Hangout com Miguel do Rosário: Bolsonaro nos EUA

Pondé e o erro básico do conservadorismo

Por Pedro Breier

17 de dezembro de 2018 : 16h00

O filósofo Luiz Felipe Pondé é um dos mais destacados intelectuais da direita – é claro que a léguas de distância do emplacador de ministros Olavo de Carvalho, que não tem adversário intelectual do seu nível nem na esquerda. Segundo o próprio, é claro.

Pondé publicou, esses dias, um artigo sobre uma proeminente questão filosófica dos nossos tempos: será que homens que gostam de ver fotos de outros homens usando lingerie são gays?

O filósofo leu, no The Guardian, uma opinião sobre o tema, segundo a qual “as namoradas devem estimular o anseio secreto dos namorados”, e aparentemente ficou furibundo:

(A namorada) Deve, quem sabe, estimulá-los a usar calcinhas e batom.

Mundo louco esse, não? Se antes você sonhava com um príncipe —e todo mundo dizia que você era uma idiota manipulada por isso—, agora as especialistas estão a dizer que se seu namorado gosta de ver fotos de homens vestidos de mulher, isso não implica em ele ser gay.

Lamento, mas, provavelmente, você está namorando um gay. Não à toa, uma das perguntas mais comuns das mulheres feitas ao Google nos EUA é “como saber se meu marido é gay?”.

Antes você esperava que seu namorado enfrentasse perigos por você. Agora, especialistas dizem que você deve, quem sabe, estimulá-lo a sair de saia e salto alto para as festas com você.

Uau. Espero que Pondé não frequente blocos de carnaval; aquela profusão de homens de saia deve irritá-lo profundamente.

Para o filósofo, namorado de verdade é o “príncipe” que “enfrenta perigos” pela namorada. Quem sabe arrumar uma briga desnecessária em um bar ou reagir estupidamente a um assalto seriam as provas de valentia modernas? Não se fazem mais machões como antigamente…

Pondé nos brinda, no texto, com mais alguns preciosos decretos filosóficos:

O fato é que os jovens desconhecem dados básicos da realidade, tipo: mulheres mais jovens sempre gostaram de sair com homens mais velhos, seja por amor, encanto, paixão, dinheiro, ascensão social, enfim.

E não estou sendo “judgmental” —adoro essa palavra gourmet: ser “judgmental” é julgar alguém ou algo. O cool é ser “nonjudgmental”, isto é, não julgar ninguém, como se isso fosse possível.

Namorado de verdade só se estiver no padrão “príncipe machão”, mulheres jovens gostarem de homens mais velhos é um “dado básico da realidade”, é impossível não julgar as pessoas… Pondé poderia constar no dicionário como exemplo do que é um conservador.

Depois deste um tanto tortuoso introito com as opiniões terminantes do Pondé – me perdoem, leitoras – chego ao ponto que gostaria de abordar, o erro básico do conservadorismo: a vida, inapelavelmente, evolui.

O erro, portanto, começa pelo nome. Lutar pela simples conservação de estruturas sociais, morais, políticas ou qualquer outra é remar contra o fluxo natural da vida, que, das colônias de insetos às sociedades humanas, é o da evolução.

Além disso, o conservadorismo esconde duas manifestações contraproducentes do ego humano.

Uma delas é o medo. A mudança é sempre desafiadora, pois nos tira da confortável e supostamente segura posição de estagnação.

Nada neste universo, entretanto, pode permanecer para sempre como está. A impermanência é uma característica fundamental da realidade. Tudo tem seus ciclos. Tudo nasce, cresce, atinge seu ápice e morre, seja um brócolis, sua avó, o império romano ou o Sol. Reivindicar a conservação das estruturas vigentes é, portanto, inútil. Como canta o Lulu, tudo muda o tempo todo no mundo.

A outra manifestação do ego subjacente à posição conservadora é a empáfia. O conservadorismo contém em si, implicitamente, a ideia de que chegamos ao ápice do nosso desenvolvimento. Se é bom que conservemos as coisas como são, a decorrência lógica é assumirmos que não temos mais como evoluir. Atingimos, finalmente, a perfeição.

