Live do Cafezinho: bate papo com o cineasta cearense Wolney Oliveira

Advogado Antonio Augusto Figueiredo Basto

MPF denuncia advogado especialista em delações da Lava Jato

Por Redação

21 de janeiro de 2020 : 18h30

O advogado Antônio Augusto Lopes Figueiredo Basto foi uma das principais estrelas da Lava Jato, ao se tornar advogado de inúmeros réus da operação, mas sempre em casos envolvendo delação premiada. Começou com Alberto Yousseff, e depois assumiu a defesa de Ricardo Pessoa. A delação destes dois forneceu a base teórica para as principais narrativas da Lava Jato. Basto também foi o advogado de Delcídio Amaral.

Sempre que a Lava Jato surgia na mídia com uma grande delação bombástica, produzindo uma bomba com grandes efeitos políticos, lá estava Basto.

As delações nas quais ele era o intermediário entre os réus e a Lava Jato eram sempre muito afinadas com a movimentação política em torno da campanha para enfraquecer e desestabilizar o governo.

Basto sempre foi um entusiasta da Lava Jato e de Sergio Moro.

Hoje é denunciado por evasão de divisas pela própria… Lava Jato.

***

No MPF

Lava Jato/RJ: MPF denuncia advogados e doleiros por evasão de divisas

Antônio Augusto Lopes Figueiredo Basto, Luis Gustavo Rodrigues Flores e Marco Cursini operaram com “doleiro dos doleiros” em rede paralela para movimentação de ativos financeiros

A Força-Tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro denunciou Dário Messer, conhecido como “doleiro dos doleiros”, juntamente Marco Antônio Cursini e os advogados Antônio Augusto Lopes Figueiredo Basto e Luis Gustavo Flores por evasão de divisas nas chamadas operações “dólar-cabo”. O esquema valia-se de rede paralela para movimentação ilícita de ativos financeiros.

Os atos de evasão de divisas foram realizadas pelos sócios Antônio Figueiredo Basto e Luis Gustavo Flores, que promoveram, de dezembro de 2008 a outubro de 2012, em co-autoria com Marco Antônio Cursini, a saída de divisas para o exterior no valor total equivalente a USD 2.528.212,55 (valor correspondente a mais de R$ 10,5 milhões pelo câmbio atual). As operações ocorreram sem autorização legal, por meio da realização de 32 operações conhecidas como dólar-cabo. Também houve operações ilegais em francos suíços e em euros.

Ao todo, somam-se 35 atos de evasão de divisas, por meio de transferências bancárias, provenientes de diversas contas, de diferentes titularidades, para contas em banco no exterior, em nome de offshore denominada Big Pluto Universal S.A., por sua vez ligada a contas sob controle de Figueiredo Basto e Luis Gustavo Flores. Segundo a denúncia, houve a participação de Dário Messer em ao menos sete dessas operações .

Além disso, entre 2016 e 2017, ocorreram operações inversas, em que Figueiredo Basto e Luis Gustavo Flores, em co-autoria com Marco Antônio Cursini, venderam dólares para contrapartes que enviaram ilegalmente divisas para o exterior. Tais operações são chamadas de dólar-cabo invertido. Ao todo, através de oito operações de dólar-cabo invertido, foi possível promover a saída ilegal para o exterior de divisas no equivalente a USD 3.527.172,52 (valor correspondente a quase R$ 15 milhões, pelo câmbio atual). Dário Messer teria participado de, pelo menos, três dessas operações.

Na denúncia, Figueiredo Basto e Luis Gustavo Flores ainda são acusados de manter, por diversos anos seguidos, contas no exterior não declaradas às autoridades competentes.

Confira aqui a íntegra da denúncia.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

6 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

carlos

26 de janeiro de 2020 às 12h59

Agora eu começo a me preocupar com a face do Sérgio Moro e cia pois ele dirigia as delaçoes, e aonde estava o Conselho superior de justiça?

Responder

Sebastião

22 de janeiro de 2020 às 08h32

Ele vai delatar a Lava-Jato?

Responder

Andressa

21 de janeiro de 2020 às 18h36

Advogado de Youssef, doleiro do PeTeolao e Delcidio Amaral lider no senado do PT…Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Responder

    Wellington

    21 de janeiro de 2020 às 18h40

    Cerverò, Lula, Vaccari Neto, Genoino, Palocci, Dirceu, Mantega…è GOPI, a culpa é dos Estados Unidos !! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Responder

    Votin Rabah

    21 de janeiro de 2020 às 19h09

    O líder do PT era o Jucá Grande Acordo Nacional..kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Responder

      Wellington

      21 de janeiro de 2020 às 20h16

      A culpa não é minha eu votei no Jucá….kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Responder

Deixe uma resposta