Ato em defesa da imprensa

Os recados abertamente fascistas de Marcelo Bretas

Por Miguel do Rosário

27 de março de 2018 : 11h42

(Foto: Twitter de Marcelo Bretas)

O juiz Marcelo Bretas, responsável pela Lava Jato no Rio de Janeiro, verdugo do Almirante Othon Pinheiro, a quem condenou a 43 anos de prisão, voltou ao Twitter nos últimos dias com recadinhos bastante emblemáticos, que reproduzo abaixo para registro histórico.

Eu tive acesso a pelo menos dois. Um deles, do dia 24 de março, não está mais, aparentemente, na página do juiz. Ele me bloqueou, então tive que entrar deslogado em sua página, para procurar, mas não achei.  Mas muita gente teve a sagacidade de printar, e eu pude, então, gozar da satisfação um tanto dúbia de ler a opinião de Marcelo Bretas.

Nesta postagem do dia 24, Bretas diz que “não se sabe ainda a solução necessária pro Brasil, nem de onde virá, mas uma coisa é certa: ela não virá através de agentes públicos temporários, interessados em manter-se ou investir-se no poder. Além de outros motivos, a sociedade está descrente de promessas”.

O texto é uma pérola nazista. Podia constar, tranquilamente, na obra Minha Luta, de Hitler. Aliás, vou baixar o livro para ver se encontro algo parecido por lá. É possível que sim.

Cada expressão, cada palavra, tem um brilho sinistro próprio. O termo “solução necessária”, usado assim, no singular, por exemplo, provoca calafrios. É evidente, para qualquer pensador democrático e humanista, que a crise brasileira não comporta nenhuma “solução necessária”, expressão sombria que evoca a “solução final” dos nazistas. O que o Brasil precisa é, simplesmente, reduzir a sua desigualdade de renda, ampliar os investimentos em infra-estrutura, democratizar seus meios de comunicação e reformar o Estado, obrigando juízes, como Bretas, a se recolherem à sua insignificância democrática.

Em seguida, Bretas puxa a marcha cinco de sua narrativa fascista e afirma que a solução não virá de “agentes públicos temporários”.

Mais calafrios.

O que Bretas chama de “agentes públicos temporários” são representantes eleitos pelo povo, como Marielle Franco, Leonel Brizola e Ulisses Guimarães, para citar apenas os mortos. Aí não há disfarce. O pensamento de Marcelo Bretas é abertamente antidemocrático. Quem são os agentes públicos não-temporários? Ora, são juízes, delegados, procuradores e oficiais das forças armadas. A “solução final”, ops, a “solução necessária” virá, então, necessariamente, destes…

Encerrando a mensagem, Bretas qualifica os “agentes públicos temporários” como aqueles que estão “interessados em manter-se ou investir-se no poder”. Aí a gente encontra uma contradição interessante. Se Marcelo Bretas é um agente público não-temporário, e se ele afirma que a “solução necessária” não virá de agentes públicos temporários, então ele está dizendo que a solução virá dele mesmo, e sua classe, como juiz. Ou seja, Bretas está “interessado em manter-se ou investir-se no poder”, não é?

Na verdade, o juiz Marcelo Bretas é um ignorante, que não tem consciência do elevadíssimo grau de estupidez – para não mencionar o autoritarismo e mesmo o fascismo – presente em cada uma de suas asserções.

No dia 25 de março, Marcelo Bretas volta a postar no Twitter, e nos brinda, desta vez, com outra brilhante pérola de estupidez. Este twitter ainda está lá, na página dele (se ele apagar, confira o print aqui):

Alguém poderia responder a Marcelo Bretas que existe um pequeno problema na hora de “ouvir as voz das ruas”. É o seguinte. De que “ruas” exatamente ele fala. Estaria se referindo aos panelaços do Leblon, ou à multidão nordestina que se aglomera ao redor de Lula?

Tenho a impressão – é apenas uma impressão! – que Marcelo Bretas se refere apenas ao primeiro exemplo. Ele realmente acha que a voz das ruas é o que ele vê nas bancas de jornais ou nas conversas travadas com gente de sua própria classe social.

Bretas me parece estúpido o suficiente para não perceber que a invenção da urna, numa democracia, serviu justamente para evitar esse tipo de sequestro da vontade popular, em que algum juiz, político ou dono de jornal se arvora em intérprete da “voz das ruas”. As urnas dão objetividade científica a voz das ruas. Mas será difícil explicar isso a quem afirma que a “solução necessária” não virá de “agentes públicos temporários”, ou seja, de representantes eleitos.

Seja como for, é um tanto constrangedor que até mesmo um leigo, como eu, precise explicar a Marcelo Bretas que ele está completamente desorientado. A frase em questão expressa um princípio genérico segundo o qual o juiz precisa sempre levar em conta o bom senso, o que é exatamente o que o judiciário brasileiro não vem fazendo a partir da Lava Jato, vide seus reflexos trágicos sobre a economia fluminense, destruída pela irresponsabilidade inacreditável da meganhagem. A interpretação que Bretas faz do trecho da referida Lei é assustadoramente fascista, porque finge esquecer, em primeiro lugar, que existe uma Lei fundamental acima de qualquer interpretação do magistrado. Acima mesmo de qualquer lei que “regula” a aplicação do Direito. Essa Lei maior, fundamental, é a Constituição Brasileira de 1988, escrita por “agentes públicos temporários”, ou seja, por representantes eleitos. E a Constituição fala em presunção de inocência, direito à dignidade, fala em pluralidade política, em soberania popular, em direito à educação, à saúde, ou seja, tudo que o golpismo lavajateiro vem esmagando, pisoteando, humilhando, em nome de uma luta contra a corrupção que não passa de um repugnante engodo!