Isso é obviamente falso. O filósofo Sócrates já tinha sacado, na Grécia Antiga, que estar consciente da própria ignorância é infinitamente mais sábio do que achar que se sabe tudo. Estamos no século XXI e os conservadores, inclusive seus representantes filósofos, ainda não captaram a mensagem simples e profunda do pensamento de Sócrates. Ah, se o Pondé tivesse pelos filósofos de antigamente o mesmo apreço que tem pelos namorados…

A mudança e a evolução são, portanto, duas bem estabelecidas leis da natureza. Tanto é assim que os próprios conservadores mudam e evoluem ao longo do tempo. Ou algum conservador ainda defende que a escravidão seja legal, por exemplo?

É evidente que não há uma linearidade na evolução, como o demonstra o momento que o Brasil e boa parte do mundo vive, de reação às mudanças. Mas se o conservadorismo porta um erro insanável em si mesmo, o que dizer do reacionarismo?

Ambos terão que, inapelavelmente, ceder às leis da mudança e da evolução.

Para encerrar, lembro ao Pondé que os grandes mestres espirituais da história da humanidade afirmaram ser possível, sim, não julgar os outros. Trata-se, como tudo na vida, de uma questão de prática. Tirar o rótulo de impossível do nonjudgmental é um bom começo.

Afinal, se é possível não julgar, com muito esforço, quem faz pose de intelectual segurando um cachimbo, você também pode, Pondé.

Pedro Breier

Pedro Breier é graduado em direito pela UFRGS e colunista do blog O Cafezinho.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

63 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Tadeu Silva

21 de dezembro de 2018 às 02h00

Cachimbo é só um cachimbo? Freuds, esclareçam-me.

Responder

Marcelo

19 de dezembro de 2018 às 17h35

O covarde além que querer usar calcinha é censurador. Covarde. É por isso que ninguém leva essa esquerda à sério. Com tantas coisas importantes o sujeito que rebater um idiota que se acha intelectual pregando a maravilha e evolução que é homossexuais usarem roupa de mulher. É patético.

Responder

Vinicius

19 de dezembro de 2018 às 15h15

LULA LIVRE !!!!!!!

Responder

Francisco

19 de dezembro de 2018 às 15h10

O Cafezinho cada dia mais engraçado ou seria embaraçado?

Desconhece Ciro, não entendeu Lula, ignora por que ‘imorrível’ o PT e, pior, não se tocou ainda que pós Merquior e Bob Fields, a mediocridade apossou-se da direita tapuia, de tal forma e intensidade na cópula, que do ovo do Olavo pariram o mi(n)to Bolsonaro presidente, tá ok ou tá phoda?

Benfeito! Abusaram com o tal Pondé e colheram pascácios em conserva às pencas, brilhosos auto envernizados conservadores, emprenhados por olheiras de livros e penetrados pelo Rei ‘traíra’, a deitarem o dispensável e o em fadiga, em terras de ‘Maumoro’.

Nem sei por que, mas como era mesmo o nome do PGR anterior?

Pois isso aqui, desde o tarzinho du Pondé, virou orgia do triplo onanismo ‘egolotra’, com as duas mãos e língua, com meio mauro de ourinhos inteiro no meio, em êxtase, há mais de trocentas horas e não param de chegar…e o cafezinho faz por merece-los todos: pascácios, bolsonazzis, fascínicos, pornoegos, conservantes em conserva, e por aí segue a procissão evAngélica, Huck & Amoêdo, dessa meritosa fauna, a arrastar-se como cobras pelo chão, maculando-o com a atávica gosma patrimonialista.

Só gargalhando, com tamanho FEBEACA.

Responder

Oliver

19 de dezembro de 2018 às 14h43

Entendi seu ponto de vista, mas realmente tenho q concordar c alguns leitores sobre seu artigo: um cafezinho bem fraquinho. Procure ler mais, não seja crítico facebookiano, assim quem sabe consiga dar uma encorpada nesse café. Abraço!

Responder

    Paulo Cesar

    19 de dezembro de 2018 às 14h58

    Falou o intelectual haha
    O texto foi ótimo , sua crítica sem argumentos é que é ridícula.
    Em vez de abraço , pois não sou cordial com fascista , te digo.
    Eu não estupro sua mãe porque ela é feia.
    E antes que eu me esqueça , você é pobre!!

    Responder

Dimas

19 de dezembro de 2018 às 14h28

Ponde é uma bicha enrustida e por isso de direita. Aproveitando o cachimbo: elementar meu caro Pondé.

