Analista da Ideia fala sobre “voto útil” dos eleitores de Ciro a Lula no 1° turno

Foto: Divulgação

Luis Felipe Miguel sobre Olavo de Carvalho: “contribuiu para a degradação do debate no Brasil”

Por Redação

25 de janeiro de 2022 : 10h14

Por Luis Felipe Miguel

O homem se foi. Mas seu legado ficará entre nós por longo tempo.

Infelizmente.

Olavo de Carvalho foi o indivíduo que mais contribuiu para a degradação do debate público no Brasil.

Intuiu que poderia dar um salto, sem escalas, de instrutor de astrologia para guru filosófico, graças a um estilo de polêmica agressivo e completamente despreocupado com a qualidade dos argumentos.

Ganhou espaço na imprensa – que, terminada a ditadura, estava interessada em ter uma voz histriônica da direita em suas páginas. Foi colunista de O Globo e também presença frequente na falecida revista República, criada pelo hoje pretenso candidato do Novo à presidência, Luiz Felipe d’Ávila.

Mas sua grande sacada foi reconhecer, muito antes do que a maioria, o potencial da internet. Investiu em blogs, depois em múltiplas redes sociais, além de monetizar a ignorância de seus seguidores no famoso e interminável “curso de filosofia (sic) online”.

Nos novos meios, levou ao zênite seu estilo de “intelectual público”, baseado no trocadilho bobo, na agressão grosseira e no completo desprezo pela verdade factual.

Também escreveu um tanto de livros, cuja leitura é um desafio até para os mais pacientes. Mas os livros que publicou cumpriam o mesmo papel que a ampla biblioteca que servia de pano de fundo para seus vídeos: dar, aos basbaques que o seguiam, a prova de que se tratava de um verdadeiro intelectual.

A verdadeira obra de Olavo está nos tuítes e nas laives, no besteirol perverso e escatológico que se tornou sua marca registrada.

De alguma maneira, Olavo representou uma atualização de Paulo Francis – que também foi, em seu tempo, um mestre da acusação leviana, da ofensa fácil, da generalização descabida, da irresponsabilidade intelectual.

Mas Francis, usando sua vasta, inegável bagagem cultural, falava para uma minoria que desejava afirmar uma posição de elite. Já Olavo se dirigia a uma multidão de semiletrados, ressentidos por não terem podido ou conseguido triunfar em espaços acadêmicos de prestígio e, tal como a raposa da fábula das uvas, ansiosos por desprezar aquilo que lhes era negado.

Francis deixou um punhado de imitadores, que logo perderam o brilho e estão por aí, esquecidos e mainardis. Olavo tem uma legião de clones que, acredito, continuarão a empestear a esfera pública brasileira por muitos anos.

Espero estar errado.

Luis Felipe Miguel é cientista político, professor da Universidade de Brasília e coordenador do Demodê (Grupo de Pesquisa sobre Democracia e Desigualdades)

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Zulu

25 de janeiro de 2022 às 15h23

E quem é Luis Felipe Miguel ?

Responder

Fanta

25 de janeiro de 2022 às 15h21

O clássico esquerdista metido e presunçoso.

Pelo texto desse sujeito os livros de Olavo de Carvalho venderam 10 vezes mais que os dele.

Responder

Zulu

25 de janeiro de 2022 às 12h50

A classica presunçào e arrogancia esquerdista.

Responder

Paulo

25 de janeiro de 2022 às 11h40

Assim como a Esquerda.

Responder

Deixe um comentário

O Xadrez para Governador de Minas Gerais O Xadrez para Governador de São Paulo O Xadrez para Governador do Rio de Janeiro Novo Presidente da PETROBRAS defende preços altos Cadê o churrasco do povo, Bolsonaro? Preço explodiu! Conservadores? A atual juventude brasileira O Indulto sem Graça de Bolsonaro Os Principais Eleitores de Lula Os Principais Eleitores de Ciro Gomes Os Principais Eleitores de Bolsonaro