Paris Café: O que esperar da classe média para 2022?

O ex-presidente Lula ao deixar a prisão em Curitiba, abraçado pela namorada e por apoiadores. RODOLFO BUHRER / REUTERS

Pesquisa Ipec mostra que Lula ainda é o principal ator político da oposição

Por Miguel do Rosário

07 de março de 2021 : 12h12

A pesquisa do Ipec divulgada hoje pelo Estadão, com o potencial de votos e a rejeição dos candidatos, revela que o ex-presidente Lula ainda é o ator eleitoral mais forte do jogo. Especialmente no Nordeste.

O Ipec é o herdeiro do Ibope. Boa parte da equipe do tradicional instituto migrou para ele, mas o serviço é diferente. O Ibope divulgava os relatórios estratificados no site da empresa, geralmente alguns dias depois. O Ipec, aparentemente, não tem a mesma transparência, o que é uma pena. No Brasil, Datafolha, Ibope, Paraná Pesquisas, XP Ipespe, CNT costumavam divulgar os relatórios na íntegra. Seria muito bom que o Ipec seguisse a tradição.

Mas foram liberados alguns detalhes selecionados dos números estratificados que, ao menos, ajudam a entender a pesquisa.

Segundo a pesquisa, o ex-presidente ainda é o principal ator político do país, superando o próprio Bolsonaro em potencial de votos.

Lula teria 50% de potencial de voto, que soma as opções “votaria com certeza” e “poderia votar”.

Bolsonaro, em segundo lugar, tem 38% das intenções de voto.

Um outro fator curioso é a baixa rejeição do ex-presidente. Segundo a pesquisa, Lula é o candidato com menor rejeição entre todos os analisados: apenas 44% disseram que “não votariam de jeito nenhum” no ex-presidente.

A rejeição dos outros candidatos, por sua vez, está, em média, dez pontos mais alta. Bolsonaro, por exemplo, tem rejeição de 56%. Huck tem rejeição de 57%, Haddad de 52%, Ciro 53%, Marina Silva 59%.

Esses números de rejeição são curiosos, porque é difícil imaginar porque o eleitor teria mais rejeição a Huck e Marina do que a Bolsonaro ou Lula, que são muito mais conhecidos.

Um outro número curioso é que, segundo a pesquisa, 21% responderam que não conhecem Haddad (ou que não sabem), quase mesmo número de Marina, apesar de Haddad ter disputado o segundo turno em 2022.

Esse grau de conhecimento acaba gerando uma confusão nas interpretações, porque beneficia os mais conhecidos. Apenas 6% disseram que não conhecem Lula ou Bolsonaro, ou não souberam responder; outros candidatos são muito mais desconhecidos.

Essa não é uma pesquisa de intenção de voto, porque o entrevistado não é confrontado por um leque variado de candidatos, como o será na urna.

Nos dados estratificados, um ponto que chama a atenção é a força do ex-presidente Lula no Nordeste e entre os mais pobres. Segundo a pesquisa, 71% dos entrevistados do Nordeste responderam que poderiam votar ou votariam com certeza em Lula. Entre os eleitores com renda até 1 salário, este percentual pró-Lula foi de 63%.

Haddad e Ciro tem sua força principalmente entre eleitores com nível superior, onde alcançam 31% e 32%, respectivamente de potencial de voto.

Bolsonaro é muito forte entre evangélicos, onde tem 53% de potencial de voto, na região sul (potencial de 46%) e entre famílias com renda de 2 a 5 salários (potencial de 45%).

Conclusão: a força eleitoral de Lula é uma faca de dois gumes para a oposição. É mais ou menos o mesmo cenário de 2018, quando ele também se mostrava, de longe, o candidato mais forte, mas que, ao mesmo tempo, parecia empurrar para Bolsonaro um conjunto expressivo de eleitores de centro, que, em outra circunstância, jamais votariam num candidato tão extremista.

