Live do Cafezinho: o caso Samuel Borelli, quando a esquerda produz fake news

Foto: reprodução.

Diante da ONU, Trump chama Coronavírus de “Chinavírus”

Por Redação

22 de setembro de 2020 : 16h22

O presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump, responsabilizou a China pelo dissemínio do que chamou de “Chinavírus” diante da assembleia geral das Nações Unidas.

Donald Trump acusou os chineses de proibirem voos com destino à China mas de permitirem voos de chineses a outros países antes da pandemia começar, o que, segundo ele, teria espalhado o vírus para o mundo.

As referências do presidente estadunidense, que disputa uma chance de se reeleger em novembro próximo, dizem respeito à pandemia de Coronavírus, cujo primeiro foco detectado foi em Wuhan, na China.

O presidente também acusou o país asiático de “virtualmente controlar” a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Ele exigiu que a Organização das Nações Unidas (ONU) “condene a China por suas ações”.

Em seu discurso, ele aproveitou ainda para acusar os chineses de poluírem o planeta com emissões de carbono e descartes de plástico e mercúrio.

“[Os chineses n]ão estão interessados no meio ambiente, apenas querem punir a América (Estados Unidos) e não aceitarei isto. Se as Nações Unidas são uma organização efetiva, deve focar nos reais problemas do mundo: terrorismo, a opressão das mulheres, trabalho compulsório, tráfico de drogas, tráfico sexual, tráfico de humanos, intolerância religiosa e o apagamento étnico de minorias religiosas”, declarou Trump.

Ele continuou afirmando que os EUA são “líderes na luta por direitos humanos” e defendendo direitos como o casamento homoafetivo e a inserção de mulheres no mercado de trabalho.

A segunda metade de seu discurso seguiu com declarações a respeito das capacidades militares dos EUA.

Citando solidariedade a venezuelanos e cubanos, o presidente norte-americano listou alguns países latinoamericanos onde os EUA estariam “lutando contra o tráfico de humanos e de drogas”.

Apesar disso, comemorou o suposto vindouro fim da guerra do Afeganistão.

Trump se definiu ainda como um “otimista” sobre o futuro do planeta e da prosperidade nas Américas, e celebrou a “revitalização da OTAN”.

A fala de Donald Trump

Em ano eleitoral, Donald Trump vem adotando a postura de “candidato da lei e da ordem”, além de sinalizar rigidez como resposta a qualquer “desafiante” que os Estados Unidos possam encontrar.

É o que ocorre quando o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, visita Roraima e enrijece o tom contra os vizinhos venezuelanos.

É também o que se manifesta quando Trump cria na China o “inimigo” responsável pela pandemia de Covid-19, cunhando o termo “Chinavírus”.

Se, para Jair Bolsonaro, a Covid-19 impactou de maneira mais negativa o Brasil por conta da atuação dos governadores, o presidente dos EUA acusa a China de exercer o papel de quem agrava a crise.

Retórica ou não, ambos botam suas nações a formalmente declararem seus posicionamentos diante do mundo.

E a principal potência ocidental responsabilizar a principal potência asiática de agravar uma pandemia global estimulando o uso do termo “chinavírus” é algumas vezes mais importante que a decisão eleitoral de novembro de 2020.

Assista, em inglês, a íntegra da fala:

(NZ)

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Paulo

22 de setembro de 2020 às 18h34

Discurso de campanha, nitidamente…

Responder

Tadeu

22 de setembro de 2020 às 18h25

Falou alguma mentira?

Responder

    Batista

    23 de setembro de 2020 às 01h35

    Nova não.

    Responder

Josafá

22 de setembro de 2020 às 18h00

Não há a mínima dúvida das responsabilidades da dupla China/OMS na propagação do vírus mundo afora.

Responder

    Mauro Morro Branco

    22 de setembro de 2020 às 22h20

    Não há a mínima dúvida de que você é apenas um inocente útil, um massa de manobra e analfabeto político. Deixa de ser idiota Jo safado !

    Responder

Deixe uma resposta