Entrevista de Lula à Revista Forum

Alguns pitacos sobre o coroné

Por Miguel do Rosário

29 de maio de 2019 : 20h36

São lamentáveis, constrangedores, esses quiprocós em que Ciro se mete, frequentemente de maneira gratuita, onde parece perder toda a sua compostura.

Se ele não conseguir demonstrar maior controle emocional nessas intervenções, a sua função como liderança política acabará por ser comprometida.

Por outro lado, independente desses vícios, é estimulante – por ser tão raro – assistir alguém se expressar, como faz Ciro, com tanta independência, franqueza e coragem intelectual, sem medo de enfrentar corporativismos sindicais e burocráticos, tabus morais e políticos, mídias conservadoras ou progressistas. É por isso que um número crescente de pessoas, mesmo que às vezes um pouco chocadas com os excessos temperamentais de Ciro, se interessa por seu discurso.

A oposição precisa ter um discurso inteligente, estratégico, firme contra o governo Bolsonaro.

Ao mesmo tempo, como demonstração de inteligência e humildade, a oposição precisa criticar os erros cometidos pela esquerda desde que ganhou o poder em 2002. Naturalmente, para isso, não pode apelar ao falso moralismo, ao radicalismo oportunista, às falsidades, injustiças e mentiras que se acumularam contra o partido dos trabalhadores.

Por ter ocupado a presidência da república por tanto tempo, o PT acabou por simbolizar, na cabeça do povo, toda a esquerda, com seus vícios e glórias, e por isso a crítica aos erros do petismo é, em verdade, uma autocrítica, uma crítica que lançamos contra nós mesmos, além de ser a  única maneira de resgatar a perdida hegemonia moral na opinião pública brasileira.

Conforme lembrou Ciro no encontro dos policiais antifascismo, precisamos voltar a ler Gramsci!

Mesmo com todos seus defeitos, é indiscutível que Ciro tornou-se uma presença perturbadora, influente e disruptiva no cenário político nacional.

Ciro não virou uma “nova Marina”: não se rendeu ao moralismo, não se deixou empurrar para a direita, estabeleceu-se num partido sólido e ideológico, e, sobretudo, não perdeu o espírito de combate.

Apenas nos últimos dias, Ciro lançou um novo programa em seu canal no Youtube, participou de um debate sobre a reforma da previdência com populares de Fortaleza; veio ao Rio para outro debate sobre a previdência, em Bangu, um dos bairros mais pobres e populosos da cidade; correu para Unirio no mesmo dia, para mais um debate, junto com o vereador Tarcísio Motta (Psol); viajou a Recife, lotando um auditório na Universidade Católica, ao lado do deputado Tulio Gadelha; concedeu duas entrevistas ao Diário de Pernambuco e uma à Folha; e, por fim, esteve presente, ainda na capital pernambucana, com Marcelo Freixo e Maria do Rosário, no encontro de policiais antifascismo, onde sua performance provocou um pequeno terremoto nas redes sociais, com vídeos seus viralizando à direita e à esquerda. Nesta sexta, Ciro volta ao Rio para um debate no Clube de Engenharia.

O saldo midiático de toda essa exposição tem sido curioso. Antes mesmo da polêmica com Maria do Rosário, mas já durante sua passagem por Recife, Ciro havia enfurecido seus críticos quando disse, a um repórter da Folha, que não tinha mais interesse em visitar o ex-presidente Lula na prisão.

Trecho:

Questionado se tinha mágoa do petista após as eleições do ano passado, quando Lula costurou nos bastidores o isolamento do pedetista, Ciro respondeu que não.

“Que mágoa, amigo? Eu faço política. Ele [Lula] que pediu ao Lupi para ir. Não pediu a mim para ir não, embora, se pedir, eu não vou mais”, disse.

O Brasil 247, um dos blogs da esquerda mais críticos a Ciro, reagiu imediatamente, afirmando, em manchete garrafal, que “Ciro decreta seu fim político ao dizer que não visitará Lula”.

Após o ocorrido no encontro dos policiais antifascismo, o DCM, blog importante do campo progressista e costumeiramente muito crítico a Ciro, afirmou, também em manchete garrafal, que “Ciro Gomes não é apenas destemperado: com ódio, se tornou perigoso”. Logo em seguida, o mesmo blog publicou editorial com o título “Ciro está preso”.

O Tijolaço, do companheiro Fernando Brito, ainda sob impacto da declaração do pedetista, de que não tinha interesse em visitar Lula, escreveu que “Ciro se tornou um minion de si mesmo”.

Os influencers mais próximos do PT, por sua vez, tem trabalhado com muita determinação para desconstruir a imagem de Ciro.

Covarde, fujão, oportunista, coronel, truculento, traidor, são alguns dos adjetivos carinhosos com os quais ele é tratado na maioria das bolhas petistas.

Verdade seja dita, essa animosidade contra Ciro junto a alguns setores da esquerda não começou hoje; é um processo antigo, de alguns anos, e que se intensificou de maneira dramática ao longo de 2018, quando o trabalhista deixou claro que seria candidato a presidência da república. 

À direita, vídeos do quiproquó em Recife foram parar nas páginas do MBL e em muitos perfis famosos, e igualmente não de maneira elogiosa, pondo sempre em relevo o temperamento colérico e explosivo do trabalhista.

