Live do Cafezino (20h): o novo surto de Bolsonaro! Convidado: Celso Rocha de Barros

Ex-secretário de Saúde afirma que vice governador do RJ participou do esquema de desvios na Saúde

Por Redação

26 de setembro de 2020 : 09h23

O ex-secretário de Saúde do estado do Rio de Janeiro, Edmar Santos, afirmou em delação premiada que o presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), André Ceciliano (PT), comunicou que uma porcentagem dos R$100 milhões disponibilizados pela Casa para o combate ao coronavírus seriam transferidos, através de um esquema, para diversas prefeituras do interior fluminense. Os municípios seriam indicados pelos parlamentares da Alerj. 

Segundo Edmar, após o esquema de transferência, o dinheiro desviado seria dividido com o ex-secretário estadual da Casa Civil, André Moura (PSC), e o vice-governador, Cláudio Castro (PSC), que assumiu o governo após o afastamento de Wilson Witzel.

O ex-titular da pasta também afirmou que esteve no gabinete de Ceciliano para conversar sobre a devolução de duodécimos da Alerj para o Tesouro Estadual. Porém, a Casa sugeriu devolver somente as sobras e Edmar disse que a decisão foi apenas uma manobra para que o esquema de desvios na Saúde durante a pandemia tivesse êxito. Confira o trecho da delação!


De acordo com reportagem do O Globo, cerca de 87 municípios receberam valores de R$1 milhão para construção de centros de triagens, mas as obras não foram iniciadas.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Hilux12

26 de setembro de 2020 às 12h10

A soluçào para o Rio de Janeiro é por fogo em tudo e começar de zero, nao tem outra.

Responder

Deixe uma resposta