Jornal da Forum: Lula quer reindustrializar o Brasil!

13/07/2016- Recife- PE, Brasil- O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participa de ato pela democracia no Recife-PE. Foto: Ricardo Stuckert/ Instituo Lula

CNT/MDA: Lula lidera isolado para 2018

Por Redação

20 de outubro de 2016 : 09h49

Comentário do blog: o único trunfo da direita, como se vê na própria pesquisa, para impedir Lula de se eleger, é a convicção sem provas dos procuradores da Lava Jato. O ex-presidente terá que vencer o Estado de Exceção cujos cães de guarda principais são os grupos de mídia liderados pela Globo.

***

Resultados da 132ª Pesquisa CNT/MDA

Levantamento traz avaliação do governo e do desempenho pessoal do presidente Michel Temer, entre outros temas

A 132ª Pesquisa CNT/MDA, realizada de 13 a 16 de outubro de 2016 e divulgada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), mostra a avaliação dos índices de popularidade do governo e pessoal do presidente Michel Temer.

Esta edição aborda também alguns cenários para a eleição presidencial de 2018 e o grau de confiança da população nos partidos políticos. Traz a opinião dos entrevistados sobre medidas do governo Temer, operação Lava Jato, Ensino Médio, entre outros assuntos.

Foram ouvidas 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 Unidades Federativas, das cinco regiões. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais com 95% de nível de confiança.

Avaliação do governo 
Desempenho pessoal do presidente
Federal: A avaliação do governo do presidente Michel Temer é positiva para 14,6% dos entrevistados, contra 36,7% de avaliação negativa. Para 36,1%, a avaliação é regular e 12,6% não souberam opinar. A aprovação do desempenho pessoal do presidente atinge 31,7% contra 51,4% de desaprovação, além de 16,9% que não souberam opinar.
Estadual: 5,4% avaliam o governador de seu Estado como ótimo. 23,5% como bom, 35,5% como regular, 11,4% como ruim e 19,5% como péssimo.

Municipal: 8,2% avaliam o prefeito de sua cidade como ótimo. 28,1% como bom, 24,4% como regular, 11,9% como ruim e 25,8% como péssimo.

Expectativa (para os próximos 6 meses)

Emprego: vai melhorar: 33,3%, vai piorar: 29,1%, vai ficar igual: 35,0%
Renda mensal: vai aumentar: 25,5%, vai diminuir: 20,9%, vai ficar igual: 50,4%

Saúde: vai melhorar: 25,8%, vai piorar: 32,7%, vai ficar igual: 39,0%
Educação: vai melhorar: 26,2%, vai piorar: 31,5%, vai ficar igual: 39,4%

Segurança pública: vai melhorar: 24,5%, vai piorar: 35,9%, vai ficar igual: 37,8%

CONJUNTURAIS

 

Eleição presidencial 2018 
1º turno: Intenção de voto espontânea
Lula: 11,4%
Jair Bolsonaro: 3,3%
Aécio Neves: 3,1%
Michel Temer: 3,0%
Marina Silva: 2,4%
Geraldo Alckmin: 1,9%
Ciro Gomes: 1,5%
Dilma Rousseff: 1,5%
Outros: 3,0%
Branco/Nulo: 10,6%

Indecisos: 58,3%

1º turno: Intenção de voto estimulada

CENÁRIO 1: Lula 24,8%, Aécio Neves 15,7%, Marina Silva 13,3%, Ciro Gomes 7,4%, Jair Bolsonaro 6,5%, Michel Temer 6,2%, Branco/Nulo 16,9%, Indecisos 9,2%
CENÁRIO 2: Lula 25,3%, Marina Silva 14,0%, Geraldo Alckmin 13,4%, Ciro Gomes 8,4%, Jair Bolsonaro 6,9%, Michel Temer 6,1%, Branco/Nulo 16,1%, Indecisos 9,8%

CENÁRIO 3: Lula 27,6%, Aécio Neves 18,9%, Marina Silva 16,5%, Jair Bolsonaro 7,9%, Branco/Nulo 19,6%, Indecisos 9,5%

2º turno: Intenção de voto estimulada

CENÁRIO 1: Aécio Neves 37,1%, Lula 33,8%, Branco/Nulo: 23,7%,

Indecisos: 5,4%

CENÁRIO 2: Aécio Neves 38,2%, Michel Temer 16,4%, Branco/Nulo: 35,9%,

Indecisos: 9,5%

CENÁRIO 3: Aécio Neves 35,4%, Marina Silva, 29,5%, Branco/Nulo: 28,0%,

Indecisos: 7,1%

CENÁRIO 4: Lula 37,3%, Michel Temer 28,5%, Branco/Nulo: 27,8%,

Indecisos: 6,4%

CENÁRIO 5: Marina Silva 38,1%, Michel Temer 23,7%, Branco/Nulo: 30,2%,

Indecisos: 8,0%

CENÁRIO 6: Marina Silva, 35,8%, Lula 33,2%, Branco/Nulo: 25,5%,

Indecisos: 5,5%

Para 80,3% dos entrevistados, não faz diferença se o presidente da República é um homem ou uma mulher. Já 13,0% dizem que preferem que o presidente seja um homem e 5,7%, uma mulher.

