Live do Cafezinho (18 h): Pós-verdade na política brasileira (uma conversa com Fabio Palacio)

Altman X Cappelli: o debate sobre a frente ampla

Por Redação

07 de julho de 2020 : 09h05

Ontem aconteceu um debate, organizado pelo ex-senador Lindbergh Farias, sobre a Frente Ampla, com participação de dois quadros antagônicos nessa questão: de um lado, Breno Altman, do PT, é radicalmente contra a frente ampla, que ele chama de “frente fria”; de outro, Ricardo Cappelli, do PCdoB, entusiasta da iniciativa, que tem como um de seus principais articuladores o governador Flavio Dino.

Em sua fala, Altman lembrou que não dá para comparar a iniciativa da frente ampla de hoje com as alianças do PT em 2002, porque, segundo ele, o PT então tinha “hegemonia” e toda a estratégia acontecia “sob o comando” do PT. Hoje, o PT seria um “força auxiliar” e, por isso, não lhe interessaria participar.

Cappelli rebate veementente, chamando Altman de “desonesto intelectual” porque omitia que o PT havia se aliado a liberais até seu último governo, quando nomeou Joaquim Levy para o ministério da Fazenda, e que era preciso pensar para além do PT. “Vocês moram no PT ou no Brasil?”, provocou Cappelli.

O trecho desse “arranca-rabo” pode ser visto aqui:

RICARDO CAPPELLI PAGANDO OS PECADOS EM LIVE DO PT

RICARDO CAPPELLI PAGANDO OS PECADOS EM LIVE DO PT

Publicado por Tattoo no toco em Segunda-feira, 6 de julho de 2020

A íntegra do debate pode ser vista aqui:

Debate Frente Ampla X Frente Popular

Debate Frente Ampla X Frente Popular Com Breno Altman e Ricardo Cappelli

Publicado por Lindbergh Farias em Segunda-feira, 6 de julho de 2020

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Frederico Krepe

08 de julho de 2020 às 10h54

A cara do Breno Altman nem racha para falar tanta mentira.

“Em 2002 o PT não precisou rebaixar o programa.”

O que foi a Carta aos Brasileiros então? A gestão conservadora na economia? A escolha do Meirelles? A ausência total de reformas estruturais? É brincadeira!

Responder

Alan C

07 de julho de 2020 às 13h24

Até gosto do Breno quando ele fala de história, mas como político é mais um lulopetista xiita devoto de uma histeria coletiva 247 chamada São Lula da Silva.

Responder

    Alan C

    07 de julho de 2020 às 13h42

    O comentário acima foi do texto. Agora sobre o vídeo:

    Nível lamentável de todas as partes. PT e PDT não entrarão num acordo, quem sabe lá no futuro pós 2022…

    Se o grupo do PDT/PSB não conseguir angariar o apoio do centro democrático, a porta estará escancarada para a volta da direita moderada ao poder, pq já está muito claro que cirista não vota em petista e vice-versa.

    Responder

      CezarR

      08 de julho de 2020 às 00h05

      A questão é que o PT conta com esse impasse. O raciocínio é o seguinte: se não for o PT pela esquerda, que seja a direita, até que seja o PT de novo!

      Responder

Miramar

07 de julho de 2020 às 11h32

Odeio o Breno Altman. Mas o interessante nele é que é alguém que sempre trai as estratégias petistas, divulgando para o cidadão comum qual é a maracutaia sendo tramada dessa vez.
De qualquer forma, parabéns ao Capelli. Já discordei dele algumas poucas vezes, mas chamar o Altman de “desonesto intelectual” me faz sorrir.

Responder

Deixe uma resposta