Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

O novo crime de Bolsonaro: difamar a Coronavac, uma das principais vacinas usadas no Brasil

Por Miguel do Rosário

04 de julho de 2021 : 12h12

O presidente Jair Bolsonaro especializou-se em cometer crimes contra a saúde e a vida dos brasileiros.

Desde que a pandemia chegou ao país, ele tem lutado bravamente em favor do vírus e contra os esforços de autoridades para conter a sua disseminação.

Trabalhou o tempo inteiro contra a vacina.

Não quis comprar a Coronavac, não fez investimentos em pesquisa, não coordenou nenhuma ação doméstica ou internacional para que o Brasil tivesse uma vacina inteiramente nacional.

Hoje há denúncias graves de que o núcleo político do governo Bolsonaro tentou roubar o dinheiro da vacina.

Não satisfeito em ter cometido todos esses crimes, Bolsonaro agora volta a cometer outros.

O presidente tem falado abertamente contra Coronavac, uma das duas vacinas que estão sendo produzidas no país (a outra é a Astrazêneca), inventando mentiras sobre sua eficácia.

O resultado tem sido desastroso, com a população assimilando um preconceito contra uma das nossas vacinas mais importantes, que foi devidamente aprovada pela Anvisa.

A hostilidade contra a Coronavac, estimulada por Bolsonaro, tem prejudicado e desorganizado o programa de imunização, ou seja, vai na contramão dos esforços do próprio Ministério da Saúde.

Na sua última live de quinta-feira, Bolsonaro difamou abertamente a Coronavac, dizendo que se tratar de uma vacina que “não deu certo”. Ele não deu nomes, mas a mensagem é clara.

O governo de São Paulo tem pesquisas confiáveis sobre a eficácia da Coronavac.

Um monitoramento controlado de Serrana, interior de São Paulo, cuja população foi inteiramente vacinada, indicou uma queda de 95% no número de óbitos por Covid. É uma das vacinas mais eficientes do mundo, portanto.

O mais chocante é a postura de Bolsonaro ao dar uma notícia trágica (falsa, mas trágica, se fosse verdadeira), de que uma vacina fundamental para o êxito do programa nacional de imunização, e, portanto, para a normalização econômica do país, uma vacina fabricada hoje quase inteiramente no Brasil, comprada com recursos federais, não “deu certo”.

Ele… dá risada.

Somente um psicopata riria com a notícia de que uma vacina “não deu certo”…

Que um psicopata seja presidente da república de um país com 210 milhões de habitantes, e que já perdeu quase 520 mil vidas para a doença que essa vacina combate, é um fato que mostra a necessidade dos brasileiros continuarem ocupando as ruas.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

9 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Valeriana

05 de julho de 2021 às 08h27

Miliciano assassino.

Responder

Valeriana

04 de julho de 2021 às 19h17

Pode isso, @STF_oficial, @MPF_PGR, @minsaude, @anvisa_oficial, @OmarAzizSenador, @renancalheiros, @randolfeap ?

Estão perguntado ao Renan Calheiros o que o Presidente da Republica pode ou não dizer ? Kkkkkkkkk

O problema da esquerda (que se vende como defensora da pluralide de opiniao, da democracia, da liberdade de expressao…) é que nao aceita questionamentos…o que eles acreditam que é legal tem que ser para todo Mundo e fim de papo.

Quando eles decidem que as pseudo medidas de contençào do virus que até pouco dias atras defendiam nao valem mais tà tudo liberado mesmo com 2000 mortes ao dia…e quem nao possui a mesma opiniao deles é “genocidista”…

Nào é um pouco hipocrita isso tudo…além de ridiculo ?

Responder

ermes

04 de julho de 2021 às 18h52

Sempre as mesmas narrativas inuteis…mudem um pouco o disco, tà um saco e nao leva a nada, nao està vingando e nao vai vingar…nao me parece dificil de perceber que acabam fazendo propaganda gratuita para Bolsonaro.

Responder

Gilmar Tranquilão

04 de julho de 2021 às 17h02

Isso bozo, continua!! Continua!! Kkkkkkkkk

Responder

Daniel

04 de julho de 2021 às 15h01

Aglomerando em plena pandemia com 2000 óbitos ao dia quando até pouco dias atrás aprontavam o dedo contra quem queria sair de casa até para trabalhar.

Falem de outro assunto, esse já era…a hipócrisia de sempre foi desmascarada mais uma vez.

Responder

Ronei

04 de julho de 2021 às 13h01

“difamaciosista”

Responder

Rosinei Brandão

04 de julho de 2021 às 12h33

Na minha casa somos cinco. Três já tomamos duas doses de Coronavac. Os outros dois aguardam a idade. Ninguém pegou até agora o Bozovírus 17. Pior que o 19. KK..

Responder

ermes

04 de julho de 2021 às 12h19

“…não coordenou nenhuma ação doméstica ou internacional para que o Brasil tivesse uma vacina inteiramente naciona.”

Como nao ? A Astra Zeneca serà produzida 100% no Brasil….porque mentir ?

Responder

Fanta

04 de julho de 2021 às 12h16

Infelizmente nao se demostrou muita coisa essa vacina.

Na Europa apòs o que aconteceu no Chile a Coronavac foi declarada inadequada, assim como a Sputnik e mais algumas.

Ouvi dizer que para entrar nos Estados Unidos também nao é adimitida a vacinaçào com a mesma.

Eu irei tomar a que vier mas que essas vacinas foram feitas de pressa para estancar a sangria nao é nenhuma novidade.

Responder

Deixe um comentário