Paris Café: O que esperar da classe média para 2022?

Marina aponta fragilidade política de Huck e diz que Ciro tem capacidade para ser candidato

Por Redação

27 de fevereiro de 2021 : 21h23

Atuando nos bastidores da política, a ex-senadora Marina Silva (Rede) tem sido uma das articuladoras de um setor da centro-esquerda brasileira que não passa necessariamente pelo crivo do Partido dos Trabalhadores.

Uma das fundadoras do PT, Marina teve que sair do partido em 2009 após divergir com os rumos tomados pela legenda ainda durante o segundo governo Lula.

De lá pra cá sofreu ataques do próprio PT e passou por dois partidos, PV e PSB, até conseguir tirar do papel a Rede Sustentabilidade do papel. Atualmente, Marina é uma das líderes do partido.

Analisando o cenário eleitoral, a ex-ministra afirmou que enxerga fragilidade na articulação política do apresentador Luciano Huck, possível candidato a presidência da República em 2022.

“Eu advogo a renovação da política não só no discurso, mas também dos quadros. Mas acho que ele tem alguns problemas claros a serem enfrentados. A fragilidade da articulação em torno da qual a mídia está falando que ele está, com o DEM e o PSDB. A gente ouve que há essa articulação (dele) em torno do DEM e do PSDB. O DEM na eleição da (presidência) da Câmara foi para o Bolsonaro. O PSDB tem o Doria. Tem aí um desafio muito grande. Ele (Huck) precisa refletir muito”, disse ao Estadão.

Já no seu campo, a centro-esquerda, Marina aposta no vice-presidente Nacional do PDT, Ciro Gomes, como alternativa forte para enfrentar o presidente Jair Bolsonaro em 2022.

“O Ciro Gomes tem legitimidade, competência e capacidade para se colocar, mas eu acho que ele próprio não está trabalhando com essa ideia de terceira via. Ele e todos nós buscamos a recuperação sustentável da economia brasileira, a dignidade humana, a defesa da democracia, da liberdade de expressão e das instituições. Queremos uma primeira via”

Ela também falou sobre o que considera um ‘pesadelo’ na disputa de 2022.

“O pior dos mundos é criar a velha polarização que existia, entre PT e PSDB, e deixar o tempo todo o brasileiro em terceiro. Agora seria a velha polarização, mas entre Bolsonaro e Lula ou PT. Agora é o momento de a sociedade assumir o primeiro lugar”

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Francisco

02 de março de 2021 às 14h52

E Huck ao celular, conferindo o resultado da candidata no 1º Turno de 2018 e pensando sobre as tais ‘divisões do Papa’:

8º colocado – Marina – 1.069.578 votos – 1% dos válidos, que somaram 117.364.654 votos.

Responder

Carlos Jose

28 de fevereiro de 2021 às 23h06

Essa é a mesma Marina Neves de 2014.

Responder

Douglas

28 de fevereiro de 2021 às 22h15

Essa tem moral pra falar, e pra ser o q quiser. Marina e uma grande estadista.

Responder

Miramar

28 de fevereiro de 2021 às 13h24

Marina Silva, ser humano superior, reserva moral do Brasil.

Responder

Deixe uma resposta