Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Com medo de perder ainda mais força, Temer se afasta de golpistas pró-impeachment

Por Miguel do Rosário

12 de janeiro de 2016 : 13h14

[s2If !current_user_can(access_s2member_level1) OR current_user_can(access_s2member_level1)]

Análise Diária de Conjuntura – Manhã – 12/01/2016

As delações da Lava Jato continuam pautando a grande mídia. E vice-versa. A grande mídia continua pautando a Lava Jato.

Mas a profusão de delações sem prova, vazadas seletivamente, para os mesmos jornais, e com um timing calculado, tem desprestigiado cada vez mais a investigação. [/s2If]

[s2If !current_user_can(access_s2member_level1)]
Para continuar a ler, você precisa fazer seu login como assinante (na coluna da direita; ou abaixo da seção de comentários, se você estiver lendo pelo celular). Confira aqui como assinar o blog O Cafezinho. Qualquer dúvida, entre em contato com a Thamyres, no assinatura@ocafezinho.com. [/s2If]

[s2If current_user_can(access_s2member_level1)]

A tentativa desesperada de recriar um ambiente de crise política não está dando certo. O esforço se dá porque se entende que o recesso parlamentar, ao tirar o impeachment da pauta, dá oportunidade para o governo assumir a iniciativa e propor pautas propositivas. Isso não pode acontecer. A crise tem de continuar. Esse é um imperativo para uma mídia decadente.

A tal “onda conservadora”, que estaria prestes a varrer a política latino-americana, revela-se senão uma falácia, ao menos um exagero.

Há, naturalmente, desgaste dos governos progressistas, incluindo o do Brasil.

O que há é um esforço desonesto do partido político da elite, representado pelas mídias corporativas, de insuflar, junto à população mais pobre, seus preconceitos mais vulgares, com um objetivo político.

Esse foi o esforço por trás do fortalecimento de Eduardo Cunha.

Ao fazê-lo, porém, a mídia mobiliza um apoio efêmero de um setor da população, mas irrita a classe média liberal, a mesma que a mídia tinha conseguido mobilizar contra o PT.

Os interesses e as características da sociedade brasileira são por demais diversificados e complexos para serem totalmente dominados por algum grupo político. Essa é principal vacina que a nossa democracia oferece contra os usurpadores da soberania popular.

No Globo de hoje, lemos notícias, dadas quase de má vontade, sobre o declínio político de Michel Temer e de todos os golpistas dentro do PMDB, ao mesmo tempo em que a ala anti-golpe do partido, liderada por Renan Calheiros, no Senado, e Leonardo Picciani, na Câmara, ganham cada vez mais desenvoltura.

Todos os sinais indicam que esta ala antigolpe emergirá com muito mais força após o recesso.

Leonardo Picciani, além do apoio maciço que tem dos deputados fluminenses, estaduais e federais, em virtude da influência sobre eles do governador Pezão e do prefeito Eduardo Paes (ambos são pilares anti-golpe dentro do PMDB), está articulando agora o apoio do PMDB mineiro, que está rachado.

Em Minas, o governador Fernando Pimentel tem folgada maioria na Assembléia Legislativa, bons índices de aprovação popular, e acaba de registrar uma grande vitória política sobre as conspirações midiático-judiciais: a Procuradora Geral da República se manifestou contra o indiciamento de Pimentel, numa investigação conduzida por um dos núcleos tucanos da PF, em Minas Gerais, contra o governador. Mesmo se a PF o indiciar, será um indiciamento com menos força, e com mais possibilidade de ser derrubado no Supremo Tribunal Federal (STF).

A vitória fortalece Pimentel e, com isso, faz com que ele possa participar, com mais assertividade, da luta política para disciplinar o PMDB mineiro, derrotando a ala golpista aliada de Eduardo Cunha e Aécio Neves.

Com Minas e Rio sob controle, o PMDB antigolpista poderá ajudar o governo Dilma a esmagar o impeachment, cuja votação foi marcada para março, e fazer o país reencontrar a estabilidade.

As mesmas reportagens informam que Michel Temer, vice-presidente, afastou-se das articulações pró-impeachment, com medo de perder a presidência do PMDB.

Mas essa presidência já está bastante comprometida, e o novo presidente do partido deverá ser Renan Calheiros.

