Bolsonaro e Haddad na Redenews

PT inicia nova onda de ataques (tardios) a Ciro

Por Miguel do Rosário

12 de outubro de 2018 : 12h18

Mesmo tendo de vencer eleição, PT se ocupa de atacar Ciro

Por Daniel Soares
Publicado em 11 de outubro de 2018.

A batalha eleitoral foi deveras intensa. Principalmente porque durante toda a campanha de Ciro tivemos de confrontar duas difíceis frentes: os bolsonaristas fascistas e os petistas fanatizados. Os primeiros continuam sendo adversários ideológicos que precisamos desconstruir a fim de manter a democracia e as liberdades individuais, e os segundos deveriam ter deixado de sê-lo ao fim do primeiro turno, mas, inesperadamente, insistem em continuar rivalizando conosco. Temos visto isso nos ataques que têm ocorrido contra Ciro e seus eleitores desde a divulgação da nota do PDT anunciando o apoio crítico do partido e de Ciro ao então candidato do PT, Fernando Haddad. Ao que parece, militantes petistas de todos os estados finalmente estão começando a perceber que a probabilidade de seu candidato bater o inominável no segundo turno é ínfima, e, portanto, buscam desesperadamente alguém para colocar a culpa de sua (leia-se nossa) provável derrota.

A empreitada petista de buscar se apropriar da narrativa à força, e de maneira desonesta, chega a ser melancólica. Seus esforços têm sido no sentido de criar a narração predominante dos fatos ocorridos na disputa eleitoral e, assim, eleger os heróis e vilões de acordo com seus próprios interesses. Como não podia deixar de ser, nesta narrativa os militantes petistas, Haddad e Lula são os heróis que lutam bravamente contra o fascismo, e Ciro e os ciristas são aqueles que fazem coro com a reação, atrapalhando sua bela batalha contra o mal. Alegam que Ciro está “lavando as mãos”, se eximindo de ajudar tanto quanto poderia – provavelmente gostariam que fizesse campanha em palanque lado a lado com Haddad – na luta contra o coiso. Os mais ousados até mesmo dizem que Ciro está se apequenando perante a história ao não apoiar o petista mais enfaticamente.

A deturpação da realidade na construção de narrativas sempre foi uma estratégia comum entre colonizadores, exploradores e conquistadores, que buscavam retratar a realidade a seu modo, de maneira que somente os vencedores das guerras e pleitos tivessem dignidade perante a história. Os derrotados eram relatados como fracos e covardes, e seus princípios e ideias relegados ao status de “equívocos já superados”. Foi assim que os bandeirantes, os ditadores ou os soldados norte-americanos tornaram-se heróis para as gerações seguintes. Os que foram por eles mortos neste processo, ou seja, índios, escravos, revolucionários e inimigos de guerra, passaram a ser vistos com desprezo pela maioria. Walter Benjamin, filósofo alemão, dizia que o controle da história era um importante instrumento de manutenção do status pelas elites políticas e econômicas, e, portanto, uma ferramenta crucial para preservar a desigualdade. O PT sempre se utilizou de táticas como esta, e não surpreenderia ninguém se o partido começasse a fazê-lo novamente. No entanto, é curioso notar que nem se faz mais necessário o PT se manifestar para que isso ocorra. Sua militância já incorporou este ethos e o executa, espontaneamente e desavergonhadamente.

Mas não é difícil desconstruir esta narrativa falha. Basta lembrar que esta empreitada se deve ao medo que os petistas têm de todos perceberem que os principais responsáveis por sabotar a luta contra o fascismo foram eles mesmos. Afinal, durante o primeiro turno havia a clara possibilidade de uma união de esquerda/centro-esquerda para barrar o avanço das forças fascistas. Restava saber quem receberia o fardo de representá-la no pleito. A conjuntura mostrava o seguinte quadro: PT detentor de uma imensa rejeição na maior parte da população brasileira, pesquisas indicando que só Haddad perderia para Bozo, o PT recém-saído de um golpe (perpetrado por gente que não vai desistir de espalhar ódio enquanto o partido continuar se reelegendo seguidamente), e grande parte da sociedade civil entendendo como necessária a alternância de poder para oxigenação da democracia. Estes fatores podiam até não ser suficientes para que abdicassem da disputa, portanto podemos ainda dizer que era justo que o PT lançasse sua própria candidatura e aguardasse para ver se a conjuntura se encaminharia a uma união ao seu redor mais uma vez. E isso tinha grande chance de acontecer caso Lula não tivesse sido preso. Mas ele foi. Portanto, nada mais natural que o PT desistisse do pleito em prol de uma união de esquerda em torno de quem tinha a maior força política no campo progressista e, ao mesmo tempo, possuía a menor rejeição entre todos os candidatos.

Não foi o que aconteceu. Não só enrolaram até os 45 do segundo tempo para lançar um candidato fraco e sem espírito como articularam para combater e isolar quem deveriam ter como aliado. Tudo isso simplesmente no intuito de manterem sua supremacia de “líderes da esquerda”. Ou seja, em nenhum momento o PT, Lula ou Haddad abdicaram de seus interesses (projeto de poder) em prol da sociedade brasileira. O PT arriscou tudo pelo poder, e por isso nos trouxe a este cenário aterrorizante (claro que sabemos que não é tudo culpa do PT, já que os únicos culpados pela ascensão do fascismo são os próprios fascistas, mas não podemos esconder a responsabilidade do partido ao minar a luta contra os mesmos num momento tão grave). Até mês passado, o Bozo ainda estava pequeno, mas cresceu graças a decisão de Lula de manter o PT na disputa. Há pouco tempo atrás ele perdia até mesmo para Marina nas pesquisas. Foi só quando a massa antipetista vislumbrou a possibilidade de ter o PT novamente na cadeira presidencial que o Bozo disparou.

