Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Indicador de alavancagem: a grande farsa do plano de negócios da Petrobrás

Por Redação

21 de dezembro de 2016 : 16h29

Por Cláudio Oliveira da Costa, colunista do Cafezinho

O Plano de Negócios e Gestão (PNG) 2017/2021 da Petrobrás tem como principal meta alcançar o índice de alavancagem 2,5 , considerada a ideal dentro dos conceitos de Wall Street. O indicador é obtido pela divisão da Dívida Líquida pela Geração de Caixa anual.

Entretanto, ocorre que este índice só é válido para empresas cujos projetos de investimento já estão maturados e gozando de uma geração de caixa plena, o que não é o caso da Petrobras.

A fase de grandes investimentos na Petrobras foi de 2010 a 2014 quando foram gastos mais de US$ 200 bilhões (média superior a US$ 40 bilhões/ano) com ênfase no pré-sal. Foi neste período que surgiu a atual dívida da empresa.

Projetos na área de petróleo tem maturação em torno de 10 anos, portanto, é de se esperar que a partir de 2020 os efeitos dos investimentos no caixa da Petrobrás comecem a surtir seus efeitos efetivamente.

A utilização deste tipo de indicador, neste momento, tem o claro objetivo de enganar o povo brasileiro e justificar a venda de ativos preciosos e a redução dos investimentos, entregando o pré-sal para as petroleiras estrangeiras.

A mídia entreguista sempre classificou a Petrobrás como a empresa mais endividada do mundo, com uma dívida impagável etc… Na realidade a dívida da empresa é perfeitamente compatível com a grandeza do projeto pré-sal e sua capacidade financeira. Fazendo um paralelo da situação financeira da Petrobrás com a Vale (que não sofre ataque da mídia), considerando os dados dos Balanços de 2015, obtivemos os seguintes números:

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 2015 – R$ bilhões

Empresa Petrobrás Vale
Receita Bruta 401,32 86,94
Dívida líquida 391,96 108,86
Patrimônio líquido 205,43 139,42
Geração de caixa 73,86 23,65

(*) Geração de caixa = Ebitda ajustado

A dívida da Petrobras (391,96) é praticamente igual a sua receita anual (401,32), já na Vale da dívida (108,86) equivale a 1,25 da receita (86,94), o que, apesar de ser pior que o da Petrobras, é perfeitamente administrável.

O indicador de alavancagem utilizado no PNG da Petrobras  (dívida sobre geração de caixa) na Petrobras era ao final de 2015  5,30 e na Vale  4,60 , ambos bem distantes dos 2,5 indicados por Wall Street. Assim como ocorre com a Petrobras a Vale também passou por um momento de fortes investimentos, principalmente em sua nova mina de minério que vai entrar em operação no início de 2017.

Sendo assim o indicador de alavancagem recomendado é o da divisão da dívida pelo patrimônio líquido, que vai retratar melhor a situação da empresa analisada. No caso da Vale a dívida equivale a 78% do patrimônio líquido. Já no caso da Petrobras nós temos uma distorção, pois as reservas do pré-sal provadas, não estão apropriadas ao patrimônio da empresa. Quando era utilizado o regime de concessão as reservas provadas eram contabilizadas, mas no regime de partilha o registro só é feito quando da extração do petróleo. Isto pode induzir um analista desavisado ou mal intencionado, a uma avaliação equivocada da verdadeira situação financeira da empresa. Se as reservas do pré-sal estivessem apropriadas este indicador da Petrobras seria substancialmente inferior ao da Vale

De qualquer forma, esta distorção contábil não ilude o mercado financeiro, que abriu suas portas com os recursos que forem necessários para a Petrobras desenvolver o projeto do pré-sal.

Mas nosso principal objetivo com este artigo é, mais uma vez, mostrar a má-fé com que atua a direção da Petrobras, utilizando um indicador inadequado, sobre o qual foi alicerçado todo o Plano de Negócio da empresa.

O Brasil hoje é governado por colonizadores que só pensam em explorar o país e seu povo. É fantástico.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

6 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

RALFO B PENTEADO

22 de dezembro de 2016 às 08h44

Quem vende ( di gratis ) o que não é seu é estelionatário. Quem compra é receptador. E a União continua estuprada sem ter como dar aos seus legítimos filhos.

Responder

Sidnei

21 de dezembro de 2016 às 20h44

Pedro ladrão Parente

Responder

Mário Gonçalves

21 de dezembro de 2016 às 19h55

E o que dizer de um governo que ao mesmo tempo em liquida a Petrobras por partes, como Jack o Estripador, resolve a vida das teles, principalmente da OI que já pode ser considerada insolvente. Pouco se vê na mídia sobre o pacote de bondades para as teles. Naturalmente a imprensa não vai afugentar seus grandes anunciantes.

Responder

Spin Espelho

21 de dezembro de 2016 às 17h59

Samuel Pinheiro, embaixador: Lava Jato é “uma Operação do PSDB”

Artigo no site Esquerdadiário

Responder

Atreio

21 de dezembro de 2016 às 17h32

Perfeito.

jornalismo sério é sempre refrescante.

Agradeço pelo ótimo trabalho!

não vai levar 21 anos de novo.

Responder

Deixe um comentário