A perseguição midiático-judicial sofrida por Lula, culminando em sua prisão por mais de um ano, em meio a tantas denúncias de abusos e violações de seus direitos, acabou por gerar uma aura heroica ao redor do ex-presidente. Em termos políticos, isso representa uma justiça poética para Lula, merecida por conta dos altos serviços prestados a nação. Eleitoralmente, contudo, essa conjuntura agrega à disputa política um fator profundamente emocional, que não é tão positivo, tanto para Lula como para a oposição em geral. Para Lula, a emoção contamina o judiciário e as instituições de maneira geral: foi o que aconteceu em 2018, em que a perspectiva de se candidatar parece ter sido um dos principais motivos para que a justiça acelerasse suas condenações.

Ainda em 2018, vimos a sociedade se polarizar em torno de Lula, com outros candidatos quase desaparecendo nas pesquisas, e o “anti-Lula”, Bolsonaro, experimentando um salto.

Na pesquisa Ipec, a rejeição a Lula fica escondida pela “média”, porque ela é concentrada na metade sul do país, nas grandes cidades e nas faixas médias. Além disso, é uma rejeição que parece ficar “adormecida” em momentos de baixa temperatura política, mas que volta a explodir conforme esta se eleva. Foi o que vimos nas eleições de 2018, quando as intenções de voto em Bolsonaro pareciam seguir de perto as de Lula e depois do candidato híbrido Haddad/Lula.

Para a oposição em geral, a emoção ao redor de Lula é uma perigosa armadilha, porque transforma o debate eleitoral num plebiscito sobre o ex-presidente, deixando em segundo plano as próprias críticas ao governo Bolsonaro, além de jogar no vácuo qualquer menção a um projeto nacional. O eleitor decidirá apenas se quer Lula de volta ou não, o que nos levaria novamente, como em 2018, a “dançar à beira do abismo”, e não apenas no processo eleitoral, mas também num possível governo que se formaria.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

30 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Getúlio

08 de março de 2021 às 14h08

Já faz tempo esse Cafezinho já virou Chantilly de mesa farta, brindando os 12% do Ciro Gomes e suas bravatas tipo bolsonarianas. Se é de esquerda busque quem tem competência para competir e derrotar o Bozó, lavando a cagada que foi dada em 2018. O Brasil precisa sair dessa.

Responder

    Núbia Rachel

    10 de março de 2021 às 00h15

    Existe o 247, o DCM, os Jornalistas livres (petistas), várias opções para você que diz amém a todas as presepadas boladas para incensar a “novidade” de 40 atrás, o famoso ex-presidente e presidiário, revolucionário do Golbery…

    Responder

ANGELO MARCIO SANTOS SILVA

08 de março de 2021 às 10h16

E incrivel a resiliencia do Lula (deixar claro votei lula, marina e ciro) , mesmo sendo bombardeado incansavelmente pela midia e algozes, preso e com fantasma do governo Dimla…mantem se competitivo, sua rejeicao reduz, voltando ao patamar das pesuisas em 2018…imagina apos julgameto do STJ, que sera simbolico para reforcar a tese (nao que defenda) preso politico perseguido..
Infelizmente o centro esquerda ciro e psb, bem como outros agentes da esquerda pt e cia, nao conseguem deixar os projetos pessoais e entender que unica forma de derrotar numa campanha epica, seria uniao em torno de uma candidatura, mas tanto o ciro quanto o pt, fazem o maximo para impodir a ponte e colocar suas trincheiras, odio de lado a lado, insano. Esquecem que a direta, jamais ira permitir a volta campo progressista ao poder, numa alianca primeiro turno. No segundo fara apoio dividido sem quaisquer compromisso, afinal, conseguem engolir bozo e guedes, mas nunca a esquerda…simples. Ainda tem muito querendo allianca, mas da forma como esta colocada, os ataques, sera impossivel, tanto no priemiro quanto seguundo turno como foi 2018…..riscos eminente de nao ir parasegundo turno,bozo voltar ao poder….mas , imprtante sao os projetos pessoais e nao a nacao que todos falam….triste realidade do Pais e sua classe politica…..

Responder

dcruz

08 de março de 2021 às 08h50

A gente tem que ser bem primário no nosso raciocínio pra tentar convencer esse bovídeo povo que botou o bozo lá. Com os conhecidos chavões, luladrão, PT nunca mais fabricados pela mídia fake, esqueceram rápido que foi Lula que lhes deu computadores pra cuspirem no prato que comeram. Outro exemplo simples: se o Lula vendesse o tal sítio em Atibaia e o duplex não daria a metade do que vale a mansão do rebento do bozo que anda ostentando na cara de todos e os ditos competentes, tão ciosos em investigar “a fortuna” de nosso maior presidente de todos os tempos não se arriscam a mover uma palha pra investigar. E a tal fortuna de Lula no exterior onde é que está? Será que nem com esses raciocínios primários esses bovinos seres não conseguem mudar de opinião?

