Sentença que libertou Pizzolato cita Laudo 2828 e Inquérito 2474 - O Cafezinho

O Cafezinho

terça-feira

4

novembro 2014

74

COMENTÁRIOS

Sentença que libertou Pizzolato cita Laudo 2828 e Inquérito 2474

Escrito por , Postado em STF

ScreenHunter_04 Nov. 04 18.10


 

 

Alexandre Teixeira, do blog Megacidadania, enviado especial da blogosfera à Itália, obteve a íntegra da sentença da Corte de Apelação de Bolonha, que libertou Pizzolato, publicada abaixo com exclusividade, no Cafezinho.

Os juízes Donatella Di Fiore, presidente da seção, e Marinella De Simone e Danila Indirli, foram bastante prudentes para não produzir um peça que desmoralizasse a instância judicial máxima do Brasil.

O STF pode respirar aliviado, por enquanto.

A sentença da Justiça italiana sobre Pizzolato ainda não derruba a Ação Penal 470, mas abala alguns de seus pilares, ao fazer menção direta a documentos que foram ocultados, ignorados, ou mesmo distorcidos pela acusação e pelo STF.

Admito que exagerei, em posts recentes, quando disse que a ocultação de documentos teria sido determinante para a decisão de soltar o réu. Eu me baseei apenas em matérias de jornais italianos.

O tribunal não aceitou esse ponto da defesa, mas foi por pouco.

trechosentenca


 

Os juízes mencionam a ocultação do Laudo 2828, que foi subtraído do procedimento principal (o inquérito 2245, que depois se tornaria a Ação Penal 470) e jogado para dentro do Inquérito 2474, mantido sob sigilo de justiça.

Entretanto, para salvar a honra do STF brasileiro, o tribunal de Bolonha desconsidera  o fato de Pizzolato só ter tido acesso ao Laudo 2828 após a aceitação da denúncia pelo STF.

Os italianos também não levaram em conta que, sendo um processo extremamente midiatizado, o conhecimento do Laudo 2828 pela opinião pública poderia ter mudado os rumos do julgamento.

A melhor coisa, para Pizzolato, é que a sentença cita o ponto principal do Laudo 2828, realizado pela Polícia Federal a pedido do próprio STF: a não participação do ex-diretor de marketing na movimentação de recursos do Visanet.

O nome de Pizzolato sequer é citado no Laudo, que traz, ao contrário, documentos provando que o responsável pelo Fundo Visanet, na época dos supostos desvios do Visanet, era Leo Batista dos Santos.

ScreenHunter_01 Nov. 04 18.00


 

Só isso é bem mais do que a imprensa brasileira fez em quase dez anos de cobertura do mensalão. Fizeram milhares de infográficos, desenhos interativos, mas jamais mencionaram o Laudo 2828 ou o inquérito 2474.

 

terça-feira

4

novembro 2014

74

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

74 COMENTÁRIOS

  1. rubens severino batistar
  2. Paulo Pereira Cezar
    • Arlindo
  3. Dani
  4. Gilson lopes
  5. Manu
    • Miguel do Rosário
      • Manu
      • Oscar Müller
  6. maria nadiê rodrigues
  7. Vanderlei
  8. Sandy
  9. José Neto
  10. Messias Franca de Macedo
  11. Messias Franca de Macedo
  12. Messias Franca de Macedo
  13. Messias Franca de Macedo
  14. Ricardo Matos
  15. Messias Franca de Macedo
  16. Messias Franca de Macedo
  17. Luiz Antonio Barbosa
  18. Samurai
  19. solange
    • Luís CPPrudente
  20. carlos
    • Luís CPPrudente
    • ana13
  21. Mauricio
  22. Vitor
    • Eduardo Souto Jorge
      • Honestino
    • Miguel do Rosário
    • Miguel do Rosário
    • Wilsoleaks Alves
  23. ricardo silveira
  24. Carlos Eduardo
  25. sergio m pinto
  26. Heitor
  27. Auf
    • Tião Macalé
    • Kaká
    • Miguel do Rosário
      • Jaide
  28. fernando soares