Cafezinho 2 minutos: Posse de Bolsonaro e alegações finais contra Lula

O novo depoimento de Palocci contra Lula

Por Miguel do Rosário

06 de dezembro de 2018 : 13h25

Antes de tudo, a defesa de Lula:

Leia a nota de Cristiano Zanin, advogado de Lula, sobre o depoimento de Palocci.

Palocci aproveitou de seu depoimento na ação penal 003754446.2017.401.4.01.3400 para, de forma inusual, tomar a iniciativa de fazer afirmações sem qualquer relação o processo, com o nítido objetivo de atacar a honra e a reputação do ex-presidente Lula e de seu filho Luis Claudio.

Ao ser confrontado pela defesa, Palocci teve que reconhecer que:

(1) recebeu benefícios de redução de pena e também patrimoniais com sua delação; (2) que um dos temas tratados em sua delação diz respeito a medidas provisórias; e que (3) foi advertido pela autoridade policial que firmou o acordo que se a narrativa do ex-ministro não for confirmada ele poderá perder os benefícios recebidos. Palocci, portanto, não é uma testemunha – que fala com isenção – mas alguém interessado em manter as relevantes vantagens que obteve em sua delação. O ex-ministro ainda reconheceu que as supostas conversas que afirmou ter mantido com Lula e Luis Cláudio não tiveram a presença de qualquer outra pessoa, não havendo, portanto, qualquer testemunha sobre a efetiva ocorrência dos encontros e do teor do assunto discutido.

Na verdade, Palocci sabe que suas afirmações são mentirosas e que por isso não poderão ser confirmadas por qualquer testemunha. Por isso mais uma vez o ex-ministro recorre a narrativas que envolvem conversas isoladas com Lula, expediente que já havia recorrido em depoimento prestado perante a Justiça Federal de Curitiba.

***

A nova delação de Palocci é capa de todos os jornalões, revistas e portais: UOL, Folha, Globo, Estadão.

O partido da justiça não esquece Lula. É chumbo grosso todo dia. Leia também a resposta da Comissão Executiva do PT às acusações de Palocci.

Na Agência Brasil

Palocci diz que filho de Lula recebeu propina de montadoras
Publicado em 06/12/2018 – 12:13

Por Felipe Pontes – Repórter da Agência Brasil Brasília

O ex-ministro da Fazenda e da Casa Civil Antonio Palocci disse hoje (6), em depoimento à Justiça Federal no Distrito Federal, que o filho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Luiz Cláudio, recebeu recursos de um lobista envolvido na elaboração da Medida Provisória 471/2009, objeto de ação penal no âmbito da Operação Zelotes.

Segundo Palocci, o filho de Lula o teria procurado em sua consultoria, em São Paulo, entre o final de 2013 e o início de 2014, para que o ajudasse a obter de empresas ao menos R$ 2 milhões para viabilizar um de seus empreendimentos. Mas o próprio Lula, segundo o ex-ministro, teria lhe informado já ter obtido o dinheiro com o lobista Mauro Marcondes.

Segundo a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), Marcondes atuou junto ao governo Lula em prol da elaboração da MP 471, na qual foram concedidos benefícios fiscais a montadoras de veículos, que em troca teriam pago propina para que o texto fosse publicado.

Palocci disse ter procurado Lula em 2014, cerca de um mês após o encontro com Luiz Cláudio, para conversar sobre o pedido do filho do ex-presidente. A reunião teria ocorrido no Instituto Lula, em São Paulo.

“Fui falar com o ex-presidente Lula porque queria ver com ele se autorizava a fazer isso [obter recursos para seu filho]. Foi ai que o ex-presidente falou não precisar atender ao Luiz Cláudio porque ‘eu já resolvi esse problema com o Mauro Marcondes’ ”, disse Palocci.

Benefícios fiscais

Em 2013, os benefícios fiscais foram renovados pela então presidente Dilma Rousseff por nova MP. Segundo Palocci, o ex-presidente Lula confirmou a ele ter negociação com as montadoras para que ambas as MPs, de 2009 e 2013, fossem aprovadas. As tratativas teriam sido realizadas com a intermediação de Marcondes, que, segundo o ex-ministro da Fazenda, teria acesso “irrestrito” a Lula.

Palocci disse, no entanto, não ter como comprovar o repasse de recursos das montadoras a Luiz Cláudio, que não é réu na ação penal que trata da tramitação da MP 471/2009. O ex-ministro disse também não ter conhecimento direto sobre a atuação de Marcondes na elaboração da medida provisória. E que ficou sabendo do envolvimento do lobista somente por meio de Lula.