Ciro, por outro lado, ao fim do primeiro turno, anunciou – junto ao PDT – o apoio crítico a Haddad. Afinal, depois de todas as articulações acima citadas, seu apoio não poderia mesmo deixar de ser crítico. Não é possível agora colocarmos Haddad como salvador da pátria quando, na verdade, é um de seus vilões (mais por responsabilidade do partido que dele mesmo, mero instrumento). O obscurantismo defendido pelos militantes petistas não pode esconder a responsabilidade histórica do PT na situação deplorável em que nos encontramos. Dito isso, não dá pra pedir a um intelectual coerente como Ciro que faça campanha junto a quem conspirou contra ele e, de tabela, contra a democracia. A grandeza histórica de Ciro já está afirmada pela campanha excelente que fez e, em seguida, por ter manifestado apoio ao único candidato democrático (apesar de fraco) no segundo turno. Se fizesse mais que isso estaria aprovando simbolicamente as ações pérfidas executadas pelo PT.

Para os petistas fanáticos, pequenez histórica é a derrota no pleito, e ser grande significa vencer e defender incondicionalmente seu próprio partido, mesmo que isto envolva falsear os fatos. O que entendemos por grandeza histórica, entretanto, é a coragem de abdicar dos interesses próprios em prol dos interesses do país – como Ciro fez ao “esquecer” o que lhe fizeram para anunciar apoio ao PT no segundo turno em prol da democracia –, é desafiar os privilégios das elites em virtude da garantia dos direitos do povo, é confiar no bom senso da população ao oferecer um projeto completo de desenvolvimento ao invés de apelar para uma competição de carismas como tantos outros fizeram. Ciro sai gigante desta disputa presidencial, e seu eleitorado clama para que concorra novamente ao cargo em 2022. Não descansaremos enquanto não tivermos a satisfação de ver alguém tão coerente e tão preparado quanto Ciro na cadeira de presidente do Brasil.

O PT, por sua vez, se apequenou perante a história ao optar pela supremacia em detrimento da democracia. Seu enfraquecimento político é iminente, e seu único reduto seguro ainda é uma determinada parte do Nordeste, que mantém sua fidelidade por gratidão ao que já foi feito, mas que, dentro de poucos anos, tende a redirecionar seus votos para um candidato que demonstre querer fazer mais do que somente lhes fornecer programas emergenciais. Logo perceberão que o governo pode e deve fazer mais por eles, propiciando-lhes não apenas o pão, como também oportunidades de realizarem voos mais altos. Por enquanto, o PT ainda não sentiu o peso da redução de sua importância no cenário político, pois está no segundo turno. Mas, infelizmente, sentirá em breve, e da pior forma possível.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

59 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Heitor

13 de outubro de 2018 às 22h46

Tenho uma ligeira impressão que o Bolsonaro é o falso Messias.
Tem Messias no nome, mas de Messias ele não tem nada.
Um cara que defende o uso irrestrito de armas de fogo, não defende a vida. Esse é o candidato do picareta do mala faia. O cara é torturador, racista, misógino, homofóbico e o mala faia apóia. Que tipo de pastor é e$$e.
Ciristas e petistas se não se unirem vão para o sa.co.
Duvido que os militares e a polícia civil e federal irão deixar todo cidadão ter uma arma de fogo. Isso não passa de uma lenda urbana. Aqui não é EUA. Se lá isso já é o caos, aqui será 10 vezes pior.
Isto seria o caos. Uma arma de fogo na mão de qualquer um. Basta ter o dinheiro para comprar.
Lorota da grossa.

Responder

gledes mendes de castro

13 de outubro de 2018 às 21h28

Quem pariu o monstro foram os golpista e a mídia, agora Lula e o pt são os culpados, pq são loucos pelo poder.

Responder

PETER PENDRAGON

13 de outubro de 2018 às 17h34

Na maçonaria existem duas correntes, A branca e a Negra, os assim chamados iluminattis não são um corpo único mas dividido. Para entender os tempos atuais é preciso voltar a 1875 que foi o ano da fundação da sociedade Teosófica por Helena Blavatsky e o nascimento de Aleister Crowley. Blavatsky tentou unir ciencia e religião, o lema de sua sociedade teosófica era: ” O método da ciencia, o objetivo da religião”. Quando Blavatsky morreu em 1891 quem assumiu o controle da sociedade teosófica foi a feminista e reformadora Social Annie Bessant, Besant também foi uma das fundadoras do Socialismo fabiano junto com Bernard Shaw, Aldous Huxley e George Orwell.
Aleister Crowley era um alpinista, enxadrista , poeta, formado em quimica na universidade de Cambridge que acabou entrando para uma organização maçonica chamada Golden Dawn.
Eu não vou vou entrar em todos os detalhes pois isto tudo está na internet, mas vamos aos fatos reais: Quando da cisão da Golden Dawn, Aleister Crowley se auto-intitulou o novo Messias, enquanto o outro lado tentou astutamente criar um falso messias, Annie Besant tentou capturar vários ritos da maçonaria, enquanto ela mesma virou lider da co-maçonaria e da igreja católica liberal.
Annie Besant também se juntou a um padre Jesuita Pedófilo que se infiltrou na Sociedade Teosófica para destruir o trabalho de Helena Blavatsky e juntos tentaram criar um Falso Messias mundial, que era uma criança chamada Krishinamurti.
Agora voltando aos tempos atuais, nós temos os Socialistas Fabianos, magos negros que corromperam o PT e PSDB vs Jair Messias Bolsonaro e Trump que sõ os avatares da vingança de Aleister Crowley contra seus inimigos da escola negra coletivista de Annie Besant e Charles Leadbeater.