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

40 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Luiz fernando

28 de março de 2018 às 22h14

Minha observação é q parece que tds estao preocupados em defender seus pontos de vista mas ninguem realmente parece admitir q a coisa desandou. Realmente a solucao é a urna ou todos já sabemos os resultados da mesmice desses eleitos? Ou juizes q pobrezinhos, precisam de auxílio para ter onde morar? Quer a resposta? Educação. E algo mais. Urgente.

Responder

Paulo

28 de março de 2018 às 12h12

O MIB mostra que não entende nada de armas: o cano da metralhadora deve ficar apontada para o chão

Responder

JOHN JAHNES

28 de março de 2018 às 12h01

Os “tarefeiros” da Lava Jato, sempre tiveram bons motivos para querer a PRISÃO DE LULA.
– LULA aumentou os quadros de pessoal da PF e do MP.
– LULA equipou e melhorou as condições de trabalho de todos eles.
– LULA intensificou o combate a corrupção em todos órgãos do governo, criando leis e regras para isso.
– Muitos funcionários públicos envolvidos nas atividades acima, não gostaram de tudo isso.
– Na primeira oportunidade, procuraram dar o troco e envolver LULA e seus partidários antes de tudo acontecer como deveria.
AGORA ESTAMOS VENDO O RESULTADO, E SE INVESTIGAREM TODOS QUE SÃO RADICALMENTE A FAVOR DA PRISÃO DE LULA, COM CERTEZA ELES IRÃO PARA CADEIA, POIS COM SUA PERSEGUIÇÃO AO EX-PRESIDENTE, PRETENDEM SOMENTE ESCAPAR DE INVESTIGAÇÃO DE SUAS LAMBANÇAS, POIS COMO SE DIZ, A MELHOR DEFESA É O ATAQUE, E LULA AGORA ESTÁ FORA DO PODER E NÃO TEM AS MESMA CONDIÇÕES DE PROVAR O QUE MOSTRA AOS JUIZES E PROMOTORES , INVESTIGADORES E TODOS TOGADOS ENVOLVIDOS QUE O ACUSAM, MAS QUE APENAS NÃO SE INTERESSAM POR NADA QUE OS ADVOGADOS DE LULA DIZEM OU PROVAM.
– FAMOSO “JAPONÊS DA FEDERAL” USADO OSTENDSIVAMENNTE NA MPIDIA CONTRA LULA É -CRIMINOSO QUE DEVERIA ESTAR PRESO. http://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2016/09/com-tornozeleira-japones-da-federal-volta-escoltar-presos-da-lava-jato.html
– JUIZ DA LAVA JATO NAO QUER OUVIR TESTEMUNHA TACLA DURAN QUE PODE INCRIMINÁ-LO. https://www.brasil247.com/pt/247/parana247/343803/Moro-nega-pela-4%C2%AA-vez-ouvir-Tacla-Duran-agora-no-caso-do-s%C3%ADtio.htm
– DONOS DE CASA E APARTAMENTO ONDE MORAM RECEBEM “ILEGALMENTE” O AUXÍLIO MORADIA. http://congressoemfoco.uol.com.br/opiniao/colunistas/o-legal-o-moral-e-a-verdade/
– DONOS DE RESIDENCIA PRÓPRIA E ALTÍSSIMO SALÁRIO, COMPRA APARTAMENTOS “MINHA CASA MINHA VIDA” PARA OBTER MAIS LUCRO. http://www.otempo.com.br/capa/pol%C3%ADtica/mesmo-com-casa-pr%C3%B3pria-moro-recebe-aux%C3%ADlio-moradia-de-r-4-378-1.1569663
– O “ESCÂNDALO DO BANESTADO” AINDA NÃO FOI ELUCIDADO POIS TEVE A PARTICIPAÇÃO EFETIVA DO MESMO DOLEIRO, DO MESMO JUIZE DO MESMO PROCURADOS DA LAVA JATO, E LÁ FORAM LAVADIS DE ACORDO COM DOCUMENTOS NA INTERNET, MAIS DE 130 BILHÕES DE DÓLARES. https://istoe.com.br/13328_RAPOSA+NO+GALINHEIRO/
http://valepensar.net/maior-roubo-da-historia-foi-o-banestado-que-moro-abafou/

Responder

Rogério Bezerra

28 de março de 2018 às 11h22

Esse juiz é um filhote da Globo, dos ricos daqui, das multinacionais e das nações que competem com o Brasil. É um nanico empoderado.
Eu não quero o fim da Globo, quero que os donos da Globo sejam afastados.
e o mesmo para Sílvio Santos, Saad, Edir Macedo e demais.
Aí esses funcionários federais golpistas, juízes, procuradores, policiais federais e militares serão enquadrados.