Governo Michel Temer
Comparação governos Michel Temer e Dilma Rousseff 
40,5% dizem que o governo de Michel Temer está igual ao de Dilma Rousseff e não se percebe nenhuma mudança no país. Para 28,1%, está pior e as mudanças feitas pioraram as condições do Brasil. Outros 26,0% acreditam que está melhor por já perceberem mudanças positivas no país.

Para 36,9%, a forma de Michel Temer governar é igual à de Dilma Rousseff. Para 28,8%, é melhor e para 28,3%, é pior.

Sobre o grau de confiança no presidente Michel Temer, 36,4% dizem ser médio. 29,9% consideram baixo e 4,9%, alto. 26,3% afirmam não ter nenhuma confiança em Michel Temer.

32,5% dizem confiar menos em Michel Temer do que em Dilma Rousseff. 32,4% confiam de forma igual e 31,6% confiam mais em Michel Temer.

Sobre a corrupção, 40,8% consideram que será igual nos governos Temer e Dilma. 31,9% acreditam que será menor no governo Temer e 22,7% consideram que será maior.

Áreas que devem ser priorizadas por Michel Temer

Saúde: 60,6%

Educação: 41,5%
Emprego: 36,0%
Segurança: 18,2%
Combate a corrupção: 15,8%
Economia: 8,9%
Habitação: 3,1%
Infraestrutura/obras: 1,9%

Saneamento: 1,4%

Áreas que Michel Temer se sairá melhor que Dilma Rousseff

Economia: 26,3%

Combate ao desemprego: 16,5%
Combate à corrupção: 8,4%
Segurança pública: 5,2%
Infraestrutura/obras: 2,1%

Melhoria de programas sociais: 1,6%

Relação com o Congresso Nacional

58,0% consideram que Michel Temer terá apoio suficiente para realizar mudanças e 29,2% acreditam que não terá.

Medidas Governo Temer

40,9% conhecem ou já ouviram falar a respeito da proposta do governo federal que estabelece um limite máximo/teto para os gastos públicos. Entre eles, 60,4% são a favor e 32,5% são contra.

Lava Jato

89,9% têm acompanhado ou ouviram falar das investigações no âmbito da operação Lava Jato, que envolvem a Petrobras. Nesse grupo, 63,3% consideram que a ex-presidente Dilma Rousseff é culpada pela corrupção que está sendo investigada e 72,7% acham que o ex-presidente Lula é culpado.

Sobre o futuro da operação Lava Jato, 44,8% acreditam que ela não será nem fortalecida nem enfraquecida no governo Michel Temer, permanecendo como está. Para 25,7%, a Lava Jato será fortalecida e 21,2% consideram que será enfraquecida.

Para 39,6%, a Lava Jato está contribuindo para combater a corrupção no Brasil, trazendo benefícios, mas tem sido conduzida de forma parcial. Já 31,6% consideram que a operação contribui para o combate à corrupção, só traz benefícios para o Brasil e tem sido conduzida de forma adequada. E 19,3% consideram que a Lava Jato não está contribuindo para combater a corrupção no Brasil e é uma operação ruim para o país.

Ensino Médio

65,1% consideram que, ao concluir o ensino médio, os alunos não estão preparados para escolher a carreira profissional que seguirão. 31,3% acreditam que sim.

Sobre o ensino médio nas escolas públicas, 41,5% consideram que é razoável. Para 23,7%, é bom. 16,6% avaliam como ruim. 13,1% como péssimo e 2,3% como muito bom.

61,4% consideram que a educação no ensino médio não é atraente e não está adequada para a realidade dos jovens de hoje. 33,8% consideram que é atraente e está adequada.

43,4% estão acompanhando ou já ouviram falar das propostas do governo federal para mudar o ensino médio. Entre eles, 57,3% se consideram razoavelmente informados, conhecendo parcialmente as propostas feitas. Para 58,1%, é necessário mudar a grade curricular do ensino médio no país. 54,6% consideram que o tempo de aula no ensino médio deveria ser maior.

33,3% consideram que a preparação dos jovens nas escolas ocorre com mais foco na preparação para o vestibular/Enem, enquanto que 13,5% avaliam que o foco é na formação para a cidadania. Há ainda 39,1% que consideram os focos equilibrados, tanto para a preparação para o vestibular/Enem como para a formação para a cidadania.

Sobre o que deveria ser priorizado no Ensino Médio, 32,0% consideram que é a formação técnica/profissionalizante.

