Debate entre presidenciáveis na RedeTV! 22 horas

São Paulo - Ministro do STF, Gilmar Mendes, participa do seminário Parlamentarismo no Brasil: utopia ou possibilidade?, promovido pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Rovena Rosa/Agência Brasil)

O golpe dentro do golpe: Gilmar Mendes dá o sinal para a possibilidade de eleições indiretas em 2017

Por Pedro Breier

20 de setembro de 2016 : 11h18

(Gilmar Mendes. Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)

Por Pedro Breier, correspondente policial do Cafezinho

Otávio Azevedo, ex-presidente da Andrade Gutierrez, afirmou ontem, em depoimento ao TSE, que a empresa pagou R$ 1 milhão em propina à chapa Dilma/Temer na eleição de 2014. O depoimento foi prestado no curso das ações que pedem a cassação da chapa vitoriosa nas eleições, propostas pelo PSDB.

Quanto ao conteúdo do depoimento, mais do mesmo.

É a tentativa de criminalizar apenas as doações à campanha de Dilma, que não resiste a uma simples análise lógica.

Perguntado sobre a diferença entre a doação à campanha de Dilma e à de Aécio ontem, Otávio disse que ‘no caso de Aécio não houve pedido em troca de contrapartida’.

As doações feitas ao PT foram propina mas as feitas ao PSDB foram de coração, ideológicas. Risível.

O valor doado pela Andrade Gutierrez ao diretório do PSDB foi, inclusive, maior que o valor doado diretamente a campanha da Dilma.

O interessante aqui é analisarmos a postura de Gilmar Mendes, o atual presidente do TSE, com relação às ações que podem cassar a chapa Dilma/Temer.

Em janeiro, quando o impeachment de Dilma estava ainda sendo articulado, Mendes afirmou que o TSE provavelmente julgaria as ações de impugnação da chapa ainda no primeiro semestre deste ano.

A cassação da chapa via TSE era um dos caminhos possíveis para derrubar Dilma, já que o sucesso do golpe via parlamento era incerto. Por isso a pressa de Mendes para julgar as contas da campanha.

Agora que o golpe já foi consumado, Mendes afirma que ‘está ficando cada vez mais difícil’ julgar as ações até o fim de 2016.

Além de não haver mais a urgência da derrubada do governo petista, essa procrastinação do julgamento das contas da chapa Dilma/Temer serve muito bem aos interesses do PSDB.

Gilmar Mendes, indicado por FHC para o STF, é notoriamente o grande militante tucano no judiciário – no dia último dia 13, aliás, foram protocolados dois pedidos de impeachment de Gilmar justamente por seu partidarismo -.

Após a queda de Dilma, a cassação da chapa vitoriosa nas eleições ainda em 2016 não é mais um bom negócio para o PSDB, porque neste caso seriam convocadas eleições diretas para presidente.

Talvez para Aécio fosse um bom negócio, porque ele ainda tem o recall da última eleição a seu favor, apesar de ter caído vertiginosamente nas pesquisas e ser suspeito de envolvimento em diversos casos de corrupção.

Mas para os demais caciques do PSDB o melhor mesmo é deixar que o julgamento fique para o ano que vem, quando a cassação de Temer provocaria uma eleição indireta (mais uma), com o Congresso elegendo o presidente que ficaria no cargo até o fim de 2018.

As ações no TSE, das quais é Gilmar Mendes, como atual presidente do Tribunal Superior Eleitoral, quem decide quando colocar em pauta, ficariam, assim, pendendo sobre a cabeça de Temer como uma ameaça permanente.

As rusgas entre os golpistas já apareceram. O PSDB e o DEM exigem de Temer uma agenda mais regressiva ainda, especialmente no campo econômico.

Ou Temer adota esta agenda integralmente (com a vantagem, para tucanos e demistas, de Temer ficar com todo o ‘crédito’ pelas maldades), ou pode sofrer o golpe dentro do golpe: ser apeado do poder pelos mesmos aos quais se aliou para derrubar sua companheira de chapa.

Pedro Breier

Pedro Breier, colunista d'O Cafezinho, é formado em direito mas gosta mesmo é de jornalismo. Nasceu no Rio Grande do Sul e hoje vive em São Paulo.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

11 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Anônimo

22 de março de 2017 às 22h47

ANULAÇÃO DAS DELAÇÕES
(A trama da vez)
GILMAR MENDES sai com a mais nova façanha
Com a esdrúxula tese da anulação das delações
O que ele verbera causa espécie e isso estranha
Sinal revelador de que perdeu juízo da sua razão

Ousa fazer notória acusação à Procuradoria-Geral
Culpa-a pelo vazamento do conteúdo das delações
Postura dum Magistrado que nada tem de natural
Para desprezar a independência das instituições

Noticia-se ter afirmado que vazamento é ato sério
E sustentou que ele é pior que um crime cometido
Não lhe incomoda esse tão absurdo despautério
Quer proteger aliado, com ele ficar comprometido

Tudo faz crer que pela mosca azul ele foi picado
Tomou gosto e vaidade com a luz dos holofotes
Isso agrada a parlamentar que está processado
E nele apostam pela coragem do bom consorte

Mas felizmente as investigações da PF e da PGR
É um caminho firme que agora não permite volta
Instituições sérias, sua intimidação não se espere
O povo brasileiro lhes dá apoio nessa reviravolta

No horizonte político a possível eleição indireta
GILMAR MENDES de olho nessa possibilidade
Com o Congresso com ele então comprometido
Mais fácil o sonho presidencial tornar realidade

Mas está em sentido de alerta o povo brasileiro
Com as manobras tão espúrias do jogo do poder
Não se aceitará presidente biônico nesse roteiro
A voz do povo fará a própria vontade prevalecer

Responder

Mario

14 de outubro de 2016 às 15h01

Agora advinha quem será o indireto ? 1 kg de cocaína p quem acertar

Responder

Marcus Mendes

22 de setembro de 2016 às 23h24

Antes de tudo, FORA TEMER.

Responder

Hector Bonilla

21 de setembro de 2016 às 10h54

Primeiramente, FORA TEMER!
Não sou petista, não defendo a Dilma nem o Lula, mas esse GOLPE foi tão escrachado que só quem é cego não o vê. FORA TEMER, FORA GILMAR!

Responder

Marivane

21 de setembro de 2016 às 00h36

Primeiramente FORA TEMER FORA GLOBOLIXO

Responder

João Luiz

21 de setembro de 2016 às 00h35

enquanto se fala no golpe dentro do golpe, milhões de brasileiros ainda nem perceberam o golpe de 2016 contra a presidente Dilma.

Responder

Maria Aparecida Lacerda Jubé

20 de setembro de 2016 às 13h39

Esse enredo foi escrito no dia 27/10/14, nesse dia resolveram que Aécio assumiria o poder de qualquer jeito, no desenrolar dos acontecimentos, foi preciso usar “uma ponte para o futuro” chamada Temer, por isso foi necessário montar o golpe dentro do golpe, a partir de janeiro de 2017, pode queimar a ponte, que já não tem mais serventia e, dar posse ao Aécio na presidência da república, para isso algumas denúncias contra ele foram mandadas para o STF, para o Gilmar arquivar, os possíveis delatores contra ele foram recusados, a Lava-Jato tem se esforçado para mante-lo limpinho,

Responder

    Beth Ripoll

    23 de setembro de 2016 às 21h01

    E o script da novela da Globo “Aécio Presidente” continua sendo seguido à risca. Novos e vergonhosos capítulos serão interpretados pelos atores de Curitiba até 2017, quando teremos o final (IN)feliz dessa tragédia à moda brasileira.

    Responder

Esmael Leite da Silva

20 de setembro de 2016 às 11h44

michel temer você vai ser derrubado no inicio de 2017, devolva a democracia ao Povo Brasileiro renuncie, mostre que é capaz de um gesto político que faça juz á Política e a História, a grandeza deste ato será maior que todas as traições e ignomias que você porventura e por oportunismo tenha praticado. https://uploads.disquscdn.com/images/b42f5783a4bc87d6f2a0b6906bc546c6eb723964af8a2860cc394a4a1c5a1884.jpg

Responder

Deixe uma resposta

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com