Responder

Mirko Kraguljac

28 de março de 2018 às 10h40

Parabéns para texto esclarecedor! Mas, Bretas é só uma gota no oceano dos fascistas no poder – ministros do Supremo, Barroso, Fux, Fachin, próprio Moro, procuradores como Dallagnol, delegados do PF, deputados e senadores no Congresso… a lista é sem fim! Ascensão do fascismo não é casual, não é coisa do momento – a infiltração dessa gente no poder dura anos e anos. Olha sul do país – três estados fascista, onde Paraná é coração de fascismo brasileiro, com comando em Curitiba! O Moro, por exemplo, é “juiz federal de primeira instância”, mas é claramente caro chefe do Barroso, Fachin e Fux, sem sombra de duvidas! É na hora de denunciar, de unir as forças e de abater monstro antes de ficar tarde! Valha a pena relembrar que Hitler na época ganhou 11 milhões de votos versus 13 milhões de votos para comunistas alemães, mas cúpula do partido comunista não enxergou momento de luta, momento de ser ou não ser! O resto é triste e monstruosa história…

Responder

Gilson Marques Evangelista

28 de março de 2018 às 09h20

O nobre julgador esquece que o que caracterzia a democracia é justamente os agentes públicos serem temporários. Chama-se alternância de poder.

Responder

evlaldo ciríaco

28 de março de 2018 às 09h16

Vamos lembrar Norberto Bobbio:
“O fascista fala o tempo todo em corrupção. Fez isso na Itália em 1922, na Alemanha em 1933 e no Brasil em 1964. Ele acusa, insulta e agride, como se fosse puro e honesto. Mas o fascista é apenas um criminoso comum, um sociopata que faz carreira na política.
No poder, essa direita não hesita em torturar, estuprar e roubar sua carteira, sua liberdade e seus direitos. Mais do que a corrupção, o fascista pratica a maldade.”

Marcelo Bretas, Sérgio Moro e os três patetas do TRF4, são apenas instrumentos desses.
Repetindo o que tenho dito: o mal maior chama-se organizações Globo (concessão) pública, ou os movimentos progressistas encontram a coragem de ocupar literalmente todos esse aparato global no Brasil e os tomar a força, ou então é botar a violinha no saco e assistir o fim.

Responder

Adalberto

28 de março de 2018 às 07h07

Mais um com medo da jararaca…..E ai, bancada? Já sentiram que a bola esta conosco? Dia 04-04 esta chegando. Vamos deixar o presidente Lula ser preso, seguindo o roteiro do Padilha e da Globo? A militância não vai perdoar e não aceita plano-B!

Responder

Marcos

28 de março de 2018 às 06h24

Um sujeito desses, no caso de uma ditadura, seria nomeado Ministro da Justiça.

Responder

Cláudio

28 de março de 2018 às 04h13

:
: * * * * 04:13 * * * * .:. Ouvindo As Vozes do Bra♥♥S♥♥il e postando:
Poesia contra a distopia (Distopia = Ideia ou descrição de um país ou de uma sociedade imaginários em que tudo está organizado de uma forma opressiva, assustadora ou totalitária, por oposição à utopia. “Distopia”, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013 [consultado em 13-10-2016].)
.:. :: .:. Poema acróstico para o maior e melhor brasileiro de todos os tempos :

L ouvemos quem bem merece o mais pleno louvor:
U m homem simples, como as coisas boas da vida,
Í ntimo camarada, nosso irmão e amigo de valor,
Z elando sempre pelo bem da humanidade querida.

I nimigo dos maus, amigo dos bons, trabalhador
N ascido do povo que muito o ama e admira,
Á rvore de bons frutos, os de melhor sabor,
C onsciência plena de tudo que no mundo gira,
I magem perfeita do homem de si senhor,
O humano defensor de humana lira.

L uz de nossa gente, lutador incansável,
U m verdadeiro herói do povo brasileiro,
L úcido e consciente do mais admirável
A mor pelo ser humano e verdadeiro.

D igno e sincero, fraterno e muito humano,
A migo do povo, honesto e sempre lhano.

S eja o meu/nosso canto para te louvar,
I sso que a voz do povo já disse várias vezes:
L ula, o BraSil vive mais feliz só por te amar,
V itória da melhor sorte no número treze,
A fazer do brasileiro a humanidade a se ampliar.
::
Autor: Cláudio Carvalho Fernandes ( poeta anarcoexistencialista )
.:.
L uz do povo brasileiro,
U m digno e fiel lutador,
L astreando com real valor
A honra do BraSil inteiro.
.:.
L ula livrou 36 milhões da pobreza,
U m feito memorável, sem precedentes,
L utando contra a mídia venal, teve a certeza
A bsoluta de estar ao lado dos brasileiros conscientes.
.:.
L ivrando da miséria extrema 36 milhões de brasileiros,
U m feito sem igual, que, por si só, já bastaria,
L ula segue sendo no mundo um dos primeiros
A fazer de seu povo a eterna rima rica de sua poesia.
.:.
♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ * * * * * * * * * * * * *
* * * *
Por uma verdadeira e justa Ley de Medios Já pra antonti (anteontem. Eu muito avisei…) ! ! ! ! Lul(inh)a Paz e Amor (mas sem contemporizações indevidas) 2018 neles/as (que já PERDERAM, tomaram DE QUATRO nas 4 mais recentes eleições presidenciais no BraSil) ! ! ! ! !
* * * *
* * * * * * * * * * * * * ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ?????????????????????