O MBL, aliás, tem produzido regularmente vídeos destinados a desconstruir Ciro Gomes, e a alertar seus seguidores para o “perigo” que ele representa.

Toda essa falação em torno de Ciro tem elevado, contudo, o interesse por seus discursos e entrevistas.

O apresentador Marcelo Tas, de olho no potencial polêmico de Ciro, e impressionado com o barulho da militância cirista nas redes, chamou-o para abrir a reinauguração do Provocações. O  vídeo do programa com a entrevista do Ciro já tem 355 mil visualizações.

A entrevista de Ciro ao programa Mynews, realizada há duas semanas, já é o segundo vídeo mais visto no canal, com 806 mil visualizações, quantidade rara para um conteúdo de uma hora e meia de puro jornalismo político.

Segundo o Google Trends dos últimos  30 dias, nas categorias Notícias / Youtube, o trabalhista vem superando até mesmo Lula, em quantidade de menções.

É muito interessante que o campo progressista tenha um elenco plural, diverso, de lideranças, capazes de atingir públicos diferentes, e penetrar em espaços até então bloqueados às ideias e valores de um projeto nacional de desenvolvimento.

Não acho que, a essa altura, podemos nos dar ao luxo, como tentam fazer regularmente alguns blogs, de decretar a “morte política” de um líder como Ciro Gomes.

Que Ciro Gomes, assim como Fernando Haddad, Flavio Dino, Freixo, Guilherme Boulos, Sâmia Bonfim, Natália Bonavides, Tábata Amaral, tenham espaço em nossas mídias e vida longa na política!

Que nossas mídias sejam transparentes e tenham, cada uma, sua opinião e suas preferências, mas que permitam aos internautas que formem sua opinião sem manipulação. Ao se comentar uma entrevista de Haddad, que se informe sempre o link original para o internauta assistir ao vídeo por si mesmo, e que valha o mesmo para Ciro, Boulos e Freixo!

Voltando ao “barraco” em Recife.

O discurso de Ciro tem início em 2:18:33.

Depois das intervenções de Orlando Zaccone, anfitrião do evento, Marcelo Freixo e Maria do Rosário, Ciro foi o último a falar. O ex-ministro começou a palestra de bom humor, fazendo a plateia rir com piadas e indiretas, mas logo começou a tensionar e provocar, denunciando o fracasso da política de segurança pública dos governos de esquerda, que ele fez questão – enfaticamente, com gestos, batendo com força no peito – de chamar de “nossos”, para deixar claro que era uma autocrítica em que ele se incluía.

Ciro lembra a evolução espetacular da população carcerária ao longo dos anos Lula/Dilma, que passa de 240 mil presos em 2002 para 727 mil presos em 2016, segundo dados oficiais.

De fato, a política de segurança pública dos governos petistas precisa ser examinada sob uma ótica muito crítica, porque esteve, o tempo inteiro, contaminada de um pesado punitivismo, além de ter contribuído para que houvesse uma perigosíssima transferência (como depois ficou patente com a Lava Jato) de poder para a burocracia jurídico-penal do Estado.

A quantidade de brasileiros encarcerados de maneira apenas “provisória”, ou seja, sem que haja uma simples sentença de condenação e, portanto, sem que tenham tido a chance de se defender, passou de 80 mil em 2002 para 292 mil em 2016.

O aumento do encarceramento ocorreu sem que se notasse qualquer melhora nos índices de segurança pública nas cidades. Ao contrário, o mesmo período testemunhou a consolidação de grandes quadrilhas do crime organizado, a partir inclusive das prisões, de grupos poderosos de milícia, além do aumento dos crimes de morte, estupros e violências de todo tipo.

– Vocês sabem o que mudou na Segurança Pública do país entre 2002 e 2016 ? Nada ! E se mudou, foi para pior”, denunciou o ex-ministro.

O quiprocó teve início quando Ciro se aproxima da conclusão de seu raciocínio. Ele explica que, para o cidadão comum, pobre, as coisas não tinham evoluído praticamente nada no quesito segurança pública. E aí faz uma pequena provocação, dizendo que a política de segurança de Bolsonaro, no frigir dos ovos, não era tão diferente assim daquela praticada pelos governos petistas.

Maria do Rosário, que vinha murmurando, fazendo caretas e se agitando na cadeira, eleva o tom de voz, ao ponto de Ciro interromper sua fala e lhe oferecer o microfone.

A partir daí, Ciro será interrompido mais quatro vezes pela deputada, sempre lhe oferecendo o microfone – que era prontamente aceito.

O ponto alto da fala do ex-ministro é quando ele diz “eu conheço vocês, unidade é o cacete!”, vocalizando um sentimento hoje muito forte no PDT, de que os discursos em favor da “unidade” são destituídos de sentido, pois não há mais nenhuma identificação programática e ideológica entre o trabalhismo e o petismo. Ao contrário, o trabalhismo cada vez mais olha para o período petista como um pesadelo neoliberal, em que a ascensão social das famílias mais pobres foi obtida por meio de programas compensatórios que fazem parte do receituário conservador, sem que tenha havido nenhuma mudança estrutural num regime econômico que concentra renda, destroi indústrias e impede, definitivamente, a realização de um projeto nacional de desenvolvimento.