O ex-ministro da Fazenda prestou depoimento como testemunha ao juiz substituto Ricardo Soares Leite, da 10ª Vara Federal de Brasília, em uma das quatro ações penais a que Lula responde na Justiça Federal no Distrito Federal. Além do ex-presidente, são réus no processo Mauro Marcondes, o ex-chefe de gabinete de Lula, Gilberto Carvalho, e mais quatro pessoas.

Logo no início da audiência, o advogado Cristiano Zanin Martins, que representa Lula, tentou suspender o depoimento de Palocci, alegando que ele firmou acordo de delação premiada relativo a outras ações e à qual a defesa não teve acesso, sendo portanto uma testemunha interessada em incriminar Lula em troca de benefícios legais concedidos pelo Ministério Público.

O pedido de Zanin foi reforçado por todas as demais defesas dos acusados, mas o juiz Soares Leite não o concedeu. O procurador da República responsável pelo caso, Fernando Paiva, argumentou que a Operação Zelotes não tem envolvimento com a delação de Palocci, que foi firmada em negociação com a Polícia Federal do Paraná, no âmbito da Lava Jato.

Palocci foi ministro da Fazenda entre janeiro de 2003 e março de 2006, no governo Lula, e da Casa Civil entre janeiro e julho de 2011, no governo Dilma.

Edição: Fernando Fraga

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

13 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Alan Cepile

07 de dezembro de 2018 às 07h50

O Palocci pode até estar mentindo e fazendo o jogo da Farsa Jato, mas uma coisa fica muito evidente novamente, que o PT é uma zona que não tem controle nem mesmo sobre o seu time, tem pelo menos uns 4 PT’s dentro do partido, todos com ideais bem diferentes, sem contar o PSOL como uma dissidência do próprio PT.
Há um blog aí, de relações cortadas com o Cafezinho, que inclusive considera caciques do partido traidores do próprio Lula, acusando-os, inclusive, de estarem mancomunados com a Farsa Jato.
É esse partido que alguns queriam na presidência da república??? Fala sério!

Responder

Paulo Aguilar

07 de dezembro de 2018 às 07h33

Me diga:

¿Qual a causa de PALOCCI ter estado preso?…
Por que Palocci está preso? Diga! À toa?…
rsrs.

Muito interessante esse texto…
Mas e quanto ao empirismo da ideia de “PeTralha” hein?

NADA se disse ou argumentou, certo?

Bom… Veja:
Dentro da palavra Petralha tem a sigla PT…
Os “Irmãos Metralhas” fazem parte do imaginário de todo mundo: icônicos e super temidos personagens das ótimas HQ’s.
E representam os mais implacáveis ladrões da fantasia existentes até hoje na representação simbólica humana moderna. Tanto pras crianças quanto para os adultos.
Petralha tem ligação de semelhança com Metralha, é óbvio.
Analisando a linguagem, ou pelo menos refletindo um pouco:

Tanto a mídia de esquerda oficialmente, e tal qual os petistas históricos, agiram e berraram imediatamente quando o Sr. Bolsonaro disse o seguinte:

que “ia metralhar os Petralhas”…

Petistas se sentiram extremamente ofendidos etc.
E até utilizaram esse fato dos — veja só! — Pe-tra-lhas, para criticar e se vitimizarem enormemente durante as eleições, agora passada…
UÉ!!! Então formalmente eles admitiram ser PETRALHAS??? Um epíteto e denominação comprometedoras??…

Não é esquisito? Como é a linguagem, hein?
Lembro que ninguém comentou isso…
Imagine se tivessem entrado na justiça? Iriam ter (o Partido dos Trabalhadores e os Petistas), então, dentro do processo, assumidos o epíteto Pe-tra-lha!

Portanto, quer dizer que o valor de verdade contido na palavra “Petralha” é inseparável de seu pessoal envolvimento.
As coisas são fantásticas!

Responder

    José Jésus Gomes de Araújo

    07 de dezembro de 2018 às 23h18

    Uai! Os petistas não sabem que são tratados de petralhas? Que lógica!

    Responder

CLAUDIO VARGAS

06 de dezembro de 2018 às 22h17

Creio que está mais que a hora da população dar um basta a este denuncismo vazio! Ou se não… Mobilizarmos para que o desidioso super ministro do Bozo (político/juíz) abrisse toda a delação do alcagoeta! Alguém se habilita?