Responder

Carlos Jose

07 de março de 2021 às 22h29

Lula ganha no primeiro turno em 2022, tudo depende do STF, se Lula ganhar todas no STF, ganha em 2022 com facilidade

Responder

Marcio Valley

07 de março de 2021 às 21h27

Partidos políticos existem para que um segmento do pensamento político da população, por ele representado, conquiste o poder. Estamos tão habituados à salada partidária das coligações que nos esquecemos disso. Cada partido, se quiser, tem o direito de apresentar seu candidato no primeiro turno. Se isso é verdade para todos, imagine para os grandes partidos. Seus simpatizantes querem ter um candidato que os represente. Derrotar Bolsonaro é missão para um eventual segundo turno. Não há necessidade desse desgaste todo. Ciro que se apresente. Se passar para segundo turno, mesmo eu não gostando das imensas bobagens que fala, terá meu voto para tirar Bolsonaro. As manifestações anti-Ciro feitas pelos simpatizantes do PT, inclusive as minhas, são sempre reações às agressões infantis que ele direciona a Lula e ao PT. O problema é que, pelo que vemos dos comentários d’O Cafezinho, a recíproca do voto petista em Ciro no segundo turno não é verdadeira. Os ciristas demonstram um ódio de Lula similar ao dos bolsonaristas. Esse é, de fato, o problema das esquerdas, não o PT, não Lula, não o Haddad.

Responder

    Alexandre Neres

    07 de março de 2021 às 22h46

    Parabéns! Comentário irretocável.

    Responder

Miramar

07 de março de 2021 às 21h12

Parece que o Vox Populi ganhou um concorrente de peso.

Responder

Netho

07 de março de 2021 às 20h39

Na PESQUISA DE POTENCIAL, em vez de apresentar uma lista de candidatos e pedir ao entrevistado que aponte seu preferido, o instituto cita o nome de cada possível concorrente e pergunta se o eleitor votaria nele com certeza, se poderia votar, se não votaria de jeito nenhum ou se não o conhece suficientemente para responder. A soma das duas primeiras respostas – “votaria com certeza” e “poderia votar” – é o potencial de voto.
Diz nada de concreto do ponto de vista eleitoral propriamente dito, onde a pesquisa que conta é a lista comparada confrontada.

Responder

Kleiton

07 de março de 2021 às 19h44

Lula é uma vergonha mundial assim como Chavez, Maduro, Evo Morales e a turma do Foro de SP toda… um bando de tranqueiras.

Responder

Gilmar Tontolão

07 de março de 2021 às 19h41

Lula nao serà obviamente candidato a nada…nem em 2018 queria ser, se candidatou porque é um mala de primeira categoria, percebeu que os processos contra ele estavam indo para frénte e por tanto precisava criar uma pseudo persecuçào politica…Lula nao faz mais parte da politica brasileira hà anos…larguem de ser ridiculos.

Saiu da cadeia graças exclusivamente a uma manobra do STF, nada mais.

Responder

Galinzé

07 de março de 2021 às 18h13

É por isso que não existe oposição.

Responder

Miramar

07 de março de 2021 às 17h30

Como eu sou eleitor do Ciro Gomes desde 1998, não vou, em nome da imparcialidade. comentar sobre ele, mas de outra possível candidata: é de causar pena imaginar o estado mental de alguém que acredite em uma pesquisa que aponte que 59% do eleitorado rejeita Marina Silva.

De qualquer forma, é interessante observar que o boneco do ventríloquo inelegível, mesmo possuindo muito mais dinheiro e estrutura, incluindo o apoio de sites misteriosamente financiados ( não é, obviamente, o caso do Cafezinho), está tecnicamente empatado com Ciro.

Dito isso, é engraçado o título da matéria: o que o ex-presidiário fez que possa ser remotamente confundido com oposição?