O Globo de hoje publica um editorial (sob o banner da Petrobrás, anunciante quase único do jornal) em que revela seu desconforto com o novo trunfo do governo: após ter pago as pedaladas, o governo deu um drible extraordinário nos urubus da recessão, porque esse pagamento liberou uma montanha de crédito novo para os bancos públicos, que poderão ajudar a alavancar a economia brasileira este ano.

O Globo, viciado em crise e em golpe, está desesperado com a possibilidade do governo destravar os investimentos públicos, reativar o crédito e fazer a economia voltar a crescer.

Imersos numa campanha apocalíptica violentíssima, os barões da mídia não querem saber de recuperação. O exemplo de Macri, na Argentina, porém, já mostrou que tudo não passa de uma grande farsa política.

Se o PSDB voltasse, via golpe, a governar o país, todas as pautas negativas seriam derrubadas, e os jornalões voltariam a noticiar coisas boas, oferecendo esperança e soluções.

Outro trunfo do governo são as sobras de 2015, ano em que, quiçá por conta da crise política, bilhões de reais já aprovados não foram executadas para áreas estratégicas, como a infra-estrutura urbana.

arte12bra-211-dffgts-a2

É um dinheiro que servirá para irrigar a economia brasileira este ano, sem risco de sobrecarregar as contas públicas, visto que já está aprovado.

O varejo brasileiro teve um ano relativamente ruim, segundo a Serasa Experian, com queda de 1%.

Mas queda de 1% não é nenhum fim de mundo. Os jornais carregam na comparação que já ficou gasta: pior resultado desde 2002. Só que em 2002, a retração foi de 4,9%.

ScreenHunter_294 Jan. 12 12.57

A melhor notícia dos últimos dias é a disposição do governo de reativar o Conselhão, e mais ainda a de que ele será reformado, com a inclusão de nomes ligados à ciência e às novas tecnologias.

ScreenHunter_295 Jan. 12 13.00

Embora as perspectivas ainda sinalizem dificuldades econômicas para este ano, quase todas elas estão concentradas no primeiro semestre. Para o segundo semestre, há grande expectativa de início da recuperação econômica, que refletiria já num razoável crescimento econômico em 2017.

Até junho, todos os golpismos deverão ser esmagados, inclusive pela iminência de novas eleições, livres e democráticas, e só isso servirá de grande ajuda para a reativação da economia.

Eu quero acreditar, portanto, que podemos ter algumas surpresas boas até o fim do ano. Os urubus do mercado e suas previsões podem se frustrar.

(Fonte da foto.)

[/s2If]

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

41 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Francisco Das Chagas Lemos

14 de janeiro de 2016 às 00h17

Ele tá é ferrado.

Responder

Eliezer Araújo

13 de janeiro de 2016 às 01h15

Não acredito.

Responder

Maria Regina Novaes

12 de janeiro de 2016 às 23h54

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Responder

Marco Antonio Poletto

12 de janeiro de 2016 às 23h52

Termeu…

Responder

Jorge Do Prado

12 de janeiro de 2016 às 23h51

Em nenhum momento.houve.a menor possibilidade de impedimento.O pmdb nao quer isso.

Responder

Marconi Barreto

12 de janeiro de 2016 às 22h21

Tarde demais playboy

Responder

Messias Franca de Macedo

12 de janeiro de 2016 às 19h02

… Enquanto isso a dupla Janot/Teori “fomenta as reuniões de uma dupla de vigaristas conspiradores”!

$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

CUNHA SE REÚNE A PORTAS FECHADAS COM TEMER

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, tem aproveitado o recesso parlamentar para articular dois movimentos em Brasília: o do pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff, e o de salvar sua própria pele no Conselho de Ética da Casa, onde corre processo que pede a cassação de seu mandato; nesta terça-feira ele se reuniu com o vice-presidente da República e presidente do PMDB, Michel Temer, que ainda está em cima do muro com relação à tentativa de golpe orquestrada pelo PSDB e capitaneada por Cunha

12 DE JANEIRO DE 2016 ÀS 17:39

(…)

FONTE [LÍMPIDA!]: http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/213025/Cunha-se-re%C3%BAne-a-portas-fechadas-com-Temer.htm

Responder

Jaci Gouvea

12 de janeiro de 2016 às 20h16

Não acredito que a Dilma saia com impeachment… nesse paiszinho de quinta categoria não existe gente suficientemente honesta e correta pra tirar ou substituir quem quer que seja!!!