Para grande parte dos trabalhistas, além disso, o PT cometeu, em 2018, um dos maiores estelionatos políticos da história da esquerda brasileira, ao procurar iludir a população com a candidatura de Lula, mesmo sabendo de sua impossibilidade jurídica.

Na hipótese (quase impossível) de não ser cassado antes do pleito, poderia sê-lo depois, trazendo enorme instabilidade política ao país e sofrimento ao povo. Não há justificativa plausível para o que foi feito.

Mesmo sabendo disso, Lula seguiu em frente com sua candidatura fraudulenta, e ainda fez de tudo para desmontar as articulações que o PDT vinha costurando, com o PSB, o PCdoB e o centrão, que dariam a Ciro tempo de TV, recursos partidários e musculatura política para poder enfrentar Bolsonaro. Ciro agregava o centro, e não apenas tinha mais chances de vencer Bolsonaro (como todas as pesquisas demonstravam, e o bom senso também) – como gozava de melhores condições para montar um governo minimamente estável. Com um governo progressista, moderado, de centro-esquerda, poderíamos iniciar uma transição de volta à normalidade democrática, e ir desativando aos poucos esses mecanismos descontrolados de repressão, muitos deles fortalecidos por erros políticos terríveis cometidos pelo PT, como nomeações descuidadas para tribunais superiores, concessão irresponsável ao corporativismo jurídico-policial e, sobretudo, ausência de uma estratégia de inteligência e comunicação para manter a hegemonia moral e política sobre o conjunto da burocracia do Estado.

É por causa desses fatores que Ciro está “magoado”, embora eu não ache que isso deva justificar ou desculpar suas derrapadas temperamentais. Mas não é apenas Ciro que está magoado com Lula e o PT; as urnas mostraram que dezenas de milhões de brasileiros também estão, e magoados em tal escala que preferiram votar em alguém que não representa seus interesses, apenas para vetar uma eventual volta do PT ao poder.

A propósito, o blog do Lauro Jardim publicou uma nota hoje sobre a visita de Carlos Lupi a Lula:

Carlos Lupi esteve recentemente em Curitiba e quis saber se, com Jair Bolsonaro eleito, Lula não se arrependia de ter brigado pela candidatura própria, em vez de ter apoiado Ciro Gomes em 2018.

Lula disse, convictamente, que faria tudo de novo.

Diante disso, e das entrevistas recentes de Lula, em que ele já deixou claro que não se arrepende de nada, qual o sentido em esperar que Ciro tenha qualquer interesse em visitar Lula?

Lula pode receber cartinha do Papa, que é santo e não conhece o jogo pesado da política brasileira. Aqui na terra da política, da discussão laica e objetiva, o buraco é bem mais embaixo!

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

61 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Frederico Augusto

08 de junho de 2019 às 12h18

Unidade com o PT , é o cacete! Com essa esquerda bandida e calhorda tem que manter distância. Já admirava o Ciro, agora muito mais!

Responder

Sérgio Gomes

01 de junho de 2019 às 12h46

Ciro sofre de uma doença que muitos consideram grave e outros tantos sentem falta. Sua autenticidade e falta de hipocrisia destoa da política nacional, mas, ao mesmo tempo, desperta o Espírito crítico doa brasileiros, pois sua vida e obra está em sintonia com seu projeto de desenvolvimento nacional e isso incomoda a muitos que tem o discurso dissociado da suas ações.
Os marqueteiros dizem que imagem é tudo. Ciro contraria esse moto e reafirma que a vida e a realidade, essa sim é que é mais importante.
Parabéns Ciro por sua lealdade ao Brasil e aos brasileiros de verdade que é o seu povo.

Responder

Giuseppe

01 de junho de 2019 às 02h48

No Brasil, após a redemocratização, houve 8 eleições presidenciais nas quais o PT venceu 4 consecutivas (2002, 2006, 2010 e 2014) e foi ao segundo turno nas 4 restantes (1989, 1994, 1998 e 2018).
Ou seja, o PT conquistou 50% destas eleições e ficou com a “vice” em todas as outras, com um rendimento de 100% no segundo turno.
Tudo isso apesar das campanhas difamatórias e lavagem cerebral antipetista promovidas pela “grande” imprensa.
Não sou petista, mas chamo a atenção para este fato histórico e estatístico relevante, que não deve ser ignorado.

Responder

CLAUDIO LUIZ PESSUTI

31 de maio de 2019 às 08h33

Que ele pare de falar do Lula então. O cara tá ficando chato com esta história.

Responder

NeoTupi

30 de maio de 2019 às 23h52

O problema do Ciro é que ele é um desastre ferroviário como político. O que selou seu destino foi a ida a Paris no segundo turno. Foi uma atitute próxima ao apoio de Marina a Aécio em 2014. Queimou seu capital político de 12 milhões de votos. Como liderança política pouca gente o leva a sério como expectativa de poder.

Responder

Washington Alves

30 de maio de 2019 às 23h42

Ciro durante toda a campanha se posicionou totalmente de esquerda e foi literalmente apunhalado e ainda sim se manteve neutro mesmo diante de todo o cerco se fechando, agora o PT vem falar em “unidade, unidade é o cacete ” kkkkkk foi ótimo e esta deputada já se mostrou meio desequilibrada então remédio para doido é outro doido, Ciro 2022…

Responder

Aliança Nacional Libertadora

30 de maio de 2019 às 13h39

Mítô! Mítô! Mítô! Mítô!

