Genial/Quaest: Veja os números da corrida pelo governo da Bahia

Análise: BTG Pactual/FSB traz apenas 11% de votos “nem-nem”

Por Miguel do Rosário

21 de março de 2022 : 10h31

A segunda amanheceu com uma pesquisa eleitoral fresquinha na praça, desta vez do instituto FSB, sob os auspícios de mais um banco, o BTG Pactual.

É uma pesquisa telefônica, feita com 2 mil pessoas. Mas custou caro, R$ 258 mil, mais caro até do que algumas presenciais.

A última do Paraná Pesquisas, por exemplo, divulgada em 9 de março deste ano, com 2.020 entrevistas presenciais, custou R$ 100.000,00, pagos pela corretora de valores curitibana BGC Liquidez Distribuidora de Títulos Mobiliários Ltda.

A íntegra do relatório da pesquisa BTG Pactual / FSB pode ser baixada aqui.

Foi realizado apenas um cenário para a pesquisa estimulada. Nele, Lula lidera com 43%, Bolsonaro tem 29%, Ciro 9% e Moro 8%.

Esses são os únicos candidatos que estão no jogo: os outros tem menos de 2% e podem ser descartados como cartas fora do baralho.

Entretanto, a bem da verdade, apenas dois candidatos estão realmente no jogo: Lula e Bolsonaro. Na espontânea isso fca mais claro. Lula tem 38%, Bolsonaro 27%, e não há nenhum outro que chegue a 5%.

No relatório da pesquisa, há vários comentários sobre a inviabilidade da terceira via.

Um fator que chama bastante atenção é a força de Lula entre os eleitores mais pobre, com renda familiar até 1 salário, que representam 25% dos entrevistados pela pesquisa. Neste segmento, Lula tem 58% dos votos totais, contra 15% de Bolsonaro, uma diferença de 43 pontos!

Em votos válidos, Lula tem 62% entre eleitores com renda familiar até 1 salário!

Outro fator que merece destaque é a liderança de Lula (apesar de apenas numérica) entre eleitores evangélicos, junto aos quais ele pontua 38%, contra 37% para Bolsonaro.

Assim como em outras pesquisas, Bolsonaro tem desempenho bastante negativo entre mulheres. O presidente pontua 23% entre eleitoras do sexo feminino, 21 pontos atrás de Lula, que tem 44%.

Os candidatos de terceira via, como Ciro e Moro, apresentam uma performance um pouco melhor entre eleitores com nível superior: o pedetista chega a 12% e Moro, a 11%. Mesmo assim, ambos permanecem muito atrás de Lula e Bolsonaro, que tem, respectivamente, 35% e 27% neste segmento.

Segundo a pesaquisa, perto de 30% dos brasileiros acham que o governo federal é o principal culpado pelo aumento no preço dos combustíveis, contra 21% culpam os governadores. Outros 22% culpam a “política de preços da Petrobras”, o que também poderia ser atribuído como responsabilidade de Bolsonaro, já que é o presidente quem indica o presidente da estatal e, portanto, influi diretamente sobre a maneira como os preços dos combustíveis são calculados.

A pesquisa traz vários cenários de segundo turno. Destacamos aqui apenas dois. O mais provável, Lula e Bolsonaro, traria uma vitória folgada de 54% X 35% para o petista, diferença de 19 pontos. Num outro cenário, entre Lula e Ciro,  o ex-presidente venceria com vantagem de 21 pontos: 50% X 29%.

Entretanto, o gráfico que nos parece mais negativo para as esperanças da terceira via é o que trata dos eleitores “nem-nem”, ou seja, que não votam em Lula ou Bolsonaro. Segundo a pesquisa, esses são apenas 11%. Como os candidatos da “terceira via” somam 24%, isso indica que mais da metade deles ainda pode migrar para Lula ou Bolsonaro, em caso de se decidirem por um “voto estratégico”.

Uma maioria de 48% votaria em Lula, mas não em Bolsonaro, ao passo que outros 30% aceitariam votar em Bolsonaro, mas jmais em Lula.