Responder

Paulo Cesar

19 de dezembro de 2018 às 14h27

Seu texto foi ótimo , só sinto pena por deixarem essas amebas comentarem e ainda te fazerem responder.
Discutir com eleitores de um homem que defende a tortura não é apenas improdutivo é imoral.
Fazer um pobre de direita calar a boca é fácil , só esfregar na cara deles que eu fiquei rico e vivo de renda com a herança do meu sogro enquanto eles se matam de trabalhar.
Viva a meritocracia hahahaha

Responder

    Mauro Assis

    19 de dezembro de 2018 às 17h01

    Rerere… quer dizer que o fato de vc ter herdado a grana do sogro deveria me fzer infeliz?

    Torço para que vc aproveite a vida com saúde, da melhor maneira possível. Se eu fosse rico talvez não estivesse aqui me divertindo com esses posts, mas enfim, casa um com sias escolhas!

    Responder

      Paulo Cesar

      19 de dezembro de 2018 às 19h02

      Como você é óbvio hahaha
      Você se sente infeliz com isso , por isso respondeu e tentou enfatizar o contrário.
      Mas a verdadeira causa do seu sofrimento é o fato de você ser um escravo que nem decidir a hora em que vai acordar ou comer.
      Te desejo uma vida de escravisão seguida de uma morte lenta e dolorosa.
      Você não quer meu bem , apenas recorreu a moral por saber que é fraco perante a mim.
      Viu é só esfregar na cara que você tem menos que você parou de defender o capitalismo e apelou para um moralismo invejoso barato.

      Responder

        Mauro Assis

        22 de dezembro de 2018 às 06h42

        Rere… esse é o meu esquerdista favorito, o caviar! Rico porém rancoroso, acha a vida dele boa mas acha a minha uma merda por isso quer me “ajudar” levando-me a acreditar que “um outro mundo é possível”.

        Obrigado não, viu nêgo? A minha vida, de resto como a vida da maioria das pessoas mundo afora só faz melhorar, e a alternativa que vc propõe (embora vc vai dizer que não é) é a que trouxe e traz miséria morte e sofrimento mundo afora toda vez que os malucos como vc as impõem ao resto de nós.

        Felizmente agora estamos caminhando exatamente na outra direção.

        Responder

Paulo Cesar

19 de dezembro de 2018 às 14h12

O Cafezinho vai perder todos os leitores se continuar deixando esses pobres burros de direita virem aqui vomitar sua debilidade intelectual.

Responder

    Mauro Assis

    22 de dezembro de 2018 às 06h43

    Êita povo que adora um debate, sô!

    Entre os que concordam, claro. Ao resto… paredón!

    Quanto ódio em seu coraçãozinho, nêgo! Vá gastar os milhões do sogro com as delícias do capitalismo!

    Responder

vicente

19 de dezembro de 2018 às 08h42

Como os “filósofos de direita” não podem chegar e dizer “vamos fazer o seguinte: os pobres vão trabalhar ainda mais e ganhar ainda menos. Os ricos vão ganhar ainda mais e trabalhar menos”, eles dizem “não é pra ser gay, não é para mulher ser livre, etc”.
Tem gente que embarca nisso ainda. Tem trouxa pra tudo.

Responder

    Mauro Assis

    19 de dezembro de 2018 às 12h05

    vicente, não me lembro do Pondé dizendo isso que vc citou como sendo ideia de conservadores.

    Não é muito honesto colocar palavras não ditas para justificar uma opinião a respeito da pessoa. Assim meio “fake news”, sacou?

    Responder

      vicente

      19 de dezembro de 2018 às 14h20

      Mauro Assis, e onde foi que eu escrevi “Pondé” no meu comentário?
      Eu escrevi “filósofos de direita”. Inclua olavo de carvalho entre outros na lista.
      Ainda tu me disseste: “Não é muito honesto colocar palavras não ditas para justificar uma opinião a respeito da pessoa”.
      Mas isso foi o que tu fizeste comigo. Então posso deduzir que és desonesto?

      Responder

        Mauro Assis

        19 de dezembro de 2018 às 16h01

        vicente, meu querido, vou desenhar então…

        Vc comenta um texto em que o Pondé é esculachado como sendo de direita. Aí vc faz um comentário se referindo a “filósofos de direita” e quer me convencer que não se referiu a ele, mas ao Olavo de Carvalho????

