STF discute prisão em 2ª instância

Gleisi, Haddad e Manuela registram a candidatura de Lula. (Foto: Divulgação/TSE)

Novo Datafolha sobre prisão de Lula ajuda a entender eleição de Bolsonaro

Por Miguel do Rosário

08 de julho de 2019 : 21h04

Compilamos e organizamos os números do Datafolha para um tema estratégico da política brasileira: a posição da opinião pública em relação à prisão de Lula.

Não se entende o Brasil de hoje, nem o processo político que levou à eleição de Bolsonaro, sem examinar como os brasileiros vêem a prisão do ex-presidente.

Fizemos a comparação da primeira pesquisa feita pelo instituto sobre o tema, em abril de 2018, com os números mais recentes, divulgados neste fim de semana.

A tabela segue abaixo. Dê uma olhada. Voltamos em seguida.

 

Os números mostram um quadro estagnado, com ligeiro aumento da polarização. Em abril do ano passado, havia 6% de indecisos em relação a Lula; hoje temos apenas 4%. 

Estes 54% que acham “justa” a prisão de Lula é o núcleo do antipetismo, mas não só, visto que é provável que haja antipetismo também entre aqueles que não consideram justa sua prisão.

Explicando melhor: quem acha que a prisão de Lula é justa é, necessariamente, antipetista, ainda mais após tantas campanhas e informações que denunciam a fragilidade da sentença de Sergio Moro que condenou o ex-presidente.

Entretanto, quem considera injusta a sua prisão, não é, necessariamente, simpatizante do ex-presidente.

Esses números confirmam o erro da candidatura Lula em 2018. Um cidadão condenado e preso, com 54% da população apoiando sua prisão, não é, obviamente, um  bom candidato à presidência da república.

O quadro piora muito, todavia, quando se analisa a estratificação dos números.

Entre brasileiros com ensino médio, que formam o grupo mais expressivo (e obviamente mais influente também, porque são as pessoas com um mínimo de instrução) do eleitorado brasileiro, 57% consideram que a prisão de Lula é justa. Este número se manteve firme de abril de 2018 até hoje.

Entre brasileiros que ganham entre 2 e 5 salários, que formam o segundo maior grupo social do país, encostado, em percentual da população, no grupo de renda imediatamente abaixo, o apoio à prisão de Lula salta para 63%, um percentual que também se manteve estável de abril de 2018 a julho deste ano. 

Entre os brasileiros mais pobres, com renda familiar até 2 salários, ainda temos uma maioria de “prisão justa 44% X 51% prisão injusta” em favor de Lula; esses números são claramente puxados pelo nordeste, em particular pelas cidades pequenas da região.

Nas grandes cidades, com maior de 500 mil habitantes, 58% são a favor da prisão de Lula.

Nas cidades médias, com 200 a 500 mil habitantes, a situação de Lula se deteriorou sensivelmente: 62% são a favor da prisão de Lula (oscilação de 2 pontos para cima em relação ao ano passado) e 32% são contra sua prisão (oscilação de 3 pontos para baixo).

A situação de Lula experimentou melhora sensível apenas entre alguns segmentos mais ricos da população, onde a rejeição ao petista, contudo, permanece extremamente alta. Por exemplo, entre brasileiros com renda familiar de 5 a 10 salários, o percentual que acha injusta a prisão de Lula saltou de 25% para 36%, o que foi o aumento mais expressivo da tabela; mas o percentual, neste mesmo segmento, que acha justa a sua prisão continua muito alto, 62%, apesar de ter caído bastante (era 73% em abril do ano passado).

Entre os que ganham mais de 10 salários, o percentual de apoio à prisão de Lula também caiu, de 71% para 67%…

A situação de Lula melhorou também entre brasileiros com ensino superior: hoje 62% deste segmento apoia sua prisão, contra 71% em abril de  2018.

Nas regiões metropolitanas e capitais, 57% são favoráveis à prisão de Lula.

