Analista da Ideia fala sobre “voto útil” dos eleitores de Ciro a Lula no 1° turno

Foto: Jornal O São Gonçalo

Duda Salabert comenta denúncia de transfobia contra militante do PDT de São Gonçalo

Por Redação

12 de abril de 2022 : 10h51

A vereadora Duda Salabert (PDT-MG) enviou mensagem ao Cafezinho, com um comentário sobre denúncia de transfobia sofrida por Luana Rayalla, militante do PDT em São Gonçalo, num grupo de mobilização do partido.

A mensagem de Duda segue ao final do post.

A polêmica envolveu, sobretudo, dois membros do PDT:

  • Luana Rayalla, mulher trans, negra, pessoa com deficiência, moradora de São Gonçalo, que fez uma postagem em suas redes sociais denunciando um caso de transfobia.
  • Mariana Cardim, servidora na prefeitura de Niteroi.

Abaixo o link da postagem de Luana. Segundo fontes do blog, o caso agora está sob análise da comissão de ética do partido.

Ela também postou em seu twitter:

Abaixo, o comentário de Duda Salabert ao Cafezinho:

Duda Salabert:

“Nós não podemos tratar como pontual algo que é estrutural. Então, transfobia, racismo, machismo, xenofobia, não são problemas de um partido específico. São problemas que estão na sociedade, nos partidos em geral, e também nos movimentos sociais. O que essa postagem da Luana expôs é uma linha de pensamento que há em setores do chamado feminismo radical. E estes setores não reconhecem as travestis e transexuais como mulheres porque eles projetam sobre a sociedade um olhar biologizante e genitalizante, reduzindo os corpos a genitália. E nós do movimento trans reconhecemos que essa linha de pensamento é discriminatória e violenta. Então, cabe a nós do campo progressista superar esse tipo de visão e entender que nós, seres humanos, somos seres biopsicossociais. Daí, entender a experiência trans como um dado da nossa sociedade e que em momento algum estamos rivalizando com as mulheres cis, pelo contrário, a nossa luta fortalece a luta do feminismo em geral.

E as ativistas que estão ligadas e alinhadas a esse pensamento trans excludente que há em setores do feminismo radical, também estão em vários partidos do campo progressista. Um exemplo foi em 2017 ou 2016 quando a Daniela Andrade, uma grande ativista trans reconhecida nacionalmente, que foi perseguida pelo próprio PSOL por essas ativistas alinhadas a esse tipo de pensamento. Mas é importante ressaltar que essa linha de pensamento dentro do feminismo radical é minoria e também no feminismo. Esse é o momento de nós aprofundarmos o debate afim de superar esse tipo de pensamento discriminatório dentro do nosso campo”.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Régis Ariosto

16 de maio de 2022 às 11h29

Caramba, além de vazio de argumentos, como escreve mal o Dudão Vai Corinthians!

Responder

Maria Leon

14 de abril de 2022 às 23h44

Gerador de lero lero ligado
Vai curintiaaa
Dudão o terror das sobrancelhas

Responder

Deixe um comentário

O Xadrez para Governador da Bahia O Xadrez para Governador de Minas Gerais O Xadrez para Governador de São Paulo O Xadrez para Governador do Rio de Janeiro Novo Presidente da PETROBRAS defende preços altos Cadê o churrasco do povo, Bolsonaro? Preço explodiu! Conservadores? A atual juventude brasileira O Indulto sem Graça de Bolsonaro Os Principais Eleitores de Lula Os Principais Eleitores de Ciro Gomes