        Tá certo, vc pode não ser desonesto. Pode ser maluco tb…

        Responder

Snicq

19 de dezembro de 2018 às 07h45

Então, vou citar Tom Jobim que dizia: ” O Brasil não é prá amadores”. E pra seguir, estamos a 50 anos no Brasil se esquerdizando. Sendo assim, sabemos MT pouco do que é direita. Quem sabe bem são os Republicanos e os Democratas no USA. Quando os republicanos estao no poder quem governa é a industria bélica e quando os democratas estão e indústria farmacêutica. É só vc buscar história dos governos americanos. Concluir: quem manda no mundo são as elites, governos são fantoches e mídia e mediaticos são ” bobos da corte” da elite, né?

Responder

Gustavo Stocchero

19 de dezembro de 2018 às 00h03

Acho que para além do que parece ser um consenso entre os comentários, a confusão de conservador com reacionário, gostaria de me ater a parte de que “conservadores” são arrogantes.

Acho exatamente o contrário, a arrogância está do lado daqueles que acham que sabem qual o caminho que devemos seguir, qual nova conduta moral leva a felicidade ou liberdade.

A gente simplesmente não sabe qual a evolução vantajosa, esse é o bacana do Darwin. Nasciam vários, alguns se davam bem. Mas não quer dizer que saibamos quem vai se dar bem ANTES de saber o desfecho.

Essa é a dificuldade do progressismo, e dos progressistas grosso modo. Querem a mudança, mas assumem que a mudança que eles vislumbram seja certamente positiva.

E é nesse ponto que surge o verdadeiro conservador, não o reacionário. O conservador que é, antes de tudo, um cético. Ele entende que temos vários problemas, mas não vislumbra solução fácil. Ele abraça a ignorância e a falta de capacidade de prever o que dará certo

É isso que diferencia um conaervador, o cetismo a mudanças não comprovadas ou comprováveis, de um reacionário, que é apenas alguém que tem aversão a mudanças.

Um abraço

Responder

Xico

18 de dezembro de 2018 às 22h56

Homem ateia fogo em morador de rua após acusá-lo de roubo no tucanistão.

Responder

    Mauro Assis

    19 de dezembro de 2018 às 12h07

    Xico, e isso quer dizer o que mesmo?

    Por tucanistão vc está se referindo ao estado mais próspero da federação, aquele que nunca foi governado pela esquerda?

    Responder

      Paulo Cesar

      19 de dezembro de 2018 às 13h58

      O outro lá em cima dá a entender que o PSDB é de esquerda.
      Você defende.
      Vocês putinhas do patrão pobres de direita tentam mudar a realidade de acordo com o assunto.
      Se eu te mostrar o vídeo do FHC votando no Haddad você vai chamar ele de comunista?
      Pois sabia que em bairros da periferia da cidade mais rica , do estado mais rico , que a esquerda nunca governou , a expectativa de vida é de 55 anos , semelhante a de países pobres da África.

      Responder

        Mauro Assis

        19 de dezembro de 2018 às 16h13

        E o que eu tenho com o voto do FHC mesmo?

        O fato dos petralhudos não terem tido a oportunidade de por as garras no Estado mais rico da federação não me faz morrer de amores pelos tucanos.

        Da mesma forma votei no Bolsonaro, um completo idiota, só pra manter o petralhismo longe de seu único objetivo: chave do cofre.

        Responder

          Paulo Cesar

          19 de dezembro de 2018 às 19h09

          Bolsonaro não é idiota , ele é bem esperto pois explorou seu ódio ao PT para conseguir dinheiro e poder.
          Idiota é você que vai morrer pobre e defendendo quem rouba seu tempo de vida , que vale mais do que dinheiro.

          Responder

            Mauro Assis

            22 de dezembro de 2018 às 06h45

            Depois do advento do capitalismo (Revolução Industrial) a expectativa de vida na Terra subiu de menos de quarenta anos pra mais de 75.

            No Brasil tb só faz subir.

            Fato.

            Responder

WG

18 de dezembro de 2018 às 22h43

Se Pondé é um filósofo, Bolsonaro deveria ser candidato a nobel de literatura.

Responder

Apolônio

18 de dezembro de 2018 às 22h07

Outros já ressaltaram o caráter ensino fundamental mal-feito deste artigo, mas só para apontar “o erro do básico do naturalismo” que o autor quis usar para embasar sua opinião: evolução NÃO é um caminhar inexorável do ponto A para o ponto B. Evolução significa sobrevivência do adaptado e desaparecimento do não-adaptado, nada mais que isso. A afirmação de que, dado o ponto A, é necessário que se chegue ao ponto B tem lugar na matemática, na lógica formal, mas nunca na biologia. Nos estudos do ser humano então, piorou.

