Boulos no programa de Maurício Meirelles

Camilo Santana disse que "tomou decisão difícil". (Foto: Adriano Paiva/Arquivo/Tribuna do Ceará)

A entrevista de Camilo Santana à Tribuna Bandnews

Por Redação

10 de janeiro de 2019 : 13h03

No site da Tribuna Bandnews

Camilo critica “omissão” do PT na segurança durante gestões no Governo Federal

Para o governador, a crise vivida no Ceará é um problema nacional, que não foi trabalhado da forma ideal por todas as últimas gestões do Governo Federal

Por Jéssica Welma, em Segurança Pública

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), em entrevista à Tribuna BandNews FM, nesta quarta-feira (9), reafirmou a decisão de enfrentar o crime organizado no Ceará e criticou a “omissão” do Governo Federal na segurança pública nas gestões passadas, incluindo as de seu próprio partido, que governou de 2003 a 2010, com Lula, e de 2011 a 2016, com Dilma Rousseff.

“O Brasil foi dominado por facções criminosas por omissão dos governos. Até o governo que foi presidido pelo meu partido foi omisso”, reconheceu o governador, apontando que o Ceará atravessa os reflexos de um problema nacional.

Questionado se o Governo está surpreso pela extensão da onda de terror que atinge o Ceará desde o dia 2 de janeiro, Camilo entende que os ataques são uma reação aos atos de sua gestão nos primeiros dias de 2019.

“É uma ação dura, é uma problemática em todos os estados brasileiros. Tomamos a decisão de enfrentar. É um momento difícil para garantir, a médio e longo prazo, um futuro melhor para o Estado”, afirmou o governador, que contou nos últimos dias com ajuda do governo de Jair Bolsonaro (PSL).

Camilo reafirmou o diálogo com o Governo Federal e o apoio no envio de tropas, na garantia de vagas nos presídios federais e no contato com o ministro da Justiça, Sergio Moro. “É momento de união, independentemente de partido”.

O governador é enfático ao dizer que a crise na segurança é um problema nacional. “O que posso garantir à população é que não vamos abrir mão de endurecer e ser duro contra o crime. O Estado precisa mostrar que quem manda é o Estado, não tem recuo nesse sentido. Isso precisa ser feito no Brasil inteiro”.

Prisões

Camilo destacou que 215 pessoas já foram presas por participação nos ataques criminosos que assolam o Ceará há 8 dias. Também foram feitas 21 transferências de presos para presídios federais, ação que deve se estender a outros líderes de facções. O governador frisou que os ataques estão “em declínio”.

“O Ceará se preparou”, afirmou o petista, elencando aumento de agentes da segurança pública, investimentos em equipamentos e em tecnologia, em inteligência e reestruturação do comando do sistema penitenciário.

O governador se esquivou de avaliar a manutenção da divisão de presos por facções nos presídios. Teria sido declaração do novo secretário da Administração Penitenciária, Mauro Albuquerque, de que acabaria com a separação, o estopim da onda de terror. Ainda assim, ele reafirmou que vai endurecer as ações e fez elogios ao secretário.

“Essa é uma decisão que tomei. Fiz uma reestruturação no governo, criei uma secretaria exclusivamente (para o sistema penitenciário), chamei o que há de melhor para comandar essa secretaria, que é o secretário Luís Mauro, que tem experiência, conhece o sistema, sabe o que fazer para colocar a ordem e a disciplina dentro dos presídios. Essa foi minha decisão e teve a consequência disso. Meu maior sofrimento aqui é saber as angústias que a população está sofrendo”, disse Camilo.

Confira a entrevista com Camilo Santana, nos últimos 13 minutos de transmissão:

AO VIVO – TRIBUNA BANDNEWS FM – 09/01/2019

TRIBUNA BANDNEWS PRIMEIRA EDIÇÃO – Acompanhe as principais notícias do dia com Nonato Albuquerque e Ariane Cajazeiras.

Posted by Tribuna Bandnews FM on Wednesday, January 9, 2019

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »
x
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com