Responder

    PETER PENDRAGON

    13 de outubro de 2018 às 17h49

    “Durante as duas últimas gerações, os Mestres da Escola Amarela foram obrigados a tomar conhecimento da ruína progressiva dos adeptos Brancos. O cristianismo, que possuía pelo menos a aparência de uma fórmula branca, está nas agonias da decomposição, mesmo antes de estar realmente morto. A ciência materialista superou a fé e a esperança dos cristãos (eles nunca possuíram qualquer caridade para subjugar) com uma demonstração da tristeza, transitoriedade e cruel futilidade do Universo. Uma vasta onda de pessimismo engoliu a fortaleza de Mansoul.

    Na verdade, foi um golpe mortal para os adeptos da Escola Branca quando a Science, sua amiga familiar em quem confiavam, ergueu o calcanhar contra eles. Foi nessa conjuntura que os adeptos Amarelos enviaram ao mundo ocidental uma mensageira, Helena Petrowna Blavatsky, com a distinta missão de destruir, de um lado, as cruéis escolas do cristianismo e, de outro, erradicar o materialismo. da ciência física. Ela fez a conexão necessária com Edward Maitland e Anna Kingsford, que estavam tentando impotente colocar as fórmulas exotéricas da Escola Branca nas mãos dos estudantes e com os representantes secretos da Irmandade Rosacruz. Não cabe a nós neste lugar estimar o grau de sucesso com o qual ela levou a cabo sua embaixada; mas pelo menos vemos hoje que a Ciência Física está finalmente penetrando na base espiritual dos fenômenos materiais. O trabalho de Henry Poincarè, Einstein, Whitehead e Bertrand Russell é evidência suficiente desse fato.

    O cristianismo também caiu em um grau menor de desprezo do que nunca. Percebendo que era moribundo, fez um esforço supremo e suicida e mergulhou no espasmo da morte da primeira guerra mundial. Era muito corrupto reagir às injeções da fórmula branca que poderiam salvá-la. Vemos hoje que o cristianismo é mais intolerante, mais divorciado da realidade do que nunca. Em alguns países, tornou-se novamente uma igreja perseguidora.

    Com alegria horrenda, os adeptos da Escola Negra observaram esses atrozes paroxismos. Mas fez mais. Ele organizou suas forças silenciosamente e preparou-se para limpar os destroços dos campos de batalha. É no presente (1924 ev) prometido a uma tentativa suprema de perseguir as raças viris de seu halidom espiritual. (O espasmo ainda [1945 ev] continua; observe bem os gritos pró-alemães dos bispos anglicanos e as intrigas do Vaticano.)

    A Escola Negra sempre trabalhou insidiosamente, por traição. Precisamos, então, não ser surpreendido por encontrar que o seu representante mais notável foi o seguidor renegado de Blavatsky, Annie Besant, e que ela foi acusado por seus mestres Preto com a missão de convencer o mundo a aceitar pelo seu professor um negróide 1 Messias. Para tornar a humilhação mais completa, foi escolhida uma criatura miserável que, para as qualidades morais mais repugnantes, acrescentou a imbecilidade mais tola. E depois explodiu!”

    https://www.bibliotecapleyades.net/crowley/mwt/mwt_08.htm

    Responder

gledes mendes de castro

13 de outubro de 2018 às 16h46

A DIREITA AMA ESTES ESQUERDISTAS. PARABÉNS CAFEZINHO, TODA A CULPA É DO PT: A MESMA FALA DA DIREITA. MANDE ESTE TEXTO PARA A EQUIPE DO BOLÇAL, ELES VÃO DEITAR E ROLAR E OS INDECISOS SAIRÃO DAS SUAS INDECISÕES.

BOÇALNARIO HOJE E SEMPRE.

Responder

André Luiz Machado de Souza

13 de outubro de 2018 às 16h18

Tem coisas que deixam a gente intrigado. Pô, se o Ciro era bom de voto, porque precisaria dos votos do PT? Se o PT é tão odiado, mesmo com a massacrante propaganda contra, porque elegeu a maior bancada da câmara dos deputados? Se o candidato do PT é tão ruim, porque ele teve mais que o dobro dos votos do Ciro? Se o PT é tão mesquinho, porque ofereceu ao Ciro a vice-presidência, sabendo que era grande a hipótese do Lula ser impedido pela máfia jurídica-midiática-policia-financeira que comanda o Brasil? Pois é, não é preciso baixar a bola?

Responder

nelson

13 de outubro de 2018 às 13h16

Coitado do miguezinho CIRO é covearde e já ERA ém umpolitico mediocre e mal intencionado nunca será nada é um FGAGACÊ PIORADO.

Responder

Luiz Claudio Leão

13 de outubro de 2018 às 11h33

Acho que se gasta energia desnecessária. O fato é que se não existir uma união contra o perigo que se avizinha, todos, repito, todos serão prejudicados. O posicionamento de Ciro Gomes, independente de qualquer atitude do PT, de Lula ou de Haddad não é correta. Não é por considerar que o PT só pensou em si que um homem público a quem se atribui a possibilidade de ser um estadista deixe o país num momento destes. Triste também é perceber que muitos de seus apoiadores apresentem uma cômoda posição de apontar que por não ter sido seguido o caminho apontado por seu líder, que tudo dê errado e daqui a quatro ele volte como o que estava certo. Pessoal, todos estão no mesmo barco, se o Coiso for eleito, quem garante que teremos eleições em 2022? A luta política é agora e espero que Ciro reconsidere sua posição e volte a luta antes da votação do segundo turno. Não é o PT que precisa disso, é o Brasil que precisa.

Responder

    JOÃO BATISTA

    13 de outubro de 2018 às 13h06

    Petista,
    primeiro convença seu líder, o gênio da estratégia tabajara, que está hospedado na sala de estado-maior da PF, em Curitiba, e já declarou, através de paus-mandados, que é perder e estar mais forte para 2022.
    Ciro, nem com reza brava!