Aliás, essa crença de que a evolução tem um sentido, um caminho a percorrer e um destino inescapável está por trás tanto das teorias imperialistas e racistas dos séculos XVIII até começo do XX (“o branco europeu é mais evoluído que o resto do mundo”), quanto de seitas apocalípticas seculares como o Marxismo. O argumento é sempre o mesmo: “o DESTINO da humanidade é sair da situação A e chegar à situação B, e ninguém pode evitá-lo, portanto parem de tentar.” Ora, se esse DESTINO INEVITÁVEL existisse, por que alguém precisaria tentar convencer os contrários a ele a parar de tentar evitá-lo? Era só deitar na sombra e esperar que esse destino se cumprisse.

O que é existe é uma competição pela forma que o ambiente vai ter no futuro (o que determina, indiretamente, adaptação e não-adaptação.) A arma que o autor está usando para tentar convencer as pessoas a montarem o ambiente que é o preferido dele é alegar que esse ambiente é uma inevitabilidade histórica. A arma que o conservador usa é dizer que apenas o ambiente preferido dele garante a permanência da civilização. O jogo é jogado. E se eu entendo alguma coisa do ser humano, vai ganhar a visão que der, na prática, no dia-a-dia das pessoas, as melhores condições socioeconômicas para a maior quantidade de pessoas. Achar que o futuro vai ser maconheiro e degenerado porque essas coisas são “liberdade” e a “evolução do ser humano é na direção de mais liberdade”, novamente, é coisa de ensino fundamental mal-feito.

Responder

    Mauro Assis

    19 de dezembro de 2018 às 16h28

    Apolônio, parabéns pela resposta.

    Quer coisa mais capitalista que a Evolução???? Meritocracia pura!

    Interessante como um texto escritp com base na Wikipedia pode gerar boas prosas, não é mesmo?

    Responder

      Apolônio

      20 de dezembro de 2018 às 01h22

      E vou te falar, esse negócio de copiar e colar da Wikipedia dá uma boa grana. Desde que você seja filho do Lula, é claro.

      Responder

        Mauro Assis

        22 de dezembro de 2018 às 06h48

        Rere… nada!

        Se vc é filho do Apedeuta vc fica milionário, mas mesmo se não for, se for de esquerda dá pra defender algum.

        O sujeito que escreveu o textículo acima deve ter recebido um capilézinho que ajudou a pagar o peru, quem sabe até botar um presentchinho ao pé da árvore…

        Responder

VINICIUS LACERDA

18 de dezembro de 2018 às 19h22

Olha, eu sou de esquerda e achei esse texto bem fraco. A real impressão que dá é que, realmente, o autor não entendeu o que é o Conservadorismo, e mal sabe como pensa Pondé. Disse que é possível o nonjudgement, mas fez um misjudgement sobre o filósofo.

Só para constar, eu não concordo com tudo o que Pondé diz – até porque, como eu comentei logo de início, eu sou de esquerda – ou pra ser mais específico, centro-esquerda.

Responder

    Mauro Assis

    19 de dezembro de 2018 às 12h09

    Pois é, Vinícius, vc que tem um pensamento mais à esquerda entendeu que o autor faz uma discussão um tanto rasa da questão, não é mesmo?

    Também, como ele mesmo escreveu, a fonte dele a respeito de conservadorismo é a Wikipedia…

    Responder

Bento

18 de dezembro de 2018 às 19h12

Concordo com o Carlos Paco , o autor do artigo desconhece o que é conservadorismo. Só gostaria de incluir Michael oakeshott nas recomendações de leitura . De antemão digo que existe espaço sim para o liberalismo no ideal conservador

Responder

Juci

18 de dezembro de 2018 às 19h07

Enquanto os filósofos e astrólogos conservadores ficam distraindo o povo
os novos conservadores que foram eleitos já preparam projetos de lei para privatizar o estado.

Responder

    Mauro Assis

    19 de dezembro de 2018 às 12h31

    Deus te ouça!

    Responder

Marclo

18 de dezembro de 2018 às 19h04

É é por isso que ninguém leva essa esquerda à sério. Francamente é vergonhoso que não haja um filtro aqui para impedir tamanha inutilidade. Chega a ser ridículo que alguém se proponha a escrever um texto desse.