O percentual de mulheres que apoiam a prisão de Lula oscilou dois pontos para cima, 52%; contra 44% de mulheres que consideram injusta sua prisão.

Na análise por região, o Nordeste continua sendo o bastião de Lula, mas ele perdeu pontos na região, e não foi pouco: em abril de 2018, apenas 32% dos nordestinos consideravam justa a sua prisão, número que saltou para 39% hoje; já os que consideram injusta sua prisão, que eram 61% no ano passado, agora são 56%.

No Sudeste, região mais populosa do país, a situação de Lula até melhorou, mas o placar ainda é muito ruim para o ex-presidente: Justa 61% X 35% Injusta.

Como um político imagina, de dentro da cadeia, ser possível ganhar uma eleição presidencial ou governar um país com mais de 60% do Sudeste considerando a sua prisão como justa?

No Sul, 63% acham justa sua prisão, contra 33% que acham injusta.

Bolsonaro não ganhou à tôa.

Com Lula sofrendo uma rejeição tão alta, ontem e hoje, o fantasma de sua possível eleição empurrou milhões de brasileiros na direção daquele que representava exatamente o oposto do petista.

Foi, portanto, uma decisão irresponsável. Se o PT não admitia entregar a cabeça de chapa para outro partido, então que escolhesse, desde o início, um candidato da própria legenda, e fizesse um trabalho inteligente para reduzir a rejeição.

Os números do Datafolha mostram ainda que não é inteligente, à esquerda e à oposição, centralizar sua narrativa na campanha pela liberdade de Lula. Não é inteligente inclusive para o processo jurídico de Lula,  que acaba sendo politicamente sobrecarregado, gerando enorme pressão sobre o judiciário para que Lula fique preso.

Eu acho que os processos de Lula, não apenas esse do triplex, mas todos eles, são viciados, e deveriam ser todos anulados, e o ex-presidente deveria ser posto em liberdade.

A melhor maneira de conquistar isso, porém, seria investir mais em inteligência, no desenvolvimento de livros, revistas, e ensaios jurídicos sólidos, publicados com o mais alto rigor acadêmico e editorial, para mostrar que não se trata apenas de Lula, mas de uma questão maior de Direito; e menos em festas, caravanas, xingamento de juízes nas redes e manifestações diante de tribunais (que servem apenas para gerar ainda mais animosidade do judiciário contra o PT).

É bem possível que o trabalho de Sergio Moro como juiz de Lula seja declarado suspeito e o ex-presidente obtenha o seu habeas corpus, mas é mais possível ainda que o judiciário apresse suas outras condenações, tanto a sua terceira condenação em primeira instância, em Curitiba, quanto sua segunda condenação em segunda instância, no TRF4.

 

 

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

46 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

francisco.latorre

09 de julho de 2019 às 20h11

o Miguel.
persiste no erro né.
..
ciro. o cabotino.
tava nessa para ser o Lenin Moreno.
..
não vê quem não quer.
errou Miguel errou.
e persiste.
..
parece aquele Sérgio de Curitiba.
..
decepção cara decepção.
..
..
bloqueando os amigos cara?..
não esperava.
enfim..
..

Responder

cc

09 de julho de 2019 às 20h05

coisa mais triste é antipetismo na esquerda.
ideias por trás deste texto.
o viés de classe a defesa da classe
entre aqueles que dizem querer o bem de todos..
triste demais.

Responder

Marcelo Antunes

09 de julho de 2019 às 17h33

sim….seria a estratégia que aqui no sul chamamos de “se fazer de morto”, não dar pano para manga, “se fazer de salame”… Mas como tu mesmo diz, trata-se de um processo viciado, uma prisão sem provas cujo objetivo era impedir a eleição do Lula. No meio disso tudo um golpe perpetrado por corruptos do andar de cima… Pode até ser uma estratégia “inteligente, mas difícil de ser colocada em prática…