Responder

    Fanta

    07 de março de 2021 às 19h28

    …sem duvida alguma é muito mais de 59%.

    Responder

dcruz

07 de março de 2021 às 16h24

Continuam os contorcionismos para demonstrar que a candidatura de Lula é a permanência de bozo no poder. Vira e mexe continuam com a história que “Lula é o maior eleitor do bozo”. Tais sandices fazem com que certas esquerdas escancarem suas preferências bozonarianas. Querem ver o diabo, leia-se, bozo, mas não querem Lula, como, aliás se vê aqui em muitos comentários. Mais ainda, preferem Bolsonaro no poder do que qualquer candidato do PT, como já demonstrou explicitamente certo turismo extemporâneo a Paris. O que está por trás disso é que tanto a direita como certas esquerdas não querem mais Lula no poder. Só isso. Lula é o único candidato capaz de enfrentar Bolsonaro em igualdade de condições. Tão simples assim que esses donos da verdade se esquivam de esclarecer o verdadeiro motivo de não quererem mais Lula para presidente. Será que foram picados pela mosca do Ciro?

Responder

Francisco*

07 de março de 2021 às 15h16

Pobre do Labareda e da encomenda entregue, “Lula é o Grande Eleitor de Bolsonaro”, fulminados logo na largada, sem deixar de atentar à resistência Miguelina estóica na manchete com ‘da Oposição’, ao invés ‘do Brasil’.

No texto concede a Lula, o “do país”, e heroicamente tenta, como o menino holandês, deter com o dedo (no caso o texto), o vazamento da água imunda represada que está e irá lavar com a verdade, a alma de Lula e de todos os brasileiros, que não foram omissos, não aceitaram o golpe de 2016, nunca deixaram de lutar em busca da verdade dos fatos e não do escambo jurídico-torturador das ‘delações premiadas’ e das convicções levianas e seletivas, jorradas dos canos imundos da mídia parceira da organização lavajateira, para condenarem antecipadamente as vítimas adrede selecionadas à pedagógica guilhotina divina da ‘opinião divulgada’, ex ‘publicada’.

Agora é tarde, como ‘Paris não é mais uma festa’, restando-nos apenas levantar um país e um povo, caídos, decaídos e prostrados, tamanha a xucrice manifesta e perpetrada, onde todos sabem e muitos não confessam, de vergonha a covardia, passando pelo egoísmo cidadão vigente, que o único líder que nos resta, no único partido que de fato temos, e que quiseram também destruir, sem consegui-lo, é quem pode nos liderar na dura e árida dupla via da pacificação pactuada, da qual é experiente e doutorado na vida, caminho único para restarmos com o Brasil mais a frente em pé e os brasileiros, civilizadamente, confiantes e com esperanças de termos de novo FUTURO, ao invés de uma tragédia anunciada, eleita e reeleita no voto ou ‘à mão armada’.

Não adianta inventar a pólvora ou apelar pra cloroquina, a secular e hereditária desigualdade campeã é a poita que nos prende e condena ao atraso, e manter essa desigualdade campeã ou acabar pactuadamente com a dita, maldita razão de todas as nossas mazelas sociais, políticas e econômicas, não é coisa de direita ou de esquerda, é coisa de inteligência, que mais cedo que tarde a hoje ainda xucra classe dominante terá que deixar de ser xucra, optando pela inteligência.

Responder

Netho

07 de março de 2021 às 15h07

A pesquisa de ”potencial” é um nonsense completo.
Sem pé nem cabeça!
Afinal, qualquer estudante de marketing político e de tendência eleitoral sabe que é a avaliação da confrontação, no caso concreto da candidatura, que conta.
O popularesco ‘mano a mano’ ou ‘cara a cara’.
O ‘potencial’ é mesmice papalva; além de inútil, exceto para fortalecer duas tropas de choque: anti-petista e anti-milícia.
2022 será um ‘déjá vu’ de 2018.
Não por acaso, Lula e o PT já prenunciam uma chapa puro-sangue logo no primeiro-turno.
Até o mundo protozoário sabe que, assim sendo, os filhotes da ditadura continuarão empoleirados nos Palácios do Alvorada e do Jaburu até 2026.