Responder

Alan

28 de março de 2018 às 03h53

A privatização está no núcleo do facismo – Eric ZUESSE

As privatizações estão cada vez mais na moda, como na Grécia, na Ucrânia, nos EUA e no Reino Unido – e as privatizações são uma característica central do fascismo.

O núcleo do fascismo é a ideia de que há alguma elite, seja “ariana” ou “escolhida por Deus”, ou de outra forma, que deveria administrar as coisas, e que todo mundo existe para servir essa elite. Inevitavelmente, essa elite oficial consiste nas pessoas que os poderes constituídos são os proprietários de quase tudo que é valioso. Cada vez mais, as coisas se tornam a posse privada dessas pessoas – até mesmo o que antes era um bem público torna-se agora privado. Praias tornam-se privadas. As escolas se tornam privadas. Recursos naturais tornam-se privados. Não é apenas a arte que foi roubada pelos nazistas e privatizada para eles e / ou mostrada em museus que eles controlam, o que se torna privado; é o que a elite quer ter e controlar: tudo agora é privado. Esse é o ideal fascista.

O sistema legal acomoda os proprietários legais, em qualquer nação fascista, assim como o sistema legal acomoda os proprietários legais em qualquer nação. E, no fascismo, os donos legais são a aristocracia, que são as pessoas que ajudaram a tornar o sistema como ele é agora. Tipicamente, eles são a aristocracia que já existe na nação dada, se era antes uma democracia (aristocratas tendem a odiar a democracia; então, eles trazem o fascismo para substituí-la), mas eles também podem ser um grupo que é parcialmente novo. e que também é parcialmente composto apenas pelo segmento vencedor da velha aristocracia – o segmento da velha aristocracia que ganhou o tipo de conflito intra-aristocrático que sempre existe, dentro de qualquer aristocracia. Enquanto qualquer aristocracia está sempre em guerra contra o público, também há competições dentro de qualquer aristocracia para determinar quais aristocratas serão os dominantes.

Qualquer fascismo é controlado pela aristocracia da nação e serve a essas pessoas – não ao público, que não recebe nada além de propaganda do regime dos aristocratas. Mesmo em uma ditadura, não apenas em uma democracia, a imprensa ou a mídia são necessárias para vender as políticas do governo ao seu público. Se a imprensa for privatizada, pertence a membros da aristocracia. Se a imprensa é de propriedade direta do governo, ainda é propaganda. A grande maioria do público não tem meios de propaganda. Se os aristocratas estiverem no controle, poucas pessoas saberão que esse é o caso.

A privatização substitui, assim, ativos públicos de propriedade do governo por ativos privados e, portanto, transfere o controle de líderes públicos eleitos (que são responsáveis ​​por todos em urnas), para privados – para acionistas privados que decidem como esses ativos serão usados ​​- independentemente de o ativo ser escolas, hospitais, terras, recursos naturais, estradas ou qualquer outra coisa. Qualquer coisa pode ser privatizada. Qualquer coisa pode ser dirigida por uma elite, por um “dono”. O fascismo tenta maximizar isso: a propriedade privada do que antes era propriedade pública.

Consequentemente, o primeiro grupo de privatizações ocorreu na primeira nação fascista, a Itália, na década de 1920; e o segundo grupo de privatizações ocorreu na segunda nação fascista, a Alemanha, nos anos 1930. As privatizações começaram sob Mussolini e foram instituídas sob Hitler. Isso fez a bola fascista rolar; e, após algumas décadas de hiato na esteira da suposta derrota embaraçosa do fascismo na Segunda Guerra Mundial, ressurgiu e voltou a crescer depois de 1970, quando forças fascistas na aristocracia global, como a CIA, o FMI, o grupo Bilderberg e Comissão Trilateral, impôs o reinado global dos principais detentores privados de títulos e ações: os aristocratas do mundo estão assumindo uma porcentagem cada vez maior do que antes eram bens públicos.

https://www.strategic-culture.org/news/2015/08/25/privatization-is-at-core-of-facsism.html

Responder

    Alan

    28 de março de 2018 às 11h24

    As privatizações, depois de começar nos fascismos durante os anos anteriores à Segunda Guerra Mundial, retomaram novamente na década de 1970 sob o comando do líder fascista chileno Augusto Pinochet; e na década de 1980, sob a liderança fascista britânica Margaret Thatcher (uma defensora apaixonada do apartheid na África do Sul) e também sob o sorridente líder fascista americano Ronald Reagan (que seguiu o sucesso anterior da “Estratégia do Sul” de dominação branca de Richard Nixon no ressurgimento conservador dos EUA, e pode até ser dito ter sido o primeiro presidente totalmente fascista da América); e nos anos 90 sob vários líderes fascistas (anteriormente comunistas) em toda a antiga União Soviética, sob a orientação do departamento de economia fascista da Universidade de Harvard, que transferiu o controle da antiga nomenklatura para os novos “oligarcas” (dependentes do Ocidente).

