Live do Cafezinho: bate papo com o cineasta cearense Wolney Oliveira

Senhores parlamentares acordem: as reservas do pré-sal descobertas pela Petrobras ainda não estão contabilizadas

Por Redação

07 de outubro de 2016 : 09h47

(Charge: Rice)

por Cláudio da Costa Oliveira, economista aposentado da Petrobras

Para justificar a aprovação do PL 4567 temos ouvido os maiores absurdos sobre a empresa. Dizem que está quebrada, que tem a maior dívida do mundo, uma dívida impagável. Dizem que a empresa não tem capacidade financeira de tocar o pré-sal e muitas bobagens mais.

Não preciso lembrar que a Petrobras, apesar da dívida hoje de US$ 90 bilhões, tem um caixa de US$ 30 bilhões , o equivalente a 1/3 desta dívida. Não preciso lembrar que o Plano de Negócios 2017/2021 recentemente apresentado, indica uma geração de caixa de US$ 158 bilhões, ou seja uma média superior a US$ 30 bilhões/ano. Não preciso lembrar que os prejuízos apresentados em 2014 e 2015, foram fruto de ajustes contábeis, altamente contestados, que não geraram nenhuma perda no caixa da empresa (Sobre o resultado de 2015 eu mesmo fiz uma denúncia à CVM, o que gerou o Processo Administrativo “SP-2016-182”, que é público e pode ser acessado no site da CVM, e se encontra em análise). Não preciso lembrar que a Petrobras é detentora da melhor tecnologia e os menores custos para extração de óleo em águas profundas.

Mas preciso lembrar que segundo a ANP nós temos hoje reservas provadas de 40 bilhões de barris. Preciso lembrar que estas reservas ainda não estão registradas no balanço da empresa, pois aguardam testes de longa duração. Preciso lembrar que mesmo nos preços baixos atuais estas reservas equivalem a mais de US$ 1,6 trilhões (US$ 40 x 40 ). Preciso lembrar que os mais renomados geólogos informam que estas reservas ´podem superar 150 bilhões de barris. Preciso lembrar que quem tem estes volumes de reservas e a tecnologia que a Petrobras tem, não encontra problemas para rolar suas dívidas ou obter novos empréstimos.  Preciso lembrar que quando estas reservas forem contabilizadas o patrimônio da Petrobras vai se equiparar aos das maiores petroleiras do mundo, e os indicadores de alavancagem financeira aceitos pelos mais exigentes analistas, inclusive de Wall Street.

Recentemente escrevi um artigo com o seguinte título: “Imaginem uma notícia assim: Vale descobre nova grande jazida de minério em entrega os direitos de exploração para a australiana BHP.”

Claro que a Vale jamais faria isto. Mesmo que não tivesse recurso para explorar a nova jazida, a Vale aguardaria a obtenção dos recursos, pois o minério, como o petróleo, não se deteriora com o tempo.

Vamos falar sério: A PETROBRAS NÃO PRECISA DE AJUDA PARA EXPLORAR O PRÉ-SAL.

Utilizar os desvios ocorridos na empresa e que estão em apuração pela Lava Jato, para criar um “Projeto Lesa-Pátria”, não tem nenhuma lógica. Corrupção em empresas brasileiras, estatais e privadas, sempre ocorreram.

Deixar um concorrente operar no pré-sal tem muitas implicações.  Em recente entrevista o ex-diretor da Petrobras Guilherme Estrella, considerado o responsável pela descoberta do pré-sal afirmou :

“Precisamos entender que o operador de uma área está longe de ser uma equipe técnica que cumpre determinações de quem obteve a concessão para pesquisar e explorar petróleo. Todas as empresas que participam de uma licitação vencedora, mesmo que não tenham a maioria das cotas, adquirem um status de proprietário das instalações, sistemas submarinos, navios de produção, equipamentos, tubulações de transferência. O operador é quem manda e desmanda. São as equipes do operador que , a bordo, embarcadas ou em terra, assumem a coordenação das operações. Também são elas  que apropriam, manuseiam e interpretam todos o dados de engenharia e geologia das rochas que produzem petróleo e gas natural nos sistemas implantados. Este sistema é cuidadosamente tratado pelo operador. Os segredos são guardados a sete chaves, pois são informações absolutamente confidenciais, e apontam para novas descobertas e prioridades de investimentos”  

Então senhores congressistas, ficam as seguintes perguntas:

  1. Porque entregar a operação do pré-sal para petroleiras estrangeiras?
  2. Além das petroleiras estrangeiras, quem mais vai lucrar com isto?

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

7 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Tiago Bevilaqua

08 de outubro de 2016 às 14h15

Isso sem contar os efeitos perversos sobre o desenvolvimento tecnológico e aqueles sobre a cadeia produtiva. Na Carta Capital da semana passada tem um artigo sobre o desmonte da indústria naval. Só uma “pequenina” questão, óbvia: gringo vai fazer alguma coisa no Brasil?
O homem que está ministro das Relações exteriores, que não sabe o que é BRICS, está sumpimpa de satisfeito. Cumpriu o prometido a Chevron!!

Responder

Italo Rosa

07 de outubro de 2016 às 15h26

aviões de guerra, tanques e navios são movidos a derivados do petróleo. Por que o império tanto deseja dominar o pré-sal, com a ajuda pressurosa dos lacaios nacionanis feito o serra, que tinha prometido justamente isso (lembram dos vazamentos do wikileaks?)

Responder

Atreio

07 de outubro de 2016 às 10h30

ótimo artigo.
é tácito.
tá facil pra argumentarmos.
é todo dia na rua ridicularizando os papagaios amestrados dos marinho, boechat, civvita, frias e demais asseclas.
com calma e tranquilidade. com argumentos solidos e fontes idôneas. na paz dos justos. sem agressão. mas temos q falar. vamos vencer – e a vitória será linda!

bravos e justos até avitória, sempre!

Responder

Pedro tiete

07 de outubro de 2016 às 10h28

Deixem que leve depois desapropria tudo,e tem mais daqui dez anos o carro híbrido já será realidade, e o petróleo vai valer dez o barril

Responder

    João Ostral

    07 de outubro de 2016 às 14h05

    É com pessoas iguais a ti que este (des)governo conta. Completamente distantes do mundo real, fáceis de enganar e conduzir. Toda a lorota que difundir é absorvida como verdade absoluta. E ainda mais, contando com um ovo no cu da galinha.

    Responder

    Brasiliano Ramos

    07 de outubro de 2016 às 18h15

    Você é mesmo muito burro! Petróleo para automóvel é um nadica de nada. O grosso do petróleo é para a petroquímica, termelétricas e calefação em lugares gelados. O que está sendo feito com nosso óleo já descoberto e mapeado é um enorme crime. Vão desmontar Mercosul, Brics e voltaremos a ser quintal dos States na idéia desses golpistas.

    Responder

    SIDINEY BRASILEIRO

    08 de outubro de 2016 às 07h01

    Vai se informar melhor coxinha! O petróleo esta presente desde do teu alimento até no seu vestiário, a diferença é que em outros países o imperialismo invade militarmente para tomar essa riqueza que no Brasil a elite bandida e parte do congresso comprado pelo financiamento de campanha entrega sem muito esforço.

    Responder

Deixe uma resposta