    Responder

      Hélio Sanchez

      13 de outubro de 2018 às 22h59

      Ciro está certo, mas isso não vai levar a nada. Só vai fortalecer o monstro e se queimar com boa parte da esquerda. Se ficar queimado pra sempre igual a Marina é melhor se candidatar da próxima vez pelo psdb ou dem. Nem conte com os votos de esquerda.
      É preciso ter visão além desse momento conturbado da política nacional assim como tem um empreendedor que vislumbra o futuro.
      O problema do pt é que sempre quer ser cabeça de chapa e só perde em sp, p. ex. Nunca aprende a lição.

      Responder

    JOÃO BATISTA

    13 de outubro de 2018 às 13h15

    Leia a matéria com Mino e Morais, lá está escrito que o chefe, aquele que não sabia de nada, o gênio da estratégia tabajara, atualmente hospedado na sala de estado-maior da PF, em Curitiba, disse que perder será vir mais forte à frente. Pt só apoia petista.
    Ciro ficará sem boa parte de seus eleitores se apoiar o pt.
    O que o pt deseja é dar o abraço do afogado em Ciro.
    Petista, procure o “gênio” da cela e pergunte o que fazer agora que a viola está em cacos.
    Ciro, nem com reza brava!

    Responder

Winston Ferreira

13 de outubro de 2018 às 10h10

Prezado Miguel do Rosário. Não tenho nada contra o pt, em si mesmo. Sei das contribuições positivas. Todavia, caminhamos com os olhos fechados em direção ao abismo. Creio que o principal erro foi insistir na reeleição de dilma e, após o golpe, não recuar. Outros erros: ignorar a força do antipetismo; superestimar o apelo positivo que o partido ainda possuía junto às camadas mais pobres e às classes médias; subestimar uma aliança centro-esquerda, apoiando um candidato de outro partido à presidência (Ciro seria o nome mais indicado, ou, até mesmo, a marina, em último caso – dado seu apoio ao aécio.) Falo de recuo, não de retirada ou debandada. Insistir na candidatura de Lula, inclusive com ele já preso e, depois, de Haddad, cuja imagem é/foi associada à lula. Boa parte da militância parece ter perdido o contato com a classe média/média baixa. Não adianta chamá-los fascistas. Termos “prontos” não convencerão essas pessoas. Era preciso não lançar candidato à presidência, o que desarmava o discurso das forças antipetistas, mediante o apoio à um candidato centro-esquerda que não fosse do pt. era preciso recuar, fortalecer as bases no senado/câmara e fazer com que a militância atuasse junto aos mais pobres, tanto em relação ao candidato que seria apoiado, quanto aos demais candidatos (senado/deputados). Teríamos eleito Ciro, talvez no 1º turno, certamente, no 2º turno. O pt faria a autocrítica que até o momento minimamente fez. Evitaríamos o Ur-fascismo bolsonarista. confundimos a defesa da democracia, com a defesa de um partido/candidato que queria eleger-se para mostrar sua força.

Responder

Franco

13 de outubro de 2018 às 10h10

O duro é pensar de que sobreviverão os chamados “blogueiros sujos”. Terão coragem para se contrapor ao tsunami que se aproxima?

Responder

Franco

13 de outubro de 2018 às 09h59

Ô Miguel do Rosário, sempre se soube que haveria essa divisão de votos com a manutenção de candidaturas do PT, PDT e PCdoB, afinal o PT nunca foi sozinho além de seus 35% o que não é suficiente para ganhar um pleito e nem o Ciro tampouco excedeu 11% embora nestas eleições pudesse ter suplantado até o “poste” do Lula.

Penso que não é hora de estimular dissensões e a atitude do Ciro nos faz avaliar que, caso fosse o candidato das forças progressistas poderia como agora está fazendo, voltar-lhes às costas e ouvir apenas seu inflado ego. É a forma dos Ferreira Gomes fazerem política. Lançaram o PT às feras e vão deixar que a tirania se instale para aniquilar seus opositores.

“O que será do futuro que hoje se faz, da natureza, as crianças e os animais” (R. Carlos).

Responder

    JOÃO BATISTA

    13 de outubro de 2018 às 13h19

    É isso aí, petista.
    O erro de Ciro foi permanecer próximo do custodiado por 14 anos.
    Virem-se!
    Ciro, nem com reza brava!

    Responder

Fernando Almeida

13 de outubro de 2018 às 08h59

Não vejo esse apequenamento do PT. É apenas olhar para os números, 91 milhões de votos sendo o partido mais votado. Além disso, foi o Ciro que ficou sambando no primeiro turno e até chegou a flertar com a direita em troca de construir uma aliança que seria capaz de vencer o PT. Ciro se revelou (não para mim, pois já o conhecia) um vanguardista, narcisista que apenas que quer apenas estar no posto mais do país para engordar a sua biografia. No entanto, me parece que o tiro saiu pela culatra. Ficará marcado na história, como o “líder de esquerda” que tirou férias no momento em que seu país mais precisou.

Responder

joao

13 de outubro de 2018 às 08h17

Vai meu irmao pegue este aviao e va para Paris.Quem sabe alguem la te escutara com os seus conselhos e torcida por quem nao teve nem a metade dos votos do Haddad.
Querer distorcer a realidade e proprio de quem so tem uma visao distorcida e unilateral dos fatos.
Ja esta na hora de vc Miguel, aceitar a derrota do seu fujao preferido e se posicionar claramente a quem esta na disputa atualmente.
O resto e querer procurar piolho em cabeça se cabelo.

Responder

Fernando

12 de outubro de 2018 às 20h29

Só faltou uma coisa a Ciro: votos. Miguel, aproveita e vai dar uma voltinha em Paris.

Responder

    Jessé Oliveira Guimarães

    12 de outubro de 2018 às 21h04

    Eu creio que vai faltar ao Haddad também. Apesar de tudo eu voto nele.

