Entrevista de Haddad ao SBT

“O uso da força nuclear do meu país não é apenas para defender os coreanos , mas todos ameaçados pelos Estados Unidos”, diz norte-coreano

Por Tulio Ribeiro

29 de setembro de 2017 : 02h37

(Crédito: Elpovenir)

Cem mil norte-coreanos fizeram concentração no centro de Pyonyang devido a tensão entre os Estados Unidos e a República Popular Democrática da Coréia. A temperatura subiu depois que Donald Trump na Assembleia das Nações Unidas proferiu o discurso se referindo que estava preparado para ¨destruir o país asiático.¨O líder coreano Kim Jong-Un respondeu de pronto no mesmo patamar: ¨é um doente mental(…) se quiser por fim ao problema, deve se abster de pretensão de impor sua vontade a Coréia, retirar suas tropas ,suas bases militares e por fim aos seus discursos e atitudes belicistas.¨

Nesta quarta,28 de setembro, morreu um soldado sul-coreanos de 22 anos com impacto de uma bala na cabeça ao retornar a sua base na cidade Cheorwon no estado fronteiriço de Gangwon.

Quatro milhões e setecentos mil norte-coreanos já se dispuseram a lutar, sendo um milhão e duzentas mil mulheres. Este processo se iniciou devido o comunicado oficial acusando os Estados Unidos de na prática ter declarado guerra com seus discursos.

Segundo o diplomata da Coréia do Norte, Myong Chol em entrevista ao Cafezinho, ¨o uso da força nuclear de meu país não é para defender só meu povo, mas todos que sofram ameaça dos Estados Unidos, afinal foram eles a detonarem a primeira bomba nuclear.¨

A questão principal é que ao procurar inimigos como a Coréia, Donald Trump tem encontrado vários espalhados pelo planeta que deseja dominar.

Fonte:

CCTV

Tulio Ribeiro

Flávio Túlio Ribeiro Silva é graduado em Ciências econômicas pela UFBA,pós graduado em História Contemporânea pela IUPERJ,Mestre em História Social pela USS-RJ e doutorando em ¨Ciências para Desarrollo Estrategico¨ pela UBV de Caracas -Venezuela

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

24 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Francisco

30 de setembro de 2017 às 18h50

A questão é simples: o soldado Norte coreano mais próximo da fronteira dos EEUU está a milhares de quilômetros da América do Norte, o soldado estadunidense mais próximo da Coreia do Norte está na Beira do país comunista.

Quem é a ameaça?

Responder

    Joao Siva

    02 de outubro de 2017 às 08h11

    Em que década você vive ? Soldado mais próximo ou mais longe, o que muda ? Não estamos na segunda grande guerra, estamos em uma época que se o coreank quiser, ou o americano, enviar um míssil intercontinental destroi parte dos eua ou a coreia toda em minutos.

    Responder

Luiz Carlos Gorniack

30 de setembro de 2017 às 09h54

Trump está numa sinuca de bico. Se buscar a guerra, poderá ter que enfrentar Rússia, China e Irã (talvez outros); se colocar o rabinho entre as pernas, será escrachado mundialmente. A solução? parar com ameaças e buscar envolver outros players nesse assunto para tentar não deixar o resultado tão feio para ele.

Responder

Marcos Marcos Marcos

30 de setembro de 2017 às 11h24

Kim Jong Un, é o cara… Jovem e tem a honra de defender seu lobo.

Responder

Guilherme Di Piero

30 de setembro de 2017 às 02h34

democratica !..rsrsrs..perfeito !

Responder

luiz carlos

29 de setembro de 2017 às 20h34

EUA promovem guerras em outros países porque nunca tiveram guerra em casa..

Responder

Luiz Prego Brasileiro

29 de setembro de 2017 às 20h59

O que um povo é capaz de fazer pelo seu pais,quando se tem realmente amor a pátria

Responder

Mário Cesar Serafim

29 de setembro de 2017 às 14h19

A riqueza dos EUA não provém da inteligência e da capacidade laborativa de seus cidadãos. É obtida, exclusivamente , pelo uso de suas forças armadas , que assassinam povos do mundo inteiro e roubam suas nações!

Responder

Hugo

29 de setembro de 2017 às 12h40

Gostei bastante do texto

Responder

Ezequiel Gomes da Silva

29 de setembro de 2017 às 14h15

estados unidos e uma ameaça as outras nações financiam e derrubam governos para poder compra suas riquezas.

Responder

Brunno

29 de setembro de 2017 às 11h02

Leitura obrigatoria, que poucos sabem:
http://blogdoalok.blogspot.com.br/2017/09/estados-unidos-da-america-o-quarto-reich.html

Responder

Sergio Gomes

29 de setembro de 2017 às 12h27

Ela devia espelhar-se em sua parte do Sul. O mesmo povo mas outro país, outra economia, liberdade e riqueza.

Responder

Lulu Pereira

29 de setembro de 2017 às 12h25

fora trump, fora eua.

Responder

Luis Campinas

29 de setembro de 2017 às 09h21

Qq pessoa mais ou menos informada sabe que os governantes dos EUA buscam impor sua política ao mundo. Para tanto estimulam a desestabilização política de nações, pretextos para invasões, mais recentemente, ate grupos terroristas tem usado, causando dor e sofrimento no oriente médio e Europa. Como bem disse a RDC já assassinou centenas de milhares de inocentes por bomba atômica. Seus soldados não respondem a Corte Internacional em relação a crimes de guerra. Ora, se a Coréia do Norte não ameacar os aliados dos EUA e suas bases e se preparar para ter condições de agredir os EUA, quem a defenderá de uma invasão? Veja a Líbia, o Iraque, a Ucrânia, o Egito e…

Responder

João Antonio Bernardes

29 de setembro de 2017 às 11h56

Dois cachorros loucos ladrando. Nunca vai acontecer isso que o Trump promete, porque ele eliminaria todos os seus aliados na volta da Coréia com uma explosão nuclear e teria o repúdio do mundo todo. Não estamos mais em 1945 quando o povo era desinformado.

Responder

cunha e silva

29 de setembro de 2017 às 08h35

De nada adianta ter milhões e milhões de soldados dispostos a guerra para defender seu país . Retaliar o aliado vizinho Coréia do Sul , atingir o Japão , ou algumas bases americanas , não atingirá os americanos no seu poderio bélico . Somente alguns “soldados” voando quilômetros e quilômetros de distância com bombas nucleares testadas e eficientes sem poder ser interceptadas poderão atingir os americanos no seu território . Em não sendo assim é melhor ser um gatinho asiático romronando para China e Russía.

Responder

    jossimar

    29 de setembro de 2017 às 13h14

    Exatamente por isto a coréia do norte desenvolveu mísseis de longo alcance que podem atingir o solo dos eua.

    Só há duas maneiras de se defender dos eua: desenvolver armas nucleares que possam atingir o território deles e jamais permitir norte americanos dentro do seu próprio território.

    Responder

Sérgio Mascarenhas

29 de setembro de 2017 às 11h17

Miserável obriga até as mulheres pra ir pra guerra lutar e diz: “elas se dispuseram”

Responder

    ari

    01 de outubro de 2017 às 11h37

    Não fale bobagem, cara. As mulheres vão à guerra por sua iniciativa há mutos e muitos anos. Em Canudos, por exemplo, se vc quer algo aqui perto.

    Responder

      Lucas Russel

      02 de outubro de 2017 às 10h02

      Bobagem nada.
      Se alguém disser que não é voluntário para a guerra na Coreia do Norte vai preso.
      O povo é obrigado a acreditar que ele é um deus e se alguém pensar diferente morre.
      O fato de mulheres em outros lugares do mundo irem à guerra, não torna verdade o que está na “matéria”.

      Responder

Eduardo Schenini

29 de setembro de 2017 às 10h58

O Futuro do Mundo na posição de Malucos ocidentais e orientais! Se houver uma guerra não sobrará nada no mundo!!!

Responder

    Lenno Oliveira

    29 de setembro de 2017 às 11h06

    Na vdd apenas um maluco que é o Trump, o líder coreano não fica fazendo ameças loucas, montando bases nas fronteiras dos EUA e enviando tropas para fazer “exercícios militares” nas fronteiras de países alheios, ele apenas está tentando se defender.

    Responder

      Paulo LIma

      29 de setembro de 2017 às 14h44

      E o University of Chicago boy, Barack Obama, advogado preto do capital predador branco, que em menos de 7 meses transformou a Líbia, próspera nação, em terra arrasada, em nome do petróleo? Ele bem que tentou, internamente, cobrir-se com o belo mas fino véu do Obama Care, para desviar a atenção do bilhões de dólares dispendidos nas guerras imperiais conduzidas pelos Estados Unidos.
      Mas nossa luta é aqui. Dia 3 de outubro, terça-feira, é o Dia de Luta em Defesa da Soberania, em todas as praças do Brasil, com a presença de Lula no Rio de Janeiro, sede da Petrobras e do BNDES. No fim do expediente, vamos lá. Abaixo o golpe!

      Responder

    Carlo Frank Torres

    29 de setembro de 2017 às 11h41

    Pra que sobrar algo que está tudo errado?

    Responder

Deixe uma resposta

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com