Responder

Francisco

09 de julho de 2019 às 14h18

O Cafezinho, cumprindo a estratégia definida, fazendo um esforço danado, dando nó em pingo d’água, e para variar o “Dono do Mundo” sentindo a fresca da mudança no ar, muda de direção a seu bel prazer e, sem ainda avisar os aliados (ou seriam súditos?) manda na Rádio Gaúcha petardo que pulveriza o esforço do artigo ‘míssil de longo alcance’, do Cafezinho, para pulverizar Lula:

“Ele condena um político, depois sai da magistratura para ser ministro do político que ganhou a eleição, porque o outro não participou. Isso faz do Brasil uma República de bananas”, disparou Ciro. “Sergio Moro é um canalha, não é nada mais, nada menos do que isso. E um dia as pessoas vão ver”, acrescentou.

E aí, Cafezinho, já viu ou vai ver, conforme vaticina egoCiro?

Responder

foo

09 de julho de 2019 às 13h44

Outra coisa:

O Ciro optou pelos cálculos políticos.

Quer surfar no antipetismo.

Tudo bem. É o direito dele.

Mas ele perdeu a chance de lutar pela liberdade do Lula antes da Vaza Jato mostrar aquilo que todos nós sabíamos.

Agora ele diz que Moro é um canalha — junto com a Veja e todo mundo.

Silenciou quando era mais importante.

Foi uma pena.

Responder

    Redação

    09 de julho de 2019 às 13h47

    Silenciou quando? Ciro sempre bateu pesado em Sergio Moro. Desde o início de tudo.

    Responder

      foo

      09 de julho de 2019 às 14h25

      Sim, preciso ser justo — ele disse que achava a sentença frágil, etc e tal.

      Mas não se empenhou pela liberdade de Lula. Ao contrário: enxergou aquela como a oportunidade de ouro para ocupar o vácuo político da esquerda.

      A estratégia do PT era clara: eleição sem Lula era (e foi) golpe.

      Boulos se comportou de maneira irretocável.

      Ciro não teve grandeza para tanto.

      Responder

      Alexandre Neres

      09 de julho de 2019 às 14h27

      Fico feliz da vida ao ver a redação se manifestar incontinente quando houve uma crítica polida ao Ciro Gomes. Nem bem foi publicada, a resposta já veio de bate-pronto. A questão me agrada porque, não raro, meus cometários ficam retidos horas e horas e aí são publicados lá atrás, enquanto a discussão já caminhou quilômetros de distância. Na entrevista da Tabata, mandei um comentário primeiro, mas outro já foi publicado antes e muitos outros virão. Fico agradecido com este tratamento todo especial que me é dispensado. Na época da ditadura isso tinha nome. Grato.

      Responder

    francisco.latorre

    09 de julho de 2019 às 20h04

    isso isso.
    totalmente.
    Ciro cabotino oportunista Ciro.
    sabe não?.
    lá no Ceará a gente que é gente não vota em Ferreira Gomes não.
    ..

    Responder

Miramar

09 de julho de 2019 às 13h29

Agradeço a todos que não lêem os textos, mas apesar disso continuam frequentando o site e assim, o ajudam a sobreviver.

Responder

    foo

    09 de julho de 2019 às 14h35

    Passei os olhos pelo texto; é mais do mesmo.

    Ele continua fazendo cálculos políticos, enquanto nós discutimos a maior fraude democrática da nossa história recente.

    Levar a candidatura de Lula até o fim permitiu revelar o golpe.

    Ele não desistiu; foi impedido.

    Responder

hamilton damato

09 de julho de 2019 às 12h29

nem li. é o tipo da matéria que quer projetar um presente sem futuro. Não entra no mérito de que, por mais de 10 anos, a imprensa criou o ódio ao PT (e eu nem petista sou) e a Lula. Uma imensa maioria de desinformados que tiveram ascenção na vida (mas não receberam informação sobre sua situação e menos ainda tiveram a oportunidade de criar uma consciência uma política (e nisso, sim, o PT teve culpa), votaram no candidato da extrema direita, um “corrupto” que lhes possibilitou a mobilidade social: compraram carros, computadores, viajaram e frequentaram shoppings e se acharam iguais aos seus chefes de escritório. Todos almejaram ser chefes de escritórios e, poupando um pouco mais, dar uma esticada em miami. Duvido que a análise do ressabiado Miguel neste artigo tenha passado por aí. Este site não passa de um escrivanhador que escreve bem, mas pensa mal e que almeja ser um dia também ele chefe de um escritório. Não será!