    Responder

Mario

12 de outubro de 2018 às 20h27

O candidato do PDT ao RN foi mais sintético: vai apoiar Bolsonaro e pronto.
Prá que tanto mimimi?

Responder

Romulo Macedo

12 de outubro de 2018 às 19h51

Irretocável Miguel, irretocável. E a mudança será feita a partir de jornalistas como você que tem compromisso com a verdade. Infelizmente por muitos blogs auto-declarados progressitas ignorarem as contradições petistas, alisando o tempo todo e criando enredos ilusórios, se criou uma parte do eleitorado petista que é fanático e melancólico.

Responder

    JOSE BATISTA NETO

    13 de outubro de 2018 às 00h08

    Meu caro! Não é possível, sem escorregar para as raias da desonestidade intelectual, acusar uma militância fiel a uma proposta política de sucesso já comprovado, em doze anos de gestão aprovada por 87% da população, realizada por um partido, com história de luta gloriosa de 35 anos, sob ataque de campanha difamatória, coordenada e bancada pelo poder econômico supra nacional, de fanatismo. A sociologia chamaria isso de fidelidade e sintonia ideológica. Uma das razões de ser de um partido político, que o PT está respeitando nesse momento, é enfrentar a missão inarredável da luta pelo poder, mesmo pagando, como está pagando, nesse momento, um alto preço por isso, com os extremos sacrifícios impostos às suas principais lideranças. Qual que é a história de grandes realizações e lutas travadas, com projeção de grande repercussão no cenário internacional, que estão insculpidas na história de Ciro Gomes nos últimos 40 anos?

    Responder

Mariléia Silva dos

12 de outubro de 2018 às 19h19

Infelizmente, a vaidade mata. Se existiu vaidade por parte de Lula/Haddad para manter o PT como cabeça na sigla, há também a vaidade deste blogueiro, na defesa da opção de chapa com Ciro, como a mais viável para a atual situação. Nem vou discutir o mérito da questão, visto que Haddad teve o triplo de voto daquele. Mas a vaidade. A vaidade de mostrar ao leitor de O cafezinho que a sua sugestão “poderia” ter trazido melhores resultados. PHA fez igual a Rosário, tipo, agora, lavo minhas mãos, porque “eu disse”. Nenhum dos dois jornalistas teve a humildade de pensar agora em juntarmos forças, vermos os erros maiores (o tempo urge), pq a banda B foi e está melhor. Fez-se mais clara. E que não se organizaram neste ano de eleição: há mais de 5 anos a rede zap de fundamentalistas religiosos está a mil. Um nojo. Eu nunca soube como conseguiam o meu contato e lá começava o serviço do fundamentalismo religioso. Então, são mtos fatores. Particularmente, JAMAIS daria meu voto em quem naturaliza dar sopapos em mulher, não pq ele está no Nordeste (e eu tbm), mas para vermos que o coronelismo está mto além dos canaviais. Eita cara arrogante com a figura feminina. Inteligente? Um dos maiores hoje. Competência linguística? Tbm. Quase no nível da do Lula, Enfim, que deixemos a vaidade, Rosário e PHACaminhemos em frente. E q a tua inteligência nos ajude a sairmos desta. De ego já deu,

Responder

Rogério

12 de outubro de 2018 às 18h56

O PT continua sendo disparado o maior partido do Brasil e a maior bancada ma Câmara dos Deputados.

Responder

    JOÃO BATISTA

    13 de outubro de 2018 às 22h29

    Tá.
    Vamos combinar assim: o pt é campeão moral.
    É 12 no segundo turno também!

    Responder

Matheus

12 de outubro de 2018 às 18h53

“Até 7 de outubro o PT tomava as suas decisões baseadas em ESTRATÉGIAS políticas: sabotou as articulações de Ciro com o centrão, passou-lhe a rasteira quando ele costurava um acordo com o PSDB, manteve a candidatura em Lula até o último momento e resolveu ser cabeça de chapa mesmo quando tudo indicava que a rejeição ao PT estava nas alturas. Afinal, Lula só sairá do cárcere se o vencedor da corrida eleitoral for um petista; um partido com 40% de intenções de voto não pode ser conduzido, tem que conduzir; A, B, C e D não disseram que Lula era preso político e que foi golpe, portanto não são lulistas roots; ou Lula ou Nada.

Desde o dia 8 de outubro o PT quer que os outros partidos e políticos tomem decisões baseadas em PRINCÍPIOS: é preciso salvar o Brasil do fascismo, não importa se o custo disso for ter que engolir um novo governo do Partido dos Trabalhadores. Espera dos outros grandeza: Onde está Ciro quando precisamos de um líder na luta contra as forças do mal? Por que FHC não se comporta à altura do seu legado? Será que Marina Silva não se dá conta do que está em jogo neste momento histórico?

Para si, a racionalidade instrumental (Zweckrationalität) está valendo, mas os outros devem exercer uma racionalidade em conformidade com valores e princípios (Wertrationalität). Uma gracinha de raciocínio. Freud pode nem estar entendendo, mas Weber explica. Não é à toa que partidos e políticos estão tirando o corpo fora: o PT simplesmente não está conseguindo convencê-los de que não os vê simplesmente como peões do seu próprio jogo de volta ao poder. Por princípios, se sacrificam estratégias, é certo, mas se o PT não sacrificou as suas em nome de valores, como pode esperar que os os outros o façam?
Em sã consciência, há como lhes tirar inteiramente a razão?

