A audiência pública sobre a reforma tributária

Divulgação

Órgão máximo do Ministério Público abre inquérito contra Deltan

Por Redação

11 de junho de 2019 : 02h43

No site do CNMP

Corregedoria Nacional do MP instaura reclamação disciplinar e notifica membros do MPF

O corregedor nacional do Ministério Público, Orlando Rochadel, instaurou nesta segunda-feira, 10 de junho, reclamação disciplinar para apurar os fatos apresentados em reportagem do site The Intercept que publicou troca de mensagens envolvendo autoridades submetidas à atribuição do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).

A instauração da reclamação foi feita com base em solicitação dos conselheiros do CNMP Luiz Fernando Bandeira, Gustavo Rocha, Erick Venâncio e Leonardo Accioly.

O corregedor nacional determinou a notificação dos membros do Ministério Público Federal integrantes da Força Tarefa Lava Jato, na pessoa do coordenador da Força Tarefa em Curitiba/PR, procurador da República Deltan Dallagnol, para manifestação, no prazo de 10 dias.

Além disso, determinou a expedição de ofício à Corregedoria-Geral do MPF para que informe, em 10 dias, os antecedentes disciplinares dos membros integrantes da Força Tarefa Lava Jato em Curitiba/PR. Após o prazo, os autos serão analisados pelo corregedor nacional do MP.

Veja aqui a íntegra do despacho.

Processo: 422/2019-93 (reclamação disciplinar).

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

11 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Hilario Sousa

11 de junho de 2019 às 11h07

Experimente do seu próprio veneno canalha.

Responder

Jose carlos lima

11 de junho de 2019 às 09h48

Sabemos que as Corporações investigando seus próprios membros nunca dá em nada: mas já que Dalanhol adora convicções como provas, há mais do que convicções: há um caminhão de provas contra ele….o moço diz saber de lei mas se esqueceu da lei cósmica do retorno ou: quem com ferro fere com ferro será ferido….

Responder

Aureliano

11 de junho de 2019 às 09h28

M.O.R.O: PROVA E CONVICÇÃO, POR BEMVINDO SEQUEIRA

https://youtu.be/vC-6TO7grCE
 
Muito bom!

Responder

Alexandre Neres

11 de junho de 2019 às 09h25

Será que esse moleque, adepto da advocacia visual, o rei do powerpoint, o que leva pito do russo, vai invocar o bayesianismo?

Responder

João do Amor Divino de Santanna e Jesús

11 de junho de 2019 às 08h24

Peço a todos os irmãos coxinhas começarem uma oração forte.Uma reza brava para acabar com esta situação penosa que nós colocaram os russos e petistas.

Responder

    degas

    11 de junho de 2019 às 08h43

    Não se preocupe, irmão, quem está em situação penosa é a galinha que vai para o abatedouro. Os petistas sempre inventarão novos truques, mas o resultado disso é que a ira divina divina se abaterá ainda mais fortemente sobre eles. Nem precisa rezar. É só aguardar.

    Responder

degas

11 de junho de 2019 às 08h17

Tá bom, Joãozinho, agora explica pra nós qual é o problema do candidato quase eleito fazer contatos para compor seu futuro ministério.

Isso é o normal, todos fazem e não tem nada de irregular. E quando o indicado aceita o convite e é um nome forte, o candidato já o anuncia antes da eleição. Todo mundo sabia que o Guedes seria ministro do Bolsonaro, por exemplo. Repito, qual é o problema?

Responder

Thiago

11 de junho de 2019 às 08h15

UMA FONTE DE TESÃO

DALLAGNOL DIZ TER SENTIDO TESÃO COM MATÉRIA DO GLOBO USADA PARA FRAUDE CONTRA LULA

O procurador Deltan Dallagnol sentiu tesão ao golpear a democracia brasileira: “tesao demais essa matéria de O Globo de 2010. Vou dar um beijo em quem de vocês achou isso”, escreveu o procurador Deltan Dallagnol, que fraudou uma acusação judicial contra o ex-presidente Lula e golpeou a democracia nacional; a fraude permitiu a Dallagnol ficar rico com palestras ao setor privado

10 DE JUNHO DE 2019 ÀS 07:06

https://www.brasil247.com/pt/247/sul/396156/Dallagnol-diz-ter-sentido-tes%C3%A3o-com-mat%C3%A9ria-do-Globo-usada-para-fraude-contra-Lula.htm

DALLAGNOL, tu és um sádico!

Responder

    João do Amor Divino de Santanna e Jesús

    11 de junho de 2019 às 08h29

    DDzinho é humano tá.
    O importante é que ele se confessa todo domingo e o senhor, nosso pai, já perdoou por qualquer pecado que possa ter cometido.