Responder

Marcio

09 de julho de 2019 às 09h13

E’ clara a exploraçào da pobreza e do analfabetismo por parte desse suejito imundo, um lixo humano.

As redes sociais ajudarào para que um esterco suino como esse nào apareça nunca mais no Brasil.

Responder

degas

09 de julho de 2019 às 09h09

Eu acho incrível que alguém defenda sinceramente a inocência do Molusco. Houve um assalto organizado ao país e ele era o chefe de tudo, o sujeito sem cuja ordem até hoje nada se faz na gang petista. Se só foi possível pegá-lo por um crime menor, que seja. O que importa é que a justiça está sendo feita.

Dito isso, é claro que seria melhor para ele tratar o Judiciário respeitosamente e apenas argumentar que não existiam provas ou coisa do tipo. Se Lula parecesse apenas um ex-presidente de idade que já se aposentou, não tenho dúvidas de que o coração mole do brasileiro estaria a seu favor. Com o Maluf, quase tão corrupto quanto ele, foi assim.

Só que isso não combina com a índole autoritária do PT. Tudo com eles é na petulância, na base da ameaça de que vão voltar e se vingar dos inimigos. E é por isso que eles não vão voltar e quase ninguém se preocupa se o bandido que os chefia apodrecer na cadeia.

Responder

    Marcio

    09 de julho de 2019 às 11h02

    Sào animais.

    Responder

Herbert

09 de julho de 2019 às 08h09

Miguel,
Concordo plenamente com tudo o que você falou acima. Eu ando muito em cidades da região nordeste (capitais e interiores) e hoje observo um panorama bem diferente em relação ao ex-presidente Lula e ao PT. Hoje naquela região há um número imenso de pessoas que têm um ódio profundo ao Partido dos Trabalhadores e ao ex-presidente. Aí realmente se explica tudo isso que aconteceu e vem acontecendo. Para mim, Lula não conseguirá sair tão fácil da prisão; Todos os segmentos da sociedade brasileira querem mantê-lo preso, inclusive o STF.

Responder

Maria Amazonina

09 de julho de 2019 às 07h18

O PT é infame e sórdido, além de ser enormemente truculento e velhaco (mentiroso). Essa é realidade crua.

Responder

Foo

09 de julho de 2019 às 05h37

Miguel,

Outro dia você publicou algumas análises bastante pertinentes; agora volta a chover no molhado.

Como analisar as eleições de 2018 sem considerar as condições absolutamente fora do normal em que ocorreram?

Lula foi vítima de uma armação — e a História está mostrando isso, mais rápido do que imaginávamos.

A luta de Lula foi não apenas contra uma injustiça pessoal, mas pelo Estado Democrático de Direito.

A luta pela liberdade de Lula confunde-se, hoje, com a luta pela Democracia.

Responder

    Marcio

    09 de julho de 2019 às 09h36

    Estado Democratico de Direito comprando os votos do Parlamento com dinheiro roubado da Petrobras ?

    Responder

      cid

      09 de julho de 2019 às 11h45

      Vtnc miliciano corrupto!

      Responder

        Marcio

        09 de julho de 2019 às 12h05

        Kkkk sò rindo mesmo dessa gentalha.

        Responder

      Foo

      09 de julho de 2019 às 13h34

      Mostre as provas, porque a coisa está ficando feia pro Moro.

      Ele condenou o Lula com base em “atos indeterminados”, e isso só foi aceito porque as pessoas fecharam os olhos para as ilegalidades do processo (juiz não natural, parcial, etc).

      A coisa foi tão forjada que até mesmo inimigos do Lula e do PT, como Reinaldo Azevedo e Gilmar Mendes, se viram obrigados a apontar os abusos e ilegalidades.