Em suma, meus amigos, se querem ganhar esse eleição, tentem ganhar uns votos, pois no andar de cima o PT está sem moral alguma para conseguir apoio do establishment político. E não é apenas por mesquinharia dos outros, como poderia lhes parecer à primeira vista. “

Responder

    André Luís Alves Ferreira

    13 de outubro de 2018 às 01h21

    Melhor síntese em comentário e ousei copiar…parabéns..não faria melhor

    Responder

Matheus Santos

12 de outubro de 2018 às 18h44

Quanto mais mantém Ciro Gomes no centro do debate político nacional, mais há um esvaziamento político do candidato petista. PT não aprendeu nada ainda é já faz uma semana da votação no primeiro turno e até agora não apresentaram nenhum encaminhamento para vencer Bolsonaro.

Responder

Robson

12 de outubro de 2018 às 18h42

Miguel,

Seu texto é magnifico. Uma reflexão racional!

Parabéns O Cafezinho vai ter meu apoio agora. Vou assinar seu portal, merece.

Responder

Paulo

12 de outubro de 2018 às 18h20

Ambos estão certos, a seu tempo: o PT, por querer, por definição programática, sendo o maior Partido, ter candidato, à esquerda; e Ciro, por não subir no palanque do PT, agora, já que boa parte de seus eleitores não simpatizam com os petistas e, portanto, com vistas a candidaturas futuras, estaria dando um tiro no próprio pé. PT é café e Ciro é café com leite, mais no estilo “socialismo moreno” de Brizola e Darcy Ribeiro…

Responder

Bernardo

12 de outubro de 2018 às 18h10

Infelizmente o Grande inimigo no presente é o Bozo e esse pessoal que frequenta o blog fica discutindo o Ciro que nesse momento deve estar curtindo suas férias. Queiram ou não, o PT continua e vai continuar sendo o Grande Partido de Esquerda, e por isso mesmo esqueçam as mágoas, vamos nos unir, ainda dá tempo para todos trabalhar-mos a vitória do Haddad, inclusive o titular desse blog.

Responder

    JOÃO BATISTA

    13 de outubro de 2018 às 22h36

    Tá bom, o pt é campeão moral.
    Ganha uma daquelas medalhinhas de alumínio, pintada de dourado. Mas não deixe molhar, borra.
    É 12 no segundo turno. De novo!

    Responder

Fernanda Borges Buarque de Hollanda

12 de outubro de 2018 às 17h56

Excelente análise. O baile à beira do abismo já era tragédia anunciada por Ciro Gomes inúmeras vezes. Não é justo que queiram acusar o Ciro quando a militância petista repetia inúmeras vezes que o PT não podia abrir mão da cabeça de chapa por ser o maior partido de esquerda do país. Subestimaram o fascismo, subestimaram o antipetismo. Triste fim em que todos somos os responsáveis e que o maior partido de esquerda deveria ter percebido que a maior responsabilidade é dele.

Responder

Felipe

12 de outubro de 2018 às 16h28

Como o Ciro foi escaneado pelo PT se lhe foi oferecido o posto do Haddad e Ciro recusou?

Responder

    Rodrigo

    12 de outubro de 2018 às 16h59

    A presidente do PT disse: “Ciro não passa no PT nem com reza brava”

    Responder

    CezarR

    12 de outubro de 2018 às 17h14

    Simples meu caro, porque o Lula queria o Ciro rezando na sua cartilha, por isso isolou-o do PSB e PCdoB. Sabia que Ciro não aceitaria, notadamente depois de ter feito compromissos partidários. Lula foi apenas um homem pequenino, quando imaginava que entraria para história apontando o dedo para Ciro.

    Responder

      Zurconil

      12 de outubro de 2018 às 18h51

      E eu te pergunto, será que o Ciro está à altura deste momento ? Será que ele não está se apequenando por mágoa?

      Responder

        André Luís Alves Ferreira

        13 de outubro de 2018 às 01h29

        Agora a culpa é de Ciro e do PDT? O maior partido de esquerda deveria ter a maior responsabilidade, e não a maior vaidade de simplesmente ter lançado Ciro e Haddad, com Ciro na cabeça da Chapa. O PI ia dar mais votos mas Ciro dividiria boa parte do centro e um pedacinho da direita não radical, pois mostra comando independente da cartilha do PT e isso nos daria triunfo apertado, mas daria. Era simples fazer isso cedo e antes. Agora culpar Ciro é covardia.

        Responder

        JOÃO BATISTA

        13 de outubro de 2018 às 22h39

        Nada de mágoa!
        Continuamos bons amigos.
        É apenas reciprocidade de tratamento.
        É 12 no segundo turno!

        Responder

    André Mendes

    12 de outubro de 2018 às 19h19

    O PT merece ter o mesmo tratamento que brevemente será dispensado ao MDB. Haddad, que aceitou o papel de poste, ficará na calçada da história, enquanto Lula será tratado pelos ciristas como nos tratou, até o fim dos nossos dias. Bolsonazi que aproveite seus minutos de fama, porque, a partir de 29/10/2018, não terá um minuto de trégua. Aos petitas de bom senso: abandonem este Titanic político e não se culpem por terem sido enganados. Vai com Deus, PT!

    Responder

    Mario

    12 de outubro de 2018 às 20h38

    De fato. É só pesquisar um pouco para ver as declarações do Ciro criticando o Lula e desprezando uma aliança no primeiro turno. Agora querem culpar o PT por uma eleição que nem terminou. Tem muito que aprender com o Brizola.

    Responder

      JOÃO BATISTA

      13 de outubro de 2018 às 22h42

      Certo.
      É provável que lula se encontre com Brizola antes de Ciro.
      Poderão rir e comemorar à vontade!
      Mas no segundo turno É 12 de novo!

      Responder

Foo

12 de outubro de 2018 às 15h10

“Ao que parece, militantes petistas de todos os estados finalmente estão começando a perceber que a probabilidade de seu candidato bater o inominável no segundo turno é ínfima, e, portanto, buscam desesperadamente alguém para colocar a culpa de sua (leia-se nossa) provável derrota.”

Quando defendíamos Lula, você pedia que o abandonássemos.