Responder

    André Couto

    08 de março de 2021 às 15h10

    Os ciristas dizem o tempo todo que o Ciro deve ser o candidato das forças progressistas por ter maior potencial de voto. Sai uma pesquisa dizendo o contrário e aparecem ciristas passam a dizer que “potencial eleitoral” é non sense. Tem cirista que não tem medo do ridículo.

    Responder

Alan C

07 de março de 2021 às 13h35

Com toda a torcida da bozolandia para que ele chegue no segundo turno.

Responder

Alexandre Neres

07 de março de 2021 às 13h22

Retrato do Velho (marcha/carnaval)
Haroldo Lobo

Bota o retrato do velho outra vez
Bota, no mesmo lugar
O sorriso do velhinho
Faz a gente trabalhar

Eu já botei o meu
E tu não vais botar?
Já enfeitei o meu
E tu vais enfeitar?
O sorriso do velhinho
Faz a gente se animar

Responder

    James

    07 de março de 2021 às 14h50

    Viva Getúlio Vargas!
    Viva Luiz Inácio Lula da Silva!
    Bota o retrato do velhinho de volta na parede para o Brasil voltar a sonhar!

    Responder

      Renato

      08 de março de 2021 às 08h40

      Sonhar e nunca realizar…..

      Responder

Otavio

07 de março de 2021 às 13h19

Anti petismo, rejeição, projeto de poder e blá blá blá. Fica claro a cada pesquisa diante dos nossos olhos o óbvio, a não ser os que tem um projeto pessoal e os analistas que deixaram a imparcialidade de lado pra se filiar a fã cluble de político ou Bolsominion de sinal trocado, temos duas opções colocadas para 22: Lula ou Bolsonaro. O que passa disso não é análise é flaxflu de torcida organizada. PS Não sou petista, sou cristão protestante, e reconheço alguém que foi massacrado por uma década por todas as instituições e veículos de midia, filiado ao partido mais demonizado da história de que querer democracia no planeta e ainda conserva a posição de candidatura mais competitiva de oposição tendo feitos a mostrar e tamanha resiliência deve se não encabeçar o campo popular democrático ou ser convidado a compor qualquer coalizão popular com a devida reverência que a posição supracitada merece…

Responder

    claudio ildefonso

    07 de março de 2021 às 15h43

    enfim um opinião “equilibrada” neste site, que convenhamos é todo CIRISTA. acho ate o ciro paga os analistas daqui…a conferir

    Responder

Tiago Silva

07 de março de 2021 às 13h12

Para quem não leu (ou insiste em nã9 querer ver):

O problema do Ciro Gomes e desse blog Cafezinho é que gastam muito tempo sobre análise de dados, mas depois escolhem as estratégias incorretas (inclusive alguns dados incorretos para justificar as suas incompetências estratégicas)…

Em 2018 o PT tinha uma estratégia em relação às Esquerdas, qual seja, foi aglutinar a maioria dos partidos para ter tempo de televisão (inclusive convencendo o PSB em detrimento da Mariela Arraes, coisa que o PDT fez o mesmo em 2020 com Túlio Gadelha), para depois propor uma chapa emergencial tendo em vista o eminente golpe do ex-Juiz Politiqueiro que foi corrupto também ao tirar o primeiro candidato das pesquisas 2018 utilizando de cargo público para buscar vantagem futura (isso sem falar dos factóides do mPF contra o PT que sistematicamente em todas as eleições recentes buscaram influenciar votos nas eleições). Daí, a proposta de chapa seria algo que a Argentina fez depois com Cristina Kitchner, ou seja, a chapa seria Lula com Ciro de você – porém com o golpe iminente, Ciro seria cabeça de chapa e Haddad vice… Mas a vaidade e falta de visão estratégica de Ciro não aceitou e em 2018 ficou correndo atrás do DEM e depois de um aeroporto pra ir pra Paris (hoje permanece como uma biruta de aeroporto e conduz os Cirulipasminions nessa falta de estratégia).

A direita não tem nenhum candidato confiável, mas tem o Capetão que politizou o povo e ainda é o melhor comunicador/enganador em mídias sociais do Brasil (a esquerda patina em terreno cada vez mais essencial)… Porém a direita tem candidatos por segmentos (que acabam minando a esquerda e ajudando o Capetão): Dória seria para Classe alta, Moro para a classe média radicalizada, Mandeta para indecisos, Amoedo para jovens, Huck pra a classe mais humilde.

