Cafezinho & Cinema: conversa com Ducca Rios, diretor de Meu Tio José

Na CPI, Élcio Franco assume sua participação na compra paupérrima de vacinas pela Covax Facility

Por Redação

09 de junho de 2021 : 12h39

Nesta quarta-feira, 9, o ex-secretario-executivo do Ministério da Saúde, coronel da reserva Élcio Franco, admitiu em seu depoimento na CPI da pandemia que a decisão de adquirir somente 10% de doses de vacinas do consórcio Covax Facility também foi tomada por ele e de outros membros do Ministério da Saúde.

“Isso foi uma decisão ouvindo todos os técnicos do ministério até a assinatura final do contrato pelo ministro da Saúde, ouvindo todos os técnicos. Eu participei junto com os demais técnicos para chegarmos ao número de 10% da população brasileira”, revelou.

Diante dos senadores, o militar justificou dizendo que o Ministério da Saúde já tinha fechado contrato de encomenda tecnológica junto a Fiocruz/Astrazeneca e que a pasta também estava em tratativas com o Insitituto Butantan. De acordo com ele, isso iria garantir mais de 256 milhões de doses ao Brasil.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Ronei

09 de junho de 2021 às 13h05

Não se entende onde tá escrito que o Brasil deveria ter comprado indiscriminadamente qualquer vacina ou eventual futura vacina que fosse oferecida.

Todos os países escolheram algumas das vacinas disponíveis conforme os próprios interesses, características das vacinas, preço, armazenamento, disponibilidade, etc…

Responder

Deixe uma resposta