Câmara discute privatização da Eletrobras

Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

Marcos Cintra é demitido

Por Redação

11 de setembro de 2019 : 16h00

No Ministério da Economia

NOTA À IMPRENSA
José de Assis Ferraz Neto assume o cargo interinamente

por publicado: 11/09/2019 18h44
última modificação: 11/09/2019 18h44

O Ministério da Economia comunica o pedido de exoneração do secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra. Esclarece ainda que não há um projeto de reforma tributária finalizado. A equipe econômica trabalha na formulação de um novo regime tributário para corrigir distorções, simplificar normas, reduzir custos, aliviar a carga tributária sobre as famílias e desonerar a folha de pagamento. A proposta somente será divulgada depois do aval do ministro Paulo Guedes e do presidente da República, Jair Bolsonaro. O ministro Paulo Guedes agradece ao secretário Marcos Cintra pelos serviços prestados. O auditor fiscal José de Assis Ferraz Neto assume interinamente o cargo.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

7 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

NeoTupi

11 de setembro de 2019 às 23h47

Há um mês Bozo vinha reclamando para Cintra da Receita Federal estar “incomodando” a família, segundo o jornalista Rubens Valente. Andrea Sadi da Globo também falou que essa foi uma das causas.

Responder

LUPE

11 de setembro de 2019 às 20h44

Caros leitores

Pelo atual andar da carruagem ,
que nós estamos assistindo
(nós os bem informados, que leem os blogs de esquerda)
ou seja, nós que estamos vendo
a demolição do País,

posso apostar que Marcos Cintra,
que pediu exoneração ,
era um “inconveniente”.

Um estranho no ninho.

Ou seja , era um homem de bem.

Será substituído por outro,
que, provavelmente,
atenderá melhor
à “construção”
(ou destruição )
do País.

Responder

Wellington

11 de setembro de 2019 às 19h44

Mais um estupido que assim como o ex diretor do INPE nào sabe ter a lingua na boca.

Os ministros mais expertos estào se revelando os militares.

Responder

    Gilmar Tranquilão

    12 de setembro de 2019 às 09h13

    Os americanos tb acham os ministros militares os mais espertos kkkkkkkkkk

    Responder

Mokvwap

11 de setembro de 2019 às 18h55

Pronto, agora todos os jornalistas e militantes petistas que estavam gritando TÁ VENDO!? O BOZO TRAIU O POVO! NÃO FALEI!? vão passar a defender o imposto.

Responder

Paulo

11 de setembro de 2019 às 17h12

Alguém acredita que essa Reforma “vai aliviar a carga fiscal sobre as famílias”?

Responder

Netho

11 de setembro de 2019 às 16h59

Tiraram um auditor do bolso do colete, sem nenhuma experiência em nível estratégico e que não se sabe qual o apito tocava e tocará.
Cintra sempre foi um estranho no ninho e jamais poderia ter sido nomeado, simplesmente porque nunca entendeu bulhufas de tributação e muito menos do sistema tributário nacional.
A realidade concreta é que o Posto Ipiranga mais parece um símio bipolar catatônico em casa de cristal da Boêmia e sala de louças de Limoges.
A verdade factual é que o Posto Ipiranga caiu na armadilha da liquidez fiscal e está desesperado por mais arrecadação. Daí o sebastianismo fiscal para injetar a CPMF na veia das receitas.
A equipe econômica fracassou e Cintra foi “bode expiatório único” jogado ao mar.
Já foi tarde…

Responder

Deixe uma resposta