A esquerda tem quem brigue com Huck e Capetão nas classes baixas que seria o Lula (Haddad ainda é fraco nesse segmento e não tem tanto engajamento emocional), Boulos briga pelo eleitorado jovem com alguém do Parido Novo (Novo PSDB ou PSDB Personalité), Dória briga pela classe alta sem adversário na esquerda, mas a classe alta está radicalizada assim como a classe média e está indo toda pra Sérgio Moro…. E Ciro? Equivocadamente promove um antipetismo que só diminui o PT nas classes baixas e favorece a propaganda diária em grupos de família do ZAP e ainda deixa terreno aberto para que Sérgio Moro cresça!!!

Daí, não é com antipetismo que Ciro alcança a classe média (principalmente no Sul), nem querendo recriar um “Novo PSDB” associando com o DEM… Mas com o anti-Morismo! Ao não buscar travar batalha com Moro (e colocar ele como membro de um SISTEMA Elitista no Brasil que favoreceu o Golpe e o Neo Fascismo), acaba sucubindo a ser um eterno candidato de apenas uma parcela da população no Nordeste e alguns jovens no Sudeste (que acertadamente estão vacinados contra o Neoliberalismo nefasto aplicado no Brasil).

Quando João Santana fala que a chapa Ciro e Lula é muito competitiva… É pq ele avalia o Lula com os votos dos mais humildes e de eleitorado petista histórico, com o Ciro buscando demonstrar que seria anti-Sistema ao desconstruir Sérgio Moro (pra classe média alta NeoFascista) e desconstruir o Capetão (pra classe média baixa) como membros do sistema.

Acorda Cafezinho!

Responder

    Valter França

    07 de março de 2021 às 15h52

    uma boa análise. Clara, come todas as questões postas e sem agrecoes
    parabéns

    Responder

      EdsonLuiz.

      08 de março de 2021 às 11h54

      Eu concordo com você.

      Posso não concordar com aspectos da análise do Tiago Silva, mas a análise é bem feita e ele não é reativo, não é mentiroso, e é civilizado.

      Tiago não xinga ou lança um impropério qualquer. Também não escreve duas linhas negando fatos e desejando que as pessoas engulam. Ele argumenta o modo como pensa no que acredita. E comunica isso. O nome disso é respeito ao outro, mesmo que o outro não concorde com ele. Isso contribui para o Partido dele angariar uma disposição mais favorável de quem adquiriu alergia do Partido.

      Quem dera os outros fizessem o mesmo, o nível melhoraria muito.

      Responder

Marcelo

07 de março de 2021 às 12h56

2022 não será 2018. Em relação ao fator emocional vc não mencionou o divisor de águas que foi a “facada de Juiz de Fora”, até hoje mal explicada, o raio não cai 2 vezes no mesmo lugar embora o outro fator preponderante esteja a todo vapor, as correntes de Fake news no WhatsApp.

Responder

Helena

07 de março de 2021 às 12h47

É isso aí, grande Lula! Muitos, assim como eu, ainda guardam na memória o quão felizes fomos em seu governo. Só vc para fazer esse país voltar aos trilhos de novo.

Responder

James

07 de março de 2021 às 12h31

A verdade é que a rejeição ao Lula e ao PT nas eleições de 2018, só explodiu porque a mídia trombeteava sete dias por semana, vinte e quatro horas por dia, os escândalos revelados pela Lava Jato e tentava colocar nas costas do PT os mais de 500 anos de corrupção estrutural do Brasil.
Em 2022, entretanto, será diferente vai ser o PT que vai colocar na campanha todas as mensagens hackeadas que provam que a Lava Jato não foi uma operação contra a corrupção, mas UM CONLUIO ENTRE AGENTES DO ESTADO PARA PERSEGUIR SEUS ADVERSÁRIOS POLÍTICOS.
O arquétipo do injustiçado vai tocar fundo na alma política do povo brasileiro tão sofrido e explorado e o Lula vai ser eleito no primeiro turno.

Responder

Deixe uma resposta