Enquanto enquanto atacar o Lula esse quando preso injustamente em 2° instância…..tem tapete vermelho no PIG e no O Cirirzinho…..

Pelo menos….e se Papa tem ciência da política oportunista que é praticada na América do Sul…..

E os jogadores tentam te convencer do contrário….

Responder

julio

30 de maio de 2019 às 13h01

gostaria de saber como uma pessoa preocupada com a situação política do país pode em um momento conturbado como o da eleição passada viajar para umas férias prolongada,sem dar a menor importância a que estava acontecendo?
Ciro sua oportunidade passou,eu que cansei de elogia-lo,hoje tenho uma opinião a seu respeito completamente diferente,acho que você é de extrema direita,não tem a menor sensibilidade com as questões sociais do povo

Responder

    Miramar

    30 de maio de 2019 às 13h25

    Gostaria de saber como uma pessoa que tem sensibilidade passa o primeiro turno inteiro sem criticar o atual presidente, na prática o escolhendo como adversário. Certamente, é alguém que embora conhecendo o antipetismo reinante, não o compreende, resumindo tudo a uma conspiração da elite.
    Aliás, eu e a maioria dos cotistas votamos no poste no segundo turno. E é só porque era Bolsonaro. Isso nunca mais se repetirá.

    Responder

      Miramar

      30 de maio de 2019 às 13h50

      ciristas

      Responder

HILARIO MUYLAERT DA SILVA LIMA

30 de maio de 2019 às 12h12

Cirote superou Lula nos TTs !!!
“Parabéns ao Ciro…”
Tática de bater no PT, Lula, Dilma, Gleisi, e. agora, a Maria do Rosário…para subir nos TTs.
Ciro e seu irmão são um vexame….

Responder

    Miramar

    30 de maio de 2019 às 12h34

    Que petista feio!

    Responder

      Carlos

      30 de maio de 2019 às 14h48

      Vc gosta é de loirinho, de olhos azuis…
      eita bichona enrutida.

      Responder

        Mirama

        30 de maio de 2019 às 17h09

        E se fosse?
        Você é homofobico ?

        Responder

adelson

30 de maio de 2019 às 11h42

A direita critica, bate, esculhamba o Ciro, grande parte da esquerda (quase a maioria da esquerda) critica pontualmente, algumas falas e posições de Ciro. algo esta errado é com o Ciro.

Responder

    Miramar

    30 de maio de 2019 às 12h38

    Penso diferente. Se alguém consegue ser odiado pelos petistas e pelos bolsonaristas ão mesmo tempo é porque é um gênio.

    Responder

      Marcio

      30 de maio de 2019 às 12h54

      Ninguem odeia o Ciro, por contra acham ele engraçado demais, um comediante.

      Responder

        Miramar

        30 de maio de 2019 às 13h18

        Ninguém odeia o Ciro?! Rapaz, acho que você precisa reler os comentários desse site..
        E eu também acho que entre as muitas qualidades co Ciro está justamente a de ser engraçado.

        Responder

Eugênio

30 de maio de 2019 às 11h40

Mais um detalhe: Ciro critica a degradação da segurança pública no período do PT no poder. Mas convenientemente não dá bola ao mesmo fenômeno, aumentado, no estado do Ceará durante a administração “Ferreira Gomes”, aí incluído Camilo Santana, de seu grupo político. Com o detalhe de que, à época, Ciro Gomes, ele mesmo, era o secretário “informal” de segurança do estado do Ceará. Rebate a crítica com os números de aumento de efetivo, armamentos, viaturas etc. E esquece, mais uma vez de forma conveniente, que tudo isso foi possível graças ao PRONASCI dos governos petistas. Melhorou algo? Aparentemente, não. E creio que isso é realmente preocupante para o campo da esquerda e era isso que se esperava discutir no encontro. Infelizmente, como já disse, Ciro não discutiu o objeto do tema. Autocrítica no dos outros é colírio. O aumento da violência mesmo com a melhoria em vários aspectos sociais, visível, palpável, durante os governos do PT é uma esfinge que precisa ser decifrada. Sem lacração.

Responder

Eugênio

30 de maio de 2019 às 11h32

Vou escrever de novo o mesmo que escrevi no outro post. O problema na fala do Ciro foi ele ter deixado o tema principal (segurança pública) de lado para falar das eleições de 2018. Se você assistir novamente o vídeo, verá que ele fala pouco de segurança pública, o que é uma pena pois deixamos de ter sua contribuição, que deve ser valiosa, para o debate e vemos mais uma vez a agressão mútua e apaixonada entre dois grupos que fazem parte do mesmo campo político, embora com suas diferenças. É curioso o caso aqui do Cafezinho, blog que eu leio sempre. No afã de criticar a mitologia do Lula, estão criando um novo mito. Dizer que Ciro falou em terceira pessoa como forma de se relacionar entre os criticados não é razoável. Ciro foi extremamente irônico, coisa que ele faz bem, e tentava atingir a Maria do Rosário com sua ironia. Quanto a dizer que Ciro é alvo da esquerda há muito tempo, isso não é sem razão. Ciro foi governador do Ceará em aliança com Tasso Jereissati. Um político de quem Ciro diz ter grande admiração mas que fez crescer sua fortuna, dentre outros motivos, por controlar boa parte do estado do Ceará. Enfim, teria muito mais coisa pra falar sobre o período “direitista” do Ciro, mas não é o caso. Acho verdadeiramente que hoje ele está em nosso campo.