Quando defendíamos Haddad, você pedia que desistíssemos.

E agora, parece que entregou os pontos de vez.

Nós temos motivos de sobra para estarmos desapontados contigo, mas te convidamos para a luta.

Pessoas já lutaram pela democracia em situações muito mais adversas.

Não desista.

Responder

    Adecio

    13 de outubro de 2018 às 10h34

    Mano, que galera pra viajar torto!

    O Miguel ta na luta, mas ta fazendo uma crítica. Qual o problema disso?

    Só é bastante quando toda a militância e não militantes baixam a cabeça para o Grande Lider?

    O Haddad vai perder de qualquer maneira! Mesmo que todos os eleitores do Ciro dessem o voto, perderia…

    O erro de estratégia do PT foi praticamente proposital. Nunca mais ganhará nada, cairá em desgraça como o PSDB.

    Acabou a hegemonia petista, da pior maneira possível, mas o pessoal ta se auto-destruindo nesse isolamento louco, nesse devoção a figura carismática do lula, e ainda querem trazer a democracia pro meio desse balaio de gato.

    Unidos resistiremos! Que o PT volte a sanidade o mais breve possível! …Antes tarde do que nunca.

    Responder

Zurconil

12 de outubro de 2018 às 15h08

Miguel, mais parcimônia. Primeiro, lembre q o PT é muito maior ; segundo, o Ciro, desde o ano passado demonstra desprezo pelo Lula (chegou a dizer q o nine pensava q era Deus); terceiro, o Ciro sempre ficou na posição imperial de esperar q o PT fosse procurá-lo e pedir , humildemente, já q o partido entrou em decadência , como vc diz e o Ciro tem certeza, para uma aliança. Nunca procurou o PT diretamente e formalmente, ao contrário, priorizou um acordo com o Centrão. Este , sim , o sacaneou. Cozinhou o Ciro até os 45 minutos do segundo tempo, quando, então, anunciou o apoio ao Alckmin. Enquanto isto, o Ciro, na tentativa de agradar o Centrão batia no Lula; quarto, em nenhum momento, o Ciro reclamou de ter sido sacaneado pelo Centrão; quinto, nunca, pelo menos eu não vi, o Ciro marcou uma posição de procurar o PT/ Lula para propor uma composição entre parceiros. Sempre criticando o Lula ou o PT e esperando a sua rendição.Na prática, o Ciro queria uma composição “bacon com ovos”, em que o sacrifício seria do PT, assumindo a posição do suíno na breakfast do PDT, cabendo a este último entrar com os ovos.
O Ciro navegou na rejeição do PT. Está agindo como o Império Britânico, na primeira década do século XX, aguardando o desmoronamento do Império Turco Otomano para abocanhar as suas terra e riquezas. O Ciro não está preocupado com a esquerda, com a campanha contra o PT, com as injustiças contra o PT. Está somente preocupado com o espólio do PT. Esta última atitude dele torna-o aliado da imprensa, do judiciário e dos setores da elite q estão destruindo o PT. E ele viajou e viajará mais e mais à espera de 2022, acreditando q até lá não existirá mais PT, como vc, Miguel, já anteviu neste artigo. O Ciro será, então o rei da oposição. O Lula estará preso, o PT acabado e o Bozo reinando.
O Ciro conta como aliados para a montagem deste cenário, além dos atores q listei já falei acima, com os artigos do Miguel do Rosário e do Wanderley.

Responder

    MARCELO

    12 de outubro de 2018 às 15h58

    Perfeito, isso mesmo!
    Acho graça é o quanto o Miguel é fanático pelo Ciro. Será que essa defesa que ele faz se dá por algum financiamento ao Blog ……O Ciro nunca será líder de porra nenhuma, ele é incapaz de agregar, por isso pula de partido toda hora. Se ele voltar para o PPS do Roberto Freire o blogueiro continuará a defendê-lo? Depende do financiamento do Blog…..Você é patético Miguel….

    Responder

      Miguel do Rosário

      12 de outubro de 2018 às 23h48

      Patético é você. Não tem argumento, ofende a honra do autor. O texto nem é meu.

      Responder

      JOÃO BATISTA

      13 de outubro de 2018 às 22h48

      Correto!
      Líder é o presidiário chamado lula.
      Líder da ORCRIM. Organização criminosa.
      O gênio da estratégia tabajara que elegeu bolsonaro.
      Ciro, nem com reza brava!
      Por isso, no segundo turno É 12 de novo!
      Cirão da massa!

      Responder

    Adecio

    12 de outubro de 2018 às 16h56

    Ciro esteve em contato com o PT constantemente, lembremos, por exemplo, do icônico encontro com Delfim Neto, Haddad, Ciro e a imprensa. Inclusive aguentando a presidente do partido dizendo que ele não passaria no PT nem com reza brava e isso foi alardeado por toda a militância PiGal (247 e DCM inclusos), com muito orgulho, diga-se de passagem. Quem quis manter a hegemonia foi o PT, foi um erro que custará a eleição.

    Ciro NÃO deu preferência ao centrão; ANTES, foi chamado pelo centrão para debater, conversar, o que é normal, e o PiG (incluso aqui agora o 247 e o DCM, porque assim se posicionam: como imprensa golpista) publicou que Ciro “gostaria” – dando a entender que mendigava – do apoio do centrão, quando a posição do candidato era na verdade de CONVIDADO pra um diálogo sem compromisso que, pra qualquer um que conheça os projetos do Ciro, poderia formar alianças para o futuro, com base no Projeto Nacional de Desenvolvimento proposto pelo candidato. Ciro não foi dispensado pelo Centrão, essa afinidade simplesmente nunca existiu, foi criada pelos PiGs de direita e esquerda.

    Ciro DEU PREFERÊNCIA ao PCdoB e ao PSB, dois partidos que acabaram por demonstrar serem apenas um apêndice do PT e perigam deixar de existir daqui a não muito tempo.

