Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

Santos Cruz vai se filiar ao Podemos nesta quinta

Por Redação

25 de novembro de 2021 : 08h47

O general Santos Cruz deve se filiar ao Podemos, legenda que abriga Sérgio Moro, para tentar emplacar alguma candidatura em 2022. O partido prepara a filiação para esta quinta-feira, 25, em Brasília.

O primeiro plano do general é concorrer a uma vaga ano Senado seja pelo Distrito Federal ou pelo Rio de Janeiro.

Tanto Moro quanto Santos Cruz são ex-ministros do Governo Bolsonaro e os dois estão se destacando pelas críticas públicas a gestão federal. Recentemente, o general participou do evento de filiação de Moro ao Podemos e defendeu sua candidatura à Presidência da República em 2022.

O anúncio da filiação de Santos Cruz foi feito de forma indireta pelo senador e dono do Podemos, Álvaro Dias, ao lado do próprio Sérgio Moro.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Luiz

26 de novembro de 2021 às 13h13

No passado, esse tipo de adestramento do eleitor, insinuado pelo general, representou o confinamento das expectativas sociais, não dos interesses, às expectativas da classe média. Vemos, com Bolsonaro, o efeito deletério ocasionado pelo neoliberalismo sobre essas expectativas. De modo similar, o neoliberalismo é mais do que o seu famoso tripé da economia, aprofundando-se como crença política nas relações de troca. Não é difícil perceber uma regra de três, aonde o eleitor, num primeiro momento, deverá resultar como expressão da multiplicação do polo da relação de troca pela classe média distribuída pelo peso do tripé econômico. Num segundo momento, da relação inversamente proporcional entre classe média forte e moeda forte, já trabalhada pelos governos tucanos e petistas, e resultante no governo de Bolsonaro, de puro, não se extrairá outra coisa senão uma crença recorrente na economia de mercado. A solução de Moro para essa universalidade reificada será a lavajatista, já quanto ao Podemos, parece não aceitar que os tucanos começaram pelo fim.

Responder

Paulo

25 de novembro de 2021 às 19h46

Por que não deputado? Senado é mais difícil, obviamente…

Responder

Deixe um comentário

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?