Política, mídia e partidos

Ânimo com a política

60,5% dos entrevistados se sentem desanimados quando pensam em lideranças políticas no Brasil, pois não acreditam que o país tenha boas lideranças. 25,7% se sentem indiferentes e 12,0% se consideram animados, pois avaliam que há boas lideranças.

Voto obrigatório

68,0% são contra o voto obrigatório e 31,1% são a favor.

Escolha do voto

Na hora de escolherem o candidato para votar, a decisão dos entrevistados é influenciada por: pelas próprias convicções políticas (53,2%); pelas propostas defendidas pelos candidatos em programas eleitorais, debates e outros lugares (50,6%); pelo que lê, vê e ouve na mídia (TV, jornal, revista, rádio, sites de notícia) (16,9%); pelos amigos, colegas e familiares (12,9%); pelo que lê, vê e ouve nas redes sociais (Facebook, Twitter, WhatsApp, etc.) (6,8%); pelo partido do candidato (6,2%); pela Igreja/religião (3,8%).

Isenção da mídia

41,4% consideram que a mídia não é isenta ao noticiar fatos da política do Brasil. Para 29,6%, em alguns momentos a mídia é isenta, em outros momentos não é isenta. 22,4% consideram a mídia sempre isenta ao noticiar fatos da política do Brasil.

Meios de informação

A busca por informações políticas ocorre da seguinte forma: TV (76,4%), internet (25,0%), jornal impresso (11,8%), rádio (10,4%), redes sociais (8,9%) revista (1,2%).

Na internet, a maior parte (31,0%) busca informações políticas por sites de notícia. Em seguida, vêm redes sociais (Facebook, Twitter, WhatsApp) (27,3%), sites oficiais de governos municipais, estaduais e/ou federais (2,6%), sites de partidos e/ou de políticos (1,9%), blogs (1,7%).

Confiança nos partidos políticos

Ao serem questionados sobre o grau de confiança em partidos políticos, 78,3% dizem não confiar em nenhum partido político. 16,1% afirmam que confiam parcialmente em um ou em alguns partidos e 3,7% confiam totalmente em um ou em alguns partidos.

Já ao serem perguntados sobre qual partido político mais confiam, 9,0% citam o PT, seguido por PSDB (4,7%), PMDB (3,6%) e PSOL (1,0%), além de 3,6% que citam outros partidos e de 71,4% que afirmam não ter nenhum partido em que confiam.

Em relação ao partido no qual não votariam jamais, 32,9% citam o PT, seguido por: PSDB (7,8%), PMDB (4,8%) e PSOL (1,3%).

CONCLUSÃO

Os resultados da 132ª Pesquisa CNT/MDA mostram manutenção da avaliação positiva e aumento da avaliação negativa do governo Michel Temer. A intenção de voto para a eleição presidencial em 2018 apresenta liderança do ex-presidente Lula nos cenários para o primeiro turno, porém com desvantagem para ele nas disputas de segundo turno contra Aécio Neves e Marina Silva.

Observa-se, também, desânimo dos entrevistados em relação à ausência de boas lideranças políticas no Brasil e à obrigatoriedade do voto, situação verificada nos altos índices de brancos, nulos e abstenções nas eleições municipais deste ano.

As expectativas para os próximos seis meses apresentam aumento no otimismo, em especial para o emprego e renda mensal, refletindo um início de retomada de confiança da população e dos empresários com o futuro da economia. Há, contudo, pessimismo ainda predominante para saúde, educação e segurança.

Para os entrevistados, as áreas que deveriam ser priorizadas pelo atual governo são: saúde, educação e emprego. Há a percepção de que o ensino médio não é atraente para os jovens e também de que as grades curriculares precisam ser revisadas, com aumento do tempo de aula e maior ênfase na formação técnica e profissionalizante.

A CNT acredita que a retomada dos novos ares de otimismo na economia, em conjunto com fortes investimentos em transporte e infraestrutura, contribuirá para a geração de empregos e renda, auxiliando a alavancagem de desenvolvimento que o país necessita.

Agência CNT de Notícias

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Welbi Maia

21 de outubro de 2016 às 16h20

Enquanto o PT amarga a pior derrota nas urnas desde que ascendeu ao poder, tentam ainda manter o réu Lula como grande salvador. É muito provável que nem candidato ele seja, pois talvez em 2018 esteja cumprindo pena em algum presídio. O que as urnas mostraram nestas eleições é que Geraldo Alckmin é o grande favorito para a presidência em 2018.

Responder

Pinheiro -

20 de outubro de 2016 às 12h11

Mais ta bom que eu acredito nestas pesquisas meia boca. Só os esquerditas (que são poucos mas tem voz na midia) que acreditam que Lula tem a minima chance de ir pro segundo turno em 2018. Talvez tenham que passar por um recall no cerebro mesmo. Quero só ver se a noticia do antogonista vingar o que vai acontecer com os esquerdistas “Lula fugindo do pais” ai acaba de vez mesmo, é ate pior do que ser preso.

Responder

Deixe um comentário

O 2021 de Lula Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro