Bate papo com Joana Mortágua, deputada portuguesa!

Brasil está em 68º lugar no mundo em médicos per capita (e Temer quer proibir curso de medicina)

Por Miguel do Rosário

19 de novembro de 2017 : 11h32

A decisão do presidente Michel Temer de proibir a criação de novos cursos de medicina, num país que vive um colapso de seu sistema de saúde, é digna do neoliberalismo nazista que caracteriza esse governo.

O Brasil precisa democratizar  e popularizar a sua medicina.

Precisamos de mais médicos, de uma medicina mais eficiente, mais popular, mais pública.

É incrível que, diante de uma notícia dessas, a imprensa não tenha imediatamente oferecido ao leitor informações sobre o número de médicos no país.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

11 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Vitor

21 de novembro de 2017 às 17h33

Cara, você está apresentando dados completamente antigos! 2001!!! Como jornalista, creio que se informar antes é o mínimo que você pode fazer antes de redigir um texto anencéfalo como este. Atualmente, o Brasil prossui mais de 460 mil médicos em atividade ( o que você descobriria com uma pesquisa rápida caso não tivesse preguiça) é uma população de 207 milhões , segundo a última estimativa do IBGE. O resultado dá divisão é de 1 médico para cada 460 pessoas no país. Antes de escrever imbecilidades, se informe! É esse o principal problema dá Esquerda : falta de informação! Certamente, por isso, perpetuam essa ideologia enfadonhamente burra.

Responder

Das Geraes

20 de novembro de 2017 às 16h39

Macularam a imagem dos médicos cubanos para detonar o Mais Médicos. Dentre tantas barbaridades, a classe médica, corporativista é elitista, disse que não eram bons profissionais. A mídia americana especializada não cansa de enaltecer a medicina cubana. No Brasil, infelizmente, o discurso é contrário. Será que a nossa medicina é melhor que a cubana aos olhos dos americanos?

Responder

Leonardo

20 de novembro de 2017 às 08h05

O dado é de 2001 – o número de médicos per capita hoje no Brasil é muito maior!

Responder

    Luisa

    20 de novembro de 2017 às 09h30

    Não é, Leonardo.
    De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde a densidade de médicos por habitantes no Brasil em 2013 era de 1,852, a melhor relação que o país já teve, mas ainda assim insuficiente. Vou deixar as fontes abaixo.
    Os dados de 2013 mostram claramente a importância e a necessidade do Programa mais Médicos lançado em meados de 2013 pelo governo Dilma. E como foi e continua sendo criminoso o boicote a esse programa.
    Ainda segundo dados da OMS e OECD em 2001 o Brasil tinha 1,4 médicos por habitante e não 2,06 como mostra a tabela acima.
    Cuba em 2014 tinha incríveis 7,519 med/hab e a Argentina 3,762. Esses os únicos países do continente americano com mais de 3 médicos por habitante.
    Density of physicians (total number per 1000 population, latest available year)
    http://www.who.int/gho/health_workforce/physicians_density/en/

    Physicians (per 1,000 people)
    https://data.worldbank.org/indicator/SH.MED.PHYS.ZS?end=2015&start=1960&view=chart&year_high_desc=true

    Responder

      Luisa

      20 de novembro de 2017 às 12h29

      Onde está escrito médicos por habitante o correto é medico por MIL habitantes.
      Dados ainda mais recentes da USP/2015 dizem que a razão med/1000hab no Brasil é de 1,95.

      É bom ainda reforçar que o Mais Médicos vinha principalmente corrigir graves diferenças regionais e entre capitais e interior que obviamente penalizam a população mais pobre. E para isso era fundamental a criação de novos cursos de medicina em regiões estratégicas, além de contratação de médicos estrangeiros para ocupar esses postos que os médicos brasileiros não querem e não ocupam.

      Esse estudo da USP mostra que enquanto a relação medico/1000hab no sudeste é de 2,75, no norte fica em 1,09.

      Nas cidades do interior esse quadro é ainda mais dramático, Maceió tem 4 med/1000 hab, enquanto no interior do estado de Alagoas esse relação é de 0,10, ou seja, tem menos médicos que Afeganistão, Zâmbia, Nigéria, kenya…
      https://www.usp.br/agen/wp-content/uploads/DemografiaMedica30nov2015.pdf

Marcos Pinto Basto

20 de novembro de 2017 às 02h06

Mas o que podemos esperar dum tremendo vigarista, golpista e Traidor da Pátria? Para ele, Miguel Elias Pé na Cova Temer, os brasileiros não necessitam de médicos porque já têm pastores evangélicos fazendo milagrosas curas pela TV, falta apenas o SUS fazer contratos com esses vigaristas para fazerem os tais milagres nos postos de saúde. O Brasil está virando uma piada mundial.

Responder

JOÃO CARLOS AGDM

19 de novembro de 2017 às 14h47

Perguntinha boba de um bobinho/a:
Por que a Mídia, que quer o bem do Brasil e dos brasileiros, não faz o mesmo estardalhaço que fez com a Dilma e grita gritando
ESTÃO ACABANDO COM O BRASIL!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Responder

Tomas

19 de novembro de 2017 às 12h41

Viva Thomas Sankara!

Responder

Mar

19 de novembro de 2017 às 12h39

Na equação do golpe, menos é mais, só que tudo que é menos é para o povo. Menos médico é mais dinheiro para classe médica elitizada. Fazer da medicina um negócio eis a questão!

Responder

    Eloiza

    19 de novembro de 2017 às 22h36

    ACERTOU….

    Responder

Luisa

19 de novembro de 2017 às 12h38

Density of physicians (total number per 1000 population, latest available year)
http://www.who.int/gho/health_workforce/physicians_density/en/

Physicians (per 1,000 people)
https://data.worldbank.org/indicator/SH.MED.PHYS.ZS?end=2015&start=1960&view=chart&year_high_desc=true

Responder

Deixe uma resposta