      E mesmo com todo isso, você continua a defender o juiz ladrão?

      Responder

        Alan C

        09 de julho de 2019 às 13h51

        Fazendo um adendo às informações do Foo, o próprio marreco conje, incompetente que só ele, confessou por escrito que o triplex não tinha relação com os contratos da Petrobrás, ou seja, além da condenação ser sobre algo que sequer existe, nem deveria estar na primeira instância.

        Conclusão: Não há absolutamente nada certo, tudo errado, mas o golpe segue, o palhaço bozo tinha que vencer e o pagamento foi o ministério da justiça.

        Responder

Ioiô de Iaiá

09 de julho de 2019 às 04h32

O seu próprio texto indica que mesmo com o desenvolvimento de livros, revistas, e ensaios jurídicos sólidos, publicados com o mais alto rigor acadêmico e editorial, para mostrar que não se trata apenas de Lula, eles vão apressar novas condenações do Lula. Numa velocidade nada comum no judiciário brasileiro. Basta observar como é o julgamento ou a ausência de julgamento de políticos de direita. Meu ponto de vista é: não se trata de falta de conhecimento jurídico. Trata-se de uma intenção de impedir que movimentos progressistas voltem ao poder. Até Haddad, Ciro e outros políticos progressistas seriam vítimas de lawfare, caso tivessem as possibilidades de vencer eleições como o Lula tinha.
Não duvido que alguns dos juízes do STF receberam ameaças de divulgação de atividades e negócios pregressos. A forma como alguns sabotam e manipulam a justiça só comporta essa explicação.

Responder

Francisco

09 de julho de 2019 às 01h30

Qualquer análise sobre o PT e sobretudo Lula, que não leve em conta o monopólio do condomínio jurídico midiático formado e atuante, há 5 anos, diuturnamente, para criminaliza-los, visando destruí-los, sem similar, sequer próximo, em toda a nossa história, não é análise, é panfleto desonesto de membro do condomínio inimigo ou de membro de ajuntamentos de rapina cínicos e ‘próximos’, querendo a destruição de quem, por competência e preferência, ocupe maior espaço e o ‘atrapalhe’ pelo caminho.
O pior inimigo é sempre o dissimulado, mais próximo.

Responder

Bolsominion Petista

09 de julho de 2019 às 01h26

Muita gente não se dá conta que a maioria da população defende direitos trabalhistas, participação do estado na economia e até defende direitos para os homossexuais. Apesar disso prefere votar em um candidato fora da sua preferência apenas por estar de saco cheio do PT. Isso significa que pode voltar a votar no PT? Sinceramente duvido. E o mais engraçado é que os petistas que tudo isso é culpa da mídia e do golpe (que houve) exclusivamente. Quer dizer, nem cogitam a ideia de cometerem erros, serem incompetentes e não terem projeto de pais. E não se atrevam a mencionar os números de inclusão social do governo Lula. Esse discurso eu já fiz em 2010.

Responder

Ioiô de Iaiá

09 de julho de 2019 às 00h50

Só faltou dizer que a rejeição não veio do nada. Foi uma campanha sórdida e orquestrada que durou vários anos, e com participação do judiciário. Qualquer candidato do PT, mas também de outros partidos de esquerda, inclusive o Ciro, seriam alvos dessa campanha, se estivessem com chances de se eleger. Acho que falta no texto a compreensão de que houve um golpe. A intenção inicial não era eleger o Bozo, ele acabou sendo a bola da vez.
Em resumo, não era o Lula, era a grande probabilidade de ele ganhar. Era o “perigo de gol”, que um juiz ladrão marca para evitar um gol.

Responder

Henrique Borges Cesconeto

09 de julho de 2019 às 00h07

Sinceramente, é Ciro 2022!

