votar nulo das consequências disso.
Vamos que vamos! Vai virar!
Haddad 13.

Responder

Deixe um comentário