    Responder

Thiago

11 de junho de 2019 às 07h36

ESTADÃO ABANDONA MORO E DEFENDE, EM EDITORIAL, SUA RENÚNCIA IMEDIATA

Lula Marques/Agência PT

“Não foram poucas as vezes em que as suspeitas levantadas pela Lava Jato custaram o cargo a ministros de Estado, incapazes de se explicar. Se Sergio Moro continuar a dizer que é normal o que evidentemente não é, sua permanência no governo vai se tornar insustentável. Fariam bem o ministro e os procuradores envolvidos nesse escândalo, o primeiro, se renunciasse e, os outros, se se afastassem da força-tarefa, até que tudo se elucidasse”, diz o jornal Estado de S. Paulo, que foi uma das principais correias de transmissão da Lava Jato nos últimos anos

https://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/396283/Estad%C3%A3o-abandona-Moro-e-defende-em-editorial-sua-ren%C3%BAncia-imediata.htm

REFAZENDO A MANCHETE: ESTADÃO ESTÁ DE OLHO NA REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Responder

João

11 de junho de 2019 às 07h22

ZONA TOTAL

Antes da eleição, Moro já sabia que ia ser Ministro
Greenwald enterra o que sobrou do Conge

Publicado em 10/06/2019 no Conversa Afiada

O jornalista norte-americano Glenn Greenwald afirmou que, em mensagens ainda não publicadas, o então juiz federal Sergio Moro relatou convite de Jair Bolsonaro para o Ministério da Justiça, do qual Moro hoje é titular, antes mesmo de vencer a eleição.

Greenwald é um dos autores das reportagens do site The Intercept Brasil que divulgaram conversas de integrantes da força-tarefa da Lava Jato no Paraná em um aplicativo de mensagens. Ele diz que ainda há mais conteúdo a ser divulgado.

“Temos conversas que ainda não reportamos sobre Moro estar pensando [antes da eleição] na possibilidade de aceitar uma oferta do Bolsonaro, caso ele ganhasse. Isso foi antes da eleição, acho que depois do primeiro turno”, afirmou Greenwald ao UOL, sem no entanto revelar a identidade do interlocutor de Moro.

No ano passado, ao aceitar o convite de Bolsonaro, em novembro, Moro disse que havia sido sondado por Paulo Guedes, agora ministro da Economia, em 23 de outubro –cinco dias antes do segundo turno.

Polêmica
O convite a Moro provocou divergências entre integrantes da Lava Jato em Curitiba. De acordo com o jornalista, mensagens no grupo dos procuradores mostra que alguns membros alertaram sobre as consequências negativas que a ida do ex-juiz para o Executivo poderia causar.

“E tem pessoas dentro da força-tarefa da Lava Jato, outros procuradores, falando que isso iria destruir a reputação da Lava Jato, porque iria criar uma percepção de que o tempo todo não foi uma apuração contra a corrupção, nem uma apuração do Judiciário. Mas uma apuração política para impedir a esquerda e empoderar a direita”, relata o jornalista.

Em 1º de outubro, a seis dias do primeiro turno, Moro tornou público um anexo da delação premiada de Antonio Palloci, homem forte dos governos de Lula e de Dilma Rousseff, com denúncias contra os governos petistas.

Em documento enviado ao CNJ, Moro negou ter agido para influir na disputa eleitoral.

“Todo mundo sabe que [Moro] fez isso para impedir o adversário principal do presidente de concorrer, e isso o ajudou a ganhar a eleição”, completou Greenwald.

Convém restabelecer a cronologia da manipulação da Vaza Jato para interferir na eleição:

– Pulhocci delata em 1/X;

– 1º turno em 7/X;

– Bolsonaro convida o Conge para ministro da Justissa;

2º turno: 28/X.

Precisa desenhar?

PHA

https://www.conversaafiada.com.br/politica/antes-da-eleicao-moro-ja-sabia-que-ia-ser-ministro1

ENQUANTO ISSO, A GLOBO, QUE APOIOU A DESTRUIÇÃO DO BRASIL, diz que a denúncia do Intercept não vai ser aceita pela justissa (assim mesmo) porque as gravações foram feitas sem autorização judicial. Vai ser engraçado a gente ver/ouvir um bocado de diálogos cabeludos entre Moro e o Urinol (Dallagnol poderia ser uma marca de urinol) e o restante dos procuradores da LJ, e o Bonner martelando do JN: “isso não vale nada, isso não vale nada!”

É como diria o Olavo de Carvalho: isso é uma grande putaria!
Não é, FHC?

Responder

Deixe uma resposta