Responder

Vitorino

30 de maio de 2019 às 11h28

Falou tudo.

Responder

Roberto Araújo Martins

30 de maio de 2019 às 11h15

No “jogo pesado da política brasileira”, o que falta a Ciro Gomes é uma detalhe simples: VOTO KKKKKKKKK

Responder

    Miramar

    30 de maio de 2019 às 12h40

    Então por qual razão você se preocupava conosco?

    Responder

João do Amor Divino de Santanna e Jesús

30 de maio de 2019 às 09h17

É só ver os ataques sistemáticos que o Cirão da massa recebe no JN,Record, JP em toda a imprensa da direita, e redes do Bozo para entender que ele é quem está derretendo o governo, vai acabar com a Reforma da Previdência e criar uma educação para todos com Tabatita no Ministério.

Responder

Marco Aurelio Silva Cavalcante

30 de maio de 2019 às 08h33

Já estava passando da hora de alguém dizer umas verdades nuas e cruas ao PT e toda a sua arrogância e soberba…muita gente fofa e hipócrita nesse país, quase sempre falar a verdade nesse país é taxado pejorativamente…valeu Ciro!!!

Responder

André Christóvão Pio Martins

30 de maio de 2019 às 08h05

Miguel, pelo amor de deus! Você é um cara de leitura refinada dos fatos, não é possível que não tenha notado o que ocorreu. O Ciro NÃO fez autocrítica. Quando ele bate no peito e fala nós erramos é só provocação, já que ele nunca foi o responsável pela segurança pública, tanto que imediatamente depois ele diz que no Ceará eles (os Gomes) não erraram.
Quanto a oferecer o microfone para a Maria do Rosário, isso foi feito num contexto de provocação. Ele queria desequilibrar ela. Ele foi para esse encontro para causar. É a estratégia dele. Votei no Ciro no primeiro turno e acredito que ele é um personagem importante na política. Mas vamos ser menos condescendente com ele.

Responder

    Vitorino

    30 de maio de 2019 às 11h35

    Claro que ele confessa que errou no Ceará. Você acompanha o Ciro? Já vi várias vezes ele dizendo que aumentou efetivo, aumentou salário, comprou equipamento e mesmo assim a criminalidade aumentou. Aí ele começou a reunir um grupo de especialistas para entender melhor a questão. Agora ele tem essa análise e projeto para a área.

    Responder

André Christóvão Pio Martins

30 de maio de 2019 às 07h51

Arrisca virar um Plínio de Arruda Sampaio, divertido nos debates mas com traço nas intenções de voto.

Responder

Sandro Cabral

30 de maio de 2019 às 02h39

O Lula precisa entender que o PT não conseguirá eleger outro presidente tão cedo. Não importa quem lance como candidato.
O antipetismo já passou, e muito, de 50% de todo o eleitorado brasileiro.
Se Jesus fosse lançado pelo PT, perderia ! O PT virou queima filme !
Pra mim é #Ciro2022 ou #Nulo !

Responder

    Ioiô de Iaiá

    30 de maio de 2019 às 06h17

    Ao que me consta, quem foi para o segundo turno foi o PT, mesmo boicotado e perseguido pela mídia e pela “justiça”. O Ciro ficou com 11%.

    Responder

    Marco Aurelio Silva cavalcante

    30 de maio de 2019 às 08h29

    Assino embaixo amigo!!

    Responder

      José

      30 de maio de 2019 às 10h49

      E se elegeu no 2° turno por acaso? o PT ta queimado com todo mundo.

      Responder

        Giuseppe

        01 de junho de 2019 às 02h36

        No Brasil, após a redemocratização, houve 8 eleições presidenciais nas quais o PT venceu 4 consecutivas (2002, 2006, 2010 e 2014) e foi ao segundo turno em outras 4 (1989, 1994, 1998 e 2018).
        Ou seja, o PT conquistou 50% destas eleições e ficou com a “vice” em todas as outras, com um rendimento de 100% no segundo turno.
        Tudo isso apesar das campanhas difamatórias e lavagem cerebral antipetista promovidas pela grande (???) imprensa.
        Não sou petista, mas chamo a atenção para este fato histórico relevante que não deve ser esquecido.

        Responder

Miramar

30 de maio de 2019 às 00h59

Artigo muito bom.

Acho graça no argumento dos que dizem que o Ciro é um covarde por não ter campanha no segundo turno . Que eu saiba, covardia é quando alguém faz ou deixa de fazer algo por medo. E o Ciro não tem medo do poste. Também não tem medo do Bolsonaro. Bolsonaro é um sujeito ordinário e um péssimo governante, a quem fazemos oposição. Mas não temos medo dele. Quem se borra de medo dele são os petistas. E nós não somos petistas. Que obrigação temos de compactuar com fraudes de quem não confiamos?