Lula e Ciro são os candidatos com menor rejeição pesquisa: ambos tem 41% de eleitores que dizem não votar neles de jeito nenhum.

O potencial de votos de Lula se destaca pelo alto grau de decisão de seus eleitores: 35% responderam que Lula é o “unico em quem votariam”, percentual que cai para apenas 6% entre eleitores de Ciro.

Moro tem seus 8% de eleitores que responderam que ele seria o “único” em quem votariam.

Mas o segundo lugar é ocupado firmemente por Bolsonaro, que tem 25% de eleitores cativos, que responderam que o presidente seria o “único”.

A pesquisa levantou ainda dados sobre o uso de redes sociais no processo de se informar sobre as eleições. Os campeões são: youtube, facebook, whatsapp e instagram.

Apenas 13% dos eleitores disseram que usam Twitter e o usam para se informar sobre o processo eleitoral. Importante notar, contudo, que as respostas são “únicas”, ou seja, é muito provável que o mesmo que apontou o youtube, por exemplo, também se utilize de outras redes.

Por fim, a pesquisa também trouxe números de aprovação do governo, e estes não são bons para Bolsonaro: 61% dos entrevistados responderam que desaprovam a “forma como Jair Bolsonaro está governando o Brasil”.

Mas outros 34% disseram que aprovam, e são estes, ao que parece, que vem garantindo a presença de Bolsonaro no segundo turno.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Carlos André

22 de março de 2022 às 15h46

Graças a Deus aí é só uma pesquisa, mas todos sabem que é uma pesquisa fraudulenta, já sabemos que Bolsonaro será reeleito, querem mudar o resultado a qualquer custo através da fraude, por isso vão usar essas pesquisas compradas para dizerem que não teve maracutaia.

Responder

Neusa Conte

22 de março de 2022 às 07h39

Lula favorito?
Um candidato fabricado pelo STF que não põe os pés nas ruas de medo do povo.
BTG, CONTA OUTRA 😂😂😂

Responder

Zulu

21 de março de 2022 às 19h58

Lula têm a maioria dos votos entre os evangélicos…?

Esses tais de evangélicos sabem que a esquerda (não Lula o qual não interessa nada disso mas é a favor do que da mais votos) é a favor do aborto, da maconha, ecc…

Fingindo que essa pesquisa seja verdadeira significa que ou os evangélicos são imbecis e não sabem o que querem ou que estão sendo enganados.

Quando alguém perguntar sobre esses assuntos ao Lula durante os debates o que ele vai dizer aos evangélicos…?

Uma coisa é certa…na tv brasileira não há debates sobre esses assuntos e outros entre as partes, essas coisas importantes não interessam aos brasileiros. Aos brasileiros interessam as mongolices das novelas do futebol e do BBB.

Responder

Artur ribeiro

21 de março de 2022 às 19h28

Eu fico pasmo com as manipulações grotescas da esquerda , tentando de qualquer maneira mudar o resultado das eleições de 2022, é notoria a vitória de Bolsonaro no primeiro turno. Não adianta apelar, se Bolsonaro não ganhar só se houver maracutaia.

Responder

Kleiton

21 de março de 2022 às 17h13

Após bloqueio do Telegram Bolsonaro ganha 130.000 novos seguidores….kkkkkkkkkkk

Não vão conseguir impor mais nada aos brasileiros…sinto muito mas a música mudou e ninguém melhor que a esquerda sabem disso.

Responder

Deixe um comentário

Novo Presidente da PETROBRAS defende preços altos Cadê o churrasco do povo, Bolsonaro? Preço explodiu! Conservadores? A atual juventude brasileira O Indulto sem Graça de Bolsonaro Os Principais Eleitores de Lula Os Principais Eleitores de Ciro Gomes Os Principais Eleitores de Bolsonaro Janela Partidária 2022: Quem ganhou, quem perdeu? Caro? Gasolina, Gás e Diesel: A atual política de preços da Petrobrás As Maiores Enchentes do Brasil