    E as privatizações são agora toda raiva em todo mundo, como nos Estados Unidos fascistas de hoje e no Reino Unido fascista de hoje.

    Mussolini era o homem do futuro, mas – depois que Franklin Delano Roosevelt morreu e, finalmente, Thatcher, Reagan e outros “free marketeers” assumiram o poder – o “futuro” de Mussolini tornou-se cada vez mais nosso “agora”: A ideologia do Eixo de Poder na verdade vem ganhando no mundo pós-Segunda Guerra Mundial. Só que, desta vez, é chamado por nomes como “libertarianismo” ou “neoliberalismo”, não mais “fascismo”, de modo que apenas os fascistas de fé verdadeira, os aristocratas, saberão que na verdade é fascismo. É o seu Big Con. É a grande mentira deles. Apenas renomear o fascismo como “libertarianismo” ou “neoliberalismo” enganou as massas para pensar que ele é pró-democrático. O “capitalismo” passou a ser redefinido para se referir apenas à forma aristocraticamente controlada do capitalismo: o fascismo. A batalha ideológica foi aparentemente vencida por um engano terminológico barato. Isso é tudo que é preciso para que a ditadura possa vencer.

    A forma democraticamente controlada do capitalismo, como em alguns países do norte da Europa, tem sido comumente chamada de “socialismo”; e, claro, se opõe a todas as formas de ditadura, tanto comunistas quanto fascistas. O socialismo é a forma democrática do capitalismo. É a forma do capitalismo que serve ao público, em vez da aristocracia, em qualquer ponto em que os dois têm interesses conflitantes. Ele subordina a aristocracia ao público. Em vez disso, o fascismo subordina o público à aristocracia, que é a tendência natural (porque o “0,7% mais rico do mundo possui 13,67 vezes mais do que os 68,7% mais pobres do mundo”, e os 80 mais rico do mundo possui o mesmo valor de 50% do mundo mais pobre”).

    https://www.strategic-culture.org/news/2015/08/25/privatization-is-at-core-of-facsism.html

    Responder

Dimas

28 de março de 2018 às 00h22

Não estou entendendo toda essa revolta com o citado senhor. Nada anormal. O sujeito é apenas o Juiz “‘Bestas”….. Simplesmente e totalmente.

Responder

frederico costa barros

27 de março de 2018 às 23h11

Eu não sei o que o concurso público avalia para aprovar um juiz mas precisa de mudança urgente tal é a imbecilidade que impera tendo em vista o Bretas e o Moro que parecem representa toda a classe jurídica assim como o Dallagonl e o Carlos F. Lima a classe do PGR. Realmente a democracia esta indo pro esgoto.

Responder

André Rs T

27 de março de 2018 às 22h35

http://altamiroborges.blogspot.com.br/2017/10/o-medo-do-juiz-marcelo-bretas.html

Os medos de Bretas

Responder

JOHN JAHNES

27 de março de 2018 às 22h35

AOS POUCO VAMOS CONHECENDO UM POR UM, TODOS OS DETRATORES DO PT.

Você conhece o Procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, um dos muitos pitbulls que seguram a barra do MORO, condenando petistas e tentando desqulificar o PT na mídia, semanalmente?

https://istoe.com.br/13328_RAPOSA+NO+GALINHEIRO/

Responder

André Rs T

27 de março de 2018 às 22h01

Bretas tem fala de noiado, ele não bate bem do pino…

Responder

franc

27 de março de 2018 às 21h27

Juiz tem que virar cargo temporário cedido a advogados com mais de 60 anos de vida e pelo menos 30 de pratica.

Responder

    alvaro crespo

    28 de março de 2018 às 00h42

    PERFEITO

    Responder

Nivia

27 de março de 2018 às 21h06

Quando leio essas asneiras de Bretas fico me perguntando como é possível que doentes mentais como ele continue ocupando cargos que exige sanidade mental???

Responder

Xico

27 de março de 2018 às 21h04

ONIBUS DA CARAVANA SOFRE ATENTADO TERRORISTA.
ISSO É GRAVÍSSMO.

A MÍDA INDEPENDENTE, A BLOGOSFERA PRECISA DENUNCIAR ESTE ATAQUE TERRORISTA.

PAULO PIMENTA E GLEISE PRECISAM ENTRAR NA JUSTIÇA E EXIGIR PROTEÇÃO A CARAVANA.

NÃO ADIANTE FICAR COM DISCURSO DE INDIGNAÇÃO.
ESSA TURMA NÃO NAZIFASCISTAS.

NÃO SE COMBATE NAZIFASCISMO COM PALAVRAS.

Responder

Lucy

27 de março de 2018 às 20h07

UM ESPETÁCULO DE IMBECILIDADE, NUM PAÍS CIVILIZADO ESSES FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS SERIAM PROCESSADOS POR APOLOGIA AO CRIME ORGANIZADO.

MAIS PARECE UMA REUNIÃO DA MÁFIA SICILIANA OU UMA CENA DE ALPHONSUS CAPONE DO FILME “OS CRIMINOSOS INTOCÁVEIS”

SE QUEREM APARECER USEM UM COLAR DE ABÓBORAS!!!