Responder

Júnior Assis

18 de dezembro de 2018 às 17h16

O esquerdista fala que a ignorância é importante, mas defende que a afeminar homens é uma espécie de evolução, ou seja, ignora o seu próprio conselho de ignorância. É cada coisa que a gente tem que ler atualmente, ainda bem que ninguém cai mais nessa engenharia social.

Responder

Filipe

18 de dezembro de 2018 às 16h56

Ainda bem que existem artigos -e “lógicas”- como estes para a gente rir numa tarde chuvosa… Sóis e terras, e colônias de insetos, não têm personalidade; devemos “ser felizes”, claro, afina, Hitler também devia ser muito feliz (decerto ele “evoluiu”, pois que “ser feliz”- presumida suprema aspiração da Evolução- ele parece que era) enquanto os judeus queimavam; e, claro, homem gostar de homens de calcinha é a suprema prova da evolução da virilidade. Se não desse “vergonha alheia” raciocínio tão pobre eu até riria mais um pouco…

Responder

Carlos Paco

18 de dezembro de 2018 às 16h51

O autor do artigo não sabe o que é um conservador, sua percepção é idêntica a “PSDB é de direita”. Recomendo os seguintes autores:

Edmund Burke;
Raymond Aron;
Russell Kirk;
Thomas Sowell;
Roger Scruton.

Existem mais autores, mas esses aí é um começo. Faça um estudo independente, pq se vc depender unicamente do que aprendeu na universidade, sua percepção será sempre míope.

Responder

    Seneca

    18 de dezembro de 2018 às 19h02

    Concordo plenamente. Se Beier parasse um pouco pra ler os clássicos da política das várias – e mesmo divergentes linhas de pensamento – poderia fazer uma escolha e defender com argumentos mais sensatos seus pontos de vista.
    O problemas é que as pessoas acham que ler resumos de Wikipédia é o caminho pra se tornar culto. Pra quem quer arrotar cultura de salão está muito bom, não para o seu que se pretendem formadores de opinião. Os Breuer da vida não passam de desinformadores de conhecimento.

    Responder

      Sene

      18 de dezembro de 2018 às 19h05

      … para os que se pretendem

      Responder

Emmanuel

18 de dezembro de 2018 às 16h44

Penso que você não faz ideia do que está falando e está passando vergonha.Estou começando a acreditar que você não sabe pesquisar em um dicionário. Primeiro,aprenda a usar o dicionário. Segundo,veja em fonte primária de Edmund Burke (pai do conservadorismo ) em seu livro Reflexões Sobre a Revolução em França como nasceu essa corrente de pensamento e o que é esta filosofia. Posso te ajudar a pesquisar em um dicionário. Primeiro, vê-se os múltiplos sentidos aplicáveis ao texto objeto. Depois ,elimina-se os sentidos fora do contexto.Por isso,pare de ler Wikipédia, pois você acabou de usar o sentido de conservadorismo filosófico fora de contexto.Mas realmente você tem razão está dentro do contexto da Wikipedia o que torna você um crítico de Wikipedia, não de conservadorismo filosófico.

Responder

    Emmanuel

    18 de dezembro de 2018 às 16h59

    Só pra constar, Pondé é um dos mais fracos do pensamento conservador

    Responder

Marc

18 de dezembro de 2018 às 15h08

Este pais enloqueceu de vez. Na midia esta cheio deles. E ai em cada esquina se encontra outros pirados devido a geração espontânea,

Responder

    Marcelo

    18 de dezembro de 2018 às 19h08

    O pior, usa a pseudo ciência da “evolução” para justificar a sandice. Que você queira vestir calcinha atochada no rabo é um problema seu. Dizer que isso é “evolução” é só passar vergonha e se expor ao mais completo ridículo.

    Responder

José

18 de dezembro de 2018 às 14h46

Nobre Pedro, tubo bom?

Li o seu artigo, mas permaneço com algumas dúvidas quanto ao uso das palavras conservador, conservadores, evolução e leis da natureza, por exemplo.

“O erro, portanto, começa pelo nome. Lutar pela simples conservação de
estruturas sociais, morais, políticas ou qualquer outra é remar contra o
fluxo natural da vida, que, das colônias de insetos às sociedades
humanas, é o da evolução”.

Qual é o seu entendimento sobre fluxo natural da vida?

O que podemos entender por evolução e leis “bem estabelecidas”, conforme consta na sua frase: “A mudança e a evolução são, portanto, duas bem estabelecidas leis da natureza”.