    Ciro nunca navegou a onda anti-pt; Ciro, como candidato, sempre foi adversário do PT, principalmente no que diz respeito a idéia de Projeto Nacional.

    A militância petista reluta em ver que existe mais entre o céu e a terra do que sonha sua vã filosofia. O pior de tudo é a desonestidade intelectual fácil, barata, que esse pessoal usa/usou pra desacreditar os projetos do Ciro. Haddad chegou insinuar que o Ciro, se presidente, seria descontrolado; na outra ponta, Ciro, havia dito, sinceramente, que Haddad sairia pequeno, caso eleito, por não haver um Projeto em torno do seu nome e sim em torno da vaga idéia de Lula, que preso, só serve de mais lenha ao anti-petismo.

    É o fim do mundo como nós conhecemos, mas nós conheceremos outro mundo, que pode ser melhor, se nós nos unirmos e pararmos de coadunar com projetos de poder mesquinhos que, alimentados pela desonestidade intelectual de alguns, tem como resultado apenas o enfraquecimento de aliados, destruindo também a capilaridade do próprio campo progressista como um todo.

    Responder

    Zurconil

    12 de outubro de 2018 às 18h55

    O Lula ainda tem a desculpa de que está lutando pela sua sobrevivência. E qual será a motivação do Ciro? Mágoa?

    Responder

    Mario

    12 de outubro de 2018 às 20h45

    Taí, uma análise perfeita. Só acrescento que, se um dia Ciro presidente alcançasse o mesmo sucesso que o Lula na redução da miséria, Ciro iria parar na cadeia da mesma forma. Esta é a essência da coisa.

    Responder

João Serra

12 de outubro de 2018 às 14h37

Ai que saudade do Brizola e do PDT de então. Em 89, depois de um primeiro turno difícil, o Brizola, mesmo magoado, engoliu o “sapo barbudo” e entrou de cabeça na campanha progressista, transferindo 70% dos votos do primeiro turno. Neste segundo turno, os eleitores de Ciro parecem ter compreendido melhor o momento do que o candidato e a cúpula do partido.

Responder

    André Luís Alves Ferreira

    13 de outubro de 2018 às 01h45

    Que lindo sempre o altruísmo tem de vir do outro, o PDT cedeu antes com Brizola, e hoje com tudo contra porquê o PT não cedeu? Ai que saudade do bom senso.

    Responder

JC

12 de outubro de 2018 às 13h56

Na minha humilde opinião, a queda do PT já ocorreu. Me dói admitir que o maior sinal da morte do PT é voltar a ser um partido que luta por temas que, dado o baixo nível de conhecimento de uma gigantesca massa populacional, são tão abstratos para o povão.
O que é fascismo num país que nunca admitiu e pediu desculpas pelo seu regime militar que matou e torturou?
O que é o ódio pra quem assiste diariamente programas estilo o póstumo jornal Notícias Populares e a esses programas conferem substancial audiência?
O que é racismo para quem tem mais de 50% da população negra ou parda e que não tem um feriado nacional (apenas um ponto facultativo) pela memória do genocídio que os negros sofreram no país?
Infelizmente o PT tem uma bandeira difusa e hoje na esquerda não temos um partido à altura da esquerda que nasceu com Vargas, passou por Jango e foi morrer em Lula: a esquerda trabalhista.
Justo num momento onde o emprego e as relações de trabalho e a seguridade social do trabalhador são rediscutidas ao redor do mundo todo.
Todas as causas que eu citei cabem numa pauta de esquerda, mas todas só passaram a ser discutíveis quando o trabalhismo voltar a ser o foco da esquerda e a função da educação não como formadora apenas de mão de obra, mas como formadora de pensamento crítico dessa categoria que a permita enxergar seu lugar na sociedade e saber impor seu peso na hora de buscar uma sociedade mais justa.

Responder

    JC

    12 de outubro de 2018 às 13h59

    *só passarão

    Responder

Alan Cepile

12 de outubro de 2018 às 13h41

Mais um tópico que vai ser uma choradeira infinita….
Não há mais o que falar sobre este assunto, já acabou, tava na cara que as escolhas do PT foram as mais equivocadas de todas, e alertamos isso dia após dia. O PT está completamente perdido neste 2º turno e a derrota é certa.
Como ex-petista e eleitor do Lula (com muito orgulho) espero que o partido FINALMENTE faça um mea culpa e auto crítica e saia desse estado confuso, lisérgico e atrapalhado que se encontra.
Quanto a Ciro, seria muito incoerente, depois de tudo que aconteceu, se ele aparecesse no palanque petista, isso decepcionaria seu próprio eleitorado, o qual Ciro serve e deve obediência.
No mais é isso, teremos 4 anos de um governo com fortes tendências fascistas. O que estava muito ruim com o #ForaTemer, pode piorar muito.
Abraços a todos.

Responder

    CezarR

    12 de outubro de 2018 às 17h16

    A natureza aracnídea do PT não permite.

    Responder

    gledes mendes de castro

    13 de outubro de 2018 às 16h55

    AGORA A LUTA É PELA DEMOCRACIA.UM DEMOCRATA NÃO ABANDONA O BARCO PELO RANCOR, POIS ELE É MAIOR Q ISTO!

    Responder

Anax

12 de outubro de 2018 às 13h25

Não foi por falta de aviso, muitos analistas preveram esse cenário, mas o PT tem essa história de ter que ficar com a hegemonia da esquerda, nem que para isso tenha que entregar a eleição ao pior dos adversários. Ciro está correto, na verdade depois que o PT fez era pra anunciar neutralidade nesse segundo turno. Só tem um jeito de a presidencia não cair no colo do Bozo, Haddad renunciar e Ciro entra na disputa.

Responder

Deixe uma resposta

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com