Deve ser triste para os petistas visitar esse site. Eles aparecem aqui com a esperança secreta disso ter virado um bagulho como o Brasil 247, mas o site só piora. Quer dizer, piora pra eles. Pra mim só melhora.

Unidade é o cacete.
Eu conheço vocês.

Responder

    Ioiô de Iaiá

    30 de maio de 2019 às 06h20

    A tentativa foi elogiável, mas o Ciro foi covarde e egocêntrico, sim. Ele foi um dos grandes responsáveis pela chegada dos fascistas ao poder. O “passeio” na Europa, enquanto o circo pegava fogo, foi uma prova cabal disso.

    Responder

      Miramar

      30 de maio de 2019 às 12h43

      O poste fez alguma crítica ao Bolsonaro no primeiro turno? Não?
      Então pare de ser desonesto.

      Responder

      CezarR

      30 de maio de 2019 às 13h30

      Como se a quase totalidade de votos dele foi para o Hadadd? Me explica o fenômeno que faria Ciro eleger Hadadd? É muito mau caratismo de vocês petistas!

      Responder

lucio

30 de maio de 2019 às 00h09

mais conheço este ciro e menos gosto.
a direita sempre acusou o pt de moleza com os bandidos, agora vem estes e o acusam do contrario… a causa do repressivismo é a propria policia que ninguem nunca controlou, é un cancer, um corpo estranho autonomo.
ciro nao vai para lugar nenhum. nao da para confiar em um cara que muda toda ora, basta ler a biografia dele. nao vamos perder tempo com ele.
hoje li que propos de dar calote da divida interna, quer dizer ferrar os poupadores… nem merece comentario.

Responder

Raul

30 de maio de 2019 às 00h00

Aliás, achei fofo esse final quando insinua que o Papa é um desinfornado que deveria se meter apenas com as coisas de Deus e deixar pra lá as injustiças dos homens aqui na terra, ainda mais na terra onde o buraco é mais embaixo.

Responder

Rodrigo Olyntho Franco

29 de maio de 2019 às 23h28

as urnas tão tão magoadas com o PT que o Haddad foi pro segundo turno e o coitado do coroné não passou dos 11%, simples assim, qual é a maior bancada da camara? e o pdt golpista, tem quantos deputados? acho que a metade do pt, neh? ah ta

Responder

    Paulo Rogério

    30 de maio de 2019 às 00h07

    Relaxa. Nós, ciristas, já entendemos o recado de vocês, petistas: vocês não precisam dos nossos 12,5 milhões de votos!
    12,5 milhões de votos dados no primeiro turno a Ciro, e transferidos quase integralmente ao poste. Repito: já entendemos. E não voltaremos a cometer esse “pecado” de votar no PT novamente.
    12,5 milhões de votos do eleitorado mais racional do pleito, que escolheu, no primeiro turno, apoiar um projeto de país, não têm nenhuma importância para o PT.

    Boa sorte para o PT no caminho para o limbo. Mandem lembranças ao PSDB, que já se encontra lá, no mesmo limbo que vos aguarda, esperando para se reunir com os seus congêneres do neoliberalismo.

    Responder

      Miramar

      30 de maio de 2019 às 00h27

      Paulo Rogério
      Penso exatamente como você. Cometi o erro de votar no poste no segundo turno, mas isso não se repetirá. E não somos os únicos. Meu sonho, inclusive, é ver o Ciro e um poste petista em um segundo turno. Pense numa vitória gostosa!

      Responder

    Rafael Costa

    30 de maio de 2019 às 01h19

    PDT Golpista? Cara, deixa der ser imbecil, que adjetivo mais inadequado para o PDt, vc deve ser doente mental, do pode. Falando coisa com coisa.

    Responder

Nelsonz

29 de maio de 2019 às 22h59

Ciro é mais do mesmo de Bolsonaro, quer ser mito também. O texto até ia bem falando da falta de educação clássica e costumeira de Ciro. Um lorde que é capaz de xingar os outros de “viado”. Interessante que exigem do PT auto critica e não fazem o mesmo com Ciro. Não pedem pra ele fazer autocritica de sua falta de educação e de de sua estratégia fujona no segundo turno quando até Felipe Neto que não é de esquerda e nem petista assumiu uma posição. Ciro é da cepa de bozo e sua falta de educação esclarecida é somente instrumentalizada para ser mal educado com metáforas e verve mais elaborada, se bem que usar o calão “é o cacete” não fica a dever nada aos bozos e olavos de plantão.

Responder

    Jules

    29 de maio de 2019 às 23h31

    Quando o Sir Lulinha falava as grosserias dele, os petistas relevavam como um “regionalismo” de um sujeito simples, franco, autêntico, honesto, que diz o que pensa… Enfim, todo tipo de desculpa e indulgência.
    Quando o Ciro solta um “Porra” ou “Cacete”, essa mesma esquerda Lulinista desde o pau na “falta de educação” e “destempero” do Ciro. A hipocrisia sempre reinou entre vocês, mas só agora ficou clara: As vezes a depuração requer uma cisão interna entre semelhantes. A esquerda tem que filtrar essas desonestidades (E os elementos desonestos em especial) se quiser voltar ao poder e não cometer os mesmos erros. O “problema” do PT é que ele não sobreviveria nesse caso, daí negar a “autocrítica”.