De fato, precisamos “ceder” às leis da mudança e da evolução? “Ambos terão que, inapelavelmente, ceder às leis da mudança e da evolução”.

Quais leis seriam estas? Quem as define, por exemplo? E se esta possível “evolução” representasse um “retorno” a leis de princípios religiosos, por exemplo, ela deixaria de ser uma evolução e passaria a ser um retrocesso, como alguns apontam?

Por último, os conservadores são ignorantes?

Um abraço e sucesso.

Responder

    Pedro Breier

    18 de dezembro de 2018 às 14h58

    Eai José!

    A evolução ocorre em vários níveis. Nos organismos, rumo à diversificação, nas sociedades, à complexidade… Nos seres humanos parece ser rumo à liberdade, em todos os seus sentidos.

    Não sei quem determina as leis, mas elas são verificáveis na existência. Tudo tem seus ciclos, nada permanece como está para sempre. O próprio universo está se expandindo, mundos inteiros e sois simplesmente deixam de existir… ou seja, nada é permanente. Tudo muda. Não nos resta outra alternativa aceitar isso e buscar as melhores mudanças possíveis, no que pudermos interferir na realidade.

    Acho que o critério pra saber se é evolução ou não, em relação ao ser humano, é se aumenta o nosso nível de liberdade – e consequente felicidade.

    Todos nós somos ignorantes, no sentido de ignorar mesmo, em várias coisas. Creio que os conservadores em geral o sejam sobre as leis mencionadas no texto. Do contrário, não seriam conservadores. Abraço. 

    Responder

      Mauro Assis

      19 de dezembro de 2018 às 12h27

      Pedro, nenhum conservador que se preze contesta a tal “lei da evolução”. É que vc, com sua douta sapiência wikipedica (me desculpe a ironia, é que é difícil… coloque-se no meu lugar!), entende que somos os conservadores pessoas tão ignorantes que seríamos incapazes de enxergar a mudança.

      Vou te dar alguns dados sobre mudanças:

      Em 1800, antes da Revolução Industrial (ou seja, do capitalismo como o conhecemos, baseados no mercado e nos meios de produção) haviam na Terra 1 bilhão de habitantes. Essa população crescia muito pouco (apesar de fazer filhos às pencas), e 950 milhões deles eram miseráveis, usando como referência o conceito de miserável como o conhecemos hoje.

      Hoje, depois de menos de 200 anos de capitalismo, somo quase oito bilhões de almas. Sabe quantos de nós somos miseráveis? 850 milhões! Ou seja, antes eram 95%, hoje são 11%.

      Me diga uma coisa: que importância teve o pensamento “progressista” na construção desse presente em que vivemos?

      É isso que queremos conservar, esse mecanismo que nos trouxe até aqui.

      Um “outro mundo” é possível? Certamente! A questão é: seria ele melhor que esse que temos? Rupturas foram tentadas ao longo do Século XX e muito sofrimento e morte aconteceu, não?

      Responder

    Mauro Assis

    19 de dezembro de 2018 às 11h51

    José, no fundo as pessoas “progressistas” (usando esse termo como sendo o oposto de conservadorismo) acreditam em Marx quando ele escreveu sobre a inefabilidade da História. Eles acham que existe um único caminho que nos levará essencialmente ao socialismo/comunismo, então veem os conservadores como os caras que tentam “frear” esse processo.

    Não enchergam que a era messiânica social-comunista já aconteceu, deixando zilhões de mortos de fome e outras mazelas, e também trazendo sofrimento inimaginável a seus povos.

    Enquanto isso e apesar deles, nós da direita vamos melhorando a vida das pessoas mundo afora com tecnologia, trabalho e paz.

    Responder

      Mauro Assis

      19 de dezembro de 2018 às 12h11

      Ups, EnXergam!

      Responder

      Paulo Cesar

      19 de dezembro de 2018 às 14h08

      Melhorando a vida das pessoas hahaha
      Nunca tanta gente passou fome no mundo.
      Com trabalho.
      Como os especuladores e banqueiros?
      Paz?
      Como o EUA , as ditaduras assassinas da América Latina?
      Você nem melhora sua vida seu assalariado de merda.

      Responder

        Mauro Assis

        19 de dezembro de 2018 às 16h23

        Paulinho, dear!

        Tá na hora de vc rever os seus conceitos!

        Recomendo “Enlightenment Now”, de Stephen Pinker, pra começar.

