Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Mercadante divulga trechos omitidos por Veja

Por Redação

16 de março de 2016 : 11h09

Foto: Valter Campanato / Agência Brasil

Ministro da Educação divulga íntegra dos áudios gravados por José Eduardo Mazagão, assessor do senador Delcídio Amaral (PT-MS) e divulgados em delação premiada; neles, fica claro que Aloizio Mercadante não tentou impedir a delação; "Tem que construir uma saída para ele sair de lá. Uma saída viável. Se ele tá ameaçando a delação… mesmo que ele queira fazer. Eu não vou entrar nisso. A decisão é dele. É um direito dele, ele faz o que achar que deve", declarou Mercadante, em um trecho omitido por Veja; "Só dá pra fazer coisa na legalidade, com transparência, com consistência, porque senão não vai prosperar", acrescentou o ministro, em outro trecho que não foi divulgado

no Brasil 247

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, divulgou uma nota com trechos de conversas que teve com José Eduardo Mazagão, assessor do senador Delcídio Amaral (PT-MS), que foram omitidos pela revista Veja quando publicou reportagem sobre o tema nesta quinta-feira 15.

Nos trechos divulgados pelo ministro, fica claro que ele não tentou impedir a delação. "Tem que construir uma saída para ele sair de lá. Uma saída viável. Se ele tá ameaçando a delação… mesmo que ele queira fazer. Eu não vou entrar nisso. A decisão é dele. É um direito dele, ele faz o que achar que deve", diz.

"Só dá pra fazer coisa na legalidade, com transparência, com consistência, porque senão não vai prosperar", acrescentou o ministro, em outro trecho da conversa que não havia sido publicada. 

Abaixo, a íntegra da nota:

Nota de Esclarecimento

1)   Em relação à matéria veiculada pela revista Veja, em 15/03/2016, o Ministro Aloizio Mercadante esclarece que:

a)   Tomou uma iniciativa de caráter eminentemente pessoal e política de solidariedade, especialmente em relação à família do senador Delcídio, que foi alvo de uma ampla exposição na internet, após a sua prisão;

b)   Jamais tentou impedir a delação do senador Delcídio do Amaral;

c)   Deixou claro que não se envolveria na defesa dele no processo judicial;

d)   Defendeu que qualquer procedimento de defesa se desse com legalidade, transparência e consistência;

e)   Jamais intercedeu junto a qualquer autoridade do Poder Judiciário, Ministério Público ou Senado Federal pelo senador Delcidio do Amaral;

f)    A menção às autoridades foi no contexto, a partir de sua experiência como ex-senador, da defesa construir uma tese que ensejasse uma nova manifestação do Senado;

2)   O ministro Aloizio Mercadante repudia com veemência a tentativa do senador Delcidio do Amaral e de seu assessor, Eduardo Marzagão, de transformar um gesto de solidariedade, em momento de grande dificuldade pessoal, em elemento jurídico em busca de um benefício judicial, razão pela qual adotará todas as medidas judiciais cabíveis em face de ambos.

3)   por fim, o ministro já se colocou imediatamente à disposição da PGR, do STF e do Congresso Nacional para prestar todos os esclarecimentos necessários.

4)   A fim de ser reestabelecida a verdade ressaltamos alguns trechos transcritos do áudio e outros omitidos na transcrição da reportagem da revistaVeja:

a)   Não houve qualquer tentativa de impedir a delação do senador: “tem que construir uma saída para ele sair de lá. Uma saída viável. Se ele tá ameaçando a delação… mesmo que ele queira fazer. Eu não vou entrar nisso. A decisão é dele. É um direito dele, ele faz o que achar que deve.”(Trecho omitido)

b)   Mas é o seguinte, eu não tenho nada a ver… o Delcídio… zero… não tô nem aí se vai delatar, não vai delatar, não tô nem aí…” (Trecho publicado)

c)   Defesa do processo dentro da legalidade: “só dar pra fazer coisa na legalidade, com transparência, com consistência, porque senão não vai prosperar (Trecho omitido)

d)  Não houve interferência na defesa do senador: “Eu não vou me meter na defesa dele. Não sou advogado, não tenho o que fazer, não sei do que se trata, não conheço o que foi feito.” (Trecho publicado)

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

Nenhum comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »


Deixe um comentário