SERÁ QUE ESSE FUZIL QUE EXIBE O SR MARCELO DA CÚPULA DA BALA É UM DOS MILHARES DE FUZIS CONTRABANDEADOS PELO POLICIAL NISHI, O “JAPONÊS” DA PF DE CURITIBA?

O SR NISHI, O GUARDA COSTAS DE SERGIO MORO AGENTE DA CIA A SERVIÇO DOS EUA E DAS MULTINACIONAIS FOI PRESO NA “OPERAÇÃO ANACONDA” CONTRABANDEANDO MILHARES DE FUZIS AK-47 E FUZIS UZI DO PARAGUAI PARA AS FAVELAS DO BRASIL.

ESSA CENA FOI MAIS UMA PALHAÇADA PIRTÉCNICA DESSA FARSA A JATO QUE AJUDOU A SEPULTAR O ESCÂNDALO BANESTADO (BANCO DO ESTADO DO PARANÁ FOI O PROPINODUTO DAS PRIVATARIAS TUCANAS E TEVE SERGIO MORO E CARLOS FERNANDES OS PRINCIPAIS PERSONAGENS DURANTE A BLINDAGEM DO CASO BANESTADO NO GOVERNO FHC, SERGIO MORO SOLTOU ALBERTO YOUSSEF E OUTROS 70 DOLEIROS PRESOS EM 1997, 1999 E 2001 NA “OPERAÇÃO MACUCO” DO DELEGADO JOSÉ CASTILHO NETO E MORO AINDA BLINDOU OS 300 POLÍTICOS DEMO TUCANOS NO GOVERNO FHC QUE RECEBERAM MEIO TRILHÃO DE REAIS EM PROPINAS BILIONÁRIAS CAPTADAS NO BANESTADO EM TROCA DAS PRIVATARIAS TUCANAS FRAUDULENTAS FEITAS NA BACIA DAS ALMAS NO GOVERNO FHC.

TODO ESSE ENTREGUISMO, PRIVATARIAS, APAGÕES, PERSEGUIÇÃO POLÍTICAS A NACIONALISTAS JÁ ESTAVAM PLANEJADOS NO NEFASTO “CONSENSO DE WASHINGTON” ASSINADO POR FHC QUANDO FOI MONISTRO DAS RELAÇÕES EXTERIORES DE ITAMAR.

FHC FOI COAPTADO PELA CIA E PELA FUNDAÇÃO FORD EM 1970 COMO REVELOU O LIVRO “QUEM PAGOU A CONTA” (VIDE OS COMENTÁRIOS DE SEBASTIÃO NERY NO PREFÁCIO DO LIVRO” NESSA ÉPOCA (1970) A CIA E A FUNDAÇÃO FORD (EMPRESA DE FACHADA DA CIA) REMUNEROU FHC EM HUM MILHÃO DE DÓLARES PARA AJUDAR A CIA A DESESTABILIZAR O GOVERNO DE SALVADOR ALLENDE NO CHILE E COMANDAR OS BLACKBLOCKS PARA FAZER BADERNAS DE RUA EM SANTIAGO COMO FIZERAM NO BRASIL EM JUNHO DE 2013 NA FAMIGERADA “GUERRA DOS VINTÉS” PROTESTOS PAGOS PELO PATO DA FIESP E PELA REDE GLOBO TIME LIFE E AS MULTINACIONAIS PETROLÍFERAS PARA AJUDAR A DERRUBAR DILMA NO ANO SEGUINTE. A MOTIVAÇÃO PARA OS MANIFESTOCHES MANIPULADOS PELA REDE GLOBO TIME LIFE FOI PATÉTICO UM AUMENTO RIDICULAMENTE BAIXO, PASME, DE 20 CENTAVOS NO PREÇO DA GASOLINA, A GASOLINA QUE ESTAVA COM PREÇO CONGELADO HÁ SEIS ANOS SUBIU 20 CENTAVOS E A SRA TAIS GALONI BORGES LIDEROU AQUELE BARRACO MALUCO NOS POSTOS DO RIO DE JANEIRO E TEVE UMA ENORME QUEBRADEIRA DE AGÊNCIAS DE CARRO DESTRUIDAS PELOS VÂNDALOS PAGOS PELA REDE GLOBO E O PATO DA FIESP CORRUPTO TESTA DE FERRO PROPINADO DAS MULTINACIONAIS

O LIVRO “EL COMPLOT DEL FMI PARA ANIQUILAR LAS FUERZAS ARMADAS E LAS NACIONES DE IBERO AMERICA” DO ECONOMISTA LINDON LAROUCHE (1993) REVELA TODOS OS SEGREDOS DE PLANOS PARA FREAR O DESENVOLVIMENTO DAS TRÊS MAIORES NAÇÕES DA AMÉRICA LATINA E LAROUCHE CITA EM 8 CAPÍTULOS OS MAIORES TRAIDORES DA AMERICA LATINA QUE ASSINARAM ESSE NEFASTO CONSENSO DE WASHINGTON (FHC, SALINAS, MIGUEL DELLA MADRID, CARLOS MENEN) TODO O PLANEJAMENTO DOS APAGÕES PLANEJADOS POR FHC E O SEU COMPARSA PEDRO LALAU PARENTE (EX MINISTRO DA CASA CIVIL E DAS MINAS E ENERGIA NA ERA FHC) E DETALHA TODOS ESSES GOLPES JUDICIÁRIOS, A PARALISAÇÃO DE MILHARES DE OBRAS DE INFRAESTRUTURA, RETIRADA DE 20 MILHÕES DE POSTOS DE TRABALHO NAS INDÚSTRIAS BRASILEIRAS COM AS PRIVATARIAS, OS APAGÕES, OS GOLPES DE RENÚNCIA FISCAL (ISENÇÃO DE TRILHÕES DE REAIS EM IMPOSTOS PARA AS PETROLÍFERAS QUE PATROCINARAM O ESCÂNDALO BANESTAFO E O GOLPE JUDICIÁRIO DE 2016

