Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Pacheco sobre reforma eleitoral: “Há uma tendência de manutenção do sistema atual”

Por Redação

18 de agosto de 2021 : 18h56

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), disse que a tendência é que os senadores rejeitem a PEC da reforma eleitoral aprovada em dois turnos pela Câmara dos Deputados. Um dos pontos da proposta é a volta das coligações eleitorais e praticamente o fim da cláusula de barreira.

“A tendência é de manutenção do sistema político tal como é hoje, um sistema proporcional, sem coligações, com a cláusula de desempenho, para que possamos projetar ao longo do tempo um cenário que vai ser positivo, de menos partidos políticos e consequentemente de melhor legitimidade da população”, revelou em coletiva de imprensa.

Mas apesar do posicionamento, Pacheco também disse que fechou compromisso com o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), de apreciar e colocar a PEC na pauta do Senado.

“Sim, eu falei com o presidente Lira que, em respeito à Câmara, de um tema que é muito sensível e importante para a população, que tivéssemos esse compromisso do Senado se pronunciar a respeito, não necessariamente convergindo, mas que possa ser submetido ao plenário”.

A proposta deve passar primeiramente pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa, presidida por Davi Alcolumbre (DEM-AP).

“É uma Proposta de Emenda à Constituição, deve ser submetida à CCJ, o presidente Davi Alcolumbre deverá, então, pautar essa matéria, e na sequência vem ao plenário. Tudo dentro de um tempo, o mais rápido possível, para que haja um pronunciamento definitivo em relação a essa matéria”.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Adenor

18 de agosto de 2021 às 20h43

Já q não se quer avançar para o distrital misto (e o parlamentarismo), o melhor é deixar como foi da última vez.

Responder

Deixe um comentário