Responder

    Matteus

    09 de julho de 2019 às 02h48

    Sou do Ceará.
    Se tem uma coisa que aprendi com minha mãe foi não votar em Ciro, principalmente agora.
    Se o Ciro pode capitalizar votos em favor do antipetismo ele está no caminho errado porque irá sempre perder. Voto em qualquer outro da esquerda, mas NUNCA mais votarei em Ciro Gomes.

    Responder

      Marcio

      09 de julho de 2019 às 11h05

      Boa !!

      Responder

Roper David Mendes

08 de julho de 2019 às 23h37

Miguel, seus leitores são tarimbados o bastante para cair nessa pré campanha, aliás é legítimo o Ciro construir sua plataforma com tanta antescedencia, ele precisa sair dessa casinha de 12% , mas acredito que esta faltando ao Ciro justamente o que ele cobra do PT, autocrítica, aliás por qual motivo ele se empenharia em “consertar” o PT? Seria o Ciro o bom samaritano da política? Certeza que não! Manter o Lula preso não lhes garantirão vitória sobre o Dória e a obrigação de ganhar vai ser constrangedora! Votarei nele, mas não coaduno com essa tatica de guerrilha de vocês!

Responder

    Onfre Junqueira

    09 de julho de 2019 às 09h55

    É melhor o Coroné continuar na casinha dos 12%. Se sair dessa casinha, ele cai para uma de 5 ou 6%. Com novos atores chegando o Coroné, eterno candidato à presidência, só tende a cair !

    Responder

Marcos Videira

08 de julho de 2019 às 23h20

Inúmeros juristas e políticos respeitáveis têm afirmado que Lula só será Livre quando for restabelecido o Estado de Direito. Com um julgamento justo, Lula será reconhecido inocente.
Para recuperar o Estado de Direito há necessidade de uma força política que derrote o fascismo que hoje está no poder. A esquerda sozinha não tem essa força e isso já foi estrondosamente provado (golpe contra Dilma e prisão de Lula). Há ÚNICA saída é uma Frente Ampla que reúna TODOS os democratas (liberais, socialistas, trabalhistas, anarquistas e a pqp).
Apesar da Frente Ampla ser reconhecida como a ÚNICA forma de restabelecer o Estado Democrático de Direito, ela não se constitui por uma única razão.
O analista político Ricardo Cappelli, que participa dos bastidores da Política, afirmou para qualquer um entender que LULA só aceita a formação da Frente Ampla se ele (LULA) for o protagonista. Ou seja, tudo será em torno de Lula, sob o comando de Lula.
Depois da desastrosa estratégia eleitoral de Lula que levou Bolsonaro à vitória, os políticos do campo democrático não aceitam mais as imposições hegemônicas do PT e de Lula.
Portanto, não haverá Lula Livre porque a VAIDADE de Lula não permite.
Enquanto isso o Brasil afunda e Lula permanece na cadeia.

Responder

Alexandre Neres

08 de julho de 2019 às 23h20

Acho que se fazemos proselitismo político a favor de determinado candidato, deveríamos nos concentrar nos acertos e erros do candidato que apoiamos e não querer ficar dizendo a um candidato de um outro partido o que deveria fazer. Ser profeta do acontecido é muito fácil e nada original. Não votava no PT desde 2002 e, em face do estupro ao estado democrático de direito com a prisão do Lula, votei no Haddad. Digo isso pra não camuflar minha posição política com subterfúgio, prefiro as coisas às escâncaras. Em todos os casos em que um candidato na situação do Lula candidatou-se nas eleições, a jurisprudência em uníssono mostra que ele pôde concorrer. A Comissão da ONU requereu que Lula fosse candidato para o bem da democracia. Portanto, a não candidatura do Lula não foi um ponto fora da curva, foi um ponto fora da reta.