    Responder

      Nelson Perez de Oliveira junior

      01 de junho de 2019 às 21h53

      Nunca vi bem ouvi Lula ser deselegante e xingar ninguém em público! Educação e coisa de berço e não de Harvard. Ciro e um mal educado contumaz e também um arrogante de cepa ancestral! Um idiota perigoso, arrivista e desequilibrado. Igual ao Bozo. Por isto não pode ser presidente e ter poder algum.

      Responder

    Arleton

    30 de maio de 2019 às 00h52

    Chora petê.

    Responder

Luis Campinas

29 de maio de 2019 às 22h42

Miguel, não e só problema de ordem emocional não. Ele vai para um encontro importante onde estão presente todas as forças de esquerda com assento no parlamento e fala por último e utiliza boa parte do seu tempo para dar pau no, gostemos ou não, maior partido de esquerda do Brasil, coisa que não faz o presidente do seu partido, muito pelo contrário. Aliás, é o que faz em todo lugar, fala mais mal do PT e de Lula do que deste governo fascista, o qual deu tempo e coisas mais. Pior é que ali ele falava, ou deveria falar, de um tema específico e até certo tempo foi, só que depois entrou na de sempre. E dá pau direto e entrou em temas que outros também têm opinião. Oras, é muito mais do que descompostura isso porque vem pensado. Ele opera para desconstruir um partido e o maior presidente que este país já teve e que é reconhecido no mundo todo. Se não mudar rapidamente, não vai virar uma Marina concordo, mas no voto vai, infelizmente!

Responder

Zé Maconha

29 de maio de 2019 às 22h41

Política carcerária dos governos petistas?
Quanta desonestidade intelectual , o Brasil não é uma ditadura e o PT nunca teve mais que 20% da câmara.
Essa polítca carcerária é da direita que sempre controlou o congresso e o judiciário , o PT realmente nunca tentou enfrentar a direita nesse ponto mas sem maioria no congresso seria impossível mudar as leis.
E o punitivismo dos juízes? Só mudando a Constituição pra mudar isso , não se pode intervir no judiciário.
Ciro e Miguel como sempre são bons em criticar e manipular os fatos.
A responsável pelo encarceramento em massa é a lei de drogas , qualquer um sabe disso a maioria de pobres negros e favelados presos com pequenas quantidades de drogas , nos meus 33 anos nunca vi Ciro defender a descriminalização das drogas , apesar de ter certeza que Ciro já usou drogas ilícitas.
Aliás não tenho visto o Cafezinho tocar no tema desde sua guinada â direita.
Falar sobre encarceramento sem mencionar a lei de drogas é pura conversa fiada.
Assim como jogar a culpa no PT sem apontar soluções.
Eu com maioria no congresso resolvia isso em um dia , mandava soltar todo mundo preso com pequenas quantidades e arrumava emprego pra eles na nova indústria da maconha.

Responder

    Miramar

    30 de maio de 2019 às 00h46

    Zé Maconha
    O programa do Ciro dedicou onze páginas ao tema segurança pública. Sendo o texto mais longo das candidaturas progressistas. Já sei, você nos considera direitistas. Não tem problema, isso não me ofende. No entanto olhe para o PSOL, que você defende. Ali há alguns ótimos especialistas em segurança pública. Marcelo Freixo e Coronel Ibis são apenas dois. Há mais. Parte do movimento dos policiais antifascismo é tosa psolista. Embora, lamento dizer, muitos deles como Luiz Eduardo Soares e Delegado Orlando Zaconne têm ótimas relações com o Cirinho…hehe

    Brincadeiras a parte, não poderia discordar mais da sua análise. A política de segurança pública petista é política de segurança nenhuma (inclusive dos governos estaduais). Sem proposta, não há
    possível maioria parlamentar que dê jeito. Aliás você conhece um único especialista em segurança
    pública petista? Eu não conheço nenhum.

    Lamento, mas você não vai ver nem do Ciro nem dos seus apoiadores, nenhuma defesa da descriminalização das drogas. Isso não é prioridade para nós. Longe de mim questionar seu direito de se drogar. Mas também não vou defendê-lo.

    Responder

Alexandre Neres

29 de maio de 2019 às 22h37

Se o PDT é um partido sólido, eu sou o Papa.

Candidatura fraudulenta do Lula? Dobre sua língua, Miguel do Rosário. Em vez de falar asneira, procure se informar melhor. Está se arvorando em ser membro do poder judiciário ou agente penitenciário pra ser carrasco dos outros com base em quê? Estude a jurisprudência da Justiça Eleitoral primeiro. Conhece a expressão um ponto fora da reta?

Responder

Raul

29 de maio de 2019 às 22h17

Alguém sabe dizer em qual trecho Ciro fala dos finais de semana com 50 assassinatos em Fortaleza? Da epidemia de feminicídio, especialmente no Cariri do Caerá2? da instirucionalizacão do pod era das facções indo das casas para adolescentes aos presídios? Do terror que é a violência no interior dos governos Cid? Chacina do Curió, do Benfica? Greve da Polícia? Da dezena de reféns mortos pela polícia em Milagres? se ele falou, estava batendo no peito enquanto explicava o salto nos índices de violência aqui? Se falou, merece respeito por assumir a responsabilidade dos Ferreiras Gomes pelo caos em que vivemos.