VEJAM UMA SÍNTESE DO LIVRO SOBRE O PLANO DE DESMONTE NO BRASIL, ARGENTINA E MÉXICO ASSINADO POR FHC, SALINAS, MIGUEL DELLA MADRID E CARLOS MENEN EM 15 DE MARÇO DE 1993. ESSES GOLPES INICIARAM NAS 160 PRIVATARIAS DE FHC, NOS APAGÕES PLANEJADOS E NO GOLPE JUDICIÁRIO DE LAWFARE DA LAVA JATO A CIA TREINOU SERGIO MORO E OUTROS JUIZES DO PARAGUAI NUM ENCONTRO NO RIO DE JANEIRO PARA AJUDAR A APLICAR GOLPES JUDICIÁRIOS NO BRASIL, PARAGUAI, HONDURAS, TURQUIA E MALÁSIA, ESSES DOIS ULTIMOS FRACASSARAM MILHARES DE JUIZES E POLÍTICOS FORAM PRESOS E CONDENADOS A PRISÃO PERPETUA POR CRIMES DE TRAIÇÃO A PATRIA

Descripción de: “EL COMPLOT PARA ANIQUILAR LAS FUERZAS ARMADAS E LAS NACIONES DE IBERO AMERICA”, EDITORA EIR, LINDON LAROUCHE, 1993 LIVRO CITA FHC E OUTROS TRAIDORES DA AMÉRICA LATINA, CITA UM PLANO PARA FREAR O PROJETO DO SUBMARINO NUCLEAR BRASILEIRO, SABOTAR O PROJETO ESPACIAL BRASILEIRO 9VLS-1 E VLS-2 EXPLODIRAM EM ALCANTARA E A FAB VISUALIZOU NO RADAR UM AVIÃO AMERICANO VOANDO EM CIRCULOS E DEPOIS SUBIU NUMA ROTA QUASE VERTICAL. 18 CIENTISTAS BRASILEIROS MORRERAM NO SEGUNDO ACIDENTE ENTRE ELES OS ENGENHEIROS E CIENTISTAS DA FAB MAJOR-ENGENEIRO ANANIAS E O CAPITÃO ENGENHEIRO VAREJÃO AMBOS DA FORÇA AEREA MORTOS NUMA POSSÍVEL SABOTAGEM EM 2003 EM ALCANTARA. O VLS-1 TAMBÉM EXPLODIU ANTES DO LANÇAMENTO NUMA FALHA DO SISTEMA DE IGNIÇÃO.

Con presentación del coronel Mohamed Alí Seineldín e introducción de Lyndon LaRouche. 21 x 14 cm.; 466 pp. Sí, hay todo un complot para aniquilar a las Fuerzas Armadas de Iberoamérica. Y, como lo documenta este libro, el objetivo no es sólo acabar con las instituciones militares de la región, sino con las naciones mismas a las que están encargadas de defender. En el ‘nuevo orden mundial’ que intenta instaurar la oligarquía angloamericana, las naciones iberoamericanas están condenadas a ser meras satrapías, con ‘soberanía limitada’, sujetas al saqueo del Fondo Monetario Internacional y los bancos usureros, sometidas a la política de despoblación y apartheid tecnológico de las grandes potencias. Los métodos que se emplean en contra de las Fuerzas Armadas de Iberoamérica abarcan campañas hipócritas en presunta defensa de los derechos humanos, que en realidad sirven para respaldar a grupos terroristas como Sendero Luminoso. Al mismo tiempo, el gobierno de los Estados Unidos demanda la reducción de los ejércitos iberoamericanos y, en muchos casos, su completa desaparición. El proyecto antimilitar pasó a conocerse como ‘el Manual Bush’ cuando Resumen ejecutivo de EIR sacó a relucir sus pormenores, expuestos en las propias palabras de los complotistas en el volumen donde admiten que sus operaciones las costea el gobierno de los Estados Unidos. Pero el presente libro no sólo desenmascara el complot, sino que demuestra cómo es posible derrotarlo, cómo lograr la integración iberoamericana, y cómo sobrevivir sin el FMI. El libro contiene documentos de varios de los patriotas que han peleado contra el complot, entre ellos el coronel argentino Mohamed Alí Seineldín, que escribe la presentación. El prefacio es obra del economista y preso político estadounidense Lyndon H. LaRouche. N° de ref. de la librería 14545

Responder

Dario Neto

27 de março de 2018 às 19h39

Pergunto, querendo, desesperadamente, saber da resposta: Quem, o quê, como estas pessoas – os famosos “concursados” -, serão postos de volta aos seus devidos lugares!!????

