Despolarizando: pesquisa Datafolha neutraliza a terceira via?

Diretor-geral da PF troca delegado que solicitou investigação contra Ricardo Salles

Por Redação

17 de abril de 2021 : 11h02

O diretor geral da Polícia Federal, Paulo Maiurino, trocou o chefe da PF no Amazonas, Alexandre Saraiva, após o titular ter pedido uma investigação contra o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

Saraiva estava na cola de Salles após a maior apreensão de madeira da história do Brasil. O ministro estava se posicionando contra as ações de combate ao desmatamento e fez a defesa dos madeireiros ilegais na floresta.

Ainda de acordo com o delegado, mais de 200 mil metros cúbicos de madeira foram apreendidos desde dezembro de 2020 e que a Polícia Federal considera como fruto de ação criminosa.

No pedido de investigação contra Salles, o delegado aponta indícios dos crimes de advocacia administrativa, tentativa de obstrução de investigação e de organização criminosa.

A mudança no órgão do Amazonas foi feita na última quarta, 14, e o substituto de Saraiva será o delegado carioca Leandro Almada que já comandou o grupo de investigações ambientais na PF.

Como consequência, a mudança terá reflexos negativos internacionais na medida em que o governo Bolsonaro é também um dos piores do mundo no que diz respeito a políticas públicas que visam a preservação da Amazônia e do meio ambiente nacional.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Paulo

17 de abril de 2021 às 18h53

O que outros governos tinham pudor de fazer, ou tentavam escamotear, esconder do público, justificar com várias “razões”, esse atual faz às claras e dá uma banana pros cidadãos e pros políticos e MPF…

Responder

Gilmar Tranquilão

17 de abril de 2021 às 17h50

Esse circo é um eterno troca-troca kkkkkkkkkkkkkk

Responder

Deixe uma resposta