        Responder

Mauro Assis

18 de dezembro de 2018 às 14h45

Pedro, acho que vc é que precisa se informar um pouco melhor. Um conservador não é um sujeito que não tolera mudanças e não enxerga que a sociedade evolui. Um conservador é aquele que entende que nem toda mudança é boa e que, ao mesmo tempo que a sociedade se moderniza, existem valores que são básicos e não devem ser perdidos de vista.

A Revolução Francesa deu no Terror, a Comunista que varreu o Século XX deu em centenas de milhões de mortos e muito sofrimento aos que sobreviveram, ou seja, a mudança não é necessariamente boa.

Conservador é o cara que tenta identificar e preservar o que faz sentido dentro dessa ideia de que “é preciso mudar tudo isso que está aí.”

Responder

    Pedro Breier

    18 de dezembro de 2018 às 14h59

    A definição de conservadorismo do dicionário e da Wikipédia tá muito mais próxima da que eu usei no artigo do que tá tua, Mauro. Abraço.

    Responder

      Lilo

      19 de dezembro de 2018 às 02h39

      Cara tu é um jumento viu, o Mauro Assis foi bem educado e respondeu as coisas exatamente como elas são quando ele fala de mudanças e que nem todas são boas, por que realmente é assim. Vai trabalhar na roça de sol a sol que tu aprende a ser gente, seu intelectualzinho de boteco. Esse teu café vai ficar é frio e ninguém vai querer tomar esse mijo.

      Responder

        cabra retado

        19 de dezembro de 2018 às 09h24

        É A ERA DOS VALENTÃO DAS INTERNETE

        Responder

        Mauro Assis

        19 de dezembro de 2018 às 11h43

        Lilo, não me ofendi em absoluto pela resposta do Pedro. Até me diverti, ao saber que a fonte da definição de conservadorismo que ele considera é a nossa boa e velha Wikipedia…

        As pessoas da esquerda adoram distorcer (ops, “ressignificar”) conceitos, não é mesmo? O cara tem como premissa uma definição da Wikipedia e sai deitando falação sobre as opiniões de um dos bons pensadores conservadores de Banânia.

        Também podemos dar o seguinte desconto: pelo rosto dele me pareceu bem jovem, então deve estar ainda naquela fase em quem não pensar como ele é tido como sem coração.

        Ainda há bastante tempo pro cérebro assumir o controle e ele se informar um pouco melhor.

        Responder

        Mauro Assis

        19 de dezembro de 2018 às 12h30

        Lilo, mas tá na Wikipedia, pô! O cara leu lá!

        Aposto que se passar na Globo ele diz que é mentira… ;)

        Responder

      Mauro Assis

      19 de dezembro de 2018 às 11h37

      Ah bom, agora posso te entender melhor, já conheço suas fontes…

      Vou te dar uma definição mais legal:

      “O conservador é uma pessoa que se empenha em conservar o que há de melhor em nossas tradições e instituições, conciliando esse melhor com as mudanças inevitáveis que ocorrem com o passar do tempo.”

      Outra:

      “Conservador é aquele que rejeita mudar o que funciona por aquilo que não se provou funcionar.”

      Isso é ser conservador. O que vc descreve seria um reacionário, aquele que reaje a uma mudança, condena o novo, coisa que o Pondé não diz que é e não é mesmo.

      Isso não tem nada a ver com conservadorismo.

      Se vc quiser, posso te indicar fontes a respeito que sejam mais críveis.

      Outro abraço!

      Responder

        vicente

        19 de dezembro de 2018 às 14h26

        O conservadorismo no Brasil deu certo pros EUA só, porque pra nós só nos ferramos… Eles querem que sejamos conservadores na dependência.

        Responder

          Mauro Assis

          19 de dezembro de 2018 às 16h26

          Só os EUA??? E a França, a Inglaterra, o Canadá e a Austrália são modelos socialistas pra vc???

          Então tá…

          Responder

    Paulo Cesar

    19 de dezembro de 2018 às 14h22

    O capitalismo mata 100 milhões de fome por ano.
    Sem a Revolução Francesa você trabalharia 18 horas por dia e seria analfabeto seu pobre de direita de merda.

    Responder

      Mauro Assis

      19 de dezembro de 2018 às 16h09

      Revolução Francesa???? Aquela que deu no Terror, que matou TRINTA PORCENTO da população de Paris????

      Qual foi o legado, me diga? O lema? Então tá!

      Responder

Deixe uma resposta