Bahia: Refinaria privatizada provoca desabastecimento de Gás de Cozinha

Onyx Lorenzoni, Bolsonaro e Ciro Nogueira (Foto: Marcos Corrêa/PR)

Novo Ministério do Emprego é a festa do centrão

Por Miguel do Rosário

27 de julho de 2021 : 08h46

Saiu no Globo há pouco:

BRASÍLIA – Após garantir o maior orçamento do governo (superior a R$ 700 bilhões) ao ficar responsável pelo pagamento das aposentadorias e pensões do INSS, o novo Ministério do Emprego e Previdência será palco de uma disputa por cargos.

A pasta, anunciada para acomodar o atual ministro da Secretaria de Governo, Onyx Lorenzoni, abrirá pelo menos 202 vagas relevantes, com poder de decisão, que poderão ser usadas para indicações políticas. (…)

O Brasil é país da piada pronta.

O governo Bolsonaro, eleito com a promessa de reduzir a máquina do Estado, incluindo o número de ministérios, voltou a criar novas pastas. Uma delas é o Ministério do Emprego, que será a mais rica de todas, com orçamento superior a R$ 700 bilhões, centenas de vagas para indicações políticas, além daqueles profissionais e empresas que pode pagar via contrato.

Ou seja, Bolsonaro parece determinado a gerar empregos, mas não é para a população, e sim para seus novos melhores amigos do centrão fisiológico e corrupto.

Ciro Nogueira, o novo manda-chuva do governo, deve estar feliz da vida.

Quem talvez esteja triste é general Luiz Eduardo Ramos, o atual ministro chefe da Casa Civil, vaga que será ocupada por Nogueira a partir de agora.

Mas não devemos nos preocupar muito com o estado emocional de Ramos, porque ele ao menos poderá paga rum bom spa com a bolada de R$ 111,3 mil que recebeu em junho deste ano, valor 183% acima do teto constitucional do serviço público no Brasil.

Segundo o IBGE, o desemprego no Brasil chegou a 14,7% ao fim do primeiro trimestre de 2021, um recorde histórico. São 14,8 milhões de desempregados.

Vendo pelo outro lado, pelo número de brasileiros empregados, o quadro é ainda pior: temos hoje 85,6 milhões de brasileiros trabalhando, 7 milhões a menos do que ao final de 2018, quando o novo governo se elegeu.

A pandemia não pode ser desculpa, porque diversos países conseguiram atravessar a pandemia mantendo o nível de ocupação estável ou mesmo em declínio, através de iniciativas governamentais audaciosas.

No Brasil, ao invés de trabalhar para gerar empregos e combater a pandemia, temos um presidente que passa as manhãs e as tardes de conversa fiada com fanáticos no “cercadinho”, e os finais de semana andando de moto com seus seguidores.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

7 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Paulo

27 de julho de 2021 às 12h15

Esse Governo é patético. Extinguiu o antigo Ministério do Trabalho para agradar o patronato e agora intenta recriá-lo com outro nome, para disfarçar. Como esse cara ainda é apoiado por certas camadas do empresariado?

Responder

Cuban crafter

27 de julho de 2021 às 11h08

A politica é a arte da negoçiação.

Responder

alex

27 de julho de 2021 às 11h06

“O Brasil é país da piada pronta….”

Realmente ouvir apontar a corrupçào alheia pora parte de quem elegeu a quadrilha do PT por 4 vezes seguidas que promoveu o maior esquema de ladroagem e assaltos aos cofres publicos da historia do Brasil e quem sabe do Mundo e até continua fingindo na maior cara de pau que nao aconteçeu nada, que a Lava Jato foi uma farsa, que Lula, Dirceu, Vaccari e cia sao virgens imaculadas é realmente a sublimaçào do ridiculo, do patético, da apologia eterna da desgraça.

Um dia isso acaba, um dia novas geraçoes nao serao mais dotranidas a ser idiotas, falsas, dissimuladas em nome de ideologias podres….o tempo farà o serviço.

Responder

Zulu

27 de julho de 2021 às 11h00

Triste noticia para esquerda…se o pessoal do centrao sentisse cheiro da derrota de Bolsonar em 2022 ja estariam trabalhando para se enfiar em outros cantos…

Obviamente sabem que nao tem rivais e por tanto jà estao se colocando nos devidos lugares em perspectivas futuras…

Responder

Valeriana

27 de julho de 2021 às 10h57

Sò a Dilma conseguiu fazer melhor que a pandemia quanto ao desemprego promovido por Governadores e Prefeitos.

Responder

Tony

27 de julho de 2021 às 10h27

O Brasil está sendo “governado” pelo centrão. Não há mais presidente, o que tá lá é só uma figura anedótica sem importância, o idiota-decorativo.

Responder

carlos

27 de julho de 2021 às 09h01

A maior vergonha da política empregada pelo presidente é a emenda do cheques em branco , aonde existe transparência, nesse governo? Quem foi um um péssimo exemplo no exército de Caxias, Castelo Branco, e tantos outros, jamais será um bom deputado federal, imagine presidente da República, aliás estão chamando o Palácio do Planalto de porcilga do Bolsonaro. Porque ele fez um chiqueiro de porco.

Responder

Deixe um comentário