Responder

Alan C

29 de maio de 2019 às 21h47

Ciro nunca disse coisas como não te estupro pq não merece, não te estupro pq vc é feia, quem procura osso é cachorro (referindo-se às famílias cujo parentes foram torturados e sumidos pela ditadura), que negro pesa em arrobas, que a ditadura matou pouco, que é a favor da tortura, que se vir um casal homossexual na rua ele vai bater, que mulher tem menos capacidade e deve ganhar menos e etc, etc, etc…. O que espanta é que o autor dessas frases, absolutamente nojentas, nunca foi colocado na mesma frase com palavras como temperamento, destemperado ou semelhantes. Isso mostra como a grande mídia é tão nojenta quanto o dono das frases.

Sobre Ciro como liderança política, a petezada, o MBL e toda a direita o acha “perigoso” pq todos sabem que ele é o mais preparado e não querem que isso se torne ainda mais evidente, simples assim!

O que ele tem feito é digno de uma grande liderança preocupada com o povo, indo nas periferias falando sobre a reforma dos bancos, mas eu defendo que ele prepare um nome para concorrer em 2022, e ele mesmo já disse, no MyWay, que não pensa em ser candidato por estar de saco cheio da política.

Responder

ricardo

29 de maio de 2019 às 21h29

Perfeita a analise e ao contrario do que dirão os fanaptcos, sem tomar partido!!
Acho que os fanaptcos entram aqui só de marra pra ver o blog e saem depressivos, porque são obrigados a enfrentar as verdades sobre os erros de seu partido que jamais irão admitir…Enquanto o pasquim 171 o diário do centro do pt e o tijol….e um verdadeiro parque de diversões pra eles, afinal eles nesses sites as matérias e manchetes são preparadas a gosto pra que eles não tenham que pensar!!!
Quando vc não pensa, vc não fica deprimido….isso esta claro!!!
Reparem que no pasquim 171 quando eles querem deturbar ou fantasiar algum assunto especifico ..aparecem uns 10 colunistas martelando a mesma coisa(e escrevendo as mateiras de forma parecida), na cabeça dos coitados dos petistas por uns dois dias!!

Responder

Raul

29 de maio de 2019 às 21h24

Em 2018, O PDT tinha quatro candidatos a governador no 2* turno. Três APOIARAM e pediram voto para Bolsonaro. Um ficou neutro. Estou aqui pensando se isso também entra na conta das culpas do PT.

Responder

    Val

    29 de maio de 2019 às 23h00

    Esse Ciro e sua Batata, digo, Tabata são o que podemos chamar de ME ENGANA QUE EU GOSTO! Ninguém aguenta tanta hipocrisia, e quem será que está por trás dessa gente?

    Responder

Anônimo

29 de maio de 2019 às 21h10

essa idolatria ao Lula cansa.
as pessoas precisam saber o quanto os sindicalistas da CUT são riquíssimos, imorais, promíscuos com os patrões, apropriam-se do dinheiro do trabalhador e empregam toda a família.
colegas esquecem que com apoio da CUT-PT várias diretorias eleitas em fundos de pensão causaram déficit e enfiaram a dívida no rabo dos trabalhadores.

Responder

    Pedro Accioli

    31 de maio de 2019 às 10h17

    O PT representa a máxima hipocrisia! E nunca admitem quando erram e se continuar assim vão perder em 2022 com certeza pois o adversário certamente será um candidato de direita mais racional!!!!

    Responder

jaciara siqueira coelho

29 de maio de 2019 às 21h00

Parabéns ao Cafezinho pelo artigo escrito. Maria do Rosario foi deselegante, desrespeitosa com Ciro Gomes todo o tempo, fazendo comentários em tom alto, o que atrapalha qualquer orador. Ciro tem toda a razão por querer unidade na luta. Lula e a direção do PT não se preocuparam com o país, foram desleais com o PDT. Temos muitas lideranças valiosas no campo progressista:Ciro Gomes, Marcelo Freixo, Jandira Feghali, Roberto Requião Guilherme Boulos, Rui Costa,
Precisamos nos curar desse fanatismo que o lulismo desperta. É muito ruim para o campo progressista o populismo, seja da direita ou da esquerda.

Responder

    Pedro Accioli

    31 de maio de 2019 às 10h37

    O fanatismo pelo PT está altamente insuportável!!! Não dá mais! Talvez Ciro nunca mais terá chances de ser presidente, mas se for para ter um acordo e não ter Ciro como presidente, por causa do destempero dele, que lancem um candidato pelo PSB! E que o PT e PDT não lance candidato em 2022 e apoie este que falei! E se for querer ter o Flávio Dino, que ele saia do PC do B para concorrer no PSB pois o macartismo da grande mídia vai destruir ele!!!

    Responder

      Jose Bonito

      31 de maio de 2019 às 21h00

      Vamos enterrar o PT! Nao importa quem estiver do outro lado, o PT vai entender que da militância trabalhista, que tanto menospreza e pisoteia, nunca mais terá NEM UM VOTO e NEM UM APOIO! PT NUNCA MAIS!

      Responder

Deixe uma resposta