Responder

PJ

06 de dezembro de 2018 às 19h03

Aliás, Palocci foi mais um erro do PT, como as nomeações para o STF, PGR além das nomeações para coalizão no congresso.
Sem contar os erros, no executivo, na execução de projetos estratégicos, como o minha casa minha vida que foi pouco eficiente, a copa e olimpíadas que ficaram na mão do COB e CBF, a pouca valorização dos professores, o as transferências para MPF e TJF e universidades sem avaliação de desempenho, etc.
As perguntas que ficam são: quem fez e quem fará melhor?

Responder

    Sebastião

    06 de dezembro de 2018 às 20h20

    Palocci depois de tudo que foi no governo Lula, como no caso do caseiro, e vários outros, quando prefeito, ainda se tornou ministro de Dilma. Tá aí! Os erros que o partido não deve mais cometer. Ainda resta um, que fala o que quer, e continua no partido.

    Responder

    Brasileiro da Silva

    06 de dezembro de 2018 às 23h03

    Palocci não foi um erro do PT. Palocci foi fundador do PT. Palocci é o PT.

    Responder

PJ

06 de dezembro de 2018 às 18h55

Continuo querendo ver as provas materiais.
Tem que aparecer uma conta em paraíso fiscal, uma mala de dinheiro, algum cofre ou bem material que prove a fala do ex ministro. Com Cabral pegaram relógios e ternos de luxo. Casa de luxo para provar a ladroagem. Com Aécio, gravações. Com temer, mala de dinheiro. Com geddel apartamento com dinheiro vivo. Com Cunha, contas na Suiça. Idem com Paulo preto e Serra.
Mas falar pra sair da cadeia qualquer um fala. Ainda mais se for como o Sérgio Machado, barusco, etc que saíram da cadeia e vivem vida luxuosa, incompatível com os rendimentos que tinham no cargo que ocuparam.
Absurdo a justiça soltar alguém que só falou e não comprovou nada.

Responder

    Brasileiro da Silva

    06 de dezembro de 2018 às 19h01

    Quer ver as provas? Peça para o Zanin incluir seu nome na lista de advogados do presidiário. Aí vc terá acesso as provas. Viu como é simples?

    Responder

    Brasileiro da Silva

    06 de dezembro de 2018 às 19h06

    Mas quem te disse que Palocci não comprovou nada? Vc é um dos advogados do presidiário? Daqueles que tem acesso ao processo?

    Responder

Francisco

06 de dezembro de 2018 às 18h30

“Nesta segunda-feira (30/07/2018), o jornal Folha de S.Paulo publicou uma entrevista com um dos principais procuradores da Lava Jato , Carlos Fernando dos Santos Lima, que criticou dura e abertamente alguns dos acordos de delação premiada celebrados pela PF, como o do ex-ministro Antônio Palocci.

Para ele, a delação de Palocci – que foi negada pelo MPF, mas aceita pela PF – não deveria existir, por falta de provas. “Demoramos meses negociando. Não tinha provas suficientes. Não tinha bons caminhos investigativos”, afirmou

“Fora isso, qual era a expectativa? De algo, como diz a mídia, do fim do mundo. Está mais para o acordo do fim da picada. Essas expectativas não vão se revelar verdadeiras. O instituto é o problema? Eu acho que a PF fez esse acordo para provar que tinha poder de fazer”, disse o procurador, deixando clara a richa entre o MPF e a PF.

Fonte: Último Segundo – iG

Responder

Justiceiro

06 de dezembro de 2018 às 17h19

Antonio Palocci está para o PT assim como Tomaso Buscetta esteve para a máfia siciliana.

Buscetta conhecia a fundo a máfia e, por isso, ao fazer sua colaboração com as autoridades, destroçou com a máfia.

Palocci vai fazer o mesmo pois ninguém, ninguém conhece mais a fundo o PT do que Lula, Dirceu e Palocci,

Responder

Nostradamus ( banquinho & bacia )

06 de dezembro de 2018 às 14h46

Chegamos ao cúmulo do golpe, da lava-jato, das delações dos Judas, dos traidores da Pátria… Agora o Lula preso tem que provar que não disse para o mentirosíssimo do Palloci que era um ladrão confesso! Isso só cola na cabeça desta nossa justissa esfarrapada e infiltrada de SSs alemães, da Gestapo e da Cia. E a Globo voltou a carga… que poder tem esse Lula e o PT!… Ah! Dia 10 tem manifestação Lula Livre, já estão espalhando que o movimento está fraco. Essa Grobo ainda vai para o inferno com as bundas no mármore fervente sem calças!… E traída pelo coiso.

Responder

Deixe uma resposta