Quem desconhece a história condena-se a repeti-la. Lembro-me do saudoso Leonel Brizola, que, não obstante todas as farpas que trocou com o Lula, não pensou nem duas vezes em arregaçar as mangas pra apoiar o sapo barbudo, levando-se em conta que o outro candidato era o Collor, que perto do bozo era um estadista, equilibrado, sábio e com algum estofo. Depois dos ataques diuturnos da Globo, Brizola teve que amargar o seu ocaso, quando diversos mui amigos o abandonaram, feito uns e outros que têm por aí, farejando que o grande político estava perdendo seu cacife eleitoral e querendo surfar em novas ondas, afora o fato de não terem a grandeza de um Darcy Ribeiro. Vou dar nome aos bois a algumas ratazanas: Marcelo Alencar, Miro Teixeira e César Maia, que na época das vacas gordas ficavam rodeando que nem carniça e depois se escafederam.

Responder

Wenceslau

08 de julho de 2019 às 22h24

A analíse sobre o antipetismo é correta , só que Miguel ignora que o antipetismo nada mais é do que uma expressão do ódio aos pobres das classes alta e média do Brasil.
Ele será transferido para Ciro ou qualquer outro candidato de esquerda.
Até o MBL e o Reinaldo Azevedo viraram ” petralhas” , imagina o Ciro que sempre apoiou Lula.
Se der Bolsonaro e Doria , Doria será transformado num Lenin pelas milícias bolsonaristas.
Miguel quer usar o antipetismo para fortalecer Ciro , você nunca jogou xadrez né Miguel?
Tente olhar duas ou três jogadas a frente.
Se Ciro ameaçar Bolsonaro eles o transformarão num comunista radical aos olhos do eleitorado antipetista.

Responder

    Carlos Marighella

    08 de julho de 2019 às 22h37

    Muito interessante (e oportunista) essa tática de colocar Lula e Ciro juntos quando convém ao lulopetismo, que se Lula sair de cena o antipetismo vai colar em Ciro. Lamento, não vai…

    Lembra das pesquisas pré eleição que diziam que Ciro era o único a vencer qualquer candidato no segundo turno? Pois é, isso prova que o eleitorado via Lula (ou qualquer poste dele) e Ciro como dois candidatos completamente diferentes, portanto, vc colocá-los juntos oportunisticamente é somente mais um devaneio petista.

    Responder

      Wenceslau

      08 de julho de 2019 às 22h56

      Ciro vencia ANTES do primeiro turno , antes da facada até o Haddad já estava na frente.
      Bolsonaro teve uma votação bem maior do que as pesquisas lhe davam.
      Com Bolsonaro com 46% , Alckmin com 5% e Amoedo com 2% a direita já tinha vencido.
      E não sou eu quem coloco Ciro com Lula , Ciro apoiou Lula , foi ministro de Lula , disse que pegaria em armas pra libertar Lula.
      Você é ingênuo se acha que Bolsonaro não exploraria tudo isso.
      E não precisa vir com o seu nós/contra vocês , se Ciro fosse presidente hoje estaria muito feliz com isso , só que Bolsonaro ganharia de qualquer jeito , até mesmo de Lula.
      O primeiro turno deu mais de 50% para a direita e justamente graças ao antipetismo.
      Vocês se pegam em pesquisas antigas e ignoram as urnas.
      O primeiro passo é parar de culpar uns aos outros e admitir que o povo escolheu a direita.
      Assim como escolheu Haddad para representar o campo progressista no segundo turno , com o dobro e mais um pouco dos votos de Ciro.

      Responder

        Carlos Marighella

        09 de julho de 2019 às 11h27

        Colega, vc misturou tudo rsrsrs, mas vamos lá:

        “Ciro vencia ANTES do primeiro turno , antes da facada até o Haddad já estava na frente.”
        É claro que Ciro vencia antes do 1º turno, como ele não foi ao 2º não fazia sentido fazer pesquisa incluindo um candidato que já não estava mais na disputa, acho que isso é meio lógico, não?

        “antes da facada até o Haddad já estava na frente.”
        Eu me referi às pesquisas de *SEGUNDO* turno, não do primeiro.

        “E não sou eu quem coloco Ciro com Lula , Ciro apoiou Lula , foi ministro de Lula”
        No passado, inclusive pediu demissão do cargo por não concordar com os absurdos do governo petista. Vou repetir, não coloque Ciro junto com o lulopetismo para os dias atuais, as diferenças são enormes.

