Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

Padilha e a batalha da comunicação

Por Miguel do Rosário

28 de abril de 2014 : 11h25

Isso já está ficando repetitivo. A grande batalha do campo popular e progressista para ampliar seu espaço político no país é contra a mídia corporativa, que manipula as informações de maneira sistemática, sem nenhum escrúpulo.

O estado de São Paulo é a principal fortaleza tucana e de seus tentáculos na mídia. Ou talvez seja mais exato dizer que o estado de São Paulo é a principal fortaleza da mídia e seus tentáculos políticos. O PSDB, hoje, é um tentáculo político controlado pelos barões da mídia, que por sua vez representam setores poderosos da economia, ligados ao rentismo internacional e aos interesses americanos.

Padilha e o dragão que assassina reputações

Por Renato Rovai, em seu blog.

Alexandre Padilha e sua candidatura estão sofrendo um bombardeio midiático por conta de seu nome ter sido citado na investigação da PF no caso da investigação do doleiro Alberto Youssef. A citação por enquanto se apresenta como algo solto, sem nenhum indício concreto de que tenha resultado em vantagem a partir do ministério da Saúde para os indiciados. Muito diferente do que se tem no caso Alstom-Siemens, onde há confissão de culpa de empresas e personagens centrais do esquema, que citam um cartel operando a partir de interesses de grãos-tucanos do Estado.

A desproporção no tratamento desses episódios é mais uma demonstração de como a mídia tradicional perdeu completamente a vergonha de atuar como um partido político. E como o faz em bloco e em uníssono para ajudar aqueles que considera seus aliados e para atacar os que enxerga como adversários.

Padilha que se prepare, ele é o alvo da vez. Uma avalanche de histórias vão ser costuradas para desconstruí-lo numa narrativa típica das novelas policiais. Uma citação aqui, um assessor que foi parar ali, um torpedo encaminhado por acolá. E de repente um deputado pede uma CPI e a sempre combativa PF vaza mais um relatório de alguém que está buscando uma delação premiada. E o monstro esta posto a mesa.

A reputação muitas vezes construída por um longo período de atividade pública é demolida sem que se tente verificar até onde está se fazendo justiça com o acusado. O que se pesa é o que está em jogo. E no caso de Padilha, por mais que ele tenha distribuído sorrisos aos donos da mídia paulista, trata-se de um inimigo.

É esse o espaço que lhe reservam no álbum de figurinhas públicas.

Os donos da tradicional mídia paulista não aceitam cogitar que no Palácio dos Bandeirantes haja um petista no comando. E vão abater quem estiver no caminho para que isso não ocorra.

A candidatura de Alckmin está muito fragilizada. E contas feitas, já se percebeu que num segundo turno quem vier a disputar com ele pode levar. Até porque das torneiras paulistas vai estar saindo ar para tomar banho e escovar os dentes em futuro muito breve.

Ou seja, o PT não pode ir ao segundo turno. Cabe um Skaf, mas não um petista.

E sendo assim, Padilha não vai ter descanso.

Se quiser ser um candidato vivo e não um espectro de candidato, Padilha terá que mostrar que não tem receio de enfrentar o dragão. No caso, o esquema midiático do estado. É com essa mídia que transforma uma citação num crime e um cartel numa bolinha de papel que se dará a disputa. Ela é a verdadeira adversária.

alexandre_padilha

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

9 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Antonio

29 de abril de 2014 às 17h24

O problema é que jornais e revistas são fornecedores dos tucanos e eles não querem perder a teta do governo Tucano.São milhões em assinaturas e propaganda em TV e jornais e revistas, para manipularem o funcionário do estado e as pessoas que acessam as repartições públicas.

Responder

Luciano Fernandes Bezerra

29 de abril de 2014 às 20h10

QUEM ASSISTIU ONTEM AO PROGRAMA ‘RODA VIDA’, DA TV CULTURA DE SAO PAULO, PÔDE COMPROVAR A CAPACIDADE DO FUTURO GOVERNADOR DO ESTADO. CALOU TODOS OS URUBUS DO PIG.

Responder

elizabeth pretel

29 de abril de 2014 às 12h54

Também concordo que o Padilha foi muito bem ontem no roda morta.

Responder

Guilherme Scalzilli

29 de abril de 2014 às 12h03

Sujeira

Alguma coisa parecia meio estranha na tal operação Lava Jato da Polícia Federal. Primeiro a suposta participação de um ex-delegado, atualmente deputado oposicionista, no vazamento de informações à imprensa. Depois a completa omissão do noticiário a respeito dos convênios assinados pela gestão José Serra, no ministério da Saúde, com o mal afamado laboratório Labogen, que teria centralizado as transações ilegais.

Eis que agora apareceu o rabicho político-partidário das investigações. Bem na semana em que a propaganda do PT vai ao ar, criticando o desgoverno tucano de São Paulo, surge um elo “comprometedor” do escândalo com Alexandre Padilha, o pré-candidato petista no estado. Pura coincidência, evidentemente. Afinal, é a primeira vez que o nome de Serra aparece relacionado a uma investigação da PF que atinge seus adversários em pleno ano eleitoral…

Alguém poderia até gastar neurônios debatendo a relevância da refutada indicação do tal assessor para um cargo no laboratório, sabendo o que sabemos dos bastidores da administração pública brasileira. Mas já pouco importa o grau verdadeiramente jornalístico do factóide. Estão todos em campanha: para preservar o PSDB no Palácio dos Bandeirantes vale qualquer apelação. Não há debate possível nesse festival de hipocrisias.

Os articuladores da candidatura de Padilha podem comemorar a transformação da insignificância em mote propagandístico. É, no mínimo, um sinal de que suas pretensões incomodam a direita midiática a ponto de obrigá-la a chafurdar no ridículo.

http://www.guilhermescalzilli.blogspot.com.br/

Responder

Sílvia

29 de abril de 2014 às 10h40

Assisti ao Roda Viva. O meu futuro governador se saiu muito bem. Gostei muito do que ouvi. Parabéns DR PADILHA.

Responder

Fabio

29 de abril de 2014 às 10h29

Espero que um dia o PT acorde desse sono profundo.

Responder

Luciano

29 de abril de 2014 às 09h05

Ontem Padilha foi ao programa “Roda morta” falou muito bem dá pra ver porque a mídia tem medo dele.

Responder

28 de abril de 2014 às 21h14

Olha bem que a DILMA E O LULA E TODO O PT merecem isso tudo. Eles não sabem ir pra cima dessa corja. Nunca vi lideres tão fracos como são esses do PT. Cadê um canal de tv pro PT e o povo falar as verdades. Cadê ??? Vão ficar a vida inteira no poder e não se armam contra os inimigos. Daqui a pouco tá DILMA, LULA e todos do PT presos somente por acusações feitas pela GLOBO. BÃO PRA CARA DELES….KKKK

Responder

Joao Santos

28 de abril de 2014 às 20h42

Também acredito em Papai Noel: http://migre.me/iYot1

Responder

Deixe um comentário

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?