Responder

Jane

27 de março de 2018 às 19h36

A solução passa por acabar com essa pouca vergonha de auxílio-moradia para quem tem mansão.

Responder

Rachel

27 de março de 2018 às 19h17

Em um pais minimamente sério todos estes sujeitos ja teriam sido exonearado do setor público.
Mas o estado brasileiro alimenta e proteje o fascismo em suas instituições. São aplaudidos pela grande mídia corporativa e transformados em celebridades instantâneas.

Responder

Carlos Augusto De Bonis Cruz

27 de março de 2018 às 19h13

Um doente mental, genocida. Perigoso pois se acha perfeito, talvez Deus travestido em homem. Seria um excelente nazista, parte das milícias de Hitler. Adolf Bretas vc é um doente mental, psicótico, vivendo em um mundo fictício que gira ao seu redor. Procure um médico.

Responder

fernando

27 de março de 2018 às 19h00

fanatico crente é a desgraça desse país!!

Responder

Jorge

27 de março de 2018 às 18h36

agente público temporário, ele quis dizer cargo comissionado!

Responder

PauloDAndrad

27 de março de 2018 às 17h29

O Bretas tem problema com a livre expressão do pensamento e o contraditório.
Dia desses também fui bloqueado por uma simples provocação. Ele havia postado banner com algum provérbio ou máxima nesse sentido: “Um juiz deve ser justo, não favorecendo amigos ou familiares, etc, etc”

Perguntei: “@mcbretas isso vale para o juiz que confirmou seu auxílio-moradia?” Foi o suficiente…

Responder

Jorge

27 de março de 2018 às 15h12

A “solução necessária” para o Brasil seria extirpar essa casta corrupta e reinventar um judiciário remunerado de acordo com o mercado mundial sem os pixulecos que se dão atualmente.

Responder

Emeson

27 de março de 2018 às 15h01

Deveria ter exame de sanidade mental,pra quem vai decidir a vida dos outros com julgamento.

Responder

José Reinaldo de Freitas

27 de março de 2018 às 14h22

Juiz nao e Agente Político. Agente Político é quem tem voto popular (do direita ou de esquerda). Juiés e Promotores são servidores públicos!

Responder

Luizmar

27 de março de 2018 às 13h56

Alguns ansiosos defendem a violação do art. 283 do Código do Processo Penal, do art. 5o. e de outros da Constituição, que tratam da presunção da inocência, para justificar a prisão em segunda instância, tese de ordem moral, não jurídica. Ainda mais aqui, em que se inverte o ônus da prova, se decide por convicção íntima e não por fatos comprovados, em que se nega à defesa o acesso às provas, as testemunhas sofrem conduções coercitivas, o MP declara que não precisa ter isenção para processar alguém e que a prova é uma questão de crença e probabilidade, e em que as instâncias judiciais competentes assistem impassíveis um tsunami de vazamentos. Ingenuamente, acreditam os ansiosos que juízes e tribunais não erram, e que o melhor juiz ou tribunal é o que condena mais, como na Inquisição e nos regimes de exceção. Aos angustiados agradaria que a Constituição não fosse um direito político, direito público por excelência, fundamentalmente, Direito, norma, e que vale, e que o Supremo pudesse decidir sem respeito à Constituição e violando cláusulas pétreas. Por suporem que a Constituição seja um ornamento, os impacientes, na verdade, defendem que o julgamento (até o trânsito em julgado da sentença) dispense a verdade.

Responder

João bosco

27 de março de 2018 às 13h34

O Brasil é muito importante, para darmos atenção a opiniões de pessoas como Bretas e Moro.

Responder

marco,

27 de março de 2018 às 12h56

É o máximo que pode produzir,UM VERME SOCIAL,que desempenha funções,sem OUTORGA.E todos pensam a mesma coisa.

Responder

Luiz Gonzaga

27 de março de 2018 às 12h54

Bretas, moro, alguns do supremo, os 3 patetas do trf4, enfim grande maioria, nao sei em quem se espelham mas sao todos AMADORES E RIDICULOS.

Responder

Reginaldo Gomes

27 de março de 2018 às 12h42

Quem escuta a voz das ruas é o poder político através das urnas!!!!
Se quiser, mesmo , ouvir a voz das ruas , peça demissão de seu trabalho, abra mão dos pixulecos e auxílios mansão, filie-se num partido político que o aceite, engula sua soberba e peça humildemente o voto do povo.
(juiz safado)

Responder

Maria M

27 de março de 2018 às 12h06

Esse Himmler Bretas e seu chefe Hitler Moro querem destruir a democracia. Nuremberg os aguarda daqui um ano.

Responder

Luiz

27 de março de 2018 às 12h02

A deformação moral de alguns agentes públicos beira à aberração. Um juiz deve ouvir a constituição, não a voz das ruas ou a bíblia. Não da mais para convivermos com esses parasitas. Lugar de juiz é nos autos do processo. Vejam o mal que a “imprensa” fez com esses coitados. Se julgam heróis de filmes infantis. São crianças grandes que só cresceram no tamanho e nos contra-cheques. Doentes.

Responder

Deixe uma resposta