        “Você é ingênuo se acha que Bolsonaro não exploraria tudo isso.”
        E explorou, mas as pesquisas davam Ciro vencendo todos num possível 2º turno, não adianta vc brigar comigo, brigue com o Ibope, Datafolha, Vox e etc, foram eles que aformaram isso, eu só estou relembrando.

        “Bolsonaro ganharia de qualquer jeito , até mesmo de Lula.”
        Vc está considerando somente os votos válidos, o que é uma análise torta se me permite dizer, pois a diferença entre os dois candidatos no 2º turno foi de 10 milhões de votos, e 43 milhões decidiram não votar em ninguém.

        “Assim como escolheu Haddad para representar o campo progressista no segundo turno , com o dobro e mais um pouco dos votos de Ciro.”
        E perdeu…..

        Responder

        Marcio

        09 de julho de 2019 às 11h37

        A eleçào de Bolsonaro jà tava certa desde o fim de 2017 e começo de 2018, nunca foi sequer em discussào.

        Responder

      Marcio

      09 de julho de 2019 às 09h40

      Quem è o imbècil fora da esquerdalha que vota no Circo Gomes….??

      Dà vontade de riri sò olhando a cara dele…um minimo de seriedade.

      Responder

        Carlos Marighella

        09 de julho de 2019 às 10h11

        A resposta está no meu comentário.

        Responder

Alan C

08 de julho de 2019 às 22h04

Miguel, prepare-se para uma choradeira petista sem fim…

Responder

    Ioiô de Iaiá

    09 de julho de 2019 às 00h53

    Que tal debater em nível mais alto? Ou já desqualifica antecipadamente argumentos diferentes ou contrários?

    Responder

      Alan C

      09 de julho de 2019 às 07h43

      Não, desqualifico apenas a petezada xiita, se vc não é um deles, parabéns.

      Responder

        Francisco

        09 de julho de 2019 às 13h07

        E você, é o que?
        Ciroxaropado sunita ou marciriano da nova safra desde a primeira na ex-Arena, então PDS, há quarenta anos?

        Responder

    Tiago

    09 de julho de 2019 às 07h12

    O que não entendem é que a direita cometeria golpes em qualquer um relevante que pudesse atrapalhar os seus planos de Entreguismo e Liquidação do Brasil (inclusive para sanar a ganância de interesses estrangeiros). Atropelaram o direito para tirarem o Lula do processo eleitoral e ainda usaram de todos os meios (inclusive a criação de factóides via MPF ou de FakeNews) para tentarem influenciar no processo eleitoral em desfavor da maioria e para ampliar as desigualdades de uma minoria. Ocorreu esse processo com Getúlio, JK, Jango, Lula em 1989 e agora com Dilma e Lula após a descoberta do Pré-Sal (e mais especificamente após as eleições de 2014). Esse processo de manipulação golpista aconteceria com qualquer um que tivesse um programa que afrontasse a ganância do Mercado ou dos interesses estrangeiros em terem um desgoverno FHC 3.0 (o que ocorre no parlamentarismo de fato do desgoverno Temer e, em sua continuação mais perversa e eleitoreira, no desgoverno Bozo). Esse processo todo aconteceria com Ciro, Manuela, Boulos ou qualquer um que tivesse chances de ganhar uma eleição. O PT/Lula tem um patamar eleitoral conquistado ao longo da história recente de 30% e o Bozo quer consolidar outros 30%… E isso o fazem buscar sempre quererem ser candidatos, pois conseguiriam chegar em um segundo turno (apesar da deficiência estrutural do partido PSL que é contrabalançado pela influência muitas vezes ilegal do poder econômico e da força em mídias sociais da direita). A esquerda tem que refletir e ter ações mais coordenadas, mas atomizadas ela não conseguirá contrapor as mesmas forças golpistas que ocorrem desde a República Velha. Pense nisso.

    Responder

Deixe uma resposta