Responder

Messias Franca de Macedo

12 de janeiro de 2016 às 17h28

… *Este, sim, é delator “de mão cheia”!
Os DEMoTucano [eduardo] AZARedo, ‘Aécio Furnas Forever’, (S)erra, FHC et caterva deveriam rezar dia e noite/noite e dia para os golpistas não acatarem o pedido de delação!
Entenda

$$$$$$$$$$$$$$$

DEFESA CONFIRMA: *MARCOS VALÉRIO QUER FAZER DELAÇÃO

Advogado de defesa disse que o publicitário está disposto a colaborar com as investigações da Operação Lava Jato caso seja feito um acordo de delação premiada; segundo Marcelo Leonardo, há uma negociação para viabilizar um acordo; no fim do ano passado, os procuradores da força-tarefa da operação manifestaram interesse em ouvir seu cliente, informou o advogado

12 DE JANEIRO DE 2016 ÀS 14:25

Michèlle Canes – Repórter da Agência Brasil

(…)

FONTE: http://www.brasil247.com/pt/247/parana247/212998/Defesa-confirma-Marcos-Val%C3%A9rio-quer-fazer-dela%C3%A7%C3%A3o.htm

Responder

Gf Andrezão

12 de janeiro de 2016 às 19h27

Ué ta com medinho temer…

Responder

Gugu Mello

12 de janeiro de 2016 às 19h20

– Naquele velho provérbio do feitiço se voltar contra o feiticeiro, a Veja com a sua última e nefasta capa, mexeu num vespeiro e ainda cutucou a onça com vara curta nessa onda de delação que começa a envolver tucanos. Certo eh que, pode ter esgotado a paciência do maior barril de pólvora hoje nesse imbróglio sem fim: – MARCELO ODEBRECHT .

Responder

Messias Franca de Macedo

12 de janeiro de 2016 às 17h19

TRAIDOR-mor da nação [em frangalhos] e vice decorativo, AMIGO DE FHC, (S)erra, ‘CU(nha)’ do [Aécio] ‘Never’ et caterva agora posa de golpista arrependido!
ENTENDA “o cartista”, arrivista e cínico!

$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

Aliados dizem que Temer se arrependeu de carta enviada a Dilma

Brasília

12/01/2016 13h07

O vice-presidente Michel Temer tem reconhecido a interlocutores que teria se precipitado ao enviar uma carta de desabafo à presidente Dilma Rousseff no início de dezembro, poucos dias após a abertura do processo de impeachment da petista na Câmara. Na opinião de auxiliares, o peemedebista dá sinais de que reconhece que a forma como escreveu alguns trechos do texto foi equivocada.
Segundo um aliado, Temer avalia que poderia ter redigido a carta de maneira diferente….
(…)

FONTE: http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-estado/2016/01/12/aliados-dizem-que-temer-se-arrependeu-de-carta-enviada-a-dilma.htm

Responder

Patrice L

12 de janeiro de 2016 às 16h50

O truque já não surpreende! É só um desses propineiros colocar FHChado e Ah É Sim na roda que os tucanos das várias esferas tratam de remexer seu repertório de acusações infundadas ao Lula e ao Fernando Pimentel.

Responder

Daise Aparecida Vilela Tostes

12 de janeiro de 2016 às 18h39

Devemos ser lúcidos. Os Partidos Políticos que aí estão, perderam a credibilidade popular.

Responder

Nancy Maria Della Santa Coneglian

12 de janeiro de 2016 às 17h54

Patético

Responder

Leo Sérgio Campos

12 de janeiro de 2016 às 17h43

leia toda a matéria e fique por dentro dos fatos, muito importante, leia até o fim.

Responder

Tida Andrade Tida

12 de janeiro de 2016 às 17h31

Outro GOLPE !!!!!!

Responder

J Stélio Carvalho

12 de janeiro de 2016 às 17h04

Responder

Eli F. Eli

12 de janeiro de 2016 às 16h45

O vira lata ja enfiando o rabinho entre as pernas..!!!!

Responder

Rodolfo Souza

12 de janeiro de 2016 às 16h32

para aqueles que gostam de criar factóides a melhor sugestão é vão trabalhar que tudo se resolve!!!!

Responder

Edmundo Camargo

12 de janeiro de 2016 às 16h18

Chamar um governo que depende de Renan Calheiros e dos Piccianis para sobreviver, de progressista, é no mínimo desonestidade intelectual.

Responder

    Gerson Pompeu

    12 de janeiro de 2016 às 16h39

    Com esse verdadeiro Cavalo de Troia que elegeram para o Congresso, você queria o que?

    Responder

    O Cafezinho

    12 de janeiro de 2016 às 16h47

    A vida é dura, Edmundo. Tem que governar com quem foi eleito. Democracia tem seu preço

    Responder

      Baron

      12 de janeiro de 2016 às 16h17

      Não dá para pagar o preço da Dilma. Ela é ruim demais…

      Responder

    Edmundo Camargo

    12 de janeiro de 2016 às 16h58

    Só que, no momento em que o governo conta com Collor, Barbalho, Sarney, Calheiros e queijandos como base aliada, todo discurso e a ação política, perde a força progressista.
    Ouso dizer, mesmo sob pena de ser execrado, que se a vaidade humana de Lula e FHC não impedissem, uma aliança com o PSDB, traria muito mais progresso para o Brasil.

    Responder

    O Cafezinho

    12 de janeiro de 2016 às 17h09

    o PSDB não quer saber de acordo. Quer golpe e não tem interesse nenhum no progresso, infelizmente. quer mais é crise e recessão, para terminar de vender nosso patrimonio aos eua

    Responder

    Edmundo Camargo

    12 de janeiro de 2016 às 17h16

    O PSDB em sentido contrário, acha que o PT não quer saber de acordo, e que deseja a estatização total da economia brasileira.
    As duas posições não correspondem a realidade.

    Responder

Giovanni Pedroso

12 de janeiro de 2016 às 16h18

Esse Temer vai levar o resto do mandato jogando partidinha de WAR no seu gabinete, não terá mais nada pra fazer…rsrs.

Responder

Renato Teixeira Elliacha

12 de janeiro de 2016 às 16h16

Partido dos traíras….

Responder

De Vito Maria de Jesus

12 de janeiro de 2016 às 16h14

Deveria perder a Presidência do PMDB em março. Traira.

Responder

Julio Avz

12 de janeiro de 2016 às 16h09

que louco né, pro pt tudo é golpe: o caseiro do lula era golpe, o churrasqueiro também foi gole (facada pelas costas como ele costuma dizer), motorista, secretários… tudo golpe.
Nunca antes na historia deste país um golpe deu um golpe no golpe, é a frase que falta.

Responder

    Diego Toledo

    12 de janeiro de 2016 às 16h11

    Chame de golpe, chame de impeachment, o importante é que #Dilmafica, saíremos mais fortes da crise e em 2018 o povo escolhe quem quiser.

    Responder

    Julio Avz

    12 de janeiro de 2016 às 16h16

    Diego Toledo não chamo de golpe, o cafezinho que chama!!!
    Mas com ou sem Dilma o Brasil não se recuperará tão cedo, não com as medidas que vem tomando.
    E com toda certeza, o povo escolhe quem quer!!

    Responder

    Yara Nastari Guardado

    12 de janeiro de 2016 às 16h35

    Julio Avz e vc continua aqui enchendo o saco

    Responder

    Eleonora Paulo de Oliveira

    12 de janeiro de 2016 às 17h34

    Eessa turminha que defende o PT nao perde em nada para a turminha do Maluf, Cunha, Sarney…so muda o endereço…sao verdadeiros golpistas, que defendem o estelionato eleitoral! Se o povo escolhe quem wuiser, entao sejam HONESTOS(mesmo que essa palavra nao faca parte do dicionario petista)…e porwue tem tanto medo de uma outra eleicao? Porque aabem que no levam mais de 10%!! A proposito, se venceram foi unica e exclusivamente gracas o pmdb…tudo da mesma corja!!!

    Responder

    Eleonora Paulo de Oliveira

    12 de janeiro de 2016 às 17h34

    No mais, penso como o Lula: https://youtu.be/L-k0dzeDWvo

    Responder

    Leo Sérgio Campos

    12 de janeiro de 2016 às 17h47

    PRIVATARIA TUCANA É GOLPE, MENSALÂO TUCANO É GOLPE , REELEIçÂO a 200,000 cada voto, É GOLPE , O PSDB foi financiado em sua campanha pelas mesmas empreiteiras, e muito mais . aí pode, né?

    Responder

    Julio Avz

    12 de janeiro de 2016 às 23h29

    Leo Sérgio Campos se você defende uma posição equiparando com outra que você critica (e chama de golpe)… então o que você